MUDDER LOUIS, mark

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

MUDDER LOUIS, mark

Mensagem por Michael C. Mudder em Seg 25 Maio 2015 - 13:11


MARK

─ Nome Completo:
Mark Louis Mudder

─ Idade:
45 anos

─ Escola:
--x--

─ Grupo:
Adults

Personalidade:

Mark é um homem sério, personalidade rígida, mas não é tão frio. Tem momentos de descontração com seus sorriso misteriosos, um viúvo bem fisicamente só que um pouco ferido espiritualmente.Tem um gênio forte, quando ele sabe que está certo ele tem que ser o certo e pronto. De vez em quando é um esnobe de primeira, sabe ser sedutor como ninguém, porém só para mostrar que não está totalmente morto. Com relação ao filho sempre tenta dar os melhores ensinamentos e sabendo que ele não lhe trará problemas. Tem um ar misterioso em seu ser, seus olhos escondem momentos nos quais podem deixar muitos de boca aberta, sua vida é contada em partes, pois se fosse dizer detalhadamente seria um livro de surpresas uma atrás da outra, não gosta de mencionar sobre o fato da perda de sua esposa. É um companheiro fiel de seu filho agora.  

História:

Filho de um grande professor de física chamado Ariel Amundsem Mudder, Mark não poderia ter tido uma infância diferente. Na escola o pequeno moreno de olhos azuis se destacava nas notas e no comportamento. Era um pequeno gênio, gostava de responder a todas as perguntas imediatamente, fazia todos os seus trabalhos de casa com esforço e ainda lhe restava tempo para ajudar a mãe nas atividades domésticas. Viviam em uma pequena chácara no interior cultivando plantas e criando animais, podia-se dizer, naquela época, que eram jovens ricos e felizes veteranos. O pai de Mark sonhava em um dia ter o filho como um sucessor e poder encontrar seu nome nas enciclopédias do século.

O sonho de seu pai começou a ruir logo quando Mark conseguiu entrar na Winterfield Academy. Não que ele não continuasse bom mas seus interesses pareciam não estar mais ligados ao mundo acadêmico. O garoto só pensava em festas, bebidas e garotas. Queria sair o tempo todo com seus novos amigos e evitava ao máximo os livros e a faculdade. A única coisa que parecia fazer de verdade era jogar futebol no time do campus e foi assim que entrou para seu primeiro clube, o AZ Alkmaar e largou de vez seus estudos de física para dedicar-se aos treinos. Seu pai, a esta altura, estava completamente insano. Não era fácil um jovem ser reconhecido em um esporte tão famoso, ele sabia que só os melhores entravam em algo do gênero mas mesmo assim não conseguia se orgulhar do filho. Para Blake, Mark era apenas mais um ser humano comum que não enxergava a verdadeira razão do universo e preferia ficar correndo atrás de uma bola com vários outros trogloditas do sexo masculino.

Foi então que o velho encontrou uma anestesia para sua decepção, a bebida. Em pouco tempo o pai de Mark bebia tanto que seu fígado acabou contraindo uma cirrose e ele terminou indo a óbito. Em seu funeral, com apenas 21 anos, o jovem jurou que mostraria uma nova perspectiva daquele esporte, faria seu pai se orgulhar daquilo que ele fazia e gostava de fazer.

Após dois anos jogando no Alkmaar, Mark ganhava destaque e renome com suas jogadas extravagantes e ousadas. Parecia conquistar o público cada vez mais e conquistar mais fãs não só com suas jogadas mas também com sua história de vida, fazendo-os escolherem o que realmente tinham vontade de fazer e não apenas seguirem a vontade de seus pais. E então, com toda essa fama ele acabou indo parar na seleção americana.

Aquele era o ápice de sua carreira, já milionário e com bons recursos ele se sentia realizado. Representar seu país através de um dos elementos mais nacionalista como a seleção era algo que ele sonhara desde o início de sua carreira como jogador. E as coisas melhoraram cada vez mais, principalmente, em um jogo contra a seleção italiana em que o próprio presidente estava presente para vê-los jogar. Não era um jogo oficial de super ball do mundo mas Mark sentia-se instigado a tentar impressionar o presidente e mostrar ao seu país o motivo de estar jogando em um posto tão importante como capitão do time. Nem tudo na vida são rosas e o resultado não foi muito agradável, terminando em 93x94.

Porém, é preciso saber enxergar através da derrota. Naquele mesmo dia, com seus 23 anos, Mark teve um encontro com o presidente e com sua consultora, Elizabeth. No primeiro contato e olhar, o jovem jogador viu-se apaixonado por aquela mulher. Não era uma mulher qualquer que encontrava-se nas ruas, era simplesmente a mulher que ele sonhara a vida inteira. Não perdendo tempo, após o encontro com o presidente ele a seguiu e abordou-a tentando não parecer um tanto... Assustador. A princípio ela não deu bola para ele e fugiu, mas, após seis longos meses de insistência, ela topou e finalmente os dois saíram para jantar.

Ao contrário do que Elizabeth pensava, Mark era bem intelectual e os dois não demoraram a se dar bem. Pouco mais de dois meses depois assumiram o namoro e tornaram-se um dos casais queridinhos da Florida, referência para muitas pessoas e para muitos outros casais. Com vinte e dois anos, Mark pediu Elizabeth em casamento e seis meses após o casamente ter sido realizado ele recebera a noticia de que seria pai. Foi uma grande festa entre os jogadores da seleção, todos queriam ser padrinhos ou pelo menos fazer parte daquela história, afinal, com tanto tempo juntos era impossível não criar um laço de afeto que poderia ser considerado de irmãos.

Mark não pôde assistir muito ao crescimento de seu filho devido aos grandes jogos que tivera com o Alkmaar e com os treinos da seleção, mas, sabia que o filho era um pequeno gênio e prosperaria sempre em busca do melhor. No auge da sua vida em família um acidente aconteceu e sua esposa acabara deixando Mark e Adryan a sós no mundo. Depois daquele dia Mark teve que aprender a ser maleável quanto ao filho, o apoiaria em tudo que ele fosse fazer e não deixaria ficar a deriva da vida, como fez quando se deu mais aos jogos que estava tendo, ali sua carreira se encerrou. Quando o famoso bilionário completou quarenta e três anos, foi convidado para ser técnico da seleção Americana. Ao que muitos anos antes ele pensara que era o ápice tornou-se algo muito sem sentido, o posto que ele ocupara agora era o mais importante dentro da rede de futebol americana e ele sentia-se muito lisonjeado em representar o país daquela forma.

Não pudera aceitar o convite pelo fato de estar comprometido com o filho, agora ele se tornava diretor de uma academia de esportes em Orlando enquanto seu filho era professor de música na Winterfield, sua antiga instituição de estudo.
"Believe in your dreams , because they will become realities".

____________________

From my hands of the winter...the queen for the darkness not accepted..you loved.

Thank's Lyra' @CUPCAKEGRAPHICS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum