Harris, Tallulah

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Harris, Tallulah

Mensagem por Ana Júlia Drummond em Ter 16 Jun 2015 - 1:20


Tallulah

─ Nome Completo:
Tallulah Laura Harris.

─ Idade:
16 anos

─ Escola:
Winterfield Academy.

─ Grupo:
Sports

Personalidade:

Gênio forte e bastante determinada. A garota da cidade tal não gosta de ser vista como fraca e sensível. Sua aparência pode até mostrar algo angelical, mas seu interior não chega aos pés da forma física. Não se deixa enganar pelo seu jeito amistoso e simples.
Sempre subestimada, a menina quebra o tabu do sexo frágil sendo a Fullback do time de Futebol Americano. Tímida apenas nos primeiros cinco minutos, faladeira de primeira e posso aconselhar-lhes, não conte piadas ou trocadilhos, a menina age com o racional, irá pensar com a razão antes de entender que é apenas uma piada.
Seu sorriso sempre no rosto mostra assim como valoriza coisas simples da vida, seu astral pode ser sentido de longe, assim como se é possível ouvir suas gargalhadas altas.

História:


-Devo dizer isso como se fosse uma história de cinema, ou como se fosse meu diário?

   Perguntei me ajeitando no divã, tirava o sapato e me encostava de forma torta no encosto.

-Da forma que se sentir confortável.

  A mulher respondeu sorrindo de forma gentil, a olhei por uns instantes tentando entender o motivo do sorriso presunçoso.

-Tá... Sou filha da Dakota e do Andrew, tenho dois irmãos, Tyler e Liam. Minha mãe é arquiteta e meu pai advogado, Tyler é engenheiro seguindo os negócios da nossa mãe e o Liam faz direito mesmo, seguindo os negócio do nosso pai. Vou pra a Winterfield Academy ser FullBack do time de Futebol Americano e minhas notas são boas. Não sou nerd. Essa é a minha história, posso ir?

  Estava sendo estranho estar na psicóloga, parecia que eu tinha cometido algum delito, ou que sou desequilibrada. Não, não sou.
  A mulher apenas concordava com a cabeça me dando total atenção, sorri de forma envergonhada e me encolhi um pouco no divã.

-Temos ainda 58 minutos... Vou fazer o mesmo que você. Sou Vanessa Williams, filha de Walter e Patricia Williams. Não tenho irmão ou irmã e meus pais são professores. Sempre tive notas altas e agora sou psicóloga. Se sente mais a vontade?

   Neguei com a cabeça e ela largou a prancheta e a caneta na mesa ao seu lado, ela escorregou para o chão e encostou suas costas na poltona esticando assim as pernas.

-Eu fico confortável assim. Eu sei, é estranho contar sobre sua vida, sentimentos e vontades para uma estranha, mas tenta... Vamos começar por partes. Se quiser deitar no chão é só pegar a almofada.

   Vanessa, pais casados e filha solteira, deve ser bem legal. Pensei e sorri, ela estava se esforçando para ter sucesso. Peguei a xuxa de pano que sempre estava em meu pulso e prendi meu cabelo na tentativa de relaxar.

-Tudo bem... Por que estou aqui? Eu não fiz nada e não tenho trauma. Por que acham que eu mereço estar aqui?

   Ela pensou um pouco e deu os ombros de forma despreocupada.

-Sua mãe acha que você tem sentimentos reprimidos e que é importante colocar pra fora, disse que você tem bloqueios que precisam ser desbloqueados.

   Agora era fato, minha mãe estava ficando louca... Suspirei e concordei em continuar após Vanessa sinalizar com a cabeça se poderíamos prosseguir.

-Separação dos seus país.

-Humm.... As pessoas dificilmente ficam juntas, o que é lógico, já que nós não ficamos com antigos hábitos. Sempre mudamos, e mudar de pessoa é normal.

-Você tinha quantos anos?

-9...

-Como se sentiu?

-Não sei, não gosto de lembrar sobre isso. Aconteceu e ficar revivendo o assunto é ruim. Faz mal para corpo e alma, então parei de pensar. É uma proteção criada pelo cérebro. Fato científico.

-Como foi sua infância?

-Ah... Foi divertida, meus irmãos implicavam, minha mãe esteve sempre presente e fazia questão de ter a família junta em todos os momentos. Ela que unia todos nós à mesa ou na cozinha para conversar e cada um dizer um pouco sobre como foi o dia. Ela nos deixa saber de tudo, desde problemas no trabalho até a maneira como tenta arrumar um namorado... Só não gostei do critério usado para escolher meu nome, ela poderia ter conversado só com meu pai e decidido... Tallulah Laura? Sério? Pior que Tyler e o Liam me zoam... Mas isso é culpa deles! Em que mundo o Tyler iria sentir ciúme do meu nome começar com L de Liam?

   Ri e logo Vanessa riu também, sim era fora de lógica ter essa homenagem a inicial do nome dos meus irmãos.

-Você não falou do seu pai...

   Meu riso no mesmo instante sumiu, rolei os olhos e bufei baixo.

-Não tenho motivos e não quero falar dele.

-Por que?

-Por que ele não... Podemos falar de outra coisa?

                   
Primeira sessão cumprida.




-Então eu entrei para o time de futebol, ele gosta e com certeza iria aos meus jogos. Mas não, ele só foi em um, com uma tal namorada, ridícula ela. Ele só faz promessas e... Não sei o por que eu ainda acredito. Eu mando cartas para ele, por que  ele diz não se adaptar a tecnologia. Visitamos nossos parentes paternos mas ele mesmo... Dificilmente.
Com ele é sempre "Tive um dia cansativo, boa noite." ... O Liam trabalha junto com ele, mesma carga horária, mas só o nosso pai sente esse cansaço. E não é por causa da idade! Ele pratica esportes e corre.


  Já havia me tornado uma máquina de informações para Vanessa, falava rápido e gesticulava dando ênfase em cada coisa que dizia.

-Minha mãe, Liam e Tyler estão planejando uma viajem para a Inglaterra, todos estamos na expectativa de encontrar um amor de viajem sabe. Se bem que o Liam tem a Chlóe mas eles brigam horrores. Como ela pode ser tão ciumenta? E ela tenta me comprar me dando batom, claro que não faço as vontades dela e claro que não gosto dela,mas é sempre bom. Tenho coleção de batom! Posso até dar de presente em aniversários!! Ah, já falei que eles vão em todos os jogos? Eles mandaram fazer uma blusa e boné "#Harris 82!" e todos usam nos jogos. Minha mãe compra aqueles dedos, pinta de vermelho e faz o 82 de preto e ela é a única que fica berrando!

  Falo rindo me lembrando, Vanessa gargalhava e então olhou a hora.

-Você tem mais 4 minutos para me contar uma novidade.

-Tá... 4 minutos... Já falei da viajem, da Winterfield... Ah! A Erin vai se mudar e ser minha vizinha! A Erin e eu estudamos juntas até o 7 ano mas continuamos amigas. Ter ela por perto é incrível! Já foram 4 minutos?


FLASHBACK.


-Era o papai, mãe?

    Tallulah entrava correndo na cozinha, parou ao lado da mãe e tentava olhar para o celular e mexer nas chamadas, Dakota erguei o celular e sorrio guardando o aparelho no bolso.

-O que acha de irmos ao shopping? Tem uma loja de decoração nova e muito bonita!

    Dakota deu a ideia de forma animada, se esticou para pegar o pacote de cookie e abriu entregando um para Tallulah.

-Vamos depois? Meu pai disse que ia vir hoje e eu entrei no time de futebol. Ele vai ficar muito animado né?  Maispodeosinoxhopiotrodia.

    Tallulah disse de boa cheia e a mãe rio sem entender o que a menina disse, a gargalhada gostosa de sua mãe fez a menina rir também fazendo ambas levarem as mãos para a boca de Tallulah evitando que voassem farelos do cookie.

-Filha, era seu pai no telefone e ele tinha me dito que a vó Beth está com umas dores na costas e ele vai levar ela ao médico. E lá não entra criança... Por que não chama seus irmãos para irmos comer fora? A essa hora aquela pizzaria que vocês gostam já está aberta.

Dakota sempre foi a mãe protetora, sabia que não era certo mentir para sua filha, afinal, a verdade iria deixá-la triste e a mágoa poderia aumentar para algo pior. O preço do sorriso de seus filhos era o suficiente para encher seu coração de brilho.

x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x

    Era o verão em que Tallulah completaria 16 anos, sua festa com bastante core, animação, músicas e drinks era exemplo de algo jovem. A piscina com poucas boias estava com grupos de pessoas que riam e se divertiam sem deixar a menina parar. Tallulah praticamente corria de um lado para o outro querendo participar de tudo, batia cinco fotos por minuto mas seu desejo mesmo era que seu pai chegasse para cantar o parabéns.

-Ele não vem né mãe?

    Tallulah falou entrando na cozinha se certificando de que estava apenas sua mãe, Dakota sorrio mostrando o bolo de três andares para a filha.

-Tcharaaann!! Seu irmão que escolheu e disse que iria ter uma surpresa no meio do parabéns! Ah, olha ele aí!

    Tallulah que olhava o bolo virou de forma brusca vendo que adentrava a cozinha, Liam chegava com dois copos na mão entregando um para a irmã, a menina sorrio de forma gentil e pegou o copo dando um gole, o gosto do álcool era forte a fazendo tossir.

-Se engasgou?

    Liam perguntou assustado e apenas com a troca de olhar entendeu que havia feito confusão com os copos, Tyler chegava com a bandeja de ovos de codorna.

-Salvei para mais tarde! Seus amigos são uns monstros quando o assunto é comida Talls!

    Tyler brincou pegando um ovo de codorna e pondo na boca, a menina sorrio e suspirou cruzando os braços.

-Ele não vem né. Vamos lá cantar o parabéns. E se ele ligar amanhã ou mais tarde diz que estou esperando chover neon.

    Ao iniciar a caminhada para sair da cozinha Tyler a segurou pelo braço a puxando para um abraço, Liam e Dakota se aproximaram e a abraçaram também. Dakota deu-lhe um beijo no topo da cabeça da filha e disse ainda abraçada com os filhos.

-Ontem no biscoitinho da sorte me veio os dizeres: "Se você quer o arco-íris, você tem de colocar-se contra a chuva." e... Eu amo vocês muito, vocês são raios de Sol e juntos são o meu Sol. Sou a Terra e seu pai a Lua, é bonito tê-lo por perto, mas nem sempre será possível tê-lo em vista.
    O abraço então se afrouxou e Dakota olhava os filhos de forma amorosa, o silêncio durou poucos até a própria Tallulah quebrá-lo.

-Aposto que foi o Tyler que escolheu o bolo, o Liam escolheu o sabor e a Dona Dakota lembrou que odeio chantilly... Acertei?

    Disse Tallulah saindo da cozinha rindo chamando seus convidados para o parabéns, bolo verdadeiro na mesa e o parabéns se iniciou, animado e alto com toda a algazarra que existe nesse mundo.
Ao apagar a velha, Tyler e Liam juntos afundaram a cabeça na irmã no bolo sem dó em desmanchá-lo, Dakota gargalhava enquanto tentava salvar sua filha que tentava bater nos irmãos que por segundos a manteve melecando seu rosto.
Ao erguer a cabeça a risada foi geral, enquanto a loura tentava se limpar.

-DISCURSO! DISCURSO! DISCURSO!!

    A galera gritava enquanto Tallulah com a ajuda de uma toalha de rosto de limpava, ela riu e pensou um pouco.

-Quero agradecer a todos vocês que vieram, quero agradecer a minha mãe e aos meu irmãos. Principalmente a eles por que agora vocês vão ficar sem bolo! E quero dizer que hoje é um dos dias mais felizes da minha vida! Ah... E queria corrigir a minha mãe, que disse na cozinha que o meu pai era a Lua, ela era a Terra e eu e meus irmãos éramos os raios de Sol... Mãe, você errou. Você é Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Netuno e Urano. Meu pai, ou melhor, nosso pai é Plutão. Um dia fez parte do nosso sistema, e agora fica só na lembrança. Amo muito muito você Dona Dakota, e obrigada por tudo o que fez e o que faz. E para os meninos não ficarem com ciúmes, também amo vocês, seus exploradores de irmã mais nova!


    Seus dizeres não poderiam ser mais sinceros, sua festa não poderia ser mais animada e com certeza a melhor para todos os que participaram. Seu pai? Bom, quem luta para a volta do Plutão ao sistema solar?

"Se você quer o arco-íris, você tem de colocar-se contra a chuva".
[/color][/color]

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum