The Lima Bean

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

The Lima Bean

Mensagem por Stalker em Qui 18 Set 2014 - 22:06

The Lima Bean

 Não há um cidadão de Lima que não conheça ou que nunca tenha saboreado a uma deliciosa bebida da cafeteria Lima Bean. Localizada num excelente ponto em Lima, a cafeteria serve os mais diversos tipos de bebida para seu público, vareia de cappuccinos, cafés e chá. Além de bebidas, tem variedade em comida, sanduíches, tortas e guloseimas que são perfeitos como companhia para uma bebida quente. A cafeteira está sempre movimentada, principalmente por estudantes das instituições próximas ao estabelecimento, como a Dalton Academy por exemplo.  

____________________



The your ghost, the ur image. I'm the stalker!
avatar
The Bosses

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Ethan Crawford em Sab 4 Out 2014 - 3:05



A SIMPLE COFFEE


post: 000 ▬ tags: lalala ▬ escutando: lala ▬ local: u.u ▬ vestindo: link

Adentrei o Lima Bean como quem está atrasado para algum compromisso. A corrida tinha me desgastado, meu estômago roncava por um copo de suco bem gelado e alguma besteirinha pra acompanhar. Meu corpo estava soado e minha regata branca colava em meu abdômen de forma que meu tronco mostrava-se bem visível. Correr todas as manhãs era algo que não poderia faltar em meu cotidiano, era algo que eu usava para escapar de todo o stress e preocupações do dia a dia. Era como se eu fosse livre, como se eu pudesse fugir de tudo isso e ir pra qualquer lugar ao som de uma boa música cantada por alguém esquecido pelo tempo. Me dirigi até o caixa para pegar algo comestível.

- Um suco verde com gelo e um sanduíche integral de peito de peru por favor! - Minha voz saiu em um tom alto e claro. Suspirei. Em quanto esperava a moça do caixa pegar meu café da manhã e minha nota fiscal, retirava do bolso minha carteira de couro puxando de dentro dela um cartão de crédito. Apesar de não ser rico, com o trabalho de meio período e alguns outros projetos eu tinha como me manter. Além disso, meu banco foi bem atencioso e bondoso comigo. Me deram um limite de quinhentos dólares por mês, sem contar com a ajuda que eles me dão. Me fornecem uma quantia bem generosa para cobrir meu transporte, cem dólares por mês.

Após os alimentos terem sido pagos, guardei meu cartão e minha carteira no bolso direito da minha calça de corrida e sai a procura de uma mesa com meu lanche na mão. Depois de um tempo em pé, consegui encontrar um canto vazio, onde eu finalmente poderia descansar e deliciar aquela gostosura que eu segurava. Andejei na direção do local, até esbarrar em um garoto cujo os cabelos eram uma cascatas de fios loiros bem claros que combinavam com a pele lívida dando uma aparência bem notória.

- Perdão, eu não tinha lhe visto. - Minha voz saía em um tom ameno e um tanto envergonhado. Eu realmente fico sem jeito quando esbarro em alguém desconhecido. Me desculpava do garoto que ainda estava imóvel em minha frente com uma expressão misteriosa. - Eu.. Ahn.. Sou o Ethan, prazer! - Tornei a falar ainda envergonhado, à espera de alguma resposta do garoto que se mostrava meio lento para qualquer ação. Abaixei minha cabeça e parei de falar.
thanks, clumsy @ sa!

____________________

Ethan Crawford
- Cause all of me, Loves all of you

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Nathaniel W. Sibley em Sab 4 Out 2014 - 4:04


Lima Bean!

Minha volta recente para a bucólica cidade de Lima estava sendo agradável. Com uma ótima apresentação de uma de minhas cantoras favoritas, cantando o hino que muitos jovens perversos amam, acabei de certa forma ganhando certo reconhecimento não só por meu talento mas como por minha beleza e minha estonteante forma de representar. Lógico, que não falava sobre nada daquilo com meu pai, para ele, eu era um fiasco, apesar de aparentemente ele fingir importar-se e apenas dizer "que bom" com qualquer coisa que eu falasse relacionada ao mundo musical.
Naquele dia, acordei com calor. Havia passado tanto tempo em minha amada e natal Moscou que havia me esquecido de como era deliciosa a sensação de amanhecer molhado de suor. Caminhando com um uma camisa marrom em tom claro de algodão, meus tênis e meias brancos e confortáveis e uma bermuda branca própria para uma boa caminhada, nem sequer comi um bom café da manhã, partindo para uma ótima e relaxante caminhada.

O tempo se passou, os fones em meus ouvidos faziam-me ficar distante da confusão lá fora e principalmente do tempo passando. Quando dei por mim o sol havia triplicado de intensidade e eu suava um bocado. Cansado e com a barriga roncando, decidi fazer o desjejum no The Lima Bean. Adentrando o local, o cheiro me fez dilatar levemente as narinas e pôr as mãos suavemente sob meu abdômen, adentrando no local com rápidos passos e logo ocupando uma mesa, que foi recentemente limpa, deixando a madeira pintada em tom vermelho brilhante sob a luz advinda da janela mais próxima.
Meu pedido fora um torradas com uma omelete levemente salgada, café com leite e apesar do anúncio das panquecas estampada numa cartolina branca quase me cegar, ignorei e requisitei apenas as torradas com omelete e meu saboroso e indispensável café. Comi com avidez, mantendo a educação certamente, porém com fome e ânsia de devorar tudo por conta do desjejum e da longa caminhada. Após terminar, levantei-me para procurar pelo simpático garçom, porém trombei com alguém no mínimo... baixinho.
Passado o susto, pude notar que por pouco não derrubei o prato do garoto, graças às minhas ágeis mãos que seguraram seus pulsos a fim de não deixar o prato escorregar. Sua expressão era divertidamente assustada, e seu pedido de desculpas me trouxe de volta para a realidade. Tratava-se de um jovem, no máximo deveria ter menos de 17 anos e tinha olhos de um tom esverdeado, porém escuro e meio que misterioso.
- Mil desculpas, sou um desastrado. A culpa foi minha... - praguejei, baixando a cabeça terminando de pôr seu prato de volta em suas mãos, de forma desajustada - pelo menos não derrubei seu café da manhã reforçado. Ele se apresenta como Ethan, e parecia pacientemente esperar por uma resposta, o que me surpreendeu e ao mesmo tempo me fez sorrir levemente de canto de rosto. - Chamo-me Andrew... prazer. - iria estender a mão, mas ele parecia ocupado demais para isto, então apenas dei um leve sorriso amigável.

Clothes

De Lockey para TPO

____________________

Sibley
Been trying hard not to get into trouble, but I, I’ve got a war in my mind, So, I just ride

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Ethan Crawford em Sab 4 Out 2014 - 21:48



A SIMPLE COFFEE


post: 000 ▬ tags: lalala ▬ escutando: lala ▬ local: u.u ▬ vestindo: link

Passara um tempo, eu e o garoto a quem esbarrei desastradamente ainda estávamos frente a frente. "Andrew", ele disse. Não era preciso ser muito inteligente para perceber que o garoto estava se divertindo com a situação. Era notório um sorrisinho de canto nas feições do loiro, nada mal. Com toda aquela minha preocupação de me desculpar com Andrew, acabei por nem notar que suas mãos seguravam meus pulsos. Ele apertava firmemente, o que fazia com que meus braços ficassem imóveis e a bandeja que levava minha refeição não encontrasse o chão. Bom, ele era forte. Sorri educadamente e segui até a mesa, ou mais próximo do que eu estava da mesma. Após ter dado uns dois passos, tornei a ficar de frente para o garoto que me fitava.

- Posso me sentar com você? - Não sou do tipo que faz muitas amizades e, consequentemente, com toda certeza eu não tinha uma lista muito grande de pessoas que se diziam meus amigos ou colegas. Faço mais o tipo dos "fechados", os que preferem a privacidade do que frequentar lugares muito cheios. Minha voz ressonara de uma forma falha, fator ocasionado pelo excesso de timidez contida em mim. Era um tom baixo, mas perceptível. O garoto assentiu com a cabeça e logo fui me acomodando em uma das cadeiras. Abri um leve sorriso para o garoto. Eu não sei que tipo de problema eu tenho, mas consigo ficar sem jeito em qualquer situação e com qualquer pessoa. Aquilo já não era novidade para mim. - Então.. Gosta de se exercitar? - As palavras pulavam de minha boca sem mesmo que eu as pudesse impedir. Claramente ele fazia algum tipo de exercício antes de chegar ali, assim como eu. Minhas bochechas tornaram-se dois pimentões. A timidez que tomava conta de mim, dava cores avermelhadas ao meu rosto que criava umas expressões meio bobas.
thanks, clumsy @ sa!

____________________

Ethan Crawford
- Cause all of me, Loves all of you

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Nathaniel W. Sibley em Sab 4 Out 2014 - 22:14


Lima Bean!

Assim como eu havia desconfiado, Ethan era um garoto fechado e introvertido, e principalmente tímido, e o que corroborava eram suas maçãs da face completamente vermelha iguais a tomates. Ergui uma sobrancelha e soltei um leve sorriso assentindo com sua pergunta sobre sentar-se à minha mesa. Passado o momento de vexame, eu sentia-me cada vez mais à vontade com a situação e principalmente com o embaraçoso modo do baixinho de se expressar. Indiquei minha mesa para ele e coloquei minha mão direita em seu ombro direito como apoio, caso ele escorregasse ou caísse. Ao sentarmos, levantei o dedo indicador para o atendente com os olhos fixos no moreno. Ao aproximar-se, observei as íris do moreno faiscarem de certo desejo ou apenas fixação em nos olhar, então dei meu melhor sorriso.
- Pensei em ficar mais um pouco aqui, então me traz um café. - falei dando uma breve piscadela, inclinando-me suavemente sobre a mesa sob meus braços cruzados. - É daqui ou só está de passagem por Ohio? - perguntei com um leve sotaque russo, ainda presente mesmo depois de tanto treinar o inglês.
Velhos hábitos nunca morrem, assim como o hábito meu de olhar para os pulsos das pessoas e os antebraços, era algum tipo de fetiche estranho ou até mesmo bizarro, porém era melhor que ter algo muito mais estranho, como um gosto peculiar por bonecas ou até mesmo outras perversões por aí. Continuei a fitar o moreno e sua pergunta me fez me ver desprevenido, justamente eu que sempre tinha a resposta - quase sempre sarcástica - na ponta da língua. Meus lábios comprimiram-se e logo passei a língua pelo lábio inferior, dando um sorriso de canto de rosto que sumira gradativamente enquanto eu respirava.
- Sim, eu danço muito também, estou na Dalton. Não sei se já ouviu falar... garotos com ternos pretos e laranjas. Eu prefiro vermelho e odeio laranja, mas eles são bastante legais. - fiz uma pequena careta azeda, porém divertida e cômica, pegando a xícara branca média que recebi do garçom e tomei um breve gole. Eu já havia terminado o meu café da manhã, então não tinha motivos para permanecer ali, dei um breve sorriso, olhando o horário em meu celular e me pus de pé rapidamente. - Desculpe, preciso ir, tenha uma boa refeição, garoto. - falei dando um sorriso de canto de rosto para o garoto e logo saí dali.

Encerrado!

Clothes

De Lockey para TPO[/center]

____________________

Sibley
Been trying hard not to get into trouble, but I, I’ve got a war in my mind, So, I just ride

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Luna Michele Merëtseger em Seg 3 Nov 2014 - 3:48




O copo de cappuccino rigorosamente feito com pouco teor de cafeina e um excesso de espuma encontrava-se intocado acima da mesa, após eu ter bebericado duas mínimas vezes. Eu estava tão introversa a minha leitura que sequer conseguia desviar minha atenção desta, nem mesmo com o barulho irritante dos saltos das garçonetes que tamborilava ao piso, ou ao ruído das maquinas que faziam as bebidas e os múrmuros das mesas próximas. Eu já estava familiarizada com todo aquele cenário, havia tornando-se um costume que eu refugiasse-me ao Lima Bean para um momento a sós com meus livros ou atividades, o cheiro forte do café me acalmava, mesmo que eu tivesse problemas em ingeri-lo. Eu adorava aquilo ali, havia se tornado minha segunda casa, e eu podia dizer que era melhor que a primeira, bebidas deliciosas e aperitivos ao dispôs num ambiente completamente sereno e bem frequentando, na maior parte do tempo, aquilo era meu paraíso.

Meu pé inquieto batucava contra a madeira do banco alto das mesas bem ao fundo de uma fileira nas adjacências das enormes janelas. O véu negro revestia o céu naquela noite de sexta-feira e pela primeira vez eu sentia-me aliviada em não ter qualquer assuntos escolar pendente. Todas os exercícios devidamente feitos, reuniões de clubes — e eram muitos - frequentadas, nenhum trabalho e nem relatórios enormes em resumo de algum capitulo dos livros espessos do McKinley. Era somente eu e meu mais novo companheiro, William Shakespeare. Eu já havia lido a muitas obras de diversos autores, alguns eu sequer me recordava, entretanto, aquela era a primeira vez que eu havia voltado-me a uma obra Shakespeariana e eu estava apreciando-a. Romeu e Julieta. Tragédia e amor. Sim, era este o meu estilo favorito de leitura. Clássica e instigante, o suficiente para me manter absorta em cada linha.

Passos diminuam na medida que me minha mesa era alcançada e até que uma garçonete estivesse prontificada ao lado de minha mesa com um sorriso tenro e seu velho bloco de notas em mãos, a caneta em punho e um olhar expressivo que entoava as suas usuais palavras. "Deseja alguma coisa, Srta?" — Eu gostaria de um outro pedaço de torta de maracujá, e você poderia esquentar minha bebida? Eu suspeito que já esteja fria. — Entortei os lábios desculpando-me por achar um parcial abuso meus pedidos mas a garçonete não parecia diferente com relação a nada, apenas tomou o copo da mesa e caminhou para firme para ao balcão. Suspirei com alivio ao vislumbrar-me sozinha e quando desci os olhos para o livro aberto um pigarro voou aos meus ouvidos e eu dispersa assombrei-me, saltando do assento e chocando-me com quem quer que estivesse detrás de mim. Os acontecimentos que se sucederam foram rápidos demais para ser impedido. O ruído do copo de plástico quicando ao chão ecoou pelo estabelecimento, assim como o barulho exageradamente alto de livros que também caiu. Contudo, meus olhos encaravam fixadamente ao semblante defronte a mim. Seu olhar pávido e os lábios cerrados me fizeram recuar instintivamente enquanto eu forçava a dobra dos dedos nervosa. — Professor... Gallagher. D-desculpe por ... isto. — Soprei um grunhido antes de ajoelhar na intenção de recolher aos livros do homem, e teria sucesso se não fosse por um outro acidente.

O homem inclinou-se no mesmo instante e o encontro fora inevitável. Senti minha testa chocar-se contra a dele quando meu rosto se ergueu para pedi-lo que ficasse quieto. Um gemido soltou meus lábios enquanto eu afagava bruscamente a testa com a mão espalmada. — Mas que drog... — Mordi o lábio contendo-me ao encarar os olhos claros e intimidadores do homem. Céus, que droga! Repeti em mente enquanto me erguia, tendo o movimento espelhado pelo professor, agora com os livros em mãos. — Me desculpa. Sr. Gallagher. — Sussurrei antes de desabar no assento alto mais uma vez e encolher os ombros genuinamente, bela forma de boas vindas a um professor novo do colégio onde se frequenta, e ótima primeira impressão, as primeiras palavras compartilhadas poderia ser um convidativo bem vindo mas ali estava eu perdendo o total controle de tudo, tendo o desculpa como pivô de uma interação inesperada.





close encounter
APOLOGY

### FIRST MEET // Luna está na Cafeteria Lima Bean com Professor Alexander, ela está vestindo
isto
e está surpresa com o inesperado encontro.

____________________

THERE'S LOVING IN YOUR EYES
That pulls me closer. It's so subtle, I'm in trouble, But I'd love to be in trouble with you. I got the healing that you want. let' s Marvin Gaye and get it on.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Alexander Gallagher em Qui 6 Nov 2014 - 0:21

Surrender
#acaso; ● Roupas ● With Luna; ●

Eu sabia perfeitamente o que eu estava fazendo, desde o primeiro dia escolhi dar cabimento aquele prática estando ciente dos riscos envolvidos. Poderia eu, meses depois, culpar a carência, a solidão ou o tédio? Ou ainda pior, dizer que foi o amor? Coitado, o culpavam por tanto...  O que deveria me repugnar me atraia, os riscos, agrados para meu coração romântico tão acostumado aos idealizados amores proibidos.  Desta forma, deixei que aquela ideia crescesse dentro de mim, tal qual uma trepadeira foi se apoderando de cada parte do meu ser, até o ponto de tornar-se um hábito ficar a janela em seu aguado, ler um livro em “sua companhia” e deixar que minha mente vagasse com as mais diversas perguntas a seu respeito. Na manhã seguinte, me comportaria como convencionado, era seu professor e deveria portasse como tal, não deixava transparecer, fazia parte do meu jogo e por mais que deteste admitir, me agradava. Não me prestei a vasculhar nada a seu respeito no colégio, estava satisfeito com o quadro que ela me pintava a noite defronte a minha janela, sentada sobre a mesa mais próxima da vitrine de vidro da cafeteria Lima Bean, podia ver sua silhueta esguia e semblante focado, sempre com o olhar fixo em um livro.
Não era tudo calculado, eu não doente a este ponto, mas não era uma coincidência que eu estivesse hoje transferido meu posto para a cafeteria e sentando-me exatamente atrás da mesa onde ela costumeiramente sentava-se. Acomodei-me em um daqueles altos bancos de madeira e abri um dos livros que levara comigo, ora ou outra, meus olhos furtivos percorriam a cafeteria e sempre que a porta abria-se e eu ouvia o estalar do sino atentava-me para a entrada, ficando perplexo com o fato de a moça não chegar, apesar de que em meus pensamentos, sustentava a ideia de que estava ali para ler e tomar um café. Já havia sido tomada pela narrativa daquele livro japonês, a arte cavalheiresca do arqueiro zen, o leve contar do autor e sua experiência no Japão e suas experiências com o Zen e as práticas orientais me deixaram completamente absorto e sabe-se lá quanto tempo passou-se, pois perdera a noção de tempo. Da mesma forma que sem mais nem menos minha atenção fora captada, voltei ao Lima Bean, aos poucos o som estridente do ambiente me invadiu os ouvidos como se tivesse acabado de chegar. Agora já estavam à minha frente os negros cabelos que eu esperava. Levantei-me e vi que trazia em suas mãos um livro, como de costume, estava a ler. Pigarrei a fim de chamar sua atenção, o que a fez reagir da maneira mais apressada e exagerada possível e num desenrolar de desastres, tivemos café espirrado por cima dela, meus livros ao chão e uma colisão. Luna parecia um tanto desnorteada, e eu não podia evitar ficar um pouco preocupado e achar graça, como podia ser tão estabanada? – Nossa! Você está bem? Eu não achei que você se assustar. – disse rindo de leve da expressão transtornada da garota, foi então que me decidi por me inclinar para pegar meus livros e ela o fez abrupta e simultaneamente de modo que nossas testas colidiram. – Você já pensou em entrar para o time de luta da escola? – tomei o livro em mãos verificando se havia algum dano neles. – Eu estou bem e eles também. – esclareci, apontando para os livros quando me referi a eles. - Fico feliz em saber que pelo menos um de meus alunos se interesse por Shakespeare. – ela trazia em mãos um exemplar de Romeu e Julieta, o mais conhecido da obra Shakespeariana. Bom saber que ela tinha certo apreço por estes amores proibidos. – O que está achando do livro? – ouvia seu parecer acerca do livro encantado com sua doce voz e amabilidade da fala, era sutil e delicada, tal qual uma “Julieta”, com um toque cômico e desastroso de quase pôr uma cafeteria ao chão por assustar-se com tão pouco. – Acho que já está fechando... – disse constatando o horário no relógio de pulso. – Nossa, suas roupas estão molhadas e está bem frio lá fora. Você tem como ir para casa? Posso lhe dar carona, estou de carro. – notando sua confusão e em meu desconforto de talvez estar sendo meio precipitado com o meu convite. – Bem, enquanto você pensa eu vou ali ao caixa pagar. – sorri de canto e caminhei um tanto nervoso até o caixa. O que você está fazendo, Alexander? Vai oferecer carona para ela assim? Será que estou sendo muito invasivo?

____________________

Don't wanna break your heart, Wanna give your heart a break

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Luna Michele Merëtseger em Qui 6 Nov 2014 - 3:11




Sr. Gallagher. O mais novo professor substituto de literatura ali, a minha frente com um sorriso jovial tão convidativo que fazia meu estômago borbulhar, como se houvesse um milhão de borboletas agitadas voando propositalmente. Ele era belo, muito belo. Era um ótimo professor e eu tinha certeza que não era a única a prestar mais atenção no movimento de seus lábios enquanto falava ao invés de prestar atenção na matéria em si, entretanto, a única diferença era que ao fim de tudo eu realmente me importava com a literatura enquanto as demais certamente deveria escrever suas iniciais junto as do professor num coração com uma flecha. Pisquei, retornando ao Lima bean e as palavras proferidas pelo homem, questionando-me sobre a obra em que eu lia. Mas é claro que ele notaria. Um ponto para ti, Luna. pensei, pigarreando momentaneamente antes levar os olhos ao livro. — Eu estou adorando o livro. Amor trágico. Certamente deve ser bem intenso para Julieta e Romeu estarem numa situação destas, um amor proibido e errado ao ver do mundo a sua volta, mas tão forte. — Abri os olhos, só então notando que os havia fechado e que sorria debilmente por imaginar um amor tão intenso quão era aquele. Eu adoraria ter um amor daquele tipo, forte e inabalável.

Novamente as palavras do Sr. Gallagher voaram aos meus ouvidos arrancando-me dos meus estúpidos devaneios. "Suas roupas estão molhadas e está frio la fora... Posso lhe dar uma carona." Meus olhos alternaram-se dos olhos do homem a minha blusa, só então eu havia notado a mancha opaca que ia da altura de meu peito a pouco acima de meu umbigo. — Merda... — Sussurrei, mordendo instintivamente o lábio com força e dispersando-me o bastante para sequer responder a pergunta do homem, notando isto apenas quando este se encaminhou ao caixa. Ele é só um professor gentil, e está tarde. Táxi a esta hora não. Ouvi meu consciente murmurar atônito enquanto eu saltava do banco alto e recolhia ao livro e alguns papeis referente aos clubes escolares do qual fazia parte, deixando que estes escondessem parcialmente a mancha. De meu bolso retirei algumas notas, o suficiente para pagar meu pedido e com um súbito arfar caminhei até o homem debruçado no balcão. — Estou pronta para ir, Sr. Gallagher. — Forcei um sorriso confiante, espelhando em nada ao meu interior que fervia num nervoso perturbador.

* * *

Meus dedos tamborilavam nervosos ao apoio de braço do utilitário, meus olhos encaravam fixos as ruas de Ohio e a fina garoa que caia do lado de fora, tomando as ruas de movimentadas de Ohio. Eu abraçava as pernas contra o o peito, sequer importando-me pelo fato de estar com os pés acima do assento e o modo incômodo que o cinto apertava-me contra este. Meu olhar alternava-se da paisagem que corria através da janela e para a mancha sobre minha blusa rosada rendada. Sutilmente olhei para o homem ao meu lado, as dobras de seus dedos apertando com força ao couro do volante e seus lábios semicerrados.  — Céus, se começar a chover forte o trânsito ficará tenso. — Murmurei batendo com mais força contra o apoio de braço. Era estranho ver as ruas de Ohio tão cheias, principalmente por já passar das dez horas da noite. — Você não se importa em dirigir até Lima? É muita gentileza, mas pode me deixar numa estação de ônibus se quiser. — Encarei ao homem que de imediato negou minha sugestão. Cinco quadras, havíamos passado cinco quadras apenas. Estávamos  bem longe de chegar a minha casa. Uma hora passa rápido, Luna. Relaxe. Entoei em mente antes de suspirar pesadamente.

Senti meu quadril vibrar, e quase que de imediato minha perna seguiu a vibração, o que me fez saltar no assento. Meu celular. Tomei o aparelho e o visor de ascendeu mostrando-me o motivo do alerta.
1 nova mensagem.

Filha, eu e seu pai vamos a um restaurante em Westeville. Sophie foi passar o fim de semana em Delphos, na casa de sua tia Donatella. Lima Bean não ficará aberto até que você sinta sono. Vá para casa, mocinha. Amo você. — Mãe.

Sorri com desdém ao guardar o celular. Sim, eu estava a caminho de casa tenho uma companhia inusitada. — Vire a esquerda, nesta saída ai. — Murmurei inocente, optando pelo caminho mais longo até Lima e rezando para que ele não soubesse dito. Seria uma longa viagem, afinal.


ENCERRADO NO LIMA BEAN
CONTINUAÇÃO NA GRANDE PRAÇA



close encounter
ENCHANTED

### FIRST MEET // Luna está na Cafeteria Lima Bean com Professor Alexander, ela está vestindo
isto
e está surpresa com o inesperado encontro.

____________________

THERE'S LOVING IN YOUR EYES
That pulls me closer. It's so subtle, I'm in trouble, But I'd love to be in trouble with you. I got the healing that you want. let' s Marvin Gaye and get it on.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por George Abraham Strahan em Seg 24 Nov 2014 - 20:59

"tightrope"
well if ya, lookin for me, i'm probably in metropolis i, i do this for the love so this is non-profit shit i'm, i'm boardwalkin', so you can call this monopoly obviously, my approach to music ain't moderate as, my mascoma spins, i am the anomaly i love all my haters, cause my haters
Aaah, o primeiro dia de aula em uma nova escola nunca se esquece,já, George tinha uma maneira um pouco diferente de passar o seu primeiro dia de aula, para começar, ele nunca ia para a escola,sempre arrumava uma maneira de fugir da aula, ele foi de carona com o pai até a porta da escola, ainda do carro, ele ouviu todo aquele sermão,de que :"Essa escola é diferente filho, se enturme, você vai ver, terá muitos amigos." Ele se despediu do pai e ficou no portão da escola, enquanto o carro virava a esquina, depois disso ele afrouxou a gravata, e parou no primeiro bar, para despentear o cabelo,depois de um instante, ele já estava se sentindo ele mesmo, a grava, já não tinha mais seu nó, sua camisa foi dobrada e os dois primeiros botões da camisa foram desabotoados, ele ainda se sentia um pouco desconfortável em seus sapatos, mas isso não seria assim tão importante, ele mantinha a gravata jogada pelo ombro, da mesma maneira que o blazer, depois de se arrumar, ele andou até encontrar um café, foi até uma mesa no canto, colocou seu blazer na cadeira e foi fazer seu pedido, na fila, ele percebeu que naquele local, a maioria das pessoas deveriam estar em seu horário de almoço ou até mesmo matando aula, como o próprio George, depois de pegar seu café, ele foi até sua mesma, apoiou-se nas duas pernas de trás da cadeira e ali repousou.
tags: -x- post nº: -x- vestindo: isso etc: -x-
att @ sa!

____________________


I'm fucking tired of this fucking life
Why you have to be so rude ?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Seg 24 Nov 2014 - 21:53

I never wanted it to turn out this way, the end to a falling out.
Finalmente, um dia de descanso. No Mckinley não haveria aula, por que estavam preparando as coisas para o natal, que chegaria em breve. Apenas a comissão de organização e a diretoria estariam presentes, deixando tudo bonitinho e bem brega. A coisa boa do dia, era que eu não precisava estar usando o uniforme das cheerios, nem estar jogando mil e uma reclamações pra cima das meninas, que dificilmente acertavam alguma coisa nos treinos. Ser capitã estava começando a se tornar um mártir. Como já era final de ano, Ohio possuía uma fina camada de neve, que aos poucos, se tornaria cada vez mais grossa, conforme a gravidade do frio que estava chegando. Resolvi vestir uma blusa de mangas longas azul arinho, em gola v, para me sentir confortável. Uma calça jeans escura, ajustada perfeitamente às minhas pernas e quadris. Nem muito apertadas, nem folgadas demais. Uma maquiagem leve, botas sem salto - já era alta, não precisava de muito - e gloss para os lábios, só para terem brilho.

Sai da mansão, resolvendo ir em um carro menos chamativo. Odiava ter a atenção das pessoas daquela minúscula cidade, pelo simples fato de achar que eles estariam me jogando pragas por ser tão nova, não trabalhar, e ter coisas que eles queriam e mesmo trabalhando por anos - ou até o fim da vida -, não conseguiriam ter. Mas, mal sabiam eles que eu trabalhava pesado. E a maioria das coisas que tinha, era ganhado com esforço do meu trabalho. Peguei a chave da land rover e com o pensamento a borbulhar, sai da garagem, da área residencial onde a mansão Overwhelming era a única casa e sem rumo, procurei a cidade. Não muito habitada, sabia que era por conta do horário. As pessoas estariam trabalhando, e os menores, estudando. Era uma coisa boa. Pensei em ir tomar café na Starbucks, e me locomovi para o local, mas, ao contrário do que eu esperava, estava incrivelmente lotado.

É, acho que hoje não vai ser um dia de lucros. — Olhei para frente, tinha reduzido a velocidade e baixado o vidro elétrico para ver o movimento, mas logo o subi e retomei a velocidade normal.

Respirei fundo, partindo em direção a esquina, virando a direita. Vi o letreiro do The Lima Bean, e bufei. Provavelmente os outros lugares da cidade também estariam cheios, e o Lima Bean só estaria dessa maneira, a noite. A comida dali era deliciosa, mas a organização não era das melhores, o que me irritava profundamente. Não tinha outra opção. Mais a frente, estacionei o carro, pegando a jaqueta que tinha jogado no banco do carona. Vesti, e depois me encarei meu reflexo pelo retrovisor. Os cabelos estavam soltos, estavam bem claros, gostava deles assim. As pontas com ondas leves, simples. A camada de neve deixava Ohio com um tom de comodidade gostoso, me deixava animada, era amante de épocas festivas. Saí do carro logo depois de pegar três notas de cem dólares e meu celular, guardando no bolso da calça, na frente. Fiquei com o celular na mão mesmo. Entrei no restaurante, encontrando apenas uma mesa ocupada por um garoto. Nunca o tinha visto na cidade. Procurei não encarar muito, não gostava de deixar as pessoas desconfortáveis ou irritá-las por olhar de mais. Fui até uma mesa, ao lado da dele, e logo um garçom me atendeu.

Ahn, traga waffles com cobertura de morango e um mocha com creme. — Eu amava comer essas coisas no café da manhã.

O garoto estava com uma camisa social desabotoada, o colarinho desarrumado, provavelmente teria usado uma gravata mais cedo. Tive a confirmação ao ver o slogan da Dalton Academy em seu terno, que estava jogado sobre o ombro, junto da gravata listada em tons de vermelho e azul marinho. Me perguntei por que ele não colocava aquilo em cima da mesa, já que tinha espaço suficiente. Ri comigo mesma, ele tinha o tipo de Johnny, um cara do passado. Contra as regras. Esperei meu pedido, e decidi que deveria ir no banheiro. Me levantei, indo até o sanitário feminino. Após findar minha necessidade, lavei as mãos, e me locomovi de volta ao restaurante. Quando estava quase lá, um garoto entrou a toda velocidade, quase me derrubando. Em um reflexo rápido, espalmei as mãos em cima da mesa, meu coração acelerado. Tinha certeza de que estava pálida, pelo susto. A respiração estava difícil. Pelo menos estava bem. Levantei os olhos, vendo que tinha parado em frente ao garoto.

Hm, me desculpe. — Fora tudo o que falei, não por falta de palavras melhores, e sim, por que ainda estava me recuperando do susto.



____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por George Abraham Strahan em Seg 24 Nov 2014 - 22:10

"tightrope"
well if ya, lookin for me, i'm probably in metropolis i, i do this for the love so this is non-profit shit i'm, i'm boardwalkin', so you can call this monopoly obviously, my approach to music ain't moderate as, my mascoma spins, i am the anomaly i love all my haters, cause my haters
George estava começando a se arrepender de ter matado aula, o dia estava extremamente tedioso, até que uma coisa, não, uma coisa não, chamou sua atenção, uma garota morena, adentra no local, ela até olha para o jovem, mesmo que rápido, e por instinto, George segue seus passos com o olhar, sendo o mais discreto possível,ela se senta na mesa ao lado, ele passa toda sua atenção a ela, seus ouvidos na maior capacidade, pelo modo de falar, ela não era uma "qualquer", ela se levanta e ele a segue com o olhar, ela entra no banheiro e por um instante ele se sente um pervertido, mas isso passou rapidamente,ele sorri de maneira sarcástica consigo mesmo e pensa em falar com ela, mas dua vergonha foi maior que isso, quando ela sai do banheiro, ele desvia seu olhar por um instante,quando ela já está próxima, uma pessoa entra correndo e esbarra nela, nesse momento ela não pareceu muito bem, o primeiro instinto de George foi se levantar e ajudar, ela se apoia na mesa, e ele fica em pé na sua frente,ela pede desculpa, isso mesmo, desculpa, ele da uma risada rápida e fala :"Está se desculpando por quase cair ?" Ele estende a mão para que ela se apoiasse nele e fala :"Você está bem ? Precisa de algo ?
tags: -x- post nº: -x- vestindo: isso etc: -x-
att @ sa!

____________________


I'm fucking tired of this fucking life
Why you have to be so rude ?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Seg 24 Nov 2014 - 22:28

I never wanted it to turn out this way, the end to a falling out.
Estava um pouco nervosa, pois os pensamentos não estavam bem coordenados. Quem tinha sido o descuidado maluco e metido a corredor? Bom, agora, isso era a última coisa que importava. Senti um toque. Olhei para frente, vendo a mão do garoto que antes estava sentado, e agora de pé a minha frente, tinha dito algumas palavras. Depois de alguns segundos, consegui compreender o que tinha sido. Já estava respirando melhor, mas ainda um pouco pálida. Abri um pequeno sorriso envergonhado, tinha dado minha mão sem nem saber quem ele era. Se eu teria de pensar algo de ruim nele? Não teria chances disso acontecer, depois dele agir tão rápido para me ajudar.

É, eu meio que bati as mãos na sua mesa. Não preciso de nada, só da comida que eu pedi a algum tempo. — Resolvi olhar diretamente para ele, aumentei um pouco o sorriso. — Obrigada... — Induzi que ele continuasse, e me dissesse seu nome.

Suas mãos tinham uma textura macia, diferente das mãos másculas as quais tinha me acostumado a sentir. Não que ele fosse menos que isso, mas não se encontrava garotos com mãos boas de se tocar em qualquer lugar. Eu poderia ter corado, mas não era fácil de conseguir isso de mim. Ainda o olhando, percebi, mesmo sem desviar os olhos, que ele tinha tatuagens pelo pescoço, que se escondiam pela camisa abotoada. Não era uma ou duas, mas muitas. Sutilmente e com educação, tirei a mão da dele, esperando por seu nome.



____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por George Abraham Strahan em Seg 24 Nov 2014 - 22:40

"tightrope"
well if ya, lookin for me, i'm probably in metropolis i, i do this for the love so this is non-profit shit i'm, i'm boardwalkin', so you can call this monopoly obviously, my approach to music ain't moderate as, my mascoma spins, i am the anomaly i love all my haters, cause my haters
"George, meu nome é George" Bom, ele não era o tipo de garota que merecia o tipo de cantada escrota que George costumava usar, em outras ocasiões, ele seria rude e diria que ela é tão gostosa quanto a comida do local, mas preferiu ficar quieto,ao invés disso ele sorriu,sorriu de verdade, e "tentou" ser fofo, falou :"Tem certeza que está bem ? Se estiver com frio, pode pegar meu blazer" Logo depois de falar a frase, ele se arrependeu e desviou o olhar, ficando com a expressão um pouco mais leve e envergonhada e fala :"hã ... você não me disse seu nome ..."  
tags: -x- post nº: -x- vestindo: isso etc: -x-
att @ sa!

____________________


I'm fucking tired of this fucking life
Why you have to be so rude ?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Seg 24 Nov 2014 - 22:58

I never wanted it to turn out this way, the end to a falling out.
George. Primeira pessoa que conhecia com esse nome. Não esqueceria dele. As próximas palavras do garoto, me fizeram sorrir verdadeiramente. Por dois motivos. O primeiro, ele realmente parecia disposto a ajudar, e algo em sua expressão corporal me dizia que ele não faria isso com qualquer pessoa. Segundo, ele não deveria ter reparado que eu estava de jaqueta. Okay, estava frio, mas ela era suficiente.

Hey, George. — Toquei seu braço, fazendo um leve carinho. — Me chamo Dianna. — Olhei para trás dele, vendo o garçom chegar com meu pedido.

Percebi que a mesa de George estava... Desabitada, e como agradecimento a sua gentileza, eu faria algo. Na verdade, estava agradecendo mentalmente ao garçom por ter nos dado um momento para livrarmo-nos do momento de vergonha dele.

Quer me acompanhar no café da manhã? Por favor, não recuse. Quero agradecê-lo melhor pela gentileza. — Fiz um tipo de biquinho, não gostava de ficar sozinha nos lugares, e ele estava se saindo como uma ótima pessoa.



____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por George Abraham Strahan em Seg 24 Nov 2014 - 23:09

"tightrope"
well if ya, lookin for me, i'm probably in metropolis i, i do this for the love so this is non-profit shit i'm, i'm boardwalkin', so you can call this monopoly obviously, my approach to music ain't moderate as, my mascoma spins, i am the anomaly i love all my haters, cause my haters
Bom, até o momento estava tudo bem, ele não havia passado por uma vergonha grande o suficiente para faze-lo corar e estragar tudo, seu nome era Dianna, sua pronuncia era igual a da deusa grega, ele pensou em pronunciar isso, mas ai ele estaria sendo idiota demais, o garçom chega com o pedido da mesma, e por dentro, George pulou por dentro e deu graças, ele estava ficando sem nada para falar, sua cabeça pensava em coisas legais para dizer, mas ele só pensava em cantadas idiotas,ela o convida para sentar-se com ela, ele pensa um puco, ele olha par ao prato dela, depois para seu copo de café, mas decide se juntar a mesma, só estava com medo de soltar uma de suas piadas sem graça, ele disse : "Bom, você parece o tipo de pessoa que não aceita um não como resposta, então, tudo bem" Ele sorri, pega seu café, e se dirige ao assento ao lado dela, ele se senta e passa a mão nos cabelos, colocando-o para trás, ele olha para ela e da um sorrisinho timido, e espera a mesma falar alguma coisa.  
tags: -x- post nº: -x- vestindo: isso etc: -x-
att @ sa!

____________________


I'm fucking tired of this fucking life
Why you have to be so rude ?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Seg 24 Nov 2014 - 23:24

I never wanted it to turn out this way, the end to a falling out.
Uma risada divertida escapou por meus lábios ao ouvir ele dizer que eu parecia o tipo de pessoa que não aceitaria um não como resposta. Bom, em alguns casos, eu era mesmo essa pessoa, mas não sempre. Puxei uma cadeira para me sentar, ao lado da dele.

Hm, não sou sempre assim. Eu só quero agradecer pelo que fez por mim. Mas, não o forçarei a nada. Se não quiser ficar, é livre para ir. — Olhei para trás, chamei o garçom e pedi mais um prato. Antes, parei e olhei para George. — Você quer me acompanhar com os waffles? — Arqueei a sobrancelha, como se lhe dissesse um "viu? eu deixo as pessoas escolherem o que querem" de forma divertida.

Você é novo por aqui. — Não havia sido uma pergunta, era mesmo uma confirmação. Não perguntaria nada.

Por mais que quisesse saber sobre ele, esperaria que as coisas fluíssem com calma, não queria passar uma impressão errada de curiosa, por que certamente eu não era.

____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por George Abraham Strahan em Seg 24 Nov 2014 - 23:32

"tightrope"
well if ya, lookin for me, i'm probably in metropolis i, i do this for the love so this is non-profit shit i'm, i'm boardwalkin', so you can call this monopoly obviously, my approach to music ain't moderate as, my mascoma spins, i am the anomaly i love all my haters, cause my haters
Sabe aquele momento em que você fica com algo ou alguma coisa ecoando na cabeça ? Foi exatamente assim que aconteceu quando ela riu, uma risada fofa, que ficou se repetindo na cabeça de George, ela fala que ele estaria livre para ir, se não quisesse, ele diz com a voz no começo um pouco acima do normal :"Eu ..... ahn, eu quero ficar sim" Ela chama o garçom, ele gargalha baixo co a atitude dela, quando ela arqueia as sobrancelhas, foi engraçado e fofo, ele fala :"Claro, waffles seriam ótimos" Ele acena com a cabeça para o garçom, e volta a olhar para ela, ela afirma que o mesmo é novo aqui e ele fala :"Sim, vai fazer dois meses que meu pai veio para cá, minha mãe e eu viemos vai fazer um mês, mas e você ? Parece que já veio aqui muitas vezes, é possível ver que é daqui ... ele repousa suas mãos na mesa, e olha para ela, curioso.
tags: -x- post nº: -x- vestindo: isso etc: -x-
att @ sa!

____________________


I'm fucking tired of this fucking life
Why you have to be so rude ?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Seg 24 Nov 2014 - 23:59

I never wanted it to turn out this way, the end to a falling out.
Enquanto repartia os waffles em pedaços, prestava atenção no que ele dizia. George estava se saindo como um bom amigo. Não era como se estivéssemos acabando de nos conhecer. Estava com uma impressão de que já sabia quem ele era, e no fundo, tinha uma ótima opinião formada do novato.

Na verdade, sou de New York. — Resolvi não contar que era atriz, afinal, tinha saído de lá para omitir a fama. — Mas estou aqui há três anos, estudando. — Sorri para ele.

Comi um pedaço do waffle, mastigando bem e o engolindo. Passamos alguns minutos em silêncio, comendo. Não por falta de palavras, era mais por... Educação?

Está gostando da Dalton? É uma das melhores academias da província de Ohio. — Disse, meio que sem interesse.

Ele não parecia disposto a ligar para isso, à grandes coisas, e eu também não era assim, apesar da minha realidade ser bastante... Grande em tudo. Mas, talvez George pudesse me tirar da mesmice, e eu apostaria com tudo nele.



____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por George Abraham Strahan em Qua 26 Nov 2014 - 15:59

"tightrope"
well if ya, lookin for me, i'm probably in metropolis i, i do this for the love so this is non-profit shit i'm, i'm boardwalkin', so you can call this monopoly obviously, my approach to music ain't moderate as, my mascoma spins, i am the anomaly i love all my haters, cause my haters
Okay, ela realmente não era uma qualquer, ela vinha de Nova York,ela fala que está aqui a três anos estudando,e então, vem o silêncio,ele não sabia o que dizer, ele olhava para ela, depois desviava o olhar para não parecer um estuprador, ou um pervertido ou um doente, ele olhava para o chão, depois de volta a Dianna, ele estava estudando ela, ela parecia ser bem divertida, só pelo tom de voz. Depois de um tempo, ela corta o silêncio e pergunta se ele estava gostando da Dalton, ele dá uma risada sarcástica e fala :"Bom,era para hoje ser meu primeiro dia de aula, mas, como pode ver, eu estou aqui, sabe, meu pai e minha mãe estavam colocando muita pressão sobre o dia de hoje, então, vou deixar eles imaginarem que fiz muitos amigos hoje, para amanhã ir para a escola de verdade" Ele sorri, como se acabasse de contar o plano mais brilhante do mundo, então ele pergunta :"Aonde você estuda ?"
tags: -x- post nº: -x- vestindo: isso etc: -x-
att @ sa!

____________________


I'm fucking tired of this fucking life
Why you have to be so rude ?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Qui 27 Nov 2014 - 20:56

I never wanted it to turn out this way, the end to a falling out.
Comi mais alguns pedaços do waffle, terminando o primeiro, partindo para o segundo. Peguei o tubo de mel em forma de urso, contendo a gosma vermelha dentro. Preferia cobertura de morango. Despejei um pouco por cima, até que caísse pelos lados. Ouvia tudo o que ele falava, sem encará-lo por um momento. Sorri. George era mesmo do tipo fora da lei. 

Bom, você pode contar aos seus pais que fez amigos. — O olhei. — Uma amiga, pelo menos. — Sorri.

Ele perguntou onde eu estudava, normal para o assunto. Mastiguei o pedaço do waffle que tinha posto na boca, e só falei, após ter certeza de que não tinha deixado meus dentes sujos. Só para conferir, passei a língua por eles.

Estudo no Mckinley High, conhece? — Perguntei, ainda olhando para ele. Me dei conta da idiotice que tinha perguntado. Estalei a língua, corando por alguns breves segundos. — Oh meu Deus, que burrice a minha. Você é novo por aqui, claro que não conhece. Bom, fica a três quadras daqui. — Dei uma risada sem graça.

George era o tipo diferente de garoto. Tinha uma presença chamativa, tatuagens evidentes, que provavelmente cobriam todo o seu corpo do pescoço pra baixo, lhe dando um ar de bad boy. Mas na verdade, ele estava mais para um garoto fofo e gentil. Pelo menos comigo. Estava repensando no que tinha dito no caminho para cá. Pode ser, que meu dia valha a pena.

Quer conhecer a cidade, George? — Perguntei, arqueando a sobrancelha.



____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por George Abraham Strahan em Sex 28 Nov 2014 - 18:30

"tightrope"
well if ya, lookin for me, i'm probably in metropolis i, i do this for the love so this is non-profit shit i'm, i'm boardwalkin', so you can call this monopoly obviously, my approach to music ain't moderate as, my mascoma spins, i am the anomaly i love all my haters, cause my haters
George não conseguiu não sorrir quando Dianna fala que eles haviam se tornado amigos, depois de ter dito isso, ela responde a pergunta, quando George está se preparando para responder, ela mesma o faz, ele da uma risada da reação dela e fala :"Tudo bem, eu não conheço nem meu próprio colégio" ele sorri de uma maneira brincalhona, ela pergunta se ele gostaria de conhecer a cidade, ele pensa por um instante, imagina qual seria a reação do pai se o visse fora da escola, mas depois disso tudo ele fala :"Seria uma honra" ele sorri e espera por Dianna.
tags: -x- post nº: -x- vestindo: isso etc: -x-
att @ sa!

____________________


I'm fucking tired of this fucking life
Why you have to be so rude ?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Sab 29 Nov 2014 - 21:03



let a saucy, ready boy?
Abri um sorriso ao ouvir seus próximos ditados. Sim, estava confirmado. George era um garoto um tanto que tímido, de mãos macias, e... Radical. Não sei o motivo de faltar logo o primeiro dia de aula, porém, se era sua vontade, por que ir contra? Éramos jovens, e nada melhor que mostrá-lo novos lugares. Tinha acabado o café da manhã, e George parecia ter terminado sua parte. Olhei para trás, chamando o mesmo carinha que tinha nos atendido. Pedi a conta, e acabei por deixar uma gorda gorjeta para ele. Estava de bom humor, e se tinha uma coisa que acontecia comigo quando estava de bom humor, era o fato de que eu queria deixar todo mundo a minha volta feliz.

Ótimo, vamos. — Me levantei, pegando o celular. O restante do dinheiro, coloquei no bolso e fui na frente, já que obviamente ele não saberia qual era o meu carro.

Parei em frente a ele, desativando o alarme. Abri a porta, entrando. George estava dando a volta, quando me encarei no retrovisor, conferindo se meu cabelo não estava desarrumado, ou algo fora do lugar. Fiz um tipo de biquinho mínimo, tinha uma mania terrível de querer escovar os dentes a cada vez que comia algo, pelo simples medo de ter algo preso no dente, o que não era o caso, mas sabe-se lá né.

Ohio parece pequena, mas há tantos lugares para se conhecer, que temo não acertar em todos. — Digo, quando ele ocupa o lugar ao meu lado. — De todos os tipos de coisas que existem, o que você mais gosta? Sua resposta nos levará a primeira parada turística. — Abri um sorriso divertido.

É, até que estar sem aula em um dia como esse, não estava sendo ruim.


— the stars are at your fingertips.

____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por George Abraham Strahan em Seg 1 Dez 2014 - 17:47

"tightrope"
well if ya, lookin for me, i'm probably in metropolis i, i do this for the love so this is non-profit shit i'm, i'm boardwalkin', so you can call this monopoly obviously, my approach to music ain't moderate as, my mascoma spins, i am the anomaly i love all my haters, cause my haters
Quando George foi estender a mão para pegar a carteira, Dianna já havia deixado o dinheiro com o garçom, ele faz uma careta,e depois disfarça, quando vê Dianna se levantando, ele faz o mesmo, pega sua gravata e o blazer e sai logo atrás dela,ela para em frente ao carro, para esperar George, pelo menos era isso que ele havia imaginado, ele só se da conta que aquele era o carro dela quando ela o destrava, ele tenta conter a surpresa, por que aquele era realmente "O carro", ela entra no carro e George decide fazer o mesmo, ele dá a volta para entrar pelo lado do carona, logo o mesmo pega o celular para verificar como estava, mas fingindo olhar as horas, ele era vaidoso, mas preferia não demonstrar,quando Dianna fala, ele muda o foco de sua atenção para ela, ela pergunta que tipo de coisas que ele gosta, ele pensa por alguns instantes, e para parecer um pouco dramático, coloca o dedo polegar e indicador nas beiradas do queixo, e olha para o horizonte, sem conseguir manter a pose por muito tempo ele fala :"Bom, eu gosto de muita pouca coisa, se for parar para contar, são somente três, que eu gosto mesmo, gosto de instrumentos musicais, tatuagens e esportes, de esportes não muito, mas gosto"  
tags: -x- post nº: -x- vestindo: isso etc: -x-
att @ sa!

____________________


I'm fucking tired of this fucking life
Why you have to be so rude ?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Seg 1 Dez 2014 - 19:03



let a saucy, ready boy?
Ao reparar no modo como ele agia para pensar, abri um sorriso. A primeira coisa que se passou pela minha mente, era que George poderia ser dramático. Olhar para o horizonte, batucar o dedo no queixo. Sinais evidentes de pessoas que certamente amavam um bom drama. Mas, o efeito drama king havia sido quebrado, era apenas uma pose. Sorri, respirando melhor. Estava um tanto que aliviada. Não que algo fosse mudar por isso, não mesmo. Era mais pelo fato de que pessoas dramáticas eram bastantes complicadas.

Temos o nosso próximo destino. — Joguei o celular no meu colo, saindo do lugar que havia estacionado.

Abri um sorriso, só havia um lugar onde levar George. E por sorte, era uma franquia minha com uma amiga. Elle Stoller. A Vintage Stoller, loja de instrumentos musicais. Fui dirigindo pelas ruas da cidade, como sempre, atraindo olhares furtivos de curiosos, dedos apontados para o carro. As pessoas de Ohio poderiam ser bem receptivas (o que não era o caso de todos), mas se tem algo incomodo na cidade, são os comentários, burburinhos e fofocas indiscretos. Revirei os olhos, batucando os dedos no volante. Liguei o rádio baixinho, tocava uma música country. Troquei a estação. Não tinha nada contra o gênero, mas achava que não era o momento para isso. Havia deixado em uma que tocava rock indie, mais calmo.

ENCERRADO POR AQUI.
CONTINUANDO NA VINTAGE STOLLER MUSIC.



— the stars are at your fingertips.

____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Billy M. Currington em Qui 4 Dez 2014 - 22:31



Don't be afraid, this life it's like a watermeloon

Algum tempo havia se passado desde o recente susto que teve após a festa de Halloween, e sinceramente preferia ter ficado em casa jogando Xbox naquele dia. Nada de útil saiu da festa, tá certo que foi bom rever Mary, mas foi na presente data a noite em que Tyler sofreu um acidente, e aparentemente a irmã ou prima de Mary também acabou indo parar na UTI. Certamente não é o dia que você levanta da cama feliz dizendo para si mesmo que nunca quer esquecê-lo, de forma alguma, era o dia para você chutar do calendário!

Felizmente agora o susto já havia passado tanto que de um jeito bem imprevisível ele foi convidado por Mary para almoçarem no Lima Beans. Para tal, provavelmente, a irmã dela devia ter melhorado e por isso ela iria querer comemorar. Gerrard não reclamou, só tratou de vestir o jeans preto, o tenis branco e a camiseta xadrez em tons de azul. Não precisava ser formal para aquele situação não é verdade? Pegou a carteira e foi andando para a cafeteria que em geral era à uns 3 ou 4 quilômetros. Chegou antes de Mary, era costumeiro que as mulheres se atrassassem não é?!

Pegou uma mesa vazia e ficou lá sentado esparramado feito chuchu da serra. A garçonete se aproximou com certa relutância, mas ninguém poderia culpá-lo, vinha dormindo muito mal durante os últimos dias, nada de pesadelos, simplesmente não consegui pregar os olhos. Se tocou que a mulher o encarava feito alguém que olha uma goiaba verde suspeita escancarada na calçada e então se recompôs. - Err, uma coca seria ótimo. To esperando uma pessoa então só uma Coca...
Suae quisque fortuna faber est

____________________

I'm a broken guitar
workin' on a broken song

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Lima Bean

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum