Refeitório

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Refeitório

Mensagem por Stalker em Qui 11 Set 2014 - 22:58

Refeitório

O refeitório é bem grande, possui mesas quadradas, redondas, e algumas maiores retangulares, suas últimas são geralmente usadas pelos membros dos clubes mais populares. Do lado direito do refeitório está o local onde os estudantes se servem, e logo atrás, a cozinha.

____________________



The your ghost, the ur image. I'm the stalker!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Refeitório

Mensagem por Rachel Berry em Ter 30 Set 2014 - 21:52

won't you come on over baby, we could shake.
D
efinitivamente aquela primeira semana no McKinley fora proclamada como a semana de "Clubes do coral performando pelos locais que habitualmente não performariam na escola." O usual para as performances sempre foi o auditório ou a sala do coral. Por qual motivo Mr. Schue colocaria a todos nós para se apresentar em locais públicos? Ele claramente não temia o mesmo que a gente, nunca havia sequer levado uma raspadinha na face ou coisas do tipo que lhe traumatizam pelo resto da vida. Enfim, não seria eu a discordar daquilo. Se aquela era a tarefa da semana estão era isto que eu faria; daria a todos um pouco do que era brilho de Rachel Berry.

Não preocupei-me em assistir qualquer aula aquela manhã. Tudo tratava-se de preparação. Como já era costume estava tudo em seu devido lugar, figurino selecionado, figurantes rigidamente escolhidos e a música. Se eu iria me apresentar para toda a escola não poderia arriscar cantar algo tão clássico quanto a Broadway, ou algo tão requintado quanto uma extraordinária canção de Barbra, Celine ou LuPone; eles não mereciam tal espetáculo. Por isto, eu precisava de algo atual, algo que certamente a maioria daqueles desprovidos de cultura ouvissem; muitas eram as opções, mas somente uma me pareceu instigante o bastante, com certeza iam totalmente contra o estilo usual de minhas apresentações e era isto que eu mais queria, surpreender e mostrar o qual versátil eu podia ser. Mais um dos diversos tons de Rachel.

O sinal de alerta para o intervalo de aulas soou pelos corredores e com ele a expectativa apossou-se de mim. Estava na hora. Não demorou para que o refeitório - o local escolhido por mim para minha apresentação. - mostrasse-se cheio dos alunos preparados para se alimentar. Mal sabiam ele que o lanche aquela manhã viria acompanhado de uma apresentação à la Berry. Por sorte poucos notaram-me sentada numa mesa completamente afastada com um roupão cobrindo o corpo. Alguns dos membros do New Directions já encontrava-se espalhados pelo local, assim como os dançarinos que ajudariam-me na performance. it's time.

De súbito, Finn e mais alguns alunos iniciaram batidas com os longos pratos de plástico onde normalmente colocariam os alimentos servidos; as batidas semelhando-se as mesmas que iniciavam a canção Shake it Off de Taylor Swift. Todos os olhares moveram-se para encara-los e e logo desviaram para a bateria que entrava por uma extensão móvel numa extremidade do refeitório, sendo empurrada por alguns membros de um clube que eu sequer sabia do que se tratava. O baterista substituto prosseguiu com as mesmas batidas por pouco tempo antes que Finn assumisse o posto e retirei o roupão, aproveitando a dispersão de todos para por fim revelar meu figurino. Um short jeans totalmente preto pendia acima de meu quadril; uma blusa manualmente alterada com uma coloração também negra caia num véu mais comprido detrás e a frente pairava na altura exata do cós do short, na altura de meu peito estampava-se palavras levemente brilhantes; "Shake it Off". Meias pouco abaixo dos joelhos com as pontas em listras preta e branca e um par de sapatos com uma estampa semelhante as meias Subi na cadeira em que me sentava e logo e pus apenas um pé acima da mesa. Os olhares ligeiramente guiaram até mim e eu sorri com a expectativa nos olhares alheios.

I stay out too late
Got nothing in my brain
That's what people say
That's what people say
I go on too many dates
But I can't make them stay
At least that's what people say
That's what people say


Com o findar do solo de bateria de Finn eu inicie a canção, abrindo ambos os braços e por fim subindo na mesa. Meu tom vocal soou pelo refeitório num timbre agudo e extremamente afinado, seguindo fielmente ao tom utilizando na canção original. Guiei um dedo na altura da cabeça ao cantar o segundo verso "Got nothing in my brain". Um ligeiro semblante de desdém tomou minha face enquanto eu cantava "That's what people say". Avancei na mesa, deixando um leve rebolado ritmado enquanto seguia no terceiro verso; ao fim desde soprei um riso maldoso e ergui uma mão com um único dedo de pé enquanto o "But I can't make them stay" soava num volume mais alto comparado aos demais já cantado. Outro rebolado; deixei que meu quadril fosse unicamente para o lado direito em "At least that's what people say" e repeti o movimento para o lado esquerdo no último verso. Com leveza, estapeei a lateral de meu quadril como um sigiloso sinal e antes que eu iniciasse a estrofe seguinte parte dos dançarinos se ergueram das mesas, estes ainda batucavam nelas e agora lançavam-se numa perfeita sincronia num giro para trás quando eu passava por eles, avançando na mesa e seguindo com a canção.

But I keep cruising
Can't stop, won't stop moving
It's like I got this music
In my mind, saying it's gonna be alright

Um rebolado tomava meu caminhar enquanto eu avançava por cima da mesa com uma mão na cintura e olhando a diante, para os demais alunos. Ao fim da mesa a ultima dupla girou sincronizados até sua ponta e ergueram os braços e "saying it's gonna be alright" saltou num tom aveludado em minha voz e eu prendi os braços entre as mãos abertas dos dois garotos que aguardavam para me por ao chão, girando-me ligeiramente antes que eu fosse posta ao solo e eles enfileirassem ao meu lado numa linha horizontal.

Cause the players gonna play, play, play
And the haters gonna hate, hate, hate
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off

Heartbreakers gonna break, break, break, break, break
And the fakers gonna fake, fake, fake, fake, baby
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off, Shake it off

Estiquei um braço para a extremidade direita e automaticamente os dançarinos iniciaram uma dança; balançando o quadril duas vezes para a direita e fazendo um movimento ondulando com o tronco no início da estrofe. No segundo verso fora a vez dos dançarinos da esquerda. Todos repetiram o movimento para o lado contrário e ambos meus braços dobraram-se até que minhas mãos segurarem minha cintura e remexesse freneticamente o quadril finalizando tal rebolado apenas ao findar a repetição de "Shake it off na primeira vez. Levei uma mão ao peito num movimento brusco em "Heartbreakers gonna break" e os dançarinos executavam uma coreografia ensaiada simulando a cada verso cantado por mim com maestria. Ousei apontar para alguns que assistiam ao cantar "fakers gonna fake" e novamente rebolei com a repetição de "Shake it off", sendo seguida num coral pelos próprios dançarinos; deixei que eles findassem a estrofe e puxei o ar antes de atirar-me acima da cadeira a frente e subir na mesa defronte a mim, esta sendo tomada pelos estudantes que assistiam, alguns entretidos, outros ainda surpresos e eu sequer importava-me com os semblantes de repulsa ou desdém, não me abalaria por aquilo.

I never miss a beat
I'm lighting up my feet
And that's what they don't see
That's what they don't see
I'm dancing on my own
I'll make the moves up as I go
And that's what they don't know
That's what they don't know

Novamente acima de uma mesa caminhei por entre a fileira de pratos e olhares dos espectadores, parando pouco depois a frente de um e e balançando o pé ao cantar "I'm lighting up my feet"; toquei sua cabeça duas vezes com delicadeza, inclinando-me apenas para sorrir com uma nítida falsidade para ele antes de seguir com meu caminhar, eu rebolava, dançava e moviam-me de modo inteiramente próprio sem seguir a dança dos dançarinos que agora moviam-se numa espaço amplo numa extremidade, onde também localizava-se a banda. Corri para o fim da mesa, sentando-me nesta e cruzando as pernas enquanto cantava "And that's what they don't know" para a dupla que emparelhava-me, sentados ali. Antes que a estrofe se findasse pulei da mesa e corri para a aglomeração dos dançarinos e do meio destes surgi, sendo carregada pelas pernas por alguns dançarinos e posicionando-me numa posição semelhante a uma boneca de balé usualmente encontradas em caixinhas de música.

But I keep cruising
Can't stop, won't stop grooving
It's like I got this music
In my mind, saying it's gonna be alright

Iniciando a estrofe, meus braços posicionaram-se em um semi-círculo a frente de meu corpo e com o segundo verso o direito ergue-se e logo em seguida o esquerdo seguiu o movimento e ambos caíram com graça pelas  laterais de meu corpo ao fim de "It's like I got this music"; com o último verso bati levemente o dedo indicador na cabeça ao cantar 'In my mind" e com sincronia a melodia agitada da música tocada pela banda fui posta no chão com o findar da estrofe, bem ao centro dos dançarinos que encontravam-se arrumados num parede de ambos os meu lados imóveis apenas esperando a devida hora para seguirem; alonguei o tom vocal antes de finalizar o último verso e bate com nítida diversão no bumbum antes de dar um pulo ligeiro de entusiasmo e prosseguir.

Cause the players gonna play, play, play
And the haters gonna hate, hate, hate
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off

Heartbreakers gonna break, break, break, break, break
And the fakers gonna fake, fake, fake, fake, baby
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off, Shake it off

De imediato, as meninas que emparelhavam com os dançarinos deslizaram para defronte aos rapazes e estes seguraram nas cinturas delas apenas para ajusta-las antes de todos começarem a coreografia. "Cause the players gonna play, play, play" Uma linha horizontal com os braços de cada dupla se formou com o início do verso e eu rebolava num ritmo da canção, vez ou outra semelhando a coreografia feita pelos dançarinos. Segundo verso e as meninas apontaram aleatoriamente para os espectadores e após um rebolado foram agachando-se pausadamente com a repetição de "Hate" e num pulo puseram-se de pé novamente, movendo o quadril para o lado contrário do que os rapaz moviam os dele e todos remexiam-se em "I just gonna shake". As mãos dos garotos pairaram a frente do peito das meninas, impulsionando-as para frente sempre que as meninas moviam de acordo com a minha repetição ao fim de "Heartbreakers gonna break" e em "Faker Gonna Fake" As meninas moviam os bumbuns, jogando-os para trás e eu as imitei antes de girar e caminhar de encontro a banda, elevando o a voz graciosamente afinada no último "Shake it off" antes que começasse sua repetição, antecedendo o início da estrofe seguinte.

Hey, hey, hey
Just think while you been getting down
And out about the liars
And the dirty dirty cheats of the world
You could have been getting down to this sick beat


Em minhas mãos encontrava-se um megafone posto próximo a bateria de Finn; eu localizava-se sentada na beira da extremidade móvel onde toda a banda estava acima e cruzei as pernas, pondo o megafone próximo aos lábios, tratando de entoar aquela parte da canção com a voz mais natural que eu tinha. Meu olhar pairava mas mesas mais próximas, sorrindo para aqueles que pareciam divertir-se com a performance e boa parte destes eram os membros do ND. Gesticulei com as mãos a cada pausa ao final de "You could have been getting down to this sick beat" e com um pulo fiquei de pé, fazendo uma volta pela banda até parar detrás de Finn que radiante mostrava seu imenso talento e prazer na bateria.

My ex man brought his new girlfriend
She's like oh my god
I'm just gonna shake
And to the fella over there with the hella good hair
Won't you come on over baby we could shake, shake

Debrucei-me nas costas do garoto e toquei de leve seu ombro com um semblante de total dedem ao cantar "My ex man brought his new girlfriend"; gesticulei com um movimento brusco com a mão no começo do verso e levei dois dedos próximos aos lábios ao fim deste, mostrando empatia ao "His new girlfriend", porém, logo meu semblante mudou para uma falsa surpresa em "She's like oh my god" e mais uma vez oscilou num sorriso despreocupado enquanto em remexia os quadris em "I'm just gonna shake". Uma dupla de dançarinos sutilmente esgueiraram-se para detrás da extremidade móvel enquanto os demais divertiam-se em movimentos semelhantes ao break style; eu moviam-me com graça, um mesmo tom natural e extremamente afinado, sem qualquer deslize ou erro. Caminhei mais a frente da extremidade onde estava, ficando em frente da banda e pondo uma mão nos cabelos e os sacudindo descontraída ao cantar "hella good hair" com o acompanhamento de algumas meninas da dança e até mesmo dos que assistia. Parei numa posição ereta e ambas as mãos penderam em minha cintura enquanto eu finalizava aquela estrofe, abaixando gradualmente o tom de voz e e deixando um sorriso insinuativo para a plateia. Um curto espaço de tempo em que houve uma pausa e os dançarinos que sorrateiramente foram para detrás da extremidade localizava-se a frente de todos o demais, em suas mãos pairavam dois tubos e enquanto eu iniciava um vocalize, aumentando o timbre vocal de uma nota aguda e baixa para uma extremamente alta eles giraram uma das extremidades do bastão e dele voou confetes com a coloração padrão do WMHS. Bastou isto para uma explosão de gritos soar pelo refeitório e eu questionei-se se aquilo era bom ou ruim até ver muito dos estudantes de pé, dançando frenéticos, no chão, acima das mesas, por todo o canto.

Cause the players gonna play, play, play
And the haters gonna hate, hate, hate
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off

Heartbreakers gonna break, break, break, break, break
And the fakers gonna fake, fake, fake, fake, baby
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off, Shake it off
Shake it off
Shake it off
Shake it off
Shake it off

Deixei que o coral de dançarinas iniciassem a estrofe, eu ainda estendia a nota num afinado e agudo "Oh" até que antes do início de "I just gonna shake" eu o findasse, pulando da extremidade e unindo-me as dançarinos, correndo para próximos dos alunos que dançavam e balançando junto a eles com animação. Um grandioso coral daqueles que conheciam a letra da canção estourou pelo refeitório e eu senti-me extremamente satisfeita, poderia terminar a performance ali e estaria completamente feliz pelo resultado. Dois dos dançarinos próximos caminharam até mim e ergueram-me no ar, fazendo-me subir na mesa mais próxima e eu segui andando, rebolando entusiasmada enquanto prologava vez ou outra as palavras dos versos próximos ao fim da canção. "Shake it off", outra explosão; mais confetes voaram pelo local e o alto coral dos muitos alunos presentes cantavam junto a mim; lancei-me de joelhos acima da mesa enquanto cantava "You've got to" e mais algumas repetições da frase marcante da canção e eu ergui um braço, sorrindo extasiada enquanto os gritos rompiam o refeitório e a total bagunça decairá no local. "Uma excelente maneira de iniciar um ano, não?" Murmurei mentalmente presunçosa antes de erguer-me na mesa para receber os aplausos.




Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Refeitório

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Qui 2 Out 2014 - 23:14



the players gonna play!
Intervalo, graças a deus. Depois de um longo período inicial de aulas, estávamos finalmente no intervalo. As cheerios decidiram sentar em uma mesa em conjunto, e não havia por que eu recusar, já que comandava o time. Estava um pouco animada para o começo das aulas, já que Demétrio se encontrava no Mckinley. Iríamos aprontar e muito, ainda. Este ano, o meu último, estaria repleto de surpresas. Percorrendo os corredores, alcancei o refeitório. Estava repleto de gente, pessoas por todos os lugares, sentadas enquanto comiam e conversavam banalidades. Já era de se esperar. O lugar só se movimentava, quando as Cheerios junto com os meninos do futebol começavam uma guerra de comida. Ou, a opção que acabava de acontecer. Um membro ou vários outros do Glee Club inventavam de fazer uma apresentação surpresa. E ninguém menos do quê Rachel Berry para iniciar algo do tipo. Vi os próprios membros do Glee olharem espantados para ela, que cantava um dos hits do momento. Alguns outros alunos ainda cantaram junto dela. Claro, a música contagiava nas primeiras batidas. Tentei prender o riso, mas era impossível. Não que ela estivesse ridícula com aquelas roupas. Rachel tinha um corpo bem cuidado, todos sabiam disso, mas não falavam. Eu queria rir com a forma em que ela fazia tudo. Dançava bem, e não era novidade o seu talento e capacidade vocal. Porém, Rachel era bem... Dramática.

A mesa onde eu me encontrava, estava repleta de Cheerios e Jogadores do time de futebol. E todos riam, comentavam e já combinavam de dar-lhe um banho de refrigerante, água ou qualquer líquido que estivesse em seus copos. Bati sutilmente na mesa, chamando a atenção de todos, combinando em fazer algo - inesperado até para mim - bem... Diferente, mas que estivesse na rotina da escola, para o meu vínculo social. Dominar a situação ia ser bom para mim, não me achava a melhor das cantoras, mas podia muito bem ir contra Rachel Berry. E em nível de dança, bem, eu não daria o meu máximo, por não ser uma competição. Mas, faria o suficiente para marcar minha presença. Me levantei, puxando o coro de palmas. Que aliás, não veio. Andei a passos lentos, batendo palmas no mesmo ritmo. Ouvi as Cheerios prendendo a risada, atrás de mim, assim como os meninos.

Quase lá, Rachel Berry. – Abri um sorriso fino, apontando a bateria para um dos outros garotos do time, Brad, o qual substituiu o lugar de Finn.

Não demorou para que a batida da música começasse. Comecei a cantar Shake it off, no mesmo embalo em que Rachel tinha imposto, porém, com meu toque original. Claro, estaria bem exposto na dança. Me virei, olhando para os lados, começando a cantar. Assim que iniciei o "I stay out too late", vi muitos olhares surpresos, os quais tirei por expressões de Ela sabe mesmo cantar? Dei uma risada curta, movendo os ombros duas vezes para a esquerda, uma para a direita, assim como a cintura, apenas. "Got nothing in my brain" havia saído de forma tão flácida, que me fizera dar de ombros, abrindo os braços, pronunciando duas vezes seguidas o "That's what people say", apontando algumas pessoas que se encontravam ali. No "I go on too many dates... But I can't make them stay, at least that's what people say", me locomovi em passos ritmados com as batidas, enquanto me movia para o lado esquerdo do refeitório. Ao chegar no centro do lado esquerdo, coloquei as mãos aos lados da minha cabeça, rebolando apenas o quadril, o instigando para o lado direito, depois para o esquerdo, cantando o "But I keep cruising... Can't stop, won't stop moving. It's like I got this music", me movendo por aquele lado, mexendo os ombros. Eu realmente não conseguia ficar parada com aquela batida. "In my mind, saying it's gonna be alrigh!" Puxei uma suave nota ao pronunciar o finalzinho da frase, correndo de volta para o centro do refeitório.

I stay out too late
Got nothing in my brain
That's what people say
That's what people say
I go on too many dates
But I can't make them stay
At least that's what people say
That's what people say
But I keep cruising
Can't stop, won't stop moving
It's like I got this music
In my mind, saying it's gonna be alright

Comecei a cantar, com uma das mãos na cintura, movendo os ombros no ritmo contagiante da canção. Abri um pouco os braços, agitando-os para os lados, pulando com um pé de cada vez, conseguindo alinhar uma coreografia básica em mente e também coordenar o que eu estava fazendo no momento. Ao cantar o “And the haters gonna hate, hate, hate” parei em frente a baixinha, um pouco distante. Estava com a mão esquerda na cintura, e o braço direito esticado para estar na frente dela, movendo meus quadris para os lados, fazendo todo o corpo acompanhar o movimento. No “Baby I’’m just gonna shake, shake, shake” comecei a fazer uma dança descomunal. Sacudi as mãos aos lados da minha cabeça, enquanto meus pés impulsionavam meu corpo para os lados, um de cada vez, mas de forma rápida. Em seguida, fiz um movimento com as mãos, onde a esquerda estava fechada em punho, e atingia a direita, que estava aberta, como se estivesse quebrando algo. Segui fazendo poses com paradas lentas, como se estivessem me fotografando, enquanto cantava o “And the fakers gonna fake, fake, fake”, para depois voltar a dançar sem algo ajustado para uma coreografia. Vi as Cheerios e os meninos do time de futebol rirem e assobiarem, puxando uma animação conjunta. "In my mind, saying it's gonna be alrigh!" Balançamos as pernas, girando nos braços deles. Nos colocaram no chão, e demos uma pequena corridinha, parando uma vez para dar um pulinho, abrindo um pouco as pernas, para logo correr.

Cause the players gonna play, play, play
And the haters gonna hate, hate, hate
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off
Heartbreakers gonna break, break, break, break, break
And the fakers gonna fake, fake, fake, fake, baby
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off, Shake it off

Com um sorriso rasgando os lábios, me aproximei do local onde instalaram a bateria. Fui até o baterista primeiro, dançando ao seu lado, as mãos com as palmas viradas para frente, enquanto movia apenas os ombros e os pés, imitando um dos passos mais básicos já existentes na época vintage. Me movia sem sair do lugar, balançando a cabeça. Peguei duas baquetas livres próximas ao seus pés, e comecei a bater as duas no ar, passando para os garotos com os instrumentos de sopro. Dancei com eles, dando ao meu corpo, um swing próprio, ao qual eu estava acabando por descobrir. As Cheerios e as outras pessoas do refeitório começaram a bater palmas, agitando a canção e isso me deixou ainda mais animada. Alguns dançavam, o que me levou a me aproximar deles, girando uma das baquetas entre os dedos. Enquanto ia cantando, algumas Cheerios se aproximaram, sem perder o embalo contagiante, agitando por onde quer que passassem. "But I keep cruising... Can't stop, won't stop moving. It's like I got this music". Assim que cantei a parte referente, dançamos próximas, e os garotos do time se aproximaram, dançando a seus jeitos. Arrancavam risadas, mas divertiam a todos e a si mesmos. Nos pegaram no colo, girando cada uma no lugar em que estávamos.

I never miss a beat
I'm lighting up my feet
And that's what they don't see
That's what they don't see
I'm dancing on my own
I'll make the moves up as I go
And that's what they don't know
That's what they don't know
But I keep cruising
Can't stop, won't stop grooving
It's like I got this music
In my mind, saying it's gonna be alright

Voltando para o meio da sala correndo, joguei as baquetas de lado, voltando para a coreografia feita na primeira vez que havia cantado esta parte. Os meus pés tocavam o chão apenas com a ponta dos dedos, enquanto eu levantava os braços por meu pescoço, totalmente envolvida com a música. Todos já cantavam em um nível absurdo de animação, o que só me deixava ainda mais disposta a levar isso até o fim. “And haters gonna hate, hate, hate”. Voltei a agitar as mãos nos lados da minha cabeça, movendo o quadril de forma rápida para os dois lados, emendando com a movimentação de bater a mão esquerda fechada em punho na direita, como se quebrasse algo e a sequência pausada com o ritmo da música, como se estivesse sendo fotografada por diversos ângulos, finalizando com uma pequena andada rápida de lado até uma prateleira, onde um megafone estava. As meninas imitavam meus movimentos sem dificuldade. Os meninos? Estavam dançando de forma desengonçada, sem se preocupar com coreografias ou sincronização. Estavam apenas sendo eles mesmos.

Cause the players gonna play, play, play
And the haters gonna hate, hate, hate
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off
Heartbreakers gonna break, break, break, break, break
And the fakers gonna fake, fake, fake, fake, baby
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off, Shake it off

Subi em cima de uma das mesas do refeitório, chutando as bandejas que via pela frente. Comecei a falar, passando em frente as pessoas do coral. Minha voz estava bastante agitada e animada. Ao falar o “This, sick, beat!” da forma lenta como Taylor Swift fazia na versão original, aproveitei para esticar o braço livre, rebolando.

Hey, hey, hey
Just think while you been getting down
And out about the liars
And the dirty dirty cheats of the world
You could have been getting down to this sick beat

Dei de ombros, apontando para o lado, como se meu ex estivesse ali com uma nova namorada, e ouvi risadas, ao fingir uma expressão de espanto e pronunciar o “She’s like oh my god”, no que comecei a dar pulinhos rápidos, continuando com a série de um pé após o outro. Ao finalizar esta parte da canção que já estava sendo finalizada, puxei um “Yeah” maior que o da Taylor, enquanto devolvia o megafone para o lugar onde havia o encontrado. Pulei, tendo os braços de Demétrio como apoio. Ele estava ali, e sorria largamente. Aquilo significava algo entre nós, uma coisa particular. Juntos, fomos passando pelas Cheerios e os jogadores, que entrosavam-se entre si, sem uma coisa formulada. Tínhamos combinado pouquíssimas coisas.

My ex man brought his new girlfriend
She's like oh my god
I'm just gonna shake
And to the fella over there with the hella good hair
Won't you come on over baby we could shake... Shake!

Uma garota oriental se levantou e começou a dançar, a puxei pela mão, ficando ao seu lado. Batemos o quadril e demos um pulinho, enquanto ela estava de costas e eu de frente para o refeitório. Batemos novamente pelo lado contrário, e pulamos novamente, agora comigo de costas e ela de frente. Nossos olhares cruzaram e mostrei as mãos a ela, agitando-as. Ela pareceu entender, e agitamos as mãos, da altura da cintura até o alto, enquanto nos movíamos pra frente em passos contidos. Coloquei as mãos na cintura, dando um giro sobre mim mesma, enquanto ela cruzava os braços, fingindo uma expressão de raiva, no momento em que eu cantava o “And hates gonna hate, hate, hate”, mas logo começamos uma dança descoordenada. Como ela havia visto a coreografia nas partes anteriores, soube me acompanhar bem. Batemos as mãos, enquanto as minhas estavam fechas em palmas, e as dela abertas. A oriental fingiu tirar fotos minhas, enquanto eu permaneci dançando de forma animada, rebolando, girando, me movendo para os lados. "Shake it off! Heartbreakers gonna break, break, break, break, break" Minha voz se elevou em algumas partes, enquanto as Cheerios introduziam o "Shake it off" como segunda voz. Fiz um movimento com uma das mãos, que estava fechada em punho, acertando a palma aberta. Depois, agitei as mãos em forma de x no ar, como se estivesse forçando meus braços a quebrarem algo. A música exigia bastante energia, mas havia valido a pena. Fomos chegando ao final, e eu estava toda sorrisos. Sam estava correndo pelos lados, atirando comida em todo mundo que via pela frente. Tive que me controlar de uma forma absurda para não rir, e atrapalhar a canção.

Cause the players gonna play, play, play
And the haters gonna hate, hate, hate
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off
Heartbreakers gonna break, break, break, break, break
And the fakers gonna fake, fake, fake, fake, baby
Baby I'm just gonna shake, shake, shake
Shake it off, Shake it off
Shake it off
Shake it off
Shake it off
Shake it off

Junto com as Cheerios, fui pronunciando os últimos "Shake it off", até que a canção estivesse finalizada. Eu estava frente a elas, que estavam do meu lado esquerdo e os meninos do time do lado direito. Todos em cima das mesas. Com um sorriso zombeteiro, coloquei as mãos na cintura. A música havia acabado. Olhei para o garoto na bateria, e sorri. Ele sabia o que fazer. Tinha começado a refazer as batidas, porém, ninguém cantava. Minha intenção era outra. Demétrio se posicionou, e pelos cantos opostos, mais cheerios e meninos do time se posicionavam também. Ergui um dos braços, cantando ao ritmo de Shake it off. "Um... Um, dois, três!" E uma guerra de comida se iniciou. Desci da mesa, vendo Rachel estática a minha frente. Os membros do Glee estavam de pé, tentando desviar das comidas que certamente lhe atingiriam uma hora ou outra. Uma Cheerio me passou um prato cheio de macarrão e molho. Sorri genuína. Era fácil saber no que ela estava pensando no momento.

– É assim que se começa um ano. – Disse, mantendo o sorriso, despejando o macarrão ao topo de sua cabeça.

Automaticamente, Rachel havia virado o alvo de todas as comidas lançadas. Claro, eu estava sendo atingida por estar próxima. Mas, eu não me importava. Queria me divertir, afinal. Aquela bagunça resultaria em uma saída mais cedo, já que ninguém assistiria aulas estando todos imundos. Era um favor para a escola, já que não tínhamos todos os professores, ainda. Dei as costas, saindo do refeitório. Não de forma dramática. Estava com a cabeça erguida, completamente consciente. Se eu tinha declarado guerra?

Bem, este ano seria o mais longo de todos.



dianna overwhelming, falou com Rachel Berry, Cheerios e jogadores do time de futebol estava no refeitório. Ouvindo Shake it off - songs by Taylor Swift. notas: É guerra, Berry. qn









____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Refeitório

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum