{FP} Malía Bringbörn

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

{FP} Malía Bringbörn

Mensagem por Convidado em Sex 30 Jan 2015 - 20:06

that mirror one day and miss my arms
━━━━━━━━━━━━━━━━━━
I can barely just make out your face


Nome: Malía Boullevard Holt Bringbörn.

Idade: 17 anos.

Naturalidade: Lima.

Sexualidade: Bissexual.

História:

As ruas de Ohio estavam mais calmas, quase ninguém estava na rua. A forte nevasca havia vindo de repente e abraçado Lima como uma velha amiga. Um casal passeava de mãos dadas, suas vetes cobertas por cristais de neve, enquanto sorrisos bailavam em seus lábios, advertindo a neve, que nem mesmo sua fúria os esconderiam. A mulher, deleitava uma mão sobre o pé da barriga, acariciando o ventre coberto por camadas abundantes de roupas. O homem para, se inclinando, observando de perto o volume abrangente na barriga de sua esposa. Ali, estava sua filha. Sua princesinha.

Diferente de muitas famílias, os Bringbörn não haviam passado por sufocos ou dramas grandiosos. Não tinham problemas com dinheiro, já que o patriarca da família era gerente de banco, e ganhava o suficiente para deixar todos satisfeitos. O pior momento que passaram, fora a tentativa falha de gravidez de Eliza, que acabara sofrendo aborto natural ao completar 3 meses de gestação. Não desistiriam, e dois anos após a fraudolenta tentativa, conseguiram.

•••••••••• 17 ANOS DEPOIS •••••••••••

Estava quase pronta. Encarando o reflexo pelo espelho, Malía abriu um sorriso calmo ao encontrar o olhar contente de seus pais na porta do quarto. Lentamente se virou, sem dizer nada. Estava um pouco apreensiva, era o primeiro dia de aula em uma nova escola. Nenhum de seus amigos havia seguido o mesmo caminho. Alguns haviam ido para fora do Estados Unidos, outros continuaram na antiga escola.

Trocou um abraço caloroso com os pais, recebendo um beijo carinhoso no topo da cabeça vindo do pai, e mais um abraço apertado da mãe. Toda vez que estava entre os pais, sentia que nada no mundo lhe faria desapontá-los, nunca tinham lhe mimado, mais haviam lhe ensinado o bastante para distinguir seu próprio caráter. Por isso, havia se tornado uma menina inteligente, carismática e determinada a fazer sempre o seu melhor, por mais simples que fosse a situação. Se soltou do abraço, pegando a bolsa com os materiais e se dirigiu porta a fora.

Ao chegar a escola, tudo o que pode pensar fora que tudo devia mesmo ser diferente. As proporções físicas da escola eram muito maiores do quê a sua antiga, as pessoas passando de um lado para o outro, batendo em seu ombro, quase fazendo-a cair. Tendo que desviar o caminho, encontrou - quase que por milagre - uma árvore solitária, e se apressou a alcançá-la. Sentou-se por ali, na sombra. Tanta gente conversava, comia, contavam piadas... Havia sido uma boa ideia sair de sua zona de conforto? Colocou os fones, afastando pensamentos negativos. Não iria desanimar em uma primeira vista. Ainda faltava alguns minutos para o início das aulas, então, só lhe restava esperar.


------------------------------------------------------------------------------

AUDIÇÃO

As coisas não haviam começado tão bem, os chacoalhões foram inevitáveis, assim como cada colisão de partes de pessoas em seu corpo. Não sabia como era possível estudar em um espaço menor que aquele e nunca ter passado por tal coisa. Era sempre tão calmo e... Puft! Outra colisão. "Não pense, apenas siga." Era o que repetia para si mesma. Já havia passado por um período do dia, faltava apenas o vespertino. Os corredores aos poucos foram esvaziando. Restava apenas a garota e os utensílios espalhados pela escola. Estava quase alcançando as escadas para ir ao refeitório, quando passou por uma sala, onde um grupo de garotas estavam reunidas. Cantando. Parou, encarando, sem se dar conta. Segurava a alça da bolsa, a boca entre aberta. Gostava de cantar, mas nunca o fazia em público. Não sabia dizer por que, apenas não o fazia.

Posso ajudá-la? – Uma voz suave e extremamente feminina cortou seu pensamento.

E-eu estava apenas obs... – Parou para respirar fundo.

Malía recebeu um olhar inquisidor da loira alta e bonita, provavelmente a treinadora daquele provável coral. Ela não parecia ser tão velha a ponto disso, mas tinha traços maduros em suas feições.

Se interessou pelo coral?– Ela não esperou resposta, abriu um sorriso cativante. – Estamos recebendo novas garotas, seria bom tê-la junto a nós. O que me diz...???

Hm, Malía. – Completei sua pergunta. – Vou considerar a proposta. – Sorriu envergonhada.

Muito bem, Malía. Estaremos esperando por você no auditório Aphril Rodes no último tempo de aula. – Ela se virou deixando apenas sua voz constatar um – Garotas, hora do almoço! Vejo vocês mais tarde. – e algumas risadas.

Não havia uma simpatia forçada ali, muito menos no curto diálogo que havia tido. Malía não via algo assim fora de sua casa, com frequência. Pessoas que não forçam personalidades ou abusam de algo que não está em questão. Ainda precisava encontrar duas aulas extras, e uma já havia sido cadastrada a sua ficha. Amava pintar, e tinha um certo talento para a especialidade. Restando então, uma única aula extra curricular. Que acabara de ser encontrada.

•••••••••••••••••••••••

Após encontrar o auditório, Malía foi informada pela mesma loira que havia lhe atendido mais cedo, que deveria dar uma pequena demonstração do que podia fazer. E entendia aquilo. Claramente não teria serventia alguém que não tivesse pelo menos talento na dança. O fato não lhe intimidou, apenas lhe fez constatar que estava mesmo indo no caminho certo. Pediu alguns minutos para se concentrar, já tinha algo em mente. Simples, acolhedor, e tranquilizante. Todas as outras garotas estavam acomodadas nos acentos do auditório. Nem todas juntas, uns grupos de três ou quatro a parte, outras no centro.

Subiu ao palco um pouco mais apreensiva do que quando estava prestes a sair de casa. Cantar em frente a tantas pessoas era algo que ainda precisava ser trabalhado. Por mais que soubesse que não mandava mal, tinha em mente uma timidez insensata que atacava sempre nesses momentos. Alcançou o piano no canto esquerdo, arrumando a saia antes de sentar. Levantou o escape que cobria as teclas, encontrando a exata sensação de plenitude libertadora. Contou mentalmente até dez e finalmente dedilhou as teclas.

Enquanto uma pequena intro era iniciada, sua voz fora mesclada ao som mirante e calmo do piano.

Oh oh, whooooah whooooah ah

Fechou os olhos, a postura extremamente reta, enquanto voltava a silenciar a voz. Tinha um tom grave um tanto que potente, o que não lhe impediria de se sair bem na canção.

Pictures in my pocket
Are faded from the washer
I can barely just make out your face
Food you saved for later
In my refrigerator
It's been too long since later never came.

Assim que no meio tempo que começara a cantar, os pensamentos confundiram-se com a letra da canção. Não havia um motivo especial para cantá-la, nem alguém que lhe fizesse lembrar algo. Estava fazendo a demonstração precisa, separando o pessoal do necessário.

I know
One day eventually
Yeah I know
One day I'll have to let it all go
But I keep it just in case
Yeah I keep it just in case

Os dedos não pareciam enferrujados ou algo do gênero, apesar dos vários anos em que não tocava um piano. Ainda de olhos fechados, deixou a mente vagar. A voz suavizando ainda mais ao pronunciar o "I know", e em cada final reverberado no canto.

In case you don't find what you're looking for
In case you're missing what you had before
In case you change your mind, I'll be waiting here
In case you just want to come home.

Malía abriu os olhos com lentidão, as íris claras fitando a calda do piano, em sua parte superior, enquanto aumentava um tom da voz, chegando ao refrão. A ruiva quase não se movia, e neste momento, achou-se quase que robótica. Não deveria ser tão impessoal, também. Normalidade era tudo o que precisava demonstrar. Sem nervosismo, apenas controle vocal.

Strong enough to leave you
But weak enough to need you
Cared enough to let you walk away
I took that dirty jacket
From the trash right where you left it
Cuz I couldnt stand to see it go to waste...

Deu uma parada de três exatos segundos, apenas para dar um bônus de intro a canção. Voltou do ponto em que havia parado, calma, os ombros ganhando um pouco de movimento, retalhando-o pela coluna ereta. Ao cantar o "strong enough to leave you", não deixou de se lembrar dos pais, do dia que teria que deixá-los e seguir sua própria vida. Prosseguindo com o "But weak enough to need you", quase abriu um sorriso pequeno, tinha em mente que não importa o dia ou hora, era fraca demais para deixá-los ir para sempre. A cada parte seguida, adquiria uma paixão nova, obsoleta pelo que cantava.

I know, one day eventually...
Yeah I know.
One day I'll have to let it all go
But I keep it just in case
Yeah I keep it just in case...

Mais não havia jeito. Um dia, deveria mesmo ter que deixá-los partir. Sabia que ninguém viveria eternamente, e desde cedo aprendia a lhe dar com a partida de entes queridos, e suas passagens para algo muito maior e melhor do quê viviam entre os demais mundanos. A ruiva sentira uma pequena pontada desencandear uma vontade nata de seguir cantando pelo resto de sua vida. Era apenas um caso do momento?

In case you don't find what you're looking for. In case you're missing what you had before.
In case you change your mind, I'll be waiting here
In case you just want to come home...

Aumentou mais uma escala vocal, voltando a fechar os olhos. Os dedos proporcionando uma força mais precisa às teclas do piano, causando uma melodia mais intensa, acompanhando o que cantava.

In case you're looking in that mirror one day and miss my arms
How they wrapped around your waist
I say that you can love me again
Even if it isn't the case

Sua expressão facial se contorcera um pouco, formando uma conciliação de ansiedade e destreza, que foram contornadas por uma simples feição de uma garota adotando mais um tom de voz, enquanto executava uma canção quase que a plenos pulmões. Cantava com destemor cada parte, sabendo a força que a versão original exercia. Entendia que para interpretar algo de Demi Lovato, não poderia desmerecer tal coisa.

Oh oh... You don't find what you're looking for.
Oh oh, you're missing my love!

Agora sim havia aumentado consideravelmente seu tom de voz, sem forçá-lo a uma nota que não alcançaria. A gravidade de sua voz havia desaparecido por breves segundos, dando lugar a um puxado agudo em "my love!"

You dont find what you're looking for
In case you're missing what you had before
In case you change your mind, I'll be waiting
In case you just want to come home...
[

Continuou, os dedos voltando a dar intensidade nos movimentos executados nas teclas, enquanto findava a canção. Em sua mente, estava indo bem. Sabia que teria bastante coisas a melhorar, e nada faria para impor tais mudanças. Manteve o tom alto, baixando-o gradativamente. Ao completar o "in case you just want to come home", executou um falsete como se fosse profissional no que fazia. Silenciou a voz, deixando apenas a melodia do piano dominar o ambiente.

Ooooh oh.... In case...

Finalizou, deixando de tocar, a voz sendo o único som no auditório. Levou alguns segundos para se recompor e lembrar que havia terminado, então se levantou devagar, não havia pressa para nada. Não ousou olhar para ninguém, apenas procurou um lugar para se sentar, tomando consciência de que a loira havia levantado, pronta para fazer seu julgamento sobre a demonstração que havia dado.


"money, power and glory. sisters breast of madness".
Convidado
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {FP} Malía Bringbörn

Mensagem por Isabelle Leotta em Sex 30 Jan 2015 - 22:18



Aprovado!
Cara, se você ta entrando aqui provavelmente é viado ou gosta de botar as aranhas pra brigar, mas não se preocupe, essa é nossa especialidade. Caso seja um hétero boa sorte pra continuar assim nos próximos meses. Enfim, boa sorte no LUTW, prometo que é um lugar mágico de unicórnios e arco-íris e que você vai gostar e entrar na macumba que não deixa os membros sairem.------------------------------
Oi pai com conta gostosa, não vale nem a pena ler as suas fichas porque eu já sei que você posta bem pra cacete, mas eu li mesmo assim e ta foda como sempre, isso é só uma mera formalidade, mas eu quero receber meus cigarros e minha coca-cola por isso ok? Ah e quero fazer uma conta com a Rita só pra ter gifs com a sua conta :awn:


Se divirta, tente não ficar louco nem virar um falsa coral e se quiser qualquer coisa pode falar comigo! rsrs


Bem vinda ao puteiro!








____________________


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum