Quarto Suíte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Quarto Suíte

Mensagem por Ghail C. Mudder em Dom 6 Abr 2014 - 16:22


____________________

...try to be yourself...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Timothy D. Keynes em Sab 21 Jun 2014 - 1:41






Sweet dreams



Depois de semanas de desespero finalmente eu havia alcançando algum resultado com aquele coral preguiçoso, mas como nem tudo são flores, claro que novas preocupação acabaram surgindo, pra começar meu querido e amado sogro que eu jamais tive o privilégio de conhecer veio a falecer, confesso que me sinto um pouco insensível por falar disso dessa forma, mas também não vejo outra forma. Enfim, como conseqüência disso a fofa da minha sogra acabou entrando em depressão isso obviamente refletiu no meu amado e doce Steven, que se tornou menos doce e aderiu a um sexy estilo bad boy. Minha relação com esse bad boy anda um tanto problemática, o coral toma tanto de mim que acabei não me atentando ao caos que a vida dele se tornou de um minuto para o outro e acho que não lhe dei o apoio que ele precisava, portanto não posso negar que parte da culpa de ele ter parado de usar creme para pentear é minha.
Assim que as apresentações acabaram sai procurando Levine por todo o colégio, fui aos lugares mais óbvios, perguntei a alguns rapazes e só então usei o cérebro para ir até o estacionamento e descobrir que seu carro não estava lá, não sabia dizer ao certo quais eram meus sentimentos no momento, talvez um mix de frustração e preocupação. Liguei algumas vezes no celular do garoto e apenas consegui ouvir sua voz na mensagem gravada na caixa postal, aquele era o antigo Steven com uma voz risonha e alegre, bem diferente do cara que ignorava minhas ligações do outro lado, mas eu precisava falar com ele, então fui ao seu apartamento, e antes que pudesse bater na porta ouvi o som de Levine II vindo até a porta e latindo, provavelmente me reconhecendo pelo cheiro – Amooor! – Chamei algumas vezes, mas aparentemente ele não iria vir, então virei a maçaneta e a porta abriu, logo o cãozinho começou a pular em minhas pernas, em resposta me ajoelhei  e o peguei no colo fazendo carinho em sua barriga – Cadê seu papai? – Perguntei como se Levine II realmente pudesse me responder, enquanto olhava em volta e via um cenário bagunçado, com roupas espalhadas e louças sujas pra todo lado – Ele tem te dado comida pelo menos? – Parecia realmente que estava havendo um diálogo ali enquanto o acariciava atrás das orelhas. Continuei caminhando pela casa e cheguei a porta do quarto a encontrando entreaberta, empurrei-a com o quadril e vi um Levine sem camisa e ainda com a calça do uniforme estirado sobre a cama, o escorpião atrás de sua orelha se destacava mesmo coberto por alguns fios de cabelo, suas costas subiam e desciam e aquilo era a única coisa que o fazia parecer vivo. Fitei o recipiente de comida de Levine II que ficava num canto do quarto e ele estava cheio – Pelo menos de você ele tem cuidado, né, rapaz? Acho que agora ele precisa de alguém que cuide dele – Aproximei o cãozinho do meu rosto e dei um beijo, enquanto me mantinha ali parado apenas observando meu namorado dormir.

tagged: #LEVINE1 #LEVINE2 #myloves

thank's for @lovatic, cupcake graphics


____________________

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Ghail C. Mudder em Sab 21 Jun 2014 - 17:09



Finaly


Meu recado foi dado e agora cabia ao outro captá-lo para poder perceber que se não fosse naquele momento não seria nunca mais. Meus passos foram ágeis, deixei ele com seu maravilhoso trabalho que era mais importante para ele do que seu relacionamento e sai da Dalton, não me via mais naquela escola como antes, faltava apenas um ano para poder sair dali, mas será que me acostumaria em outro luga? Pensar nisso era perda de tempo, ainda mais com meu corpo transpirando ferozmente, entrei no carro e girei a chave cantando pneu e saindo da garagem, minha casa era o meu conforto depois de tudo que me aconteceu então deixei o que tinha que deixar para trás sem olhar demonstrando arrependimento, frio, eu estava totalmente diferente coisa que reparei quando vi pelo reflexo do retrovisor do carro.

As portas de aço do elevador se abriam, caminhei sem pressa para o apartamento, Levine II começava a latir sem tom de ameaça, levei um sorriso de canto ao ouvir aquele latido de ansiedade e assim que empurrei a porta o cãozinho pulava o mais alto que podia para querer atenção, segui meu caminho indo para meu quarto, tirei minha blusa e joguei minha bolsa em cima do sofá, havia louça do dia anterior, algumas peças de roupas espalhadas pela sala, uma caixa de pizza contendo um pedaço dentro dela e algumas latinhas vazias de cerveja em cima da mesa de centro, não estava com muito ânimo pra arrumar aquilo, melhor dizendo, perdi meu ânimo desde quando meu pai faleceu, vi ali que minha família iria desmoronar aos poucos e ainda tinha Tim, meu relacionamento estava uma merda, meu namorado só queria saber daquela escola e das tarefas enjoativas, pouco a pouco tudo aquilo foi me matando por dentro, vendo que estava sozinho tive que me entregar a um mundo tormentado pelos fantasmas da minha cabeça. Me joguei na cama e ali fiquei, Levine II subia na cama querendo lamber meu rosto, fiz força pra brincar com ele por aluns minutos e então me entreguei ao sono dos condenados, sabia que tinha esquecido a porta da sala aberta só que a preguiça estava em cima de mim, deixei me levar pelo peso dela e apaguei.

Meus ouvidos captavam uma voz próxima de mim, meus olhos ainda cansados queriam se manter fechado só que os obriguei a me dar a visão de quem estava por ali, suspirei e me virei na cama ficando de barriga para cima, havia esquecido que estava sem camisa então sem querer mostrei a mais nova tatuagem feita, uma pena que subia de minha virilha passando pelo lado do meu abdome se desfazendo em corvos que seguiam pelas costas, então diante de mim estava Timothy junto ao cão em seus braços, revirei os olhos e me levantei da cama indo ao encontro do frigobar que tinha no cômodo.
- Pelo visto dele você não esquece... - falei de forma rouca e seco.
Abri o frigobar e peguei uma garrafa d'água, retirei a tampa e bebi no gargalo logo voltando a coloca-la no mesmo lugar, me virei e passei por Tim indo até o banheiro, abri meu zíper logo o barulho de água começou a soar, girava minha cabeça e por fim ao terminar lavei minhas mãos e voltei passando pelo outro sem mencionar uma palava, abri o closet e retirei uma camisa branca de gola "V" e depois uma calça de moletom, aquele silêncio foi quebrado então por mim novamente.
- Espero que minha tarefa tenha-o agradado... - falava enquanto pegava as roupas e ia para o banheiro novamente. - Estou também impressionado em aparecer por aqui, não me lembro da última vez que esteve no apartamento que moldei para nós. - olhei nos olhos de Timothy e sorri com os lábios fechados, tirei minha roupa e entrei no chuveiro.



onde: Quarto com: Timothy post: 010 ouvindo:What now - Rihanna


thanks @ lilah cg

____________________

...try to be yourself...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Timothy D. Keynes em Sab 21 Jun 2014 - 20:53






Sweet dreams



E pelo visto o sono do meu namorado era mais leve do que eu me lembrava, eu realmente não parecia saber muito sobre ele e um certo sentimento de culpa me tomou por isso, algo que se intensificou quando ele virou de frente, em seu dorso bem definido subia uma grande pluma, mais uma tatuagem, porém essa bem maior que aquela atrás da orelha, eu não sei bem como reagia, mas desconfio que minha expressão deixou clara que aquilo me surpreendia, eu estava estático, não sabia o que responder, ele passava por mim como se eu não estivesse lá, no meu colo Levine II permanecia imóvel, segui-o  até a entrada do banheiro de onde pude ver que a grande e detalhada pluma descia por seu quadril chegando até a virilha do rapaz, no momento todos os motivos pelos quais eu estava ali sumiram da minha mente, eu só me perguntava quem teria feito aquela tatuagem e o que tal pessoa teria visto... Fechei os olhos, respirei fundo, o que não foi uma boa idéia, o banheiro fedia a urina e outras coisas que não sei dizer bem o que era, continuei apoiado na parede que dava para a entrada e me encolhi quando o garoto passou por mim indo buscar algumas roupas, continuava sem saber que reação esboçar diante daquilo tudo, o rapaz fez menção a sua tarefa – Claro, na verdade foi a melhor coisa que já vi em muito tempo naquele coral, estou bem impressionado – terminei reduzindo o tom da minha voz e olhando em volta de forma a deixar claro que não era só a apresentação que me impressionava. O garoto falou algo sobre também estar impressionado com minha presença ali, pelo visto o estado depressivo não tinha tirado em nada seu poder de retórica, ele se despiu e entrou no chuveiro enquanto eu continuava ali com o Levine II que agora parecia estar de alguma forma se espreguiçando no meu colo. Apoiei minha cabeça no vidro que separa o chuveiro do resto do banheiro e por alguns segundos apenas fitei a água escorrer por seu corpo, o som do chuveiro era a única que se ouvia, talvez fosse minha vez de quebrar o silêncio – Steven, por que tudo isso? Eu sei que tudo anda uma merda, eu sei que não tenho sido o melhor namorado do mundo, e peço desculpas por isso. Mas olha em volta, tudo está péssimo! E de onde surgiram essas tatuagens? – antes que eu me desse conta o tom de minha voz começara a subir, não queria fazer isso, mas estava dando uma bronca no meu namorado. Virei de costas pro chuveiro e contei até dez bem devagar – Me desculpa, okay? De verdade, mas depois que sair do banho vamos pelo menos arrumar isso? – Não podia deixar meu namorado e meu filhote viverem naquele chiqueiro.

tagged: #LEVINE1 #LEVINE2 #myloves

thank's for @lovatic, cupcake graphics


____________________

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Ghail C. Mudder em Sab 21 Jun 2014 - 22:39



And us?


A água quente do chuveiro relaxava meu corpo, pelo menos essa era a única forma de tirar aquela tensão que estava sentindo. Com os meus olhos fechados deixava que aquilo lavasse minha alma ou o resto dela, Timothy então respondia minha pergunta, deixou claro que finalmente ele estava ali para tentar resgatar o que tinha entre nós, o resto que tinha. O vulto do garoto estava parado ao outro lado do vidro temperado que estava embaçado pelo vapor da água quente, abri meus olhos vendo-o e me virei de costas enquanto esfregava meu abdome, fiquei calado ouvindo suas palavras e então eis que surgiu falar em um tom mais elevado, era isso que eu queria, sua forma de mostrar que estava incomodado com tudo aquilo pelo menos mostrou pra mim que ele também reconhecia como nossa relação estava indo, afundando desastrosamente e no meio disso também notei que as tatuagens o havia incomodado, só não entendia o motivo.

Permaneci calado, a proposta de querer arrumar a casa após o banho passou pela minha cabeça como uma névoa espeça que logo se dissipou, eu não queria arrumar nada agora, apenas tentar salvar o que restava de nossa relação e por em pratos limpos o quanto tudo aquilo se seguiu pelo simples fato de ter sido posto como segundo lugar na vida do outro.

Fechei o registro e peguei a toalha, me enxuguei e a enrolei em torno de minha cintura, sai do box e o encarei cruzando os braços:
- É sério isso? Um pedido de desculpas e logo depois me chama pra arrumar a bagunça do apartamento? - Dei uma risada abismado com aquilo e franzi meu cenho o encarando muito sério. - Olha para nós, Timothy, nossa relação está uma merda como você mencionou, minha vida está uma merda, meu apartamento, sim, está uma merda e tudo porque eu desisti de me importar com quem sempre coloquei em primeiro lugar. - Enquanto eu falava apontava o dedo para a minha direção e logo apontei para a direção dele. - O seu coral é mais importante do que isso tudo.- Passei a mão pelos meus cabelos molhados e me virei seguindo para a cama cujo se encontravam as minhas roupas, o outro me seguia permitindo que eu continuasse.
- Enquanto você se preocupava com as seletivas, quais músicas cantar eu estava desesperado, meu pai sendo enterrado e minha mãe internada em um hospital por ter entrado em depressão, não sei como eu não entrei...- Peguei minha calça de moletom e retirei a toalha, sem cueca a vesti e então peguei a camisa e também a coloquei. - Melhor pra você? Assim não vai se incomodar com a minha tatuagem. - Alfinetei.

Voltei a seguir para o banheiro e abri o armário, pegava minha escova de dentes e o creme dental, coloquei um fio um pouco grosso sobre as cerdas e depois guardei a pasta, coloquei a escova sobre a pia e depois minhas duas mãos apoiavam-se sobre a porcelana também, abaixei minha cabeça e fechei os olhos pensativo, alguns segundos depois olhei para o lado vendo o loiro e arqueei minha sobrancelha esquerda:
- O coral que nos uniu agora está nos separando, Timothy, montei isso tudo para nós e até então você sequer se importou, estou aqui sozinho com meus pensamentos que moldaram quem sou agora, se tudo está uma merda é porque simplesmente não tive forças para sobreviver a turbulência a qual passei.- Meu tom foi bem calmo nesse momento, peguei minha escova e comecei a deslizá-la sobre meus dentes, logo então estava com espuma sobre minha boca toda, formei uma concha com minha mão e peguei água da bica e enxaguei minha boca cuspindo logo em seguida, coloquei a escova no armário e me virei ficando apoiado sobre a pia enquanto novamente estava com meus braços cruzados olhando para o chão.

onde: Quarto com: Timothy post: 011 ouvindo:What now - Rihanna


thanks @ lilah cg

____________________

...try to be yourself...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Timothy D. Keynes em Sab 21 Jun 2014 - 23:31






Like a tattoo



A culpa se tornava mais forte a cada palavra mal pensada que eu dizia, sem dúvidas o melhor era ficar quieto e ouvir tudo o que ele tinha a me dizer, suas palavras soavam como lâminas penetrando em minha carne, eu não podia ser tão insensível a ponto de não notar o que se passava ao meu redor, pior, o que se passava com meu namorado, até porque só a idéia de isso ser verdade já me fazia sentir mal, o segui pelo quarto deixando que falasse tudo o que tinha para me dizer, minha cabeça estava baixa, eu me mantinha fitando Levine II e este parecia me encarar de volta, pode ser loucura, mas eu sentia como se até ele estivesse me repreendendo de alguma forma, mas eu não podia estar tão errado assim.
Saindo pela toalha que contornava a cintura de Steven a pluma cercada de pássaros continuava a chamar minha atenção, o garoto despejava em cima de mim tudo o que havia passado, e eu me sentia horrível, não por terem sido coisas horríveis, mas por que de alguma forma parecia que havia falhado com ele, aliás isso era óbvio, ele me contava seus problemas e me sentia um completo estranho, enquanto deveria sentir que os problemas eram meus também, afinal ele são. Em certo momento Steven deve ter notado eu desviar o olhar para seu quadril, aquilo era inevitável, o choque de vê-lo tatuado havia passado nos primeiros segundos, mas ainda assim aquilo me despertava curiosidade e um pouco de ciúmes, o rapaz vestiu as roupas que tinha separado anteriormente e foi escovar os dentes, segui-o deixando o quarto ser preenchido por um completo silêncio, ele estava de costas pra mim apoiada na pia e fiz menção de tocar suas costas, mas recuei antes de completar – Amor... – Quando ia começar a falar fui interrompido por mais um longo discurso a respeito da prioridade que eu vinha dando ao coral, e eu de forma nenhuma poderia discordar dele.
Ele terminou de escovar os dentes e ficou de frente a mim com o quadril apoiado na pia, eu o encarava de volta esperando que falasse mais alguma coisa, mas pelo visto essa era minha vez – Amor, não importa o que eu diga aqui, não tem como mudar o fato que tenho sido o pior namorado que poderia ser nos últimos tempos – Fechei os olhos e dei um passo na direção do rapaz apoiando minha cabeça em seu peito, entre nós estava Levine II que olhava pra cima como se tentasse entender o que acontecia ali – Me perdoa, eu vou fazer de tudo pra isso dar certo agora, eu prometo que vou me dedicar 110% a você. E sua Tatuagem é linda. – disse esboçando um sorriso que na verdade significava que eu estava muito nervoso e tinha medo dele reagir mal com o que eu tivesse dito. O sorriso logo se desfez num suspiro lento, levantei a cabeça fitando os olhos do garoto.

tagged: #LEVINE1 #LEVINE2 #myloves

thank's for @lovatic, cupcake graphics


____________________

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Ghail C. Mudder em Dom 22 Jun 2014 - 0:10



And us?


Era isso, fiquei de cabeça baixa enquanto sentia a aproximação de Timothy enquanto se auto nomeava um namorado ruim, engoli a seco fazendo mais algumas palavras voltarem pela minha garganta, deixei com que ele se expressasse para poder decidir o que seria de nós dali pra frente, logo sua cabeça veio de encontro ao meu peito, levantei a minha virando meu rosto para o lado não aceitando muito aquele gesto, mas permitir que o fizesse. Suas palavras então me fizeram o olhar de forma cautelosa, encarar aqueles azuis que expressavam uma dor de culpa foi torturante no inicio, mas colocando na balança o meu sofrimento é algo que não se mede. Meu maxilar se pressionou e então olhei depois para Levine II pondo minha mão sobra a cabecinha dele, arfei com carinho, voltei a coloca-la sobre a borda da pia e disse:
- Eu queria muito poder acreditar nas suas palavras agora, quero acreditar, mas preciso ver isso acontecer. Lutei muito por nós e estou aqui novamente me permitindo usar as forças que me resta para me manter com você... - Palavras frias, porém sinceras, era isso que eu pensava naquele instante.
- Se fosse como antes eu estaria abraçado a vocês enquanto ficava cantarolando pela casa que estaria limpa, mas não tenho mais ânimo pra nada....
Me ajeitei ficando em uma posição mais ereta, afastei o outro de leve do meu peito e peguei o cachorro o colocando no chão com calma, voltei a me levantar e levei uma de minhas mãos ao rosto dele me aproximando bem perto de seus lábios.
- Estou diferente agora, Tim, terá que se acostumar comigo assim... me fechei de vez para sentimentos que me feriram então até conseguir confiar neles novamente terá que saber lhe dar comigo.
Levantei meus lábios beijando sua testa, o abracei com calma e fiquei a olhar para o nada em transe e pensativo.
- Sabia que iria gostar da tatuagem, só não entendi a implicância.
Terminei falando enquanto deslizava minha mão sobre suas costas.

onde: Quarto com: Timothy post: 012 ouvindo:What now - Rihanna


thanks @ lilah cg

____________________

...try to be yourself...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Timothy D. Keynes em Dom 22 Jun 2014 - 1:01






Like a tattoo



Um certo desespero tomava conta de mim de repente, eu queria chorar, sentia medo que talvez ele não agisse de forma positiva, Steven começou a dizer coisas sobre acreditar em mim e por um momento eu pensei que ia ser mandado embora dali pra sempre, então ele tirou Levine II segundo dos meus braços e eu me mantive estático, tudo parecia que ia desmoronar até o momento que seu toque quente em meu rosto, pus minha mão sobre a dele e continuei o fitando a espera do que poderia estar por vir. “Estou diferente, terá que se acostumar” foi um alívio vê-lo dizer o óbvio, seus braços fortes contornaram meu corpo me mantendo preso a ele de forma aconchegante, não queria estar em nenhum outro lugar no mundo.
Eis que voltamos a tatuagem, realmente não tinha porque eu não gostar, era linda, deixou ele ainda mais sexy, eu também poderia acrescentar que os pássaros me faziam lembrar do coral, mas essa informação poderia começar uma nova discussão e talvez levasse até a um escapelamento, e prefiro evitar esse tipo de coisa. Passei meus braços entorno da cintura do rapaz e sorri com o rosto apoiado em seu peito, meus lábios roçavam em sua camiseta enquanto eu falava – Não é implicância com a tatuagem, eu realmente gostei delas, mas me incomoda um pouquinho a ideia de alguém te tatuando tão perto... Você me entendeu – Fechei os olhos um pouco constrangido, eu ainda não me sentia no direito de ter crise de ciúmes, mas não dava pra evitar, a crise estava acontecendo, pus as mãos sobre seus ombros contornando o escorpião atrás de sua orelha com o dedo indicador e continuei – Sério, não me leve a mal, sei que esses caras que fazem tatuagem são profissionais, mas você é meu e isso me incomoda um pouquinho. – Dei um passo para trás e levantei um pouco a camiseta do garoto fazendo aparecer um pedaço mínimo da pluma, realmente era um desenho lindo, que ficava ainda mais lindo pela qualidade da tela, passei a ponta dos dedos pelo local e pousei minha mão ali deixando sua camiseta voltar a cair sobre ela, aproximei-me mais uma vez e pus a outra mão na lateral de seu pescoço – Agora vamos falar sério... Temos que arrumar essa bagunça, não dá pra fugir, e eu vou me certificar de que não fique assim de novo. – mais uma vez meus olhos penetravam fundo o do rapaz enquanto eu falava num tom quase autoritário, no fundo eu não sabia se tinha poder pra fazer isso, mas agir dessa forma era algo que fluía de forma natural pra mim.

tagged: #LEVINE1 #LEVINE2 #myloves

thank's for @lovatic, cupcake graphics


____________________

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Ghail C. Mudder em Dom 22 Jun 2014 - 21:15



Second Chance


A tensão estava perdendo a força entre nós, fiquei decidido de dar uma segunda chance para nós, nossa primeira briga e quase estávamos nos desvencilhando um do outro, esperasse que fosse a primeira e última briga, pude perceber então a diferença de discussão para briga, as palavras eram mais impactantes e a situação se tornava um terremoto de última escala.

O rumo da conversa se mudava para então a tatuagem, fiquei com aquela dúvida e por isso perguntei e então a resposta fora um tanto engraçada, me surpreendi e então fiz uma brincadeira com um fundo no minimo ácido.
- Olha... Sente ciúmes de mim ainda... - Balancei a cabeça de forma negativa com um sorrio fechado. - E foi uma mulher quem me tatuou, tinha um rapaz lindo lá também, mas era gay então para não ser atacado optei pela mulher.
Uma piscadinha de leve fiz e finalmente meus dentes apareciam com um sorriso aberto.

Voltei a abraçá-lo, Levine II latia parecendo estar feliz por aquela briga ter acabado, olhei para ele e Tim fazia o mesmo:
- Ele sentiu sua falta. - Olhava para o loiro com uma expressão normal, naquele momento era que como se eu tivesse me aliviando por ter dado aquela chance, demonstrei para ele que nossa relação era a minha vida e se a minha vida fosse se dividir ela iria acabar rápido.

Depois daquele momento o outro tocou novamente no assunto da arrumação do apartamento, revirei os olhos soltando uma leve bufada, fiz uma cara meio estranha depois de ter ligado-me nas últimas palavras do outro:
- Vai se certificar? - Cruzei os braços enquanto ele ainda estava com suas mãos em torno da minha cintura. - Então... - Uma risada inocente escapou mordi o meu lábio inferior e voltei a encará-lo. -... vai vir para o nosso apartamento... - Fiquei me balançando que consequentemente ele também ficava, me desgrudei da pia caminhando com o outro agarrado a mim e o prendo na parede de vidro. - Acho que vou cantar mais indiretas da próxima vez. - Ri e me aproximei de seus lábios grudando os meus com os dele, minhas mãos agora estavam na sua nuca, o puxava para mim e deixava com que nossas línguas se conectassem fazendo aquele astral entre os dois se limpasse, as cabeças iam de um lado para o outro e por fim ao me afastar disse:
- Então posso chamar a empregada de volta para cá.
Me virei e caminhava em direção a sala para pegar meu celular que estava na bolsa.


onde: Quarto com: Timothy post: 013 ouvindo:Collide - Howie Day


thanks @ lilah cg

____________________

...try to be yourself...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Timothy D. Keynes em Dom 22 Jun 2014 - 22:09






New Rules


Rapaz gay e lindo o caralho! E o fato de ele ter escolhido uma mulher não me deixava nem um pouco melhor, ele não mencionou em nenhum momento que ela era lésbica, mas tudo bem, a paz começara a reinar entre nós e não seria por causa de tatuadores que deram em cima do meu namorado ou não que eu ia levar tudo ao caos novamente. Apenas um “hmmm” saia dos meus lábios enquanto o rapaz contava sobre a tatuagem, fui surpreendido pelos seus braços que voltaram a me puxar pra junto dele fazendo brotar um sorriso, Levine II latia como uma criança tentando chamar a atenção dos pais, eu me mantive olhando nosso filhote por alguns instantes e então encarei Steven falando a respeito da arrumação do apartamento e tentando deixar claro quais era minhas intenções a partir de agora. Senti que a ficha demorou a cair, ele estava a ponto de reclamar quando percebeu o que eu estava querendo dizer de verdade, senti seus braços mais firmes em minha cintura e ele começou a balançar o corpo fazendo-me ir junto a ele – Sim, olha em volta, está claro que não existe a menor condição de eu deixar você sozinho aqui. – O rapaz me empurrou até o vidro que dividia os espaços e seus lábios se afundaram aos meus de forma envolvente, senti cada músculo do meu corpo relaxar enquanto suas mãos em minha nuca puxavam-me ainda mais para aquele beijo.
O rapaz se afastou findando nosso beijo e eu sorria de cabeça baixa, havia sentido saudades de ter momentos assim, quanto a arrumação da casa ele disse que chamaria a empregada de volta, um forte sentimento de pena passou por mim naquele momento, a casa sempre fora um brinco, a mulher teria uma surpresa muito desagradável se encontrasse tudo naquela situação, mas não entendi por que ele a dispensou, na verdade acho que nunca vou entender essas manias de garotos mimados que gostam de chamar a atenção – Steven, Limpeza é só um fator, agora que vou morar com você muitas regras serão criadas por aqui, sabe disso, não é?  – Ele já caminhava em direção a sala quando eu comecei a falar, eu o segui e parei apoiando o ombro na batente da porta, ele segurava seu celular e eu o encarava com um olhar sério aguardando  uma resposta.

tagged: Fomos para a sala u.u

thank's for @lovatic, cupcake graphics


____________________

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Nathaniel W. Sibley em Ter 31 Mar 2015 - 12:21

Pain is just one...
Pessoas julgavam os russos, e o mais engraçado é que elas estavam certas. Minha mãe tinha um espírito russo forte, sempre me lembro dela com sua forte personalidade e ideias firmes, eu havia puxado muitas características dela, assim como as de meu pai, mas não poderia pensar neles agora. Minha forma de agir, que eu tinha certeza de que o ofenderia, acabou por fazê-lo rir; não de asco ou com pitadas de sarcasmo, e sim uma risada de apreciação, como se meu gênio fizesse-o se sentir bem. Achei curioso, e corei com um pouco mais de raiva, ele era enigmático ao seu modo. Senti sua mão puxar a minha, antes pegando uma garrafa no bar enquanto ia com ele, no caminho, gradativamente o som forte das batidas da música diminuíam, o que fazia meus ouvidos pararem de doerem e minha dor leve nas têmporas sumir. Adentrei seu quarto com sua permissão e ele tranca a porta jogando-se despojadamente em sua cama, sentado na beirada, enquanto eu por minha vez, calmamente sentei-me na beirada de sua cama à sua direita.

Escutei atentamente o que ele falava, percebendo ter eu pegado uma garrafa de vodca. Dei de ombros, erguendo uma sobrancelha. Melhor que as irritantes misturas com álcool que mais tinham gosto de suco. Vodca pura era minha praia, abri a tampa, pondo-a ao meu lado. Sentia levemente tonto, mas eu era resistente, e eu havia tomado nem sequer dez doses de vodca, poderia aguentar mais duas festas, se continuasse neste mesmo ritmo. Engasguei e engoli o líquido sentindo-o arder duas vezes mais quando finalmente desceu. Meus olhos fitaram o dele, meio sem que reação. Combinação? Eu era frio e culto, era fato, mas eu não me considerava exatamente uma pessoa muito amistosa para se interessar. Dei de ombros e minha expressão mesclava surpresa e ao mesmo tempo confusão, mas logo abri um leve sorriso quando ele me fitou com a sua pergunta. Eu não sabia, não havia parado pra pensar nas nossas diferenças ou como elas se completavam.

- Não faço a mínima ideia. - Falei, sincero. - Nunca parei pra pensar se somos opostos e nunca parei pra pensar se nossas diferenças se completam mas... - dei de ombros e aproximei-me, foi um leve beijo casto em sua bochecha, mas feito de boa vontade. - Veremos isso... mas e então, novidades? Gosta do seu novo coral? - deitei-me, meio exausto, os braços abertos sentindo a maciez de sua cama, olhei-o e sorri levemente.



____________________

Sibley
Been trying hard not to get into trouble, but I, I’ve got a war in my mind, So, I just ride

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Ghail C. Mudder em Qua 1 Abr 2015 - 13:29




You...and me?


"I am not afraid to walk this world alone...
Nothing you can say could stop me going home."
Fiquei um pouco preocupado com a reação que Andy fosse fazer quanto as minhas ações e palavras. Trancar a porta, falar sobre atração de opostos, coisas que pudessem fazê-lo pensar coisas não tão fiéis de mim, mas me surpreendi com suas respostas e até mesmo com o beijo em meu rosto que ele havia dado. Novamente aquele choque arrepiante veio pela minha coluna fazendo meus pelos todos se arrepiares, até mesmo pude sentir minhas pernas tremerem, mas que diabos estava acontecendo?

Estranhei quando ele disse "veremos isso...", olhei para ele confuso franzindo minha testa enquanto esboçava um sorriso meio sem jeito.
- Como assim veremos isso? - perguntei apenas por querer saber o motivo de ter dito aquilo, nunca percebi até então uma aproximação a não ser de amizade entre nós, mesmo apesar de sentir uma atração por ele. Lá estava meu gosto de loiros de olhos azuis, será que isso é alguma jogada do destino?
Não deixei de observar também sua caída em minha cama, gostei da tal atitude dele, parecia estar se soltando mais com a minha pessoa, o que pra mim era algo muito bom, a vodca tinha seu poder de liberar o eu interior das pessoas sendo que ele era russo e já acostumado com a forte água destilada.

Despertei do meu breve devaneio com a pergunta dele, novidades, eu não tinha nenhuma quanto ao coral...
- Bem, eu estou gostando, pessoas diferentes, tarefas e outras coisas, mas não tem aquela aproximação quanto os Warblers, eles são muito técnicos, isso eu não posso negar, muito bons, mas como falei, não são tão próximos quanto vocês, laranjinhas. - cutuquei ele quando pronunciei minha ultima palavra e me joguei na cama também caindo ao seu lado olhando para o teto que continha um lustre de cristal.
Será que eu estava fazendo o certo? - pensei comigo mesmo e me virei ficando de lado apoiando minha cabeça sobre a palma de minha mão que era sustentado pelo meu antebraço sobre o colchão mole da cama.
-... - não consegui emitir nenhum som ao me deparar com os olhos do outro, parecia que algo me tampava a boca deixando-me apenas apreciar a companhia de Andrew, me peguei mordendo meu lábio inferior de leve sem muita malícia e logo deslizei a outra mão sobre sua face.
- Você é tão lindo...
Não pude mais esperar, olhei para os lábios do outro e voltei a encarar seus olhos, respirei fundo me lançando sobre ele beijando sua boca enquanto o puxava para mim, eu estava atacando o que me fazia ficar vulnerável a um belo soco na cara, mas não ligaria, naquele momento era aquilo o que eu queria fazer e como a minha regra é ser feliz não importa o que fosse acontecer então que assim fosse...

Post: 07 ~ Tag: Andrew
(c)

____________________

...try to be yourself...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Nathaniel W. Sibley em Qua 1 Abr 2015 - 17:05

Pain is just one...
O meu "veremos isso" havia sido quanto ao fato de, depois, nos conhecermos melhor e mais profundamente. Ele não havia compreendido, o que me fez soltar uma leve risada. Me sentia bem, apesar do gosto da vodca sumir em meus lábios, ressecados agora. O moreno tinha um toque fraternal e dócil no olhar, e era impossível não notar a intensidade com a qual ele dirigia toda a sua atenção. Como não havia notado seus olhos da cor de um oceano límpido a me fitarem, ou reparado seu sorriso leve e solto, rouco e gostoso, que dava-me calafrios a cada palavra proferida por seus lábios róseos? Por um momento não consegui formular nada, e suas palavras sobre seu coral se passaram rápidas e eu apenas pude experimentar um torpor sem tamanho. Quando me dei por mim, levei um leve susto, pois a mão do jovem alisava meu rosto.

Eu tinha uma pequena queda por carinhosos. Gostava de me sentir protegido e de me sentir bem, e o moreno agora deitado próximo à mim sabia atender à todas as necessidades minhas, quase como se ele fosse telepata e lesse meus pensamentos, sabendo o certo a se fazer. Ouço seu elogio, corando e agora desviando o olhar do teto para virar a cabeça para ele. Sorri levemente, de forma genuína e carinhosa, e minha mão direita encostou em sua pele morna, acariciando das bochechas rosadas ao queixo dividido e senti meus dedos encostarem em seus lábios, antes de nos beijarmos. Não tinha controle de minhas ações, desta vez não era apenas descontrole pela bebida, e sim algo natural, pois eu havia bebido muito pouco para estar bêbado. Minha perna direita enroscou-se na dele e agilmente me vi por cima dele. Os beijos intensificaram, minha mão direita segurava seu pescoço alisando-o, subindo aos seus cabelos, enquanto a esquerda segurava firmemente seu ombro, mas logo apertava sua mão.

- Você é lindo também, Tyler. - Minha voz saiu entrecortada pela respiração falha, mas sorri levemente, retornando à beijá-lo.


____________________

Sibley
Been trying hard not to get into trouble, but I, I’ve got a war in my mind, So, I just ride

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Ghail C. Mudder em Qua 1 Abr 2015 - 17:44




You...and me?


"I am not afraid to walk this world alone...
Nothing you can say could stop me going home."
Meus olhos se abriram lentamente, após o longo e demorado beijo me vi deitado com Andrew em cima de mim, olhei para ele tentando procurar entendr como tudo aquilo aconteceu... Meus lábios estavam de forma descoladas deixando minha boca entre aberta enquanto buscava falar mais alguma coisa para o loiro, nossos hálitos se misturavam, o álcool em nosso organismo não havia acelerado aquele encontro de bocas, sim, nós mesmos que se propusemos ao extremo, nos entregamos porque era pra ser assim.

Depois de alguns segundos ainda hipnotizado pelos olhos de Andrew consegui acordar com a batida na porta de um dos organizadores do buffet.
- Senhor Levine? Me desculpe interromper, mas, está na hora de liberar a piscina... - a voz abafada ao outro lado da porta me fez fechar os olhos e soltar uma risada.
- Aguarde só mais alguns minutos, preciso aproveitar mais meu namorado. - ousei em falar isso enquanto o encarava com serenidade, não sei se ele aprovaria, mas em todo caso, nada custa tentar.
- Não se preocupe, apenas quero que ele vá embora rápido. - falei baixinho fazendo uma expressão brincalhona e levando meu indicador aos lábios do outro.
- Tudo bem, mil perdões... - o rapaz se afastava da porta voltando aos seus afazeres.

- Será que posso te convidar a ficar por aqui e tomar café comigo amanhã de manhã? - olhava para ele mordendo um pouco meu lábio inferior e em seguida me inclinei para frente beijando seus lábios com um leve colante.
- Não se preocupe, não precisa dormir comigo, se quiser ficar, tem um quarto de hóspedes enorme também.
Falei para ele sentindo uma pequena pontada de decepção caso ele escolhesse a segunda opção, mas para isso ele teria que aceitar a primeira, o que me deixou mais apreensivo.


Post: 08 ~ Tag: Andrew
(c)

____________________

...try to be yourself...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Nathaniel W. Sibley em Qui 2 Abr 2015 - 10:19

Pain is just one...
Como não sentir-se hipnotizado pela imensidão azul que atraía e prendia, era como se o mundo lá fora não mais importasse, como se as preocupações nada fossem. Por um momento me senti mal pela forma como agi, principalmente pela forma com a qual ele havia me fitado como resposta; havia sido um olhar de leve embaraçamento e confusão, lábios entreabertos. Me senti meio mal e minha cabeça pendeu para o lado esquerdo, logo meu corpo inteiro também foi enquanto da porta alguém batia e falava qualquer coisa sobre a piscina. Meu corpo desprendeu-se do dele, minhas mãos encontraram o colchão fofo e agarram-se ao lençol e voltei para o lugar onde eu estava anteriormente. Fitei-o enquanto ele me chamava de namorado e pedia um tempo a mais sozinho com seu namorado, logo me pedindo desculpas e, pelo o que insinuara, havia sido desculpas para fazer o homem ir embora. Senti seu dedo em meus lábios. Quis mordê-lo, sinceramente admitindo em pensamento, mas meus olhos apenas retribuíram com frieza e logo olhei o teto, estreitando os olhos.

Ouvi-o pedir para que eu ficasse ali. Ponderei por um momento. Algo em mim estava quebrado, como se eu tivesse levado um tapa que me acordou para a realidade. Me sentia magoado com suas ações. Lógico que não éramos namorados, apenas tínhamos uma pequena relação de atração mútua, e só. Não deveria criar expectativas de nada nem ninguém nunca, meu pai dissera, este fora meu bordão por toda a verdade, além de muitos outros. Meu pai podia ser um homem frio e sem coração, mas me ensinou muitas coisas que eram verdades. Engoli em seco e apoiando as mãos no colchão fiquei sentado na beirada da cama, pondo as botas. Escutei-o sugerir para eu ficar no quarto de hóspedes. Seria embaraçoso pela manhã, e eu de ressaca era pior do que eu de mal-humor. Fechei os olhos por uns segundos, buscando por algo para falar.

- Desculpas, mas vou indo embora. - Falei tudo, saindo como um canhão, rápido e monstruoso. - Não sei se é uma boa ideia, não sei se tudo isso é... - busquei por palavras, mas nada encontrei para justificar minha ação de ir. Por que eu estava indo embora mesmo? Olhei-o uma última vez, ele parecia meio desolado e confuso, mas além; magoado. Inclinei na cama e beijei-o nos lábios, sentindo seu corpo ao meu.



____________________

Sibley
Been trying hard not to get into trouble, but I, I’ve got a war in my mind, So, I just ride

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Ghail C. Mudder em Dom 5 Abr 2015 - 8:53




You...and me?


"I am not afraid to walk this world alone...
Nothing you can say could stop me going home."
Ficamos por ali mais alguns minutos até que de repente Andrew se levantou batendo em retirada de forma avassaladora, me coloquei a ficar sentado na beira da cama sem praticamente entender nada olhando suas ações, se arrumando. Franzi o cenho e depois cocei minha cabeça, eu queria falar algo, mas, a impulsividade dele foi tamanha que na hora fiquei meio que chocado e assim não tendo como responder aquilo tudo.

- Andrew! - consegui emitir o som pronunciando seu nome. - Por favor, me desculpe se falei algo que não lhe agradou... - abaixei a cabeça dando um longo suspiro.
Suas palavras me atingiram de forma eficaz, parecendo conseguir fazer com que meu corpo se retraísse, mas depois senti ele se aproximar e voltei a encarar seus olhos, um beijo selou aquele pedido de desculpas. - assim achei - envolvi meus braços em sua cintura enquanto o beijo era longo e demorado, sinceramente queria esquecer aquela festa e ficar ali com ele, mas eu tinha que controlar e manter as coisas, pelo menos, sob-controle para que nada fosse mal falado ou com a polícia na minha porta.

Após me afastar dele dando fim ao beijo acariciei sua face pedindo mais uma vez mentalmente para que ele ficasse comigo dando mais um reforço com minhas palavras junto as carícias.
- Fique comigo, por favor... Estou querendo muito você perto de mim, deixa eu te fazer feliz...
Falei enquanto acariciava sua face olhando em seus olhos profundamente.
- A festa já está acabando, a piscina vai ser liberada para fazer o pessoal tirar o álcool da mente. - ri meio bobo nesse instante. - Então, o que me diz? Aceita passar essa noite comigo para depois passar mais outras? -o olhei esperançoso pedindo mais uma vez mentalmente que ele me entendesse e não pensasse que eu estava querendo lhe usar apenas, nossa estadia juntos só me fez ganhar mais vontade de ficar ao seu lado, tivemos momentos amistosos, mas posso sentir que podemos ter algo a mais que poderia acabar sendo bom, ótimo... Perfeito.


Post: 09 ~ Tag: Andrew
(c)

____________________

...try to be yourself...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Nathaniel W. Sibley em Dom 5 Abr 2015 - 10:16

Pain is just one...
A voz do moreno tatuado era suplicante, me pedia para ficar com ali com ele, me pedia para dormir ali. Não conseguia resistir, me sentia mal por ceder as rédeas do controle, me sentia mal por não poder ao mesmo tempo conseguir formular nenhum pensamento ou algo para falar. Ele segurava meu braço pedindo por desculpas, caso tenha me ofendido. Eu estava ofendido por qual motivo? Eu me sentia confuso, totalmente. Suas mãos circundaram minha cintura e desgrudei nossos lábios, meu olhar foi para baixo, meio confuso e perdido. Ele pede, de forma suplicante, que queria apenas me fazer feliz, que queria minha companhia. Não estava acostumado com as pessoas apreciando demais a minha companhia, muito menos pedindo-me chances. Ele parecia dar aquilo com o qual eu não estava acostumado, e isto me fazia ficar confuso, e ao mesmo tempo cada vez mais apaixonado... sim, essa era a palavra correta para o sentimento estranho que eu nunca havia experimentado antes.

Sentia sua carícia em minha face, e eu não sabia ao certo como retribuir ou reagir diante daquilo. Quantas pessoas já haviam feito aquilo antes? Ele comenta com um leve sorriso que a festa estava próxima de seu fim, pedindo-me para passar a noite com ele. Não sabia o que ele englobava com aquela pergunta, mas assenti com um espontâneo e leve sorriso. Fitei Tyler, pela primeira vez sentindo-me um pouco mais livre. Observei a porta.

- Precisa mesmo ir embora? - Falei fitando a porta distraidamente enquanto ficava de pé e indo até ela, encostando a mão na maçaneta e percebendo estar trancada. Suspirei, virando-me para o moreno e com um leve sorriso ruborizado, sacudi o pé esquerdo, fazendo a bota escorrer e cair ao chão, repetindo o processo com o outro pé e caminhei até ele, sentindo a maciez do chão de granito enquanto meus dedos apertavam as bordas de minha camisa grande e larga, puxando-a e livrando-me da peça. Meu joelho esquerdo apoiou-se no colchão, minhas mãos acariciaram os cabelos do moreno puxando-o para recostar sua cabeça no peitoral nu, acariciando seus cabelos. Não sabia o que falar, mas só neste momento havia notado que não precisávamos expressar nada em simples palavras.



____________________

Sibley
Been trying hard not to get into trouble, but I, I’ve got a war in my mind, So, I just ride

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Ghail C. Mudder em Seg 6 Abr 2015 - 12:05




You...and me?


"I am not afraid to walk this world alone...
Nothing you can say could stop me going home."
Abri um largo sorriso, ele colocava seu joelho ao lado da minha coxa se apoiando sobre a cama e logo senti suas mãos arfando meus cabelos e me puxando para encostar sobre seu peitoral despido, fechei meus olhos por alguns instantes sentindo aquela aproximação tão quente, me virei beijando sua pele e envolvi meus braços que estavam na altura de sua cintura.
- Acho que não conseguirei ir agora... - falei pondo meu queixo sobre sua barriga olhando para dele de baixo, pisquei de forma maliciosa e convidativa. Acariciava suas costas logo e então em um puxão o virei fazendo ele cair sobre a cama novamente e assim me encontrava por cima dele, meus lábios encostavam em seu umbigo e começava a beijá-lo calmamente subindo bem lentamente, apoiei minhas mãos sobre o colchão me levando até a parte superior de seu corpo parando em seu pescoço e dando uma leve mordida ali, aproveitei o momento e beijava na ponta de seu queixo e coloquei a ponta da minha língua para fora a deslizando até seu lábio superior.
- Vou ficar aqui com você.

Mergulhei em sua boca com um beijo profundo enquanto minhas mãos agora acariciavam seu rosto, meu coração estava acelerado e isso era algo muito louco, a pulsação da batida me fazia viajar em seus lábios, nossas pernas se entrelaçavam e em uma jogada rápida tirei meus tênis empurrando-os com meus pés, um ajudava ao outro, nossos lábios não se descolavam, novamente deslizei minhas mãos até as dele entrelaçando nossos dedos e assim as levei para cima de nossas cabeças, mordi seu lábio superior de leve e fui dando beijinhos logo em seguida, na ponta de seu nariz, na curva de sua testa, na testa e fui direto para seu ouvido direito falando baixo.
- Você e eu... Apenas. - beijei sua orelha e me ergui voltando a encará-lo, estava com aquele sorriso estampado, aquele que demonstra quando uma criança ganha algo que sempre quis, nossos olhos se conectavam de uma forma forte, admirava-o tentando desvendar aquele mistério escondido dentro de sua alma, aquele que me fazia ficar ligado a ele.

- Posso parar se não quiser, darei a você toda a liberdade, quero que seja especial e sincero, tudo o que formos fazer daqui pra frente.
Meu timbre era um sussurro, a música alta lá fora não atrapalhava pela distância e pela porta fechada, praticamente esqueci que estava tendo uma festa, meu mundo estava ali, tudo estava fechado a somente nós dois...

Post: 10 ~ Tag: Andy ~ Music: Love Me Like You Do
(c)

____________________

...try to be yourself...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Nathaniel W. Sibley em Qui 9 Abr 2015 - 18:33

Pain is just one...
Um sorriso leve instaurava-se em meu semblante enquanto acariciava os macios e finos fios negros do moreno, fechei os olhos sentindo seu cheiro por alguns poucos segundos, como se fosse um cão farejador decorando o cheiro de algo. Ri em pensamento, continuando com a carícia em seus cabelos, quando fui jogado sob a cama mansamente, recebendo beijos por meu corpo e carícias por parte dele, retribuindo meu favor. Sorri e fitei-o nos olhos, por dentro um frio se apossava, enorme e quase esmagador. Sim, eu o amava.

- Retire todas as suas roupas... - falei em seu ouvido, beijando-o e beijando seu pescoço, minhas mãos passeando por seus braços fortes e firmes.



____________________

Sibley
Been trying hard not to get into trouble, but I, I’ve got a war in my mind, So, I just ride

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Ghail C. Mudder em Ter 21 Abr 2015 - 22:59




You...and me?


"I am not afraid to walk this world alone...
Nothing you can say could stop me going home."
Um silêncio se fez ao lado de fora, pude notar que a festa havia acabado e eu praticamente não havia ido finalizá-la, mas o que eu estava fazendo era muito mais importante do que uma festa cheia de jovens bêbados e felizes. Eu estava amando a pessoa que sempre esteve presente para mim e que agora estava se tornando especial daquele dia em diante. Andrew agora era a pessoa que me controlava pela voz pedindo para que minhas roupas fossem retiradas, apenas o olhei sentindo suas mãos passando pelos meus braços e disse:
- Podemos fazer isso juntos... - sussurrei abrindo um sorriso enquanto o encarava.

Minhas mãos agarravam pela bainha da blusa de Andy e a subia pelo corpo dele que içava os braços a fazendo sair com mais facilidade, me inclinei beijando seu colo e depois seu pescoço, senti as mãos deles sobre mim tirando minha blusa também, as minhas tatuagens eram expostas para ele. Descia seu corpo com beijos pegando em seu coes da bermuda e a desabotoava, o zíper descia lentamente me fazendo ver a sua cueca, puxei lentamente a peça de roupa e a deixei cair no chão, fui puxado por ele caindo sobre a cama e logo também estava sem calça, as batidas na porta eram esquecidas me fazendo apenas ficar ali somente para Andy, acariciava sua face e voltávamos a nos beijar.

Sua mão estava por trás de minha nuca, meus braços me apoiavam sobre o colchão, ele estava sentado sobre mim. Retirei uma das mãos de cima da cama e a levei por trás de suas costas o colocando mais perto de mim, deslizei ela até seus cabelos segurando seus fios loiros com certa força e intensificava nosso beijo com ternura.
- Eu e você... - falei dentre nosso beijo. - Nós. - soltei mais uma palavra e nos colocávamos sobre a cama prendendo seus braços acima de sua cabeça, inclinava meu rosto para beijar o canto de seus lábios e ia descendo fazendo pequenos estalos com os beijos. A ponta da minha língua saiu e deslizou suavemente por seu pescoço caindo em seu colo, subi pelo mesmo caminho e cai em seus lábios mordendo seu lábio inferior e o puxava com lentidão. Iria fazer daquela noite a mais especial de todas para nós.

Post: 11 ~ Tag: Andy ~ Music: Love Me Like You Do
(c)

____________________

...try to be yourself...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Nathaniel W. Sibley em Qua 22 Abr 2015 - 0:35

Pain is just one...
Beijá-lo e sentir seu corpo quente junto ao meu era uma das mais incríveis sensações. Ele comente sobre podermos, juntos, retirar suas roupas, o que fiz com calma, apreciando cada uma de suas tatuagens e seu corpo aconchegante. Deixaria Tyler me guiar pois não tinha muita experiência com sexo e também por não saber como agradá-lo, e logo seus beijos intensificavam-se e sua língua desprendia-se de meus lábios e explorava minha pele, mordiscando-a e beijando-a ternamente.

- Essa não é a primeira vez pra mim, e creio que pra você também mas... - parei, fitando-o nos olhos - mas creio que eu não seja muito experiente, então sinta-se à vontade para me guiar como bem entender... - lhe abri um leve sorriso, beijando seus lábios e alisando sua coxa direita, subindo pela mesma e pousando em seu volume, apertando-o levemente e beijei seu pescoço, sua pele era lisa e macia, além de seu corpo ser firme, quase como se tivesse sido feito especialmente para eu poder encaixar-me nele. Sorri levemente para o moreno, ficando por cima do mesmo, levando uma de suas mãos até minhas coxas.



____________________

Sibley
Been trying hard not to get into trouble, but I, I’ve got a war in my mind, So, I just ride

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Ghail C. Mudder em Sex 24 Abr 2015 - 18:12




You...and me?


"I am not afraid to walk this world alone...
Nothing you can say could stop me going home."
Ouvi seu pedido não deixando de mostrar meu sorriso singelo, era tão lindo poder ouvir ele dizer tais palavras, me fazer tal pedido que me fez se sentir um alguém mais especial. Assenti com a cabeça lentamente acariciando sua face e me inclinando para poder beijá-lo mais um pouco. Minhas mãos acariciavam agora sua nuca o puxando para mais perto de mim, cai sobre a cama deixando ele estar sobre meu corpo enquanto sentia suas carícias, o que me fazia soltar leves gemidos de prazer, as mordidas de leve, os arranhões que surgiam fazendo um rastro vermelho sobre a pele dele e dali por diante seria nós em nosso mundo.

Nossas pernas estavam entrelaçadas, os corpos suados enquanto se tocavam mostrando o calor intenso que cada um transmitia de um para o outro, tudo estava perfeito e poderia terminar ainda melhor, mas ao caso isso não viria por agora já que é como dizem... A noite é uma criança.

Meu quadril se mexia lentamente para frente e para trás, o corpo de Andrew acompanhava o movimento sentindo nossos corpos se tornarem um, a transpiração era nítida, o prazer era alucinante, minhas costas sentiam as arranhadas de leve que ele fazia. Inclinavam-me um pouco para beijá-lo não parando os movimentos fazendo ele sentir o prazer invadir seu corpo, minhas mãos apertavam a colcha que estava abaixo de nossos corpos suados. Os beijos eram calorosos, as carícias vinham dando sequência aos atos, as posições mudavam de vez em quando, logo mais algumas meia hora estávamos sentados na cama, meu corpo abaixo do dele com as penas na direção opostas as da dele, não estávamos separados, suas penas agarravam minha cintura e meus braços estavam em volto da sua cintura, ele estava sentado em cima de mim, eu estava dentro dele.
- Você é a pessoa mais linda e perfeita com que já fique... - fiquei olhando para ele o admirando. - Não sei como não pude ver isso antes... - as palavras saiam em forma de sussurro para deixar o clima ainda naquele nível de romance adolescente.
- Eu estou amando você, amando estar com você e vou amar acordar com você. - dei um colante rápido. - Hoje. - mais um beijo. - Amanhã... - outro beijo. - depois de amanhã e até quando você enjoar de mim... - pisquei e logo voltamos a nos amar como um casal transbordando de amor.

A noite passava, as horas pareciam correr e ao fim de tudo eu e Andy estávamos deitados na cama, ele dormia feito um anjo e eu apenas o observava dormir, rondei rapidamente pelo apartamento vendo que tudo estava arrumado e organizado, a festa havia sido bem falada, todos os convidados haviam saído contentes e alegrinhos, voltei ao quarto me colocando ao lado de Andrew e deitando de conchinha com ele colocando meu braço sobre seu corpo e de leve beijei seus cabelos sentindo ele se aninhar mais comigo, fechei meus olhos e me permitir cair também no sono profundo junto ao meu amado...

Encerrado para Ty e Andy

Post: 12 ~ Tag: Andy ~ Music: All I Need
(c)

____________________

...try to be yourself...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto Suíte

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum