{FP} FÜLLER, Yanis.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

{FP} FÜLLER, Yanis.

Mensagem por Yanis Mikaelson Füller em Seg 15 Dez 2014 - 21:54


YANIS M. FÜLLER



HISTÓRIA

Estar no topo, com tudo o que lhe dá direitos para achar que a vida é curta, e que tudo deve ser aproveitado, com toda certeza, não fazia o tipo de Yanis. Era exatamente o contrário. Não existia aquela coisa de garota riquinha, com tudo o que queria, na hora que queria. Os pais se esforçavam até mesmo para por comida para três. Não queria ser um peso, sempre era esforçada para tirar boas notas e fazer tudo o que podia para ajudar com as contas. Diferente de muitas outras pessoas, contentava-se em estar admirando uma paisagem, fotografando, pintando. Com poucas coisas, simples. Mais que para ela continham algum significado, dependendo do momento.

Mas, chegou a hora em que não estava mais tendo que ver os fatos, como uma opção. Seus pais não podiam mais pagar o aluguel da pequena casa, e acabaram tendo que se mudarem para um pequeno lobby no sul da Alemanha. Não era bem um lobby. Era mais para um chalé, situado em Berlim. Yanis achou que estava entrando no fundo do poço, e levando todo mundo consigo. Seu pai havia sido despejado do trabalho, e sua mãe já não estava suportando o estado crítico em que todos estavam. Medidas trágicas tiveram que ser tomadas. Uma única ligação era preciso. Mas, a vergonha resumia-se a cem por cento do momento. Mas não havia outra situação. Na itália, reforços foram chamados. Os tios da ruiva estavam na Alemanha, para investir um pequeno negócio em nome de seu pai. Isto é: entrada de dinheiro de alguma forma. Acabou que, a oportunidade havia sido a melhor da vida dos Mikaelson-Füller. Com a produção de Bola's de Berlim (No Brasil e em outros países é chamado de Sonho), conseguiram renda o suficiente para manterem-se sem custear nada com o olho da cara.

Yanis podia estudar melhor. Ao completar dezesseis anos, ganhou uma carta de recomendação da Garden's Blendschuatz School, onde estudava, para cursar o ensino médio em Ohio, nos Estados Unidos. A ruiva reconsiderou a carta, não queria estar longe da Alemanha, mesmo sabendo que sua vida longe dali, poderia ser um tanto que melhor. Costumava rir das pessoas que achavam que na Alemanha havia-se oportunidade para tudo. Que tudo era melhor ali. Nem sempre, as oportunidades são divididas por igual, e algumas pessoas, sofrem mais do que as outras. Com o pensamento conturbado por estar prestes a embarcar em um novo lugar e recomeçar a vida de outra forma, Yanis tinha apenas a alegria de que retornaria para seu lar. E com um futuro garantido.

DADOS

NOME: Yanis Mikaelson Füller.

DE ONDE É?: Berlim; Germany.

IDADE: 17 anos.

GRUPO?: Troubletones.

SEXUALIDADE?: Bi.

AUDIÇÃO

Sexta feira havia desembarcado no aeroporto de Ohio. Ficaria na casa de uma tia, que até então desconhecia. A mulher tinha dinheiro, vivia em um loft luxuoso em estilo alemão em um dos bairros da cidade. O que para sorte da ruiva, era próximo da escola onde havia sido matriculada. Passou o final de semana desempacotando coisas, restaurando as últimas sensações de estar em solo alemão. Agora, dentro dos padrões americanos, tinha uma tarefa difícil a cumprir. Se acostumar com o fuso horário completamente diferente. Sabia que teria que maneirar no que fazia, ou ficaria mais cansada que o normal.

Na segunda de manhã, comeu torradas e suco de laranja. Não gostava de comer waffles ou qualquer tipo de massa logo tão cedo, costumava lhe fazer mal. Apesar de toda a carga italiana e alemã correndo nas veias, ainda sim, era sujeita a más sensações se ousasse comer algo pesado pela manhã. Terminou sua comida, lavou os pratos e se despediu da tia, pedindo-lhe a benção. Era cética por sua cultura. Não era uma fanatista por religião ou crenças, mas acreditava em boa parte delas.

Das alles klappt. — Fechou os olhos na porta de entrada da casa, respirando fundo, antes de começar a caminhar rua abaixo.

★ ☆ ✮ ★ ☆ ✮

Claro, teria dificuldades para se manter bem disposta, já que estava em um horário diferente, tinha guardado todas as suas coisas e ainda teria que estudar. Depois de três tempos de aula, já estava esgotada. Na hora do intervalo, conseguiu restaurar parte da energia ao tomar um café. Comeu maçã e algumas tirinhas de vegetais. Gostava de comê-los para manter o cabelo sempre macio e brilhoso. Não era tão vaidosa a ponto de ser viciada em produtos para beleza, mas gostava de ficar bonita. Na volta para sua próxima aula, encontrou um papel colado ao mural de recados, onde dizia "RECRUTAMOS GAROTAS PARA FAZEREM PARTE DAS TROUBLETONES. Se está interessada, esteja no auditório ALL MOTTA às 17:00hrs para o teste."

Entschuldigen sie, sie ate... — Parou uma menina, e esqueceu-se por um momento, que não estava mais na alemanha. — Com licença, você poderia me dizer onde fica o auditório All Motta? — E recebeu todas as instruções que precisava.

As 17:00hrs estaria lá. Não era do tipo que queria viver de música, mas gostava de ouvi-la e de fazer seu próprio som. Só teria que tentar amenizar o forte sotaque de alguma forma. O dia passou mais rápido do que gostaria, e já sentada em um banco alto a cima do palco, recebia olhares furtivos de uma loira muito bonita. Pelo que havia entendido, aquela seria a treinadora do coral. Alice alguma coisa. Pode ouvir a intro da música que cantaria começar, os olhos fechados por um momento de concentração.

I need another story
Something to get off my chest
My life gets kind of boring
Need something that I can confess

Yanis não tinha uma voz comum. Em algumas palavras, não conseguia verbalizá-las sem uma falha. O tom sempre seguro, tornava-se rouco. Geralmente acontecia quando estava nervosa, ansiosa, e em casos raros, só acontecia. Começou a cantar, os olhos abertos, uma das pernas cruzadas sobre a outra, as mãos descansando em cima do joelho, enquanto fitava o chão.

Till all my sleeves are stained red
From all the truth that I've said
Come by it honestly I swear
Thought you saw me wink
No, I've been on the brink, so

Tinha um motivo para estar cantando aquela canção? Tinha pensado em tantas outras, por que logo Secrets? Então, ao cantar o verso atual, concluiu que essa música tinha mais haver com sua vida na Alemanha, do que qualquer outra coisa. Das dificuldades, da honestidade que os pais nunca deixaram de ter, apesar de estarem a beira de um precipício.

Tell me what you want to hear
Something that'll like those ears
Sick of all the insincere
So I'm gonna give all my secrets away
This time
Don't need another perfect line
Don't care if critics never jump in line
I'm gonna give all my secrets away

O tom de voz ficou mais forte, ganhando a exata rouquidão que aparecia vez ou outra. Não estava nervosa, nem ansiosa. Sentia-se bem ao cantar, não especialmente naquele momento. Estava rodeada de estranhos. E mesmo assim, parecia desabafar suas histórias conturbadas a cada linha cantada. Tinha segredos? Quem não tinha? A única diferença, é que os de Yanis, eram mais assombrosos do que qualquer outra coisa.

My god, amazing how we got this far
It's like were chasing all those stars
Who's driving shiny big black cars

Levantou o olhar, tendo consigo um dos holofotes virados em seu rosto, os pequenos flashes de luz chamuscando em seus olhos esverdeados. Os fechou por um momento, tanto por um pequeno incomodo da luz, como também, por concentração. Voltou ao tom ralho, rouco nos finais de cada frase, propositalmente.

And everyday I see the news
All the problems that we could solve
And when a situation rises
Just write it into an album
Sitting straight, too low
And I don't really like my flow, oh, so...

Cantou mais rápido, como na canção do OneRepublic. Sentia a intensidade das palavras, agora que as cantava mais ligeiramente. As situações graves, as mudanças, os choros incontidos na calada do crepúsculo, as noites mal dormidas, tudo o que já havia passado. Sentiu uma fisgada no peito, tornando-se inexpressiva de repente.

Tell me what you want to hear
Something that'll like those ears
Sick of all the insincere
So I'm gonna give all my secrets away
This time
Don't need another perfect line
Don't care if critics never jump in line
I'm gonna give all my secrets away

Yanis se ergueu do banco, como se fosse uma leoa vigiando sua presa. Pacífica em formas físicas, mas, o olhar totalmente selvagem, cruel. Tinha marcas do tempo em cada parte de si, e temia senti-las toda vez que cantar algo com profundidade. Talvez não deveria ser tão intensa da próxima vez, só apenas dar uma pitada de gás e pronto! Seria o suficiente. Mas, no momento, estava pondo para fora uma aflição carregada por anos. Estava contando segredos pelos olhos.

Got no reason
Got no shame
Got no family
I can blame
Just don't let me disappear
I'mma tell you everything

Pelo pouco que conhecia de corais, apetecia saber que não era necessário cantar uma música inteira, já que nunca havia tempo o suficiente. Também, era como uma forma de mostrar-se habilidosa em cortar boa parte, e mostrar que poderia muito bem contorná-la. Afinal, já faltava pouco para finalizar, de toda forma.

Tell me what you want to hear
Something that'll like those ears
Sick of all the insincere
So I'm gonna give all my secrets away
This time
Don't need another perfect line
Don't care if critics never jump in line
I'm gonna give all my secrets away

As batidas da música lhe reverberavam. Ecoavam a amargura que a ruiva carregava, e que, nem mesmo assim, deixava de dar sorrisos. Precisava deles. Para se sentir bem, para seguir em frente, e o mais importante. Para registrar que não era tão fraca quanto pensava. Apesar das dores, das lágrimas, era capaz de por um sorriso no rosto, e gozar dos momentos oportunos. Mesmo sendo poucos, sempre aproveitava cada mísero segundo, se agarrando a expectativas. Repetiu mais uma vez o verso.

All my secrets away...
All my secrets away.

Finalizou, soltando o microfone, sem reparar que tinha quase que esmagado o tronco do pedestal, de tanta força que havia posto. Suspirou ao findar a canção, sem demoras, indo sentar-se a segunda fileira do auditório, esperando pelo resultado que se seguiria depois das outras performances.








____________________

I need another story, something to get off my chest. My life gets kind of boring.

I'm gonna give all my secrets.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {FP} FÜLLER, Yanis.

Mensagem por Nicholas A. Hertfordshire em Seg 15 Dez 2014 - 22:04





Aceito!

Sua ficha foi aprovada! A partir de agora, você é um membro oficial do RPG. Pronto para postar e conhecer novas pessoas e lugares? Divirta-se ao máximo!

ANÁLISE DA FICHA:Sua história é Interessante, mas não foge um pouco das milhares de pseudo-crianças rebeldes. Sua escrita é muito interessante, mas precisa tomar cuidado. Principalmente quanto a "mais" e "mas" que acredito que seja apenas falta de atenção. Gostei muito de sua apresentação e da incorporação do estilo alemão a ela, o que a tornou interessantemente verossímil. Parabéns e seja bem-vinda!!!

____________________

I'm here without you baby. But you're still on my lonely mind. I think about you baby. And I dream about you all the time. I'm here without you baby. But you're still with me in my dreams. And tonight, it's only you and me... The miles just keep rolling.As the people leave their way to say hello. I've heard this life is overrated. But I hope that this. gets better as we go...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum