{FP} Natan Sacha Kelley

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

{FP} Natan Sacha Kelley

Mensagem por Convidado em Dom 6 Jul 2014 - 16:38


Nathan Kelley



HISTÓRIA

Nathan era simples, gostava de tudo o que era calmo, porém, não dispensava uma festa, quando estava afim. Pacífico, silencioso e de certa forma misterioso, o rapaz costumava ser titulado de bomba relógio, mas nunca explodia. Apesar de ser quieto na maior parte do tempo, não fazia a linha tímido, se estivesse interessado, tentaria conquistar a parceira, sem ser exagerado ou forçar uma relação que nitidamente não teria fins lucrativos. Não era ambicioso, nem tinha em mente a prática de se submeter a bullying ou praticá-lo com alguém. Em sua visão, isso não levaria a lugar algum que não fosse a solidão bastarda.

Gostava de música desde que estava praticamente no ventre de sua mãe, Pam. A mulher cantava todas as noites, enquanto estava grávida, procurando acalmar o feto em formação, que se mexia bastante. Nathan acostumou-se a ouvi-la, e trazia consigo infinitas memórias, as quais podia lembrar-se não de tudo por completo. Era como se sua mente estivesse dividida em partes, e para restaurá-la, deveria unir pedaço por pedaço, coisa que ele fazia ao passar do tempo.

DADOS

NOME: Nathan Sacha Kelley

DE ONDE É?: Texas.

IDADE: 19 anos.

GRUPO?: New Direcitons.

AUDIÇÃO

Pegou o violão, saindo de casa. Morava em um pequeno apartamento num bairro de classe média. Não tinha tanto dinheiro quanto a maioria das outras pessoas, já que ainda procurava trabalho. Tinha saído do Texas com uma mão na frente e outra atrás, teve sorte em conseguir se comunicar com uma tia que residia em Ohio. Foi convidado a morar com ela, enquanto as coisas se arrumavam. Natan não se dava bem com o pai, homem ao qual não merecia ser chamado assim. Howard Kelley era dono de uma montadora de carros, e tinha dinheiro o suficiente para não trabalhar pelo resto da vida. Queria passar a empresa para Natan, que negava. O rapaz tinha em mente, seguir no caminho musical. Nem que fosse apenas para montar os equipamentos de uma banda qualquer.

Chegou em frente a uma escola, endereçada pela tia, a qual seria onde ele estudaria. Soube que estavam atrás de membros para o coral, e aproveitou a oportunidade para se infiltrar. Se inscreveu, e esperou pelo dia de hoje, onde novas audições seriam feitas. Procurou pelo auditório, onde uma certa quantidade de pessoas estavam reunidas. Olhou de esguelha para o palco, onde uma garota que não parecia ter mais que 20 anos falando algo. Ela era baixinha, os cabelos tinham um tom meio confuso, entre o loiro e o castanho claro. Natan pensou no que ele poderia estar fazendo ali, deveria ser a treinadora, já que todos a ouviam. Era jovem, poderia estar cursando uma faculdade, mas estava ali. Deveria gostar de lecionar. Segurou o violão pela faixa, e se sentou. A treinadora se chamava Mary, pelo que tinha ouvido falar. Ela estava explicando aos membros do coral, que estariam ali para observar novas audições e chamou pelo próximo. Ninguém estava disposto a ser o primeiro, e Natan não daria o braço a torcer. Estava um pouco nervoso, apesar de não aparentar.

Então, um garoto sentado não muito longe de onde estava, respirou fundo e subiu no palco. O solo não demorou mais que três minutos, e o menino havia sido bastante aplaudido. Algo na expressão da treinadora deixava claro que ela tinha aprovado a audição do rapaz. Ele deixou o local, e o próximo foi chamado. Novamente, ninguém se dispôs. Natan baixou a cabeça, e fechou os olhos por alguns segundos. Não era tão covarde a ponto de deixar que todos fossem, para ter sua vez. Se levantou em poucos segundos, e subiu os degraus do palco, se situando no meio. Pediu licença e pegou um banco alto, e colocou onde se posicionaria. Sentou, apoiando o violão na coxa, deixando um braço por cima.

- Meu nome é Natan, e vou cantar Perfect, canção original do Simple Plan, em uma versão acústica. - Arrumou os dedos entre as cordas do violão, começando a dedilhar.

Focou os olhos no chão do palco, um ponto mais a frente de seus pés, enquanto dedilhava nota por nota, sentindo o coração um pouco acelerado, por conta do peso que aquela música tinha a seu favor. Não era tão emotivo, mas, também não era feito de pedra.

Hey dad look at me
Think back and talk to me
Did I grow up according to the plan?
And do you think I'm wasting my time
doing things I wanna do?
But it hurts when you disapprove all along
And now I try hard to make it
I just wanna make you proud
I'm never gonna be good enough for you
I can't pretend that I'm alright
And you can't change me

A voz de Natan era parecida com a do cantor Justin Timberlake, era apenas um pouco mais aveludada. Começou a cantar enquanto ainda fitava o chão. Era como se sua mente entrasse em um retrocesso estranho e doloroso, onde memórias de seu pai o gritando e batendo em seu corpo frágil e debilitado de criança, por estar passando dos limites, quando na verdade, só queria empurrar um carrinho de plástico quebrado pelo chão, como diversão, já que não tinha irmãos e era proibido de ter qualquer tipo de contato e comunicação com pessoas que não fossem seus pais.

'Cause we lost it all
Nothing lasts forever
I'm sorry
I can't be perfect
Now it's just too late
And we can't go back
I'm sorry
I can't be perfect

Manteve o ritmo constante da canção em uma forma mais pacífica, acústica. A voz subiu alguns tons ao cantar a próxima parte, em seu início. Não tinha nenhuma intenção de cantar aquela música como se lamentasse não ser da forma que o pai queria. Se algo definia Natan, era o orgulho. Se orgulhava de olhar-se no espelho e ver o reflexo de um garoto que estava se tornando um homem diferente do pai que tinha. Não tinha ambições como ele, nem maltratava pessoas por capricho. Queria apenas se ver livre dali, e levar junto consigo, sua mãe.

I try not to think
About the pain I feel inside
Did you know you used to be my hero?
All the days you spent with me
Now seem so far away
And it feels like you don't care anymore

Apesar disso, Natan sentia o peso que carregava com isso mais do que qualquer outra coisa. Era humano, e mesmo que não aprovasse o comportamento do pai, o tinha como único exemplo. Mal exemplo, mais era um. Serviu para lhe mostrar que pessoas ambiciosas se tornavam frias e incapazes de ver amor, carinho, ou qualquer outro sentimento. Conseguiam apenas se mostrarem interessados em coisas materiais. O rapaz tentava realmente não pensar nisso, tentava a todo custo encontrar um fio de esperanças em sua própria mente. Queria se lembrar de um momento feliz em família, e só conseguia pensar em quando a mãe cantava para lhe acalmar.

And now I try hard to make it
I just wanna make you proud
I'm never gonna be good enough for you
I can't stand another fight
And nothing is alright

'Cause we lost it all
Nothing lasts forever
I'm sorry
I can't be perfect
Now it's just too late
And we can't go back
I'm sorry
I can't be perfect

Natan aumentou a intensidade de como tocava. Dedilhou as notas com mais vontade, a voz saltou mais alguns tons, a procura da medida perfeita para se encaixar naquela melodia acústica. Levantou os olhos, observando calmo as pessoas que lhe assistiam. Os viam como estranhos que em breve poderiam ser seus colegas de coral, ou continuariam sendo estranhos. Mais logo a visão daquelas pessoas sumiram, e era como se seu pai estivesse entrando naquele auditório. As mãos socadas nos bolsos da calça social, o encarando com o rosto frio e sereno. Olhou para os degraus de onde a ilusão daquele homem estava, e cantou pesadamente que não seria perfeito para ele.

Nothing's gonna change the things that you said
Nothing's gonna make this right again
Please don't turn your back
I can't believe it's hard
Just to talk to you
But you don't understand

A voz do garoto ganhou tons de bravura e raiva habitual. Coisas que acumulava desde pequeno. Encarou os olhos nebulosos do pai, enquanto ele permanecia parado, agora. A expressão inabalável. Para Natan, nada mudaria o que ele havia dito ou feito com o passar do tempo. Nada. Não o queria de volta em sua vida, nem queria fazer parte da dele. A única coisa que os mantinham ligados agora, era o sobrenome, ao qual faria questão de não sair dizendo aos quatro ventos. Ele jamais entenderia isso.

'Cause we lost it all
Nothing lasts forever
I'm sorry
I can't be perfect
Now it's just too late
And we can't go back
I'm sorry
I can't be perfect

Fechou os olhos, cantando tão sério quanto poderia imaginar. A voz continuava com o tom de ódio, de raiva. Quando tornou a abrir os olhos, não encontrou mais a figura do pai ali. Voltou a olhar para o chão, procurando não se abalar. Era impossível. Aos poucos, foi entoando as partes finais, os dedos trabalhando perfeitamente nas cordas de aço do violão. Acalmou o tom de voz, já pronunciando o verso final. Parou de tocar no momento exato em que cantava o "I can't be... Perfect" final, o qual deu meio tempo, para continuar do "be" para o "perfect", e finalmente terminou a canção. E ali, diante tantos estranhos, esperou seu julgamento final.



Convidado
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {FP} Natan Sacha Kelley

Mensagem por Arthur B. H. Sonderburg em Dom 6 Jul 2014 - 19:55





Aceito!

Sua ficha foi aprovada! A partir de agora, você é um membro oficial do RPG. Pronto para postar e conhecer novas pessoas e lugares? Divirta-se ao máximo!

ANÁLISE DA FICHA:
Parabéns, Senhor Perfeito, ótima ficha! Você tem uma narração inusual, mas muito legal e agradável. História criativa, sem ser fora do comum, mas bastante interessante. Conseguiu narrar bem as estrofes da música e fez uma ótima escolha, uma música adequada e bem encaixada com a história e o estilo da personagem.

Meus parabéns, Natan, ótima ficha. Seja bem-vindo aos New Directions :D


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum