Sala do New Directions

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Sala do New Directions

Mensagem por Stalker em Qui 30 Maio 2013 - 15:48

Relembrando a primeira mensagem :



New Directions



É uma sala quadrada com vários instrumentos musicais e cadeiras vermelhas onde ficam os membros do Clube, uma lousa branca onde ficam as listas com as tarefas da semana.E um prateleira com os troféus que o Clube já ganhou.

____________________



The your ghost, the ur image. I'm the stalker!

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Sala do New Directions

Mensagem por Marley Rose em Sex 12 Jul 2013 - 17:24










Glee Club work
Wings

Taste your wings,my little butterfly


Desde do dia da minha audição,as semanas se passaram bem rápido e bem agitadas.O nosso grupo,que antes só tinha umas 5 pessoas,agora estamos em 8,graças á entrada do quarterback mais popular do colégio,o Finn e de duas Cheerios : a Quinn Fabray,que era a capitã das Cheerios e Kitty Wilde,a louca que parece que vive para me infernizar e jogar raspadinhas em mim.Mas de algum jeito,os populares me pareciam ser legais e deu pra fazer amizade tranquilo com eles.Mas agora,meus amigos aqui eram o Kurt,o Artie e a Mercedes,com sua atitude divertida de diva.

O Sr.Schue havia proposto uma atividade em grupo, estabelecendo pequenos vínculos entre 3 ou 4 pessoas em cada um. Denominou os nomes, separando ele mesmo, quem devia fazer parte de quê. O primeiro grupo a ser estabelecido, havia sido o grupo alfa, composto por Dianna Overwhelming, Mary McCain, eu e Artie Abrams. A primeira coisa a se pensar, era a proximidade, que nenhum deles, possuía. Dianna era cheerio, o que já de cara não agradava alguns membros dali. Mary era novata, e ainda não tinha estabelecido amizade com ninguém. Como eu era a mais tímida do grupo e ainda não os conhecia direito,ficava mais na minha. Artie era cadeirante, e o único homem do grupo, mais era simpático e estava animado com a tarefa, o que motivou as outras meninas. Encontraram-se por 4 dias seguidos da semana, deixando a apresentação para o dia da sexta. Como era uma apresentação em grupo, e deveria ter desde o figurino , até a coreografia, todos estavam se esforçando para darem o seu melhor. E disso, outras coisas vieram, como a descoberta de que Dianna não era tão má quanto pensavam, e que manjava bem quando o assunto era dança, Mary estava soltando-se cada vez mais, demonstrando ser uma cantora de alta potência. Eu também estava mais solta,pois estava dando até palpites para alguns momentos da coreografia. Artie, mantinha-se sempre animado, por mais que fosse difícil para ele e para as meninas, entrosarem uma coreografia para o garoto. Mas, apesar dos fatores que dificultavam, ele mostrava ser confiante e se saia perfeitamente bem na dança, mostrando que não pessoas como ele, também podem dançar. Quando Mary terminou sua parte,ela deu o sinal,pedindo para eu continuar com a performance.

Talk, talk turns into air
And I don't even care, oh yeah


Eu levantava as mãos, deixando-as na altura da cabeça, as palmas viradas para frente da sala. Mova-se no ritmo da música, deixando a parte posterior parada, enquanto mexe somente o quadril. Eu fazia uma expressão de desinteresse, fitando alguém na sala, em que eu pude estar envolvida, e as coisas não vão bem. Ou, apenas olhe para alguém que não seja do grupo da mesma forma citada. Na parte do “into air” eu puxei um gritinho “arranhado” no “air” enquanto dava um grande potencial para essa parte. Em seguida, vem a ponte, seguida do refrão novamente.


Your words don't mean a thing
I'm not listening
Keep talking, all I know is



Todos agora misturam-se entre si, esquecendo completamente que estavam em duplas. Após isso, param de volta na linha reta, mais sempre movendo o corpo no ritmo da música. Artie dançava com Dianna, que estava inclinada para ele, cantava a primeira linha, junto com todos do grupo, e Artie tinha os braços cruzados, balançando a cabeça negativamente, enquanto passavam para a parte do “I’m not listening” onde você está virada para Mary cantando, e ela coloca uma das mãos atrás da orelha, enquanto dançava no lugar.


Mamma told me not to waste my life
She said spread your wings my little butterfly
Don't let what they say keep you up at night
And they can't detain you
Cos wings are made to fly
And we don't let nobody bring us down
No matter what you say it wont hurt me
Don't matter if I fall from the sky
These wings are made to fly



Agora, é a parte da coreografia em que mais exigiu de todos do grupo. Todos nós voltamosa nos misturar entre si , onde Dianna está ao meio, eu, do lado esquerdo, Artie ao lado direito e Mary ao lado de Artie. Primeiro, cada um coloca um pé de cada vez, aos lados do corpo. Depois, dão dois pulinhos para o lado esquerdo, e repetem a parte de colocar um pé para cada lado, desta vez, os braços acompanhando, jogando os cotovelos para o mesmo lado em que os pés iam. (Artie movendo apenas os braços, acompanhando a coreografia tão animado quando as meninas) O rosto também em acompanhamento. Todas (exceto Artie), dobramos os joelhos, e colocam o braço esquerdo também dobrado em frente a altura do peito, enquanto o direito, está repousado totalmente reto e com as mãos para baixo, junto ao corpo. Serpenteando a cintura para frente e para trás, sobem as pernas até estarem na posição normal, de volta. Repetimos mais uma vez, a primeira parte com os pés, mais agora, jogando-os para cada lado por vez, dando um pulinho a cada momento em que jogavam os pés para o lado da vez, os braços acompanhando. Todos nós,até o Artie, inclinam a parte posterior do corpo pra frente, batendo palmas na altura das pernas, mais ou menos no meio das coxas, enquanto movem os ombros para os lados. Enquanto isso, todos nós cantamos e sorriamos de forma divertida e animada. Nesta parte da coreografia, foquei um pouco mais em Artie,que apesar de cadeirante, ele está bastante animado e fazendo tudo conforme o ensaiado. Na parte em que todos cantam o “And they can't detain you. Cos wings are made to fly” ,Todos nós esticamos a perna direita para o lado direito, e descemos o corpo, voltando rapidamente em seguida, deixando a perna novamente um pouco esticada para o lado direito, enquanto o braço direito era serpenteado no ar, imitando o movimento ondulatório, onde insinuavamos o movimento de uma borboleta voando. Agora, voltamos para a posição inicial, mais um pouco diferente, onde eu estava  na ponta esquerda, seguida por Dianna, Mary e Artie. Eu  e Artie dançamos virados para o lado em que estavam, apontando para alguns colegas de forma rápida, como se estivessem dançando pra eles. Enquanto isso,  Mary girava o corpo, rebolando no mesmo  lugar em que estava, com uma mão na cintura, requebrando o quadril, enquanto Dianna estava com os joelhos um pouco dobrados, balançando-se para os lados, batendo palmas, enquanto Mary girava.


Tags

Com: Dianna,Mary,Artie,pessoal do ND e Sr.SchueVestindo: Shortinho curto escuro, com uma blusa de alça azul um pouco escura e com alguns detalhes. Um cap de rapper, e all stars de cano médio na cor escura.  Uma blusa larga, caída em um ombro só. Calça legging branca combinando com a  blusa. Salto alto de preferência.  Blusa estampada com duas cores, short’s jeans curto na cor azul água e botas sem salto na cor preta ou um tom escuro.  Ouvindo: ??? Notes: ???

Thanks Pabs @ Wonderland Editions

____________________


All Or Nothing
There's nothing you can say to blow my dreams away

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Convidado em Sex 12 Jul 2013 - 20:47


She Dremed of Paradise



Movimentamo-nos rapidamente trocando de lugar, onde Dianna ficava na ponta esquerda, seguida de Marley, Artie e eu. Apesar de trocar de lugar rapidamente não deixávamos de movimentar o corpo de forma divertida, usando bastante os ombros, braços e quadris. Eu me movimentava como se tivesse em um festival de musicas bem dançante, onde todos nós cantávamos juntos e chamávamos atenção de uma multidão.

I don't need no one saying, hey, hey, hey, hey
I don't hear no one saying hey, hey, hey, hey, hey, hey, hey, hey
You better keep on walking
I don't wanna hear your talking boy'd
You better keep on walking
I don't wanna hear your talking boy'd

Todos curvam levemente os joelhos, menos Artie que só faz movimento com os ombros, subimos e descemos a parte interna da barriga, estufando o peito e jogando os ombros ombros de forma divertida a cada “hey, hey, hey, hey.” Em “I don’t hear no one saying” voltamos para a frente nos movimentamos dando pulinhos enquanto Artie movia sua cadeira para os lados. A essa hora meu cabelo já estava um pouco mais bagunçado que inicialmente, mas ainda era bem divertido. Artie se movimentada entre nós de forma animada e rápida, era incrível sua habilidade e sua foca de vontade de participar de uma musica bastante, feminina, assim podemos dizer. Ele vai até a frente, ficando em frente de mim e das garotas do meu grupo na parte do “hey, hey, hey, hey, hey” onde as garotas jogam seus braços e pernas uma de cada vez pra frente de forma descontraída e proposital. Em seguida no resto do trecho cantado por nós cada um passa um a frente do outro, na minha vez coloco a mão as mãos no cabelo e mexo nele lhe jogando para o lado, em seguida pisco para Dianna, sem deixar de cantar me viro para o coral ainda dançando, mexendo bem os pés dançando e deixando os ombros bem soltos, até que as outras meninas passavam pela minha frente uma pela frente da outra como se fosse uma leve e divertida brincadeira.


By: Mariana S.




Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Artie Abrams em Sab 13 Jul 2013 - 9:25

Cause wings are made to fly
O garoto havia se esforçado para acompanhar suas companheiras de grupo durante toda a música e finalmente havia chegado a parte da "ponte" da música. Todos os integrantes do grupo formaram uma linha reta e as luzes voltaram a ficar baixas como no ínicio, mas o que era mais marcante era a batida forte e alta que fazia o coração de Artie bater forte e ele fechar os punhos com ansiedade. Os quatro refletores se acenderam acima das cabeças de cada integrante começando pelo único garoto do grupo depois em Marley, Dianna e Mary antes que todos cantassem juntos aquela próxima parte. - Your words don't mean a thing... - A voz de Mary não deixava de surpreender o garoto com sua potência e naqueles versos ela se destacava com agudos fortes, altos e longos e Artie lhe acompanhou com "yeah" para dar um certo efeito a canção. - I'm not listening, they're just like water off my wings. - Na parte "I'm not listening" todos do grupo colocaram uma das mãos próxima a orelha. O garoto novamente cantou um "yeah" no final do agudo da Mary para colocar o efeito que a canção precisava.
- Mamma told me not to waste my life, she said spread your wings my little butterfly - Todos os integrantes se adiantaram um pouco para a frente e começaram a bater três palmas no ritmo da música, Marley empurrou a cadeira do rapaz enquanto ele batia palmas e movia-se para o lado balançando o corpos. Na parte do “She saids: spread your wings, my little butterfly” com a ajuda de membros do coral, alguns banquinhos foram postos atrás de cada menina enquanto o rapaz simplesmente cruzou os braços e balançou os ombros. Mary fez uma oscilação nas palavras "my little butterfly" entre altas notas e mais baixas - Don't let what they say keep you up at night, and they can't detain you. - Mary puxou um agudo forte na parte do "you" e Artie lhe acompanhou com um agudo não tão forte quanto o da garota. - Cos wings are made to fly and we don't let nobody bring us down, no matter what you say it won't hurt me... - As garotas pegaram os bancos, levantaram, e depois o colocaram de volta no chão, com força, fazendo um barulho alto, no mesmo momento em que uma batida da música era alta, subindo com um dos pés nele, impulsionando o corpo para frente, pulando e caindo com as duas pernas de forma firme no chão, uma distância de alguns palmos entre os pés e o único rapaz do grupo como não podia fazer isso ele simplesmente estralou os dedos alternando entre as mãos e balançando os ombros enquanto cantava. - Don't matter if I fall from the sky, these wings are made to fly! - Todos deram um soco no espaço vazio a frente do rosto, dando um giro no mesmo lugar que Artie depois de tanto tempo com a cadeira de rodas conseguiu acompanhar antes de todos pararem diante dos membros dos corais novamente, com os braços abertos, como se chamassem para uma briga. As garotas em seguida jogaram os pés para os lados contrários do certo e Artie fazia o mesmo com os ombros e braços, girando o corpo, e de costas, ergueram os braços, na batida forte, batendo palmas somente uma vez, deixando-a ainda mais alta.

____________________

Artie Abrams
^.^

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Sab 13 Jul 2013 - 19:40


There is nothing more exciting than the adventure of living!
THE WORD IS MY DOMINION OVER THE WORLD





É a última parte da música. As meninas chutaram os banquinhos, enquanto Artie pegou perto do piano, um instrumento da banda marcial da escola, em que o som era semelhante ao de alguém batendo muito forte em uma lata, igual ao da música, deixando-a ainda mais alta e forte, mais em um tom em que não incomodasse ninguém. Após as meninas chutarem o banco e Artie começar a bater, todas as meninas começaram a insinuar que estavam marchando no mesmo lugar, dobrando os braços em frente ao peito, um de cada vez, ao ritmo da música, virando-se levemente para os lados, como no vídeo original. Dianna olhou para o lado, bem no momento em que Mary lhe piscou o olho, logo abrindo um sorriso. "Ela devolveu." Pensou em falar com ela mais tarde, mas não sabia o que ia falar. Resolveu deixar isso pra depois, procurando se concentrar apenas na coreografia.

And we don't let nobody bring us down
No matter what you say it won't hurt me
Don't matter if I fall from the sky
These wings are made to fly

Nos últimos versos, cada um fez algum movimento diferenciado. Artie solta o instrumento em que havia pego, e se aproximou das garotas, as quais ficaram atrás dele, retomando a linha côncava. Apontando para os colegas e ainda movendo-se levemente para os lados, chegavam as últimas linhas da música. Os sorrisos largos, todos contentes por tudo ter dado certo no decorrer da apresentação. Novamente estavam formando agora, a linha reta na frente. Formada por Artie, Marley, Dianna e Mary. Abraçaram-se na última linha, finalizando a canção. Depois, cada membro do grupo se abraçou, Artie e Marley sorridentes e felizes, não pestanejaram em se cumprimentar ao término da música. Já Mary e Dianna, apesar de um pouco mais próximas pelo decorrer da semana, Mary permanecia tímida. Então, a morena maior passou um dos braços por volta dos ombros dela, depositando um beijo rápido em sua têmpora. Passou o outro braço ao redor dos ombros de Marley, aproximando a outra morena alta de olhos azuis, que trouxe junto consigo, Artie. Abraçados, os quatros agradeceram aos colegas, e cada um voltou ao seu lugar.


____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Convidado em Seg 15 Jul 2013 - 18:55

xx
Mercedes Aretha Jones
somos como uma musica desafinada, cheia de erros lindos!

Respirei fundo me preparando para a apresentação do meu grupo. A primeira apresentação, no dia anterior, havia sido a do grupo Alfa, formado pelas "novatas" Dianna, Mary e Marley, e pelo Artie, um de meus melhores amigos héteros. Eles tinham ido muito bem. A apresentação deles estava animada e foi até divertida. Só tive que lamentar o fato da voz do Artie combinar mais com a minha, do quê com a de qualquer outra pessoa no mundo, Mr. Schue já deveria ter notado isso há muito tempo, mas acredito que ele só tenha ouvidos para a Berry e suas exigências loucas, enfim, isso não importava agora. Tinha que me focar apenas em mim e no meu grupo.

Alisei meu figurino roxo e sorri, vendo que as roupas que eu fiz, juntamente com o Kurt, tinham ficado bem costuradas, cheia de babados e paetês. Com o acabamento quase profissional. Afinal passamos praticamente todas as noites da semana nos dedicando a elas, não esperava nada menos que perfeito - (Clique aqui!) - Falando no Kurt, me surpreendi comigo mesma, com o fato de ter aceitado a sexualidade dele em tão pouco tempo. Não que eu fosse do tipo preconceituosa, mas eu o amava mais do que uma "melhor amiga" deveria amar. Doeu saber que nunca seria correspondida. Pelo menos o fato dele ter dormido em minha casa durante quase toda semana, enquanto fazíamos o figurino, nos aproximou mais, me ajudando a aceitá-lo melhor e a entender que, mesmo que nunca me amasse como uma mulher, me amaria como amiga, e creio que esse sentimento seria mutuo para sempre. Pelo menos se depender de mim. Olhei para o lado checando os figurinos de meus colegas. Quinn usava sua roupa pink marcante, Tina um rosa bebê e Kurt estava lindo em um figurino azul clarinho, que combinava muito com a pele dele e o deixava tão lindo e... e... sexy... Ok, Miss Jones, pode ir parando com isso. O cara é gay, se conforme... Enfim. Complementando o visual meus companheiros usavam perucas black power, enquanto eu usava meu cabelo com seu afro natural.    

A arrumação da Sala do coral ficou por conta de Tina e Quinn. Eu até me ofereceria para ter ficado com a loira, poupando a timidez da Tina, se não precisasse daquele tempo com o Kurt. Sem contar que esse desafio ajudaria à asiática a ter mais atitude. E não tinha como negar que as duas funcionavam bem juntas. A ideia original era trazer a alma dos palcos antigos para a sala do clube do coral. Só posso dizer que elas não deixaram a desejar. A estrutura de dois degraus que era usada como suporte para as cadeiras, durante as aulas, foi colocada no fundo da sala. Aonde normalmente ficava a banda, pois era ali que nós nos apresentaríamos hoje, então a usaríamos como palco. Na frente do "palco", haviam duas finas colunas de metal, localizadas, uma em cada extremidade do nosso "palco", sustentando um tecido rosa choque, que seria usado como cortina. Os dois degraus da nossa estrutura estavam forrados com tapetes, sendo o superior laranja e o inferior azul. As cadeiras habitualmente usadas nas aulas, foram trocadas por cadeiras semelhantes ao de um auditório, sem a tal estrutura, elas estavam organizadas em linha reta, rente ao chão.

Em um lado da sala, repousados no chão, se encontravam três canhões de luz giratórios, nas cores: azul, vermelho e amarelo, voltados na direção do "palco". Do outro lado da sala, estavam os músicos, também vestido a caráter com roupas que pegamos emprestados do teatro do colégio, assim como, todos os outros equipamentos que usamos. Com exceção dos nossos quatro figurinos que foram confeccionados por mim e pelo Kurt e bancados pela minha mãe. Seus instrumentos também não eram os convencionais, sendo que alguns deles pertenciam ao grupo de Jazz da escola.

No fundo no nosso "palco" havia um painel, que simulava o fundo de um desses programas ao vivo de auditório, que estavam na moda na época que o Jackson Five atingiu o seu auge. Olhei para o lado e fiz um sinal para banda à lateral da sala. Apenas ela podia nos ver no momento, pois as costinas provisórias ainda estavam fechadas e as luzes coloridas apagadas, enquanto a iluminação geral da sala era média... Assim que viram o meu sinal os músicos começaram a tocar a introdução da musica, enquanto outro garoto da banda puxava uma cordinha que fez as cortinas se abrirem de uma vez.

Eu e Tina estávamos no degrau de cima, mais próximas ao centro, já Kurt e Quinn se encontravam no degrau de baixo, mais próximos as laterais. Todos estavam de costas para o publico, segurando um microfone sem fio, cada, com a mão direita, caída ao lado do corpo. Já a esquerda estava repousada "casualmente" em nossas cinturas. Assim que a primeira passagem musical acabou, um a um nos viramos para frente, girando os calcanhares na batida da musica, Tina e eu descemos para o degrau de baixo enquanto Quinn e Kurt pulavam pro de cima. Sorri de lado para o publico e me coloquei a cantar:

Uh-huh huh huh huh
Let me tell ya now
Uh-huh

Logo de cara, minha voz soou alta, rouca e afinada ecoando pela sala do coral, enquanto fazia uma vocalização que dava inicio a musica. Dei um passo para frente, saindo da estrutura. Enquanto Kurt, Tina e Quinn pegavam três pedestais, que estavam oculto numa parte escura do fundo da sala, e se colocavam a no degrau de baixo, alinhados à minha esquerda. Fitei Artie ao cantar "Let me tell ya now", picando rapidamente para o garoto. Girei em torno de mim mesma, sem sair do lugar, e fiz outra vocalização, dessa vez mais breve que a anterior, mas ainda assim potente. Ouvir meus colegas de grupo começarem a fazer harmonia de fundo e passei a cantar a primeira estrofe.

When I had you to myself
I didn't want you around
Those pretty faces always made you stand out in a crowd

Assim que comecei a musica, fitei Mr. Schue como se tivesse cantando para ele, com uma expressão que dizia "te quero de volta", claro que, apenas, interpretando a musica. No final do primeiro verso coloquei as mãos no colo, como quem indica que é dona de algo, mas ao longo do segundo verso à afastei e a balancei no ar como se desdenhasse esse meu "bem". Segurei o microfone mais próximo a boca e passei minha mão livre no ar, frente ao meu rosto, como se minha visão estivesse embaçada, e eu não conseguisse ver alguém que se escondia no meio da multidão. Alonguei um pouco a nota ao cantar "crowd" e seguir com a musica.

But someone picked you from the bunch
when glance was all it took
Now it's much too late for me to take a second look

No começo da estrofe franzi a testa como se não estivesse acreditando em algo que acontecia em minha frente, e caminhei para o centro da sala... No fundo Kurt, Quinn e Tina, seguraram seus pedestais com a mão e os levaram, caminhando no ritmo da musica, pro centro do segundo degrau. Kurt que estava no meio das meninas, permaneceu no degrau de baixo, enquanto as garotas iam pro de cima e ficavam trocando de lugar, vez ou outra. Ao começar o segundo verso aumentei ainda mais o tom da minha voz e movi meu corpo de um lado pro outro, batendo o pé e estralado os dedos da mão livre, no ritmo da batida da musica. No final da estrofe nossas vozes se misturaram, e cantamos em uníssono.

Oh baby give me one more chance (show you that I love you)
Won't you please let me (back to your heart)
Oh darlin' I was blind to let you go (let you go baby)
But now since I see you in his arms (I want you back)

Passei a cantar com um pouco mais de desespero em minha voz, como se implorasse algo e juntei as mãos sobre o microfone, como em uma prece. Cantei "Won't you please let me" pausadamente, como se quisesse fazer a pessoa entender o que eu dizia, deixando meu tom de voz mais rouco e alto a cada palavra. Kurt, Quinn e Tina, desceram da estrutura, deixando os pedestais na mesma, e vieram para o meu lado. Enquanto eles cantavam "back to your heart", fizemos um movimento sincronizado com as mãos e levamos até o peito, como se chamássemos alguém de volta pro nosso coração. No terceiro verso, voltei a cantar em um tom alto, menos rouco e um tanto agudo. Dei alguns passos para trás junto com as garotas, deixando Kurt sozinho no centro da sala e voltei a subir na estrutura me colocando no primeiro degrau, fixando meu microfone no pedestal que, momentos atrás, pertencia ao Kurt. Quinn e Tina se dirigiam para o degrau superior, pegando os próprios pedestais. Olhei com o canto de olho para o final da fileira e me dei conta da presença de um certo garoto, que quase me fez desafinar, mas conseguir me concentrar e terminar minha parte da musica no mesmo tom que havia começado. Kurt começou sua parte e eu me coloquei a fazer harmonia de fundo, junto com as meninas, em seu lugar, enquanto fitava Puck disfarçadamente. Não acreditava que ele tinha mesmo entrado para o coral como eu havia pedido. Sem duvida, havia ficado muito surpresa com isso e talvez ele tivesse só fazendo uma visita, mas acredito que ele não estaria ali para isso, definitivamente, dar alarmes falsos não fazia o gênero dele.

Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Kurt Hummel em Seg 15 Jul 2013 - 19:44

I WANT YOU BACK


I want you back) Yes I do now (I want you back) Ooh ooh baby (I want you back) Ya ya ya ya (I want you back) Na na na na


Mr. Schue avisa que Sandy, o ex diretor do Glee Clube, resolveu criar um novo grupo na escola, Troubletones, tudo por culpa obviamente de Berry que acusou Sandy de acariciar alunos por solo, o que realmente era verdade.Mr. Schue nos manda apresentar uma canção em grupo, com figurinos e coreografia, já ia levantar minha mão para perguntar se podia ficar em um grupo de meninas mas não foi preciso, felizmente fiquei em um grupo com garotas, que eram; Mercedes, Tina e Quinn.Não sei se conseguiria trabalhar com Quinn por ela ser uma vadia mimada que só sabia humilhar os outros, mas enfim, daria meu melhor.

...

Após alguns dias trabalhando conseguimos escolher um ótimo figurino e uma ÓTIMA música, do eterno rei "Michael Jackson" na verdade não só dele, do seu antigo grupo na infancia "Jackson 5", queria algo mais Broadway mas Mercedes e as outras não toparam, nessas horas que gostaria de estar num grupo com Berry, ela era chata mas nossos gostos combinavam.Estava sentado na segunda fileira ao lado de Mercedes e as meninas, esperando Mr Schue chegar.Nossos figurinos eram ternos e calças combinando com umas cores bem chamativas e uma peruca que demorei seculos para concordar com Mercedes, meu topete desmancharia com aquela peruca afro.Estava tudo nos conformes, Mr. Schue chegou e nós já estavamos atrás de umas cortinas improvisadas e em cima de um palco, Quinn e Mercedes realmente pensaram em tudo.Já ia começar, eu e Quinn estavamos em um degrau de baixo do palco enquanto Mercedes e Tina no de cima., estavamos de costas apenas esperando as cortinas abrirem para começarmos o verdadeiro show, assim que as cortinas abriram, um a um foi virando com um microfone sem fio as mãos, mudamos as possições, eu e Quinn pulando ao degrau de trás e Mercedes e Tina indo para o da frente e por fim Mercedes começou a cantar a primeira estrofe da música esbanjando talento e brilho.Assim que Mercedes terminou de cantar, ela e as outras garotas foram para trás me deixando sozinho ao centro da sala.Elas começaram a harmonia, e eu ando para um lado apontando para todos na sala enquanto cantava "Oooh ooh baby" e a cada frase elas faziam uma harmonia rispida e limpa atrás:

Yes I do now
(I want you back)
Ooh ooh baby
(I want you back)
Ya ya ya ya
(I want you back)
Na na na na


Volto ao centro da sala com o microfone em mãos interagindo com todos que assistindo.Nessa estrofe da música cantava sozinho, só com as garotas atrás fazendo alguns "uh uh uh" enquanto eu me mechia, balançando um pouco os ombros.

Tryin' to live without your love
Is one long sleepless night
Let me show you girl
That I know wrong from right
Every street you walk on
I leave tearstains on the ground
Following the girl
I didn't even want around
Let me tell you now


Partindo para o refrão vou um pouco para trás em alguns passos a frente das garotas que estavam nos palcos se movimentando com os pedestais.Com um tom alto na voz cantava o refrão com animação ainda com movimentos alegres apontando algumas vezes para o pessoal que nos assistia.

Oh baby all I need is one more chance
(show you that I love you)
Won't you please let me
(back to your heart)
Oh darlin' I was blind to let you go
(let you go baby)
But now since I see you in his arms


Terminando de cantar o refrão volto ao pequeno palco aonde as três garotas se encontravam, assumindo o pedestal de Quinn, ela parte para o centro da sala, aonde eu estava enquanto começo a me movimentar com os pedestais junto a Mercedes, e Tina que pareciam alegres e animadas.


Com quem: AQUI | Local: AQUI | Veste: AQUI


Thanks Nanda from TPO


____________________


Kurt {Porcelain} Hummel

Star of Two Worlds ★ Sweet and Beautiful Guy ★ Popular  ★ Blaine, My Problem
The Killjoy Never Die! @ CG!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Quinn Fabray em Seg 15 Jul 2013 - 22:49


We don't care!


Com a tarefa no Glee Club ,eu estava esquecendo um pouco de sair com as meninas da Cheerios,pra mim era irrelevante sair com elas, de qualquer forma eu ainda estava no topo,e era só meu, apesar das novas ideias da Sue,como assim ela quer um recomeço nas Cheerios?
Não estava em um bom clima,eu ainda tentava esquecer Finn,eu evitada ele para ser mais exata,e aquilo estava se tornando chato,sempre perguntar onde ele estava e criar desculpas para sair de um lugar ao perceber que ele estava se aproximando. Ele era lerdo,facilitando as coisas,apesar da escola inteira saber. Finn Hudson nunca irá mudar.
Um dia após as aulas eu fui para a casa de Mercedes para tirar algumas medidas e passar a música com Kurt e a mesma. Eu conhecia o grupo Jackson Five,mas não sabia as letras de cor.
Eu e Tina ficamos responsável por arrumar o local,comprei poucas coisas e consegui que algumas meninas das Cheerios me ajudassem a arrumar tudo logo após a apresentação do grupo anterior.
Com a minha roupa rosa e um black (totalmente estranho e difícil para se encaixar na minha cabeça) eu me sentia uma verdadeira palhaça de circo, a roupa com brilho demais e detalhes demais. Mercedes e Kurt estavam animados e então forcei um sorriso e concordei quando eles falaram que tudo ficou perfeito, apalpei minha roupa e então me coloquei em meu lugar no palco juntamente com Kurt e Mercedes, Tina havia me ajudado a montar o '''palco'' e por isso já estava de pé.
Montei os passos com Kurt em uma das ''reuniões'' na casa da Mercedes para acertamos a letra.
A negra começa a cantar,sua voz potente e chamativa atraiu todos os olhares,eu dançava sincronizadamente com Tina e Kurt, fazia um coro baixo durante a performance da garota.
Finn me olhava e sorria, abri um pequeno sorriso e logo desviava meu olhar do dele, sem dúvidas ele iria me procurar para me parabenizar,eu deveria pensar em alguma coisa para parar de fugir dele,mas aquele não era o momento,eu precisava me focar.
Eram passos simples e estávamos animados cantando sem errar, Kurt cantou sua parte da música,oque me deixou um pouco nervosa já que estava perto da minha e apesar de ser uma Cheerios,naquele lugar eu era ''apenas mais uma,sem popularidade",erro de quem diz isso,mas não irei entrar em detalhe.
Suspirei baixo limpando em seguida,Kurt se aproxima de mim e então eu assumo o lugar dele no centro,preparei minha voz e então estalando os dedos eu movimentei meu corpo para o lado assim estalando os  dedos na minha mão livre no ritmo da música,em um efeito atrasado Kurt,Tina e Mercedes me imitam assim modificando os passos da apresentação.
-Uh-huh
A buh buh buh buh
Uh-huh
A buh buh buh buh
All I want
A buh buh buh buh
All I need
A buh buh buh buh
All I want
A buh buh buh buh
All I need

Repetindo os movimentos logo giro os pulsos e então balanço para os lados minha cintura no ritmo da música,eu fitava algumas pessoas ali presentes,os passos simples e típicos da época em que o grupo fez sucesso,chegamos a imitar alguns passos enquanto eu cantava.
-Oh just one more chance
to show you that I love you
baby

Cantei repetitivamente por mais 5 vezes imitando alguns passos feitos pelo grupo em outros ''shows'' ,pesquisamos na internet e então reproduzimos os momentos cantados. No centro eu voltei para trás assim ficando entre de Mercedes e Kurt e então Kurt que havia mudado de lugar e estava na ponta,girou o calcanhar assim virando da esquerda para a direita,Mercedes fez o mesmo e assim fizemos até Tina,que apoiou um pé no pé do pedestal e o lançou para frente,controlando o objeto logo o fez voltar e voltei a cantar.
-(I want you back)
Forget what happened then
(I want you back)
Let me live again

Oh baby I was blind to let you go
But now since I see you in his arms
(I want you back)
Spare me of this cause
Gimme back what I lost

Oh baby I need one more chance ha
I tell ya that I love you..

Cantávamos empolgadamente, olhei discretamente para os lados e percebi o sorriso no rosto dos 3 que cantavam comigo,e o pessoal que assistia estava claramente agitado e cantarolava junto. Eu sorria repetindo os passos do início,votei para o centro do palco e cantei o último verso com mais convicção e mais confiança.
Com uma das mãos na cintura eu sorri olhando todos ali e então agradeci junto com Kurt,Mercedes e Tina e voltamos para os nossos lugares.

Thanks: Alice R. @ TPO & WE

____________________


Lucy Quinn Fabray
I can taste the tension like a cloud of smoke in the air
Be the good girl you always had to be.Conceal, don't feel, don't let them know.Well now they knowTHANKS, LU.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Rachel Berry em Qua 17 Jul 2013 - 20:07

C'mon, you know I'm sexy!
Sala do ND; 17/07; -;
Kitty e Finn

A sala estava com as luzes apagadas e a ansiedade para ver a apresentação era presente na sala, então um refletor acendeu as luzes em Rachel e Kitty que estavam em pé uma ao lado da outra, logo a banda começou a tocar a melodia e elas começaram a cantar os primeiros versos da música olhando para a pequena plateia que tinham no local com um olhar sedutor.Ambas vestiam  - Come here, rude boy, boy, can you get it up - Rachel estendia a mão direita em direção à plateia chamando-os com o dedo indicador enquanto Kitty descia seu corpo até o chão rebolando e passando as mãos pelo corpo de Rachel - Come here, rude boy, boy, Is you big enough - A morena segurou a mão da loira e puxou a mesma para cima delicadamente e girar para o outro lado da loira com um perfeito giro de 360º graus. - Take it, take it, baby, baby, take it, take it, love me, love me. - Antes de descer rebolando até o chão e subir rebolando enquanto estendia as mãos e as puxava alternadamente como se estivesse pegando alguma coisa na segunda parte do "take it, take it" e ir para o lado direito da sala com o refletor sobre ela.
Depois de Rachel ir para a direita foi revelado qual era o seu objetivo, lá estava Finn sentado em uma cadeira e logo o refletor parou sobre os dois e Rachel começou a cantar a sua parte na música. - Tonight, Imma let you be the captain, tonight, Imma let you do your thing, yeah - Ela desceu rebolando até o chão com confiança diante do rapaz e subindo em seguida jogando os seus cabelos para trás e passando os dedos pelo peitoral do garoto antes de girar ao redor de sua cadeira.Enquanto isso,Kitty ia até Artie,sentando-se em seu colo,com uma perna de cada lado do corpo do rapaz,rebolando e cantando tentando seduzi-lo. - Tonight, Imma let you be a rider. - Assim que ela cantou essa parte ela sentou no colo do rapaz e aproximou a boca de sua orelha cantando com uma voz que poderia ser descrita como sexy e mordiscando sua orelha antes de levantar. - Giddy up, giddy up, giddy up, babe. - Ela andou com passos firmes até o centro da sala enquanto Finn a seguia com velocidade.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Finn Hudson em Qui 18 Jul 2013 - 16:40

Come here
Rude Boy
Com: Rachel and Kitty; humor: Bom;  From TPO


 O rapaz começou a cantar a música e seguia Rachel até o centro da sala.- Tonight, Imma let it be fire, tonight, Imma let you take me higher - Ele segurou a cintura da garota com firmeza e encostou sua testa contra a dela deixando seus lábios bastante próximos uns dos outro, - Tonight, Baby we can get it on, yeah we can get it on... Yeah - As suas mãos haviam se movido para as pernas da garota.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Rachel Berry em Qui 18 Jul 2013 - 16:50

C'mon, you know I'm sexy!
Sala do ND; 18/07; -;
Kitty e Finn

- Do you like it boy, I wa-wa-want, what you wa-wa-want - Rachel voltou a cantar e girou ficando de costas para Finn e descendo rebolando no seu corpo novamente antes dele puxa-la com firmeza pelo braço e fazer a mesma lhe encarar. - Give it to me baby, like boom, boom, boom - Rachel girou ao redor de Finn antes de parar novamente na frente dele e colocar um dedo no seu peitoral andando em sua direção forçando o rapaz a recuar. -What I wa-wa-want, Is what you wa-wa-want... Na, na... Ah, ah - Ela então parou de andar e aproximou o seu rosto do rapaz como se fosse beija-lo antes de ser impedida por Kitty que até então havia "desaparecido" e que ficou entre os dois para começar a cantar a sua parte da música olhando para Finn.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Kitty Wilde em Qui 18 Jul 2013 - 17:45


" All that she wants... "

Aquele clube estava realmente ocupando meu tempo nos ultimos dias, desde que um tal de Sandy que era mais gay do que o Village People juntos criou um clube de lésbicas cantoras chamadas troubletones, aquele idiota do Will decidiu que seria bom aumentar os nossos laços no clube e decidiu que precisavamos cantar uma música com coreografia e figurino com as pessoas que ele escolhesse, assim que ele havia dito isso havia começado a rezar para não estar com a orca disfarçada de humano ou com a anã Berry, mas como a minha sorte é tão grande do jeito que é, eu havia ficado num grupo com as duas criaturas, parecia que tinha macumba jogada pra cima de mim. Sabendo que eu não poderia escapar daquela tarefa e que nunca, nunca no inferno eu cantaria alguma música que a pintora de rodapé escolhesse eu decidi tomar a liderança do grupo e escolher uma canção que chocaria muitas pessoas naquela sala e que se eu tivesse sorte daria um ataque de coração naquele professor inútil. Depois de muitos ensaios eu realmente havia me aproximado mais dos meus companheiros de grupos, bem, não tanto da orca, ele continuava sendo um idiota para mim, mas a Berry depois de toda a atitude egoísta e irritante era suportável e até em certo ponto engraçada, mas eu nunca admitiria isso. Era finalmente o dia da apresentação e eu realmente havia me controlado para não rir da roupa da Quinn na sua apresentação com o seu grupo, ela estava parecendo uma árvore de natal cor de rosa com aquela roupa e a peruca ridícula. Depois de controlar uma boa gargalhada, me preparei para me apresentar.

[...]

Estava no colo de Artie acariciando o seu peitoral e rebolando no colo do mesmo com um sorriso malicioso, eu realmente adorava provocar virgens, mesmo se esses fossem perdedores. Sai dos meus pensamentos quando percebi que Rachel já estava parando de cantar e era a minha vez, sai do colo do cadeirante e fui até o centro da sala "interrompendo" o quase beijo de Finn e Rachel, olhei para Finn e comecei a cantar com o mesmo sorriso nos lábios. - All that she wants is another baby, she's gone tomorrow boy... All that she wants is another baby, oh yeah. - Girei ao redor de Finn, realmente não gostava de seduzi-lo, mas era necessário, parei na frente do mesmo criando uma cena muito parecida com a de antes que o rapaz fazia com Rachel, só que a cada passo que eles davam um pequeno pulinho era dado e a garota tocava com a mão na do rapaz, no total três passos foram dados antes que ele me girasse invertendo as nossas posições. - All that she wants is another baby, she's gone tomorrow boy... All that she wants is another baby, yeah. - Realizamos o mesmo movimento que anteriormente só que retornando para os snossos lugares no centro da sala e nos juntando a Rachel que possuia uma expressão de irritação.
- So if you are in sight and the day is right, she's a hunter you're the fox. - Apontei para Rachel naquela parte com uma das mãos antes de levar a mesma mão até o abdômen de Finn pressionando o meu corpo contra o dele enquanto tentava não vomitar de nojo e manter uma expressão maliciosa, cantava com empolgação mantendo a afinação. - The gentle voice that talks to you, won't talk forever. - A orca levou uma das mãos até minha cintura e a outra até minhas pernas, pela firmeza de suas mãos tinha que admitir que ele tinha um tipo de pegada, se não fosse tão idiota talvez eu tivesse algo com o mesmo. Deixei meu corpo firme enquanto ele me levantava facilmente por causa do meu peso e me levou com facilidade até o outro lado me deixando próxima de Rachel. - it's a night for passion, but the morning means goodbye - Olhei para Rachel dos pés até a cabeça com desprezo antes de colocar novamente uma das minhas mãos no corpo de Finn descendo a mesma lentamente até perto de sua virilha. - Beware of what is flashing in her eyes, she's going to get you - Girei ficando de costas para Finn e senti as mãos do rapaz passarem pelo meu corpo como o combinado enquanto descia rebolando os quadris, cantei um pouco mais gravemente naquela parte. - All that she wants is another baby, she's gone tomorrow boy... All that she wants is another baby (no) - Havia girado novamente ficando diante de Finn antes que Rachel terminasse de cantar o seu backing vocal e me empurrasse fazendo eu me afastar do garoto e olhar resignada para ela.

" She is gone tomorrow! "


____________________


Demons
Don't get too close It's dark inside It's where my demons hide

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Rachel Berry em Qui 18 Jul 2013 - 18:40

C'mon, you know I'm sexy!
Sala do ND; 18/07; -;
Kitty e Finn

I like the way, you touch me there, I like the way you pull my hair - As mãos de Finn apertaram as nádegas de Rachel assim que ela cantou a parte "touch". - Baby, fight, don't feel i, I aint faking, no, no. - Ela pressionou o seu corpo contra o de Finn e levou as mãos do garoto até o seu coração como um gesto da apresentação. - I like when you tell me; "Kiss it here" - Rachel beijou o delicadamente o canto dos lábios do rapaz. - I like when you tell me; "Move it there" - A garota sabia que Quinn provavelmente iria matá-la depois daquela performance, mas a coreografia foi feita assim,então ela não poderia fazer nada a respeito. - So giddy up, time to giddy up, You say you a rude boy, show me what you got now - Rachel e Finn se encaram sem piscar,com um evidente clima romântico entre ambos.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Kitty Wilde em Sex 19 Jul 2013 - 0:47


" All that she wants... "

Aquela apresentação já estava quente demais e eu tinha certeza que o Mr. Schue estava tendo um mini-ataque cardíaco, olhei para ele com o canto dos olhos e percebi que seus olhos estavam arregalados, tentei não rir com a sua expressão e me manter séria antes de puxar o braço de Finn quebrando o seu olhar com Rachel e lhe afastando um pouco dela, olhando para Rachel e Finn alternadamente. - All that she wants is another baby, she's gone tomorrow boy (Come here, rude boy, boy, can you get it up) - Comecei a minha pequena batalha com Rachel enquanto ela cantava as partes de Rude Boy na canção, eu cantava com um tom agressivo, na verdade naquele momento descontava toda a minha raiva no meu olhar em Rachel. - All that she wants is another baby...
(Come here, rude boy, boy, Is you big enough)
- Fiquei de costas para Finn ao mesmo tempo que Rachel e nós duas descemos rebolando até o chão ao mesmo tempo antes de levantarmos também rebolando e irmos as duas para a frente de Finn nos encarando enquanto o rapaz parecia estar confuso. -All that she wants is another baby, she's gone tomorrow boy, all that she wants is another baby (Take it, take it, baby, baby, take it, take it, love me, love me) - Nos fitavamos com faíscas no olhar e terminamos a apresentação com Finn colocando os braços na cintura de ambas, quando a melodia terminou de tocar eu simplesmente abracei os dois com um sorriso e fomos juntos aos nossos lugares esperando o Mr. Schue se pronunciar.

" She is gone tomorrow! "


____________________


Demons
Don't get too close It's dark inside It's where my demons hide

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Nêmesis em Seg 22 Jul 2013 - 19:30

And the Winner Is...
OMG, There's a new glee club at WMHS


 -Onde estão Quinn e Finn?-Ninguém respondeu, provavelmente pois não sabiam onde eles estavam, então fui até a frente do grupo e anunciei: -Okay, temos um vencedor...depois de avaliar muito as performances...o vencedor é...o New Directions, parabéns, todos venceram. -Eles aplaudiram, um pouco confusos. Fui até uma caixa que estava acima do piano e tirei vários pedaços de papel de lá. -Aqui está o prêmio de vocês, um vale "Coma o quanto conseguir, no Breadsticks.  -Sorri para eles e então comecei a distribuir os prêmios.

Com: Glee Club; Onde: New Directions Choir Room; Vestindo: Roupas.

Thanks Maay; from TPO


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Artie Abrams em Seg 22 Jul 2013 - 20:04

WTF?
As apresentações depois da do grupo Alfa foram ótimas, mas Artie estava confiante que iria vencer aquela tarefa, sua coreografia foi a melhor e as garotas haviam arrasado! Dianna realmente sabia como fazer uma coreografia vencedora. O garoto esperava ansioso o Mr. Schue anunciar o resultado, ele percebeu que Finn e Quinn haviam saido em algum momento, mas não deu muita atenção e esperou o professor anunciar o resultado. Will anunciou o resultado e o garoto na cadeira de rodas simplesmente ficou lívido, como assim todos haviam ganhado? Isso não era correto! Ele pegou o seu cupom porque sabia que isso iria lhe ajudar com o encontro com SanClair, mas ele estava irritado. Pegou o seu celular ao se lembrar do plano que havia bolado e mandou uma sms para Kaíra, saindo da sala logo em seguida indo ao encontro da ruiva.

____________________

Artie Abrams
^.^

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Convidado em Ter 23 Jul 2013 - 18:59

Mercedes Aretha Jones

A ultima apresentação havia sido muito estranha. Creio que era pra ser sexy, mas não deu muito certo. Sei la, Kitty e Berry não faziam meu tipo... E o Finn, sem comentários. Era como assistir cortina de fogo, sem a cortina e sem o fogo. Só conseguia me perguntar porque Deus estava fazendo isso comigo, já não bastava o Kurt ter nascido gay?... Um tempo depois, Mr. Schue disse o resultado, revirei os olhos e fitei Kurt com o canto dos olhos - Da pra acreditar? - Perguntei em um tom baixo e meio indignado - Aposto que isso tudo foi só um showzinho manipulador, pra mostrar que todos nós somos iguais, que ninguém aqui é melhor que ninguém e bla, bla, bla... - Sorri apenas no final da minha frase e peguei o meu vale, voltando a dizer para Kurt, dessa vez em tom divertido - Pelo menos isso garante que nenhuma criança do coral morrerá de fome, esta noite... - Guardei o vale na bolsa e disse - É bom ter tots la, se não vou querer meu vale de volta. - Assim que o sinal tocou, me levantei e sair da sala, junto com Kurt.

Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Nêmesis em Qua 24 Jul 2013 - 23:09

Being Different
OMG, There's a new glee club at WMHS


 -Okay, para a tarefa dessa semana, vamos mudar muito as coisas.-Deixei eles se organizarem nas cadeiras e falei: -Essa semana, vocês irão cantar músicas que sejam totalmente diferente do estilo de vocês... -Eles me olham com as sombrancelhas arqueadas e digo -Bom...o objetivo é fazer com que entendam seus companheiros...sinceramente, para vencer o Vocal Adrenaline precisaremos estar unidos vocal, física e emocionalmente...-Sorrio para eles e digo: -Vamos começar!

Com: Glee Club; Onde: New Directions Choir Room; Vestindo: Roupas.

Thanks Maay; from TPO


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Sab 27 Jul 2013 - 20:54

Just the way you are.

O final de semana tinha passado ligeiramente. Dianna andava pelos corredores do Mckinley distraída, sorrindo com as mensagens que trocava com Tyler, seu ex namorado. Assunto? Uma loira de olhos azuis, que estava recostada agora mesmo, na parede da sala do New Directions, esperando pela latina asiática. Ao ver a figura ali, Dianna sorriu torto, guardando o celular, pensando se poderia ter invocado a garota, rindo consigo mesma internamente.  Ao ver a chegada da morena, Grace aproximou-se, depositando um beijo demorado em sua bochecha, fazendo com que ela tornasse o sorriso largo, em um amplo. Não disseram nada, apenas ficaram ali, encarando-se por alguns segundos, até que a loira sorriu timidamente, e sumiu perante a multidão de alunos. Dianna observava o corredor lotado de pessoas com o olhar distante, a palma da mão direita repousada no local onde havia sido beijado. Agitou a cabeça, sorrindo bobamente. Entrou na sala, e sentou-se. Will já havia dito qual seria o tema da semana, então procurou entender a caligrafia no quadro, mais logo voltou sua atenção para o professor, que agora explicava novamente o que seria necessário. Opostos. “Ótimo! O que eu posso cantar?” Pensou consigo mesma. “Usualmente, eu danço. Então, acho que fazer algo mais calmo serve. Mas será que eu consigo cantar algo fofo? Inspiração eu tenho.” Um vislumbre dos olhos azuis da loira que encontrara agora a pouco passou por sua mente, e logo levantou-se por impulso.

- Ótimo, temos a primeira! – Will bateu palmas duas vezes, animado. Ocupou o lugar da morena, e assim como todos, esperaram pelo que viria.

Indo até a banda, Dianna informou o que cantaria. Puxou um banco alto para o meio da sala, sentando-se. Olhou rapidamente para os colegas, notando que todos esperavam pela apresentação, e sentiu-se um pouco nervosa, mais logo ouviu a melodia ressoar, e não daria com o pé atrás agora. Enquanto a melodia se repetia, resolveu apresentar o que iria performar.

- Ahn, vou cantar Just the way you are do Bruno Mars. Como normalmente prefiro músicas que envolvem dança, acho que essa seria um dos meus opostos. – Esperou a melodia recomeçar, para iniciar na parte certa.

Oh her eyes, her eyes
Make the stars look like they're not shining
Her hair, her hair
Falls perfectly without her trying

Baixou o olhar para as próprias mãos, fitando-as. A voz soou extremamente doce, mais de uma forma que não fosse enjoada ou coisa do tipo. Dianna tinha os olhos fixos nas mãos, mais seu pensamento estava em uma certa loira, que havia encontrado agora há pouco ao lado de fora. Com toda certeza, estava apaixonada.

She's so beautiful
And I tell her every day

Cantando esta parte, a morena caiu em si. Elogiava a loira, porém mentalmente. Linda, essa era uma palavra em que não era capaz de defini-la. Mas, precisava dizer a ela. E a partir dessa música, estava se dispondo a falar para a loira o quanto ela era bonita.

Yeah I know, I know
When I compliment her
She won't believe me
And it's so, it's so
Sad to think that she don't see what I see
But every time she asks me do I look okay
I say

Levantou o olhar, sorrindo timidamente. Era a primeira vez que se permitia transpassar tal coisa na frente de tanta gente. Lembrou-se de já ter elogiado a garota, no encontro que tiveram a meses atrás, e o jeito em que ela havia ficado sem jeito. Sorriu com a lembrança, enquanto a voz ressoava ainda de forma calma.

When I see your face
There's not a thing that I would change
'Cause you're amazing
Just the way you are
And when you smile,
The whole world stops and stares for a while
'Cause girl you're amazing
Just the way you are

Viu que algumas pessoas sorriam, ao ouvir a música. Sorriu de volta, logo baixando a cabeça novamente, mais dessa vez, não muito. Cantava agora com um pouco mais de vontade, deixando o tom doce de lado. Fechou os olhos, fechando uma das mãos em punho, colocando-a sobre o coração, levantando-se. Recolocou a mão ao lado do corpo, abrindo os olhos de volta. Olhou para frente, para o horizonte. Via Grace ali, olhando-a e sorrindo do jeito fofo que só ela tinha.

Her lips, her lips
I could kiss them all day if she'd let me
Her laugh, her laugh
She hates but I think it's so sexy
She's so beautiful
And I tell her every day

O tom doce estava de volta. A voz voltando a ressoar calma, acompanhando a melodia da canção. Mexia o corpo, batendo suavemente o pé direito no chão, no ritmo da música, dando o movimento sincronizado ao corpo. Era mais do que uma ilustração perfeita, que tinha da loira no momento. Era sua memória revigorando cada detalhe seu, formando-a ali, na mente de Dianna, que sorria enquanto cantava.

Oh you know, you know, you know
I'd never ask you to change
If perfect is what you're searching for
Then just stay the same
So don't even bother asking
If you look okay
You know I'll say

Aumentou um pouco o tom de voz, enquanto andava para o outro lado da sala de forma tranquila, sem pressa de chegar. Era como estivesse indo de encontro há loira, e a visão só fazia o sorriso de Dianna aumentar. Chegando ao lado oposto que estava, virou de frente para a turma, observando-os sorrateiramente. Tentou notar pelo olhar de alguns, como estava se saindo. Desistiu, decidindo concentrar-se na música. Puxou a nota na parte do “I’ll say” deixando-a mais potente.

When I see your face
There's not a thing that I would change
'Cause you're amazing
Just the way you are
And when you smile
The whole world stops and stares for a while
'Cause girl you're amazing
Just the way you are

De repente, a imagem da loira sumiu, e as luzes da sala se apagaram, deixando apenas um feixe de luz sobre o corpo da morena, partindo do teto. Em sua frente, estava Mary. Era como se Dianna estivesse sonhando, em que naquela sala, estivessem apenas as duas. A música ficou mais lenta, apenas a batida forte acompanhando sua voz, sem os outros instrumentos. Cantava olhando diretamente para a garota, perdendo-se em seus olhos que mais pareciam chocolate derretido. Não conseguia desviar, cantando de forma neutra.

The way you are
The way you are
Girl you're amazing
Just the way you are

Dianna ergueu um pouco um dos braços, deixando a palma da mão aberta, puxando as notas a cada final, na parte do “you are”, mexendo o corpo ritmadamente para os lados, seguindo a música original, tendo apenas a sua voz como diferença. Os olhos ainda fixos ao da garota morena a sua frente, que parecia estar sorrindo.

When I see your face
There's not a thing that I would change
'Cause you're amazing
Just the way you are
And when you smile,
The whole world stops and stares for a while
'Cause girl you're amazing
Just the way you are

Ficando ainda um pouco mais lenta, a música chegava a sua parte final. Puxou um falsete, na parte do “When I see your face”, dando mais um passo há frente. Estava agora bem mais próxima da garota, e era dado o veredito final. Estava mesmo cantando para ela, que agora sorria amplamente em resposta. Ao cantar o “And when your smile, the wholw world stops and stares for a while” abriu os braços, como se o mundo estivesse mesmo parado, olhando-a sorrir. E ao cantar o “Cause girl you’re amazing” Dianna afastou-se um pouco de onde estava, e finalizou com calma “Just the way you are”, soltando um “Yeeeeeah” acabando com a canção. Neste momento percebeu que não havia tido um sonho. Tinha realmente chegado próxima a menina, e cantado para ela. Tinha as bochechas em uma forte coloração rosada, então nada disse. Voltou para seu lugar, recebendo aplausos dos colegas, evitando olhar para qualquer um que fosse.

When I see your face, there's not a thing that I would change. 'Cause you're amazing, Just the way you are. And when you smile, The whole world stops and stares for a while. 'Cause girl you're amazing, just the way you are.

____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Marley Rose em Dom 28 Jul 2013 - 9:55










New Directions Work
Being Different

Carry on my wayward son,there'll be peace when you were done


Mais uma semana se passa.Eu agora me tornei amiga de todos do Glee Club,especialmente de Kurt,Mercedes e de Artie,já que eles eram tão excluídos como eu.Mas eles mostravam que não se importam com isso de uma maneira que me fez admirá-los mais ainda.Kurt é homossexual,mas não liga com isso.Ele pode ser jogado contra os armários dos corredores e ser jogado na caçamba de lixo o quanto for,mas ergue a cabeça e segue com o seu dia,além de ter um dom de fazer todo mundo rir.Agora eu entendo o porque de a Mercedes gostar dele.Mercedes é gordinha e negra,mas ela nem liga pra isso.Pelo contrário,ela usa isso pra mostrar que pode ser uma diva e mais um pouco,que é o que aliás,ela é.Artie é todo nerd e cadeirante,mas é fofo e tem a melhor voz masculina do Glee Club,depois do Finn.E o Finn,apesar de ser o quarterback do time de futebol e ser popular,é legal com todo mundo e nunca deixa de falar com ninguém.
Esse final de semana foi divertido.Fomos todos para o Breadstix para usarmos o nosso prêmio por causa da tarefa e foi superdivertido,porque pude conhecer os outros um pouco melhor.Quando esse final de semana se passou rápido e chegou mais uma semana,estava entrando na sala do Glee Club junto com Kurt e Mercedes quando o Sr.Schue anunciou a nova tarefa,que era para cantarmos uma música que não combinava conosco ou com o nosso estilo.Pensei um pouco durante a boa apresentação de Dianna: que tipo de música não combina comigo?Geralmente gosto de músicas românticas e de musicais e não sou lá muito fã de rock.É isso,já sabia na hora o que cantar!Quando Dianna terminou sua apresentação,a aplaudi junto com todo mundo e depois de o Sr.Schue dizer :''Próximo'',me levantei e disse:-Então,gente...Pra quem sabe,eu geralmente só canto músicas mais lentas e mais românticas.E essa vai bem além do estilo musical que eu gosto.Essa música é Carry On My Wayward Son,do Kansas e faz parte de um seriado que eu acho que alguns de vocês adoram,que é Supernatural.Podem tocar.Finn,me ajuda tocando na bateria,por favor?-Avisei para Brad,o nosso pianista,e para o pessoal que cuida dos instrumentos da sala do Glee Club e perguntei a Finn,que era o nosso melhor baterista.O garoto lançou um pequeno sorriso pra mim,se levantou e se sentou,começando a tocar.

Fui para o centro da sala e comecei a tocar,dando mais atitude na minha apresentação e deixando que minha voz alcançase um tom um pouco mais alto nas primeiras frases da música,que estão na primeira estrofe.Cada vez,no final de uma frase,eu prolongava um pouco a nota.

Carry on my wayward son
There'll be peace when you are done
Lay your weary head to rest
Don't you cry no more

Em seguida,o Finn tocou nas baterias as notas que tinham na música na versão original.No final da última nota,soltei um ''Aaaaaaaah''.Depois,em ''once I rose above the noise and confusion,just to get a glimpse beyond this illusion'',deixei prolongar a nota no final dos versos e interpretava cada verso de um jeito improvisado que ficou divertido.

Once I rose above the noise and confusion
Just to get a glimpse beyond this illusion
I was soaring ever higher
But I flew too high

Na próxima parte,tocava uma guitarra,que eu achei em um canto na sala do Glee Club.Em ''thought my eyes could see I still was a blind man'' e ''though my mind could think I still was a mad man''girei meu corpo e fiz um movimento com as mãos,que era aquele movimento que a pessoa faz quando está louca.Voltei a cantar o restante,com toda a atitude e animação que eu consegui reunir dentro de mim,prolongando a nota no final em ''I can hear them say'',olhando pra Finn,que estava bem animado,me ajudando com a bateria.

Though my eyes could see I still was a blind man
Though my mind could think I still was a mad man
I hear the voices when I'm dreaming
I can hear them say

Carry on my wayward son
There'll be peace when you are done
Lay your weary head to rest
Don't you cry no more

Masquerading as a man with a reason
My charade is the event of the season
And if I claim to be a wise man, well
It surely means that I don't know

On a stormy sea of moving emotion
Tossed about like a ship on the ocean
I set a course for winds of fortune
But I hear the voices say

Carry on my wayward son
There'll be peace when you are done
Lay your weary head to rest
Don't you cry no more, No!

Carry on, you will always remember
Carry on, nothing equals the splendor
Now your life's no longer empty
Surely heaven waits for you

Carry on my wayward son
There'll be peace when you are done
Lay your weary head to rest
Don't you cry
Don't you cry no more!

No more!

Tags

Com:Pessoal do ND e Sr.SchuesterVestindo: ??? Ouvindo: ??? Notes: Being different

Thanks Pabs @ Wonderland Editions


Fazendo post,mais tarde termino eleç.ç

____________________


All Or Nothing
There's nothing you can say to blow my dreams away

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Convidado em Seg 29 Jul 2013 - 20:19

Mercedes Aretha Jones

   

   
Being Different... Uma tarefa relativamente fácil para uns, e completamente complicada para mim. Para pessoas como o Kurt e a Berry, que só falavam em se tornarem estrelas da Broadway, era simples encontrar musicas que fugissem aos seus estilos. Mas eu... Eu queria ser uma diva do mundo, cantava musicas que atingiam todos os públicos. Além do mais minha voz era muito eclética e era fácil eu me adaptar a qualquer uma delas, e eu não era preconceituosa em relação a quase nenhum tipo de musica.

Minhas divas são: Beyonce, Lady Gaga, Whitney Houston, Madonna, Aretha, Britney Spears, Mariah Carey, XTina, Adele entre muitas outras. E elas cantam de tudo, desde Rock à Soul. Mas pensando bem, tem uma coisa que Miss Jones não gosta. Musicas depressivas, tudo bem que eu era dramática, mas não chegava nem perto de ser uma emo. Acredito que essa seja a intenção da Tarefa. Pegar algo que agente cantaria apenas no chuveiro e cantar publicamente, na frente de todo o clube do coral e depois esperar o Mr. Schue, marca as nossas "ass" com um carimbo dizendo "você foi publicamente humilhado" ou algo do tipo. Bom, tentaria encarar essa tarefa da melhor forma possível. No lugar de me irritar, como eu normalmente faria, entraria de vez no tema "Being Different" e apenas me divertiria. E a melhor forma de fazer isso, seria com um amigo, melhor dizendo, novo amigo.

Assim que a aula terminou fui para o corredor mandar um SMS para o Puck. Sei que ele tava do meu lado durante toda a aula, mas ainda não sabia se ele se sentiria bem, se eu demonstrasse nossa amizade, publicamente. Afinal de contas, ainda tinha lideres maldosas na Sala. Digitei rapidamente a mensagem que dizia "te esperando no estacionamento, que tal uma carona? =P" e fui para fora do colégio.

Momentos depois, já estava a caminho da minha casa, no banco carona do carro do Puck. Distraidamente contei para ele sobre a minha ideia de dueto, para a tarefa. Para minha surpresa e sorte, ele aceitou de primeira. Notei que o mesmo estava tenso, mas não perguntei o motivo, quando ele se sentisse a vontade viria me contar, de livre e espontânea vontade.

Seguimos o resto do dia na varanda da minha casa, planejando cada detalhe de nossa apresentação. Dava vontade de ri só de imaginar o papelão que seria as nossas roupas, mas ao mesmo tempo, sentia um certo aperto no peito, devido a letra da musica escolhida. Nossa apresentação apesar de cômica, seria muito emotiva e dramática. No final da tarde Puck foi embora e eu tive que explicar para minha mãe, que ele não era meu namorado, durante duas horas, antes de ir poder arrumar meu figurino.

Durante toda a manhã, do dia seguinte, procurei evitar o Puck. Nada contra o garoto, apenas queria evitar que ele tivesse tempo de fugir da apresentação. Seria a primeira dele na frente de toda a sala do coral, provavelmente deveria está com vergonha, apesar de não ser do tipo tímido. Enfim, não importa, era tarde de mais pra ele voltar atrás, e mesmo que ele tentasse, eu não iria deixar.

Entrei no banheiro feminino que ficava próximo a sala do coral e comecei a me arrumar. Não era louca de ficar vestindo aquilo durante todas as aulas. Momentos depois, me fitei no espelho do banheiro e me considerei como uma versão negra e mais gostosa da Tina. Usava um vestido preto que ia até um pouco abaixo dos joelhos, por cima um bolero, também preto e uma maquiagem bem carregada. Com sombras roxa, lápis preto e batom, vermelho escuro. Meus cabelos que já estavam lisos há algumas semanas, ganharam apenas algumas mechas azuis. Uma emo perfeita.  

Assim que entrei na sala do coral, sentir os olhares dos outros caindo sobre mim, para alguns eu poderia está estranha e para outros extremamente sexy. Lancei um olhar pra tinha que dizia "nada pessoal" e fui me sentar. Nenhum sinal do Puck. Esperava que ele não furasse comigo. Provavelmente o mataria e ele com certeza sabia disso, não se arriscaria a esse ponto. Mal o pensamento começou a passar pela minha cabeça e eu sentir meu celular vibrando. Era um sms de Puck, pedindo pra eu começar a musica sem ele. Fiquei um pouco confusa, mas o fiz. Após uma apresentação de Dianna e outra da Marley, me levantei e disse - Posso ser a próxima, Mr. Schue? - Ele fez que sim com a cabeça e eu me aproximei do piano pedindo, educadamente, pro nosso pianista se retirar. Diferente do costume não disse muita coisa, talvez aquelas roupas "fizessem" agente falar pouco. Isso explicaria muita coisa sobre a Tina.

Muitos ali não sabiam que eu possuía tal habilidade no piano. Apenas Kurt e Artie, já tinham me ouvido tocar antes. Me sentei no banquinho frente ao piano e comecei a dedilhar delicadamente as notas da introdução da musica "my immortal", aquilo soava mais delicado do que eu esperava e estava feliz com o resultado. Havia passado quase a noite toda no piano da minha igreja, treinando com a partitura da musica, não queria fazer feio. E pra quem teve apenas poucas horas, eu estava excedendo minhas expectativas. Talvez, devido à adrenalina de está tocando, pela primeira vez, na frente de todo o clube do coral... Finalmente chegou o momento, respirei fundo e comecei a cantar:

I'm so tired of being here
Suppressed by all my childish fears
And if you have to leave
I wish that you would just leave
'Cause your presence still lingers here
And it won't leave me alone
Diferente do normal, minha voz soava levemente delicada, como se fosse apenas um sobro delicado, que se misturava ao som das notas, que tocava no piano. Apesar de não ser meu estilo a musica retratava a dor que sentia, frequentemente, antes de entrar pro clube do coral. Me sentia cansada, reprimida, com medo e apenas queria que aquela sensação de pânico fosse embora. Sei que o contexto da musica era diferente, mas o sentimento era o mesmo. A dor, definitivamente, era a mesma. No ultimo verso alonguei um pouco o "alone" aumentando o meu tom de voz.  

These wounds won't seem to heal
This pain is just too real
There's just too much that time cannot erase
Meus dedos passaram a dedilhar o piano com mais precisão e com o pouco mais de velocidade. Por sorte anos de pratica me deixaram bem ágil. Comecei a tocar piano aos oito anos de idade. No mesmo ano que entrei pro coral da minha Igreja, mas não tinha o habito de tocá-lo. Na verdade, não gostava de nada que tirasse o foco da minha voz, apesar de funcionarmos bem juntos. Me sentia bem mais segura cantando do que tocando qualquer tipo de instrumento. Desde o começo da estrofe, minha voz, estava mais pesada. Passando mais dor e sofrimento. Instintivamente, fitei Artie, Tina, Kurt e até a própria Rachel. Nós, "os perdedores originais", tínhamos cicatrizes que ainda estavam abertas. A dor de varias humilhações que sofríamos todos os dias nunca nos abandonaria. Um dia, como eu esperava, todos nós seriamos felizes de verdade. Mas as marcas causadas pela dor e a humilhação, sempre estariam presente, não importa quanto tempo passe. Finalizei a estrofe rapidamente, diminuindo meu tom e me preparando para o refrão.          

When you cried I'd wipe away all of your tears
When you'd scream I'd fight away all of your fears
And I held your hand through all of these years
But you still have all of me
Agora a parte do meu coração, que eu havia oprimido, se libertou. Era a parte que sofria pelo Kurt. Ele não tinha partido meu coração de propósito, mas a dor que sentir por semanas foi a mesma de que se ele tivesse feito. Fechei os olhos cantando cada verso com vontade e dor. Minha voz soava aguda, quase como em falsete, alonguei algumas palavras. A musica não era do meu estilo. Simplesmente não podia mergulhar no chocolate, e soltar de vez a voz, como meus instintos pediam, mas pelo menos a musica era melodiosa. O que me permitia cantar em um tom mais doce, liberando um lado meu, desconhecidos pelos meus colegas de coral. Fitei a porta e suspirei. Não havia avisado previamente que seria um dueto com o Puck, porque se ele não entrasse, eu poderia seguir a musica como solo, estando poupada da humilhação publica. Mas no fundo, no fundo. Apenas queria que ele aparecesse. Cantei meu ultimo verso, do refrão, e fechei os olhos tocando a melodia da musica. Aguardando por Puck, de forma esperançosa.

Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Noah Puckerman em Seg 29 Jul 2013 - 21:30




What will be
output to a broken heart?
Inicialmente não havia dado importância à tarefa do clube do coral até porque não poderia demonstrar interesse naquilo, entretanto enquanto dava carona para Mercedes ― como praticamente todos os dias, ela me fez o convite para um dueto com ela momentaneamente pensei na hipótese de cantar para os membros e em resposta senti um calafrio na espinha realmente não tinha vergonha de muita coisa, mas cantar era algo particular meu, porém aceitei rapidamente a proposta da garota enquanto minha mente vagava em pensamentos e principalmente no caminho já decorado. Passamos a tarde inteira planejando como seria nossa apresentação onde pude expor interesse direto em nossas conversas, quanto mais o tempo passava sentia a nossa amizade fluir e minhas preocupações serem pequenos detalhes quando conversava com a morena. Certamente a Sra. Jones realmente estranhou a minha presença ali por tanto tempo e as caronas também acredito que Mercedes deve de se explicar. Os lanches da mãe dela eram simplesmente conquistadores e eu comentaria isso com a Benz, logo, logo.

No dia da apresentação não encontrei Mercedes, sequer nos cruzamos nos corredores e em algumas aulas não me preocupei com isso até porque era algo extremamente natural não conversava com a garota em público e ela respeitava isso e parecia não se incomodar. Porém não desejava manter as coisas como estavam. Prestes a dar o horário para que fosse até a sala do coral adentrei um dos banheiros mais próximos à sala até porque o que ia fazer era extremamente ridículo e não queria que ninguém me encontrasse daquele jeito, quer dizer, com aquele cabelo. Já dentro do local mandei uma mensagem de texto para Mercedes iniciar a música sozinha, o plano era entrar na minha parte. Tirei a peruca que lembrava o cabelo do Justin Bieber e coloquei sobre a cabeça ajeitando-a tratei de jogar um pouco de água a fim de dar uma aparência mais viva, ou melhor, já que fiquei realmente horroroso com aquilo.

Seguindo até a sala pude ouvir o som do piano ecoando pelo corredor já que a porta encontrava-se aberta e reconhecer a voz de Mercedes que diferente do habitual encontrava-se mais suave e incrivelmente dramática realmente a garota havia levado à tarefa a sério. Ela já finalizava o trecho dando-me a abertura para continuar a música quando adentrei a sala sentir o impulso de mover a cabeça na intenção de tirar o cabelo falso que cobria meus olhos em um movimento rápido e talvez nada discreto utilizei minha mão para afastá-lo, indo para o centro da sala.


You used to captivate me
By your resonating light



Cantei de maneira lenta acompanhando a melodia que Mercedes tocava no piano. Por sorte minha voz não era grossa então conseguia encaixar-se em algumas músicas e agradeci por não ter de me esforçar muito para deixá-la suave, agradeci mentalmente por aquilo e conforme chegava nas palavras finais do trecho tratava de deixar minha voz relativamente baixo, porém audível para o público.


Now I'm bound by the life you've left behind
Your face it haunts my once pleasant dreams



Quando decidimos qual música iríamos cantar realmente não sei importância a letra, mas naquele momento que meu cérebro trabalhava para deixá-la clara em minha mente passei a dar mais atenção na mesma, por um momento uma frustração me rodou não era do tipo de cara que ficava deprimido, mas ainda sim possuía sentimentos mesmo sendo pela pessoa errada. Tratei de cantar da mesma forma de antes, fazendo o mesmo truque de cantar de maneira suave e no final do trecho cantar em um tom baixo a fim de deixar o momento melodramático.


Your voice it chased away all the sanity in me


Neste momento tratei de cantar de maneira calma e baixa querendo manter o mesmo clima dramático de antes, quando pronunciava cada palavra deixei meus olhos vagarem pela sala fitando alguns rostos e por alguns segundos encarei Quinn certamente ela não havia percebido ou simplesmente me ignorou, tentei não me abater por isso e continuei olhando para outros lugares a fim de disfarçar o ocorrido.


These wounds won't seem to heal
This pain is just too real
There's just too much that time cannot erase


Deixando de lado minhas frustrações foquei-me em minha voz mantendo-a moderada entre a melodia da música. Chegando na frase final, cantei lentamente as palavras finais alongando-as e entoando minha voz para destacá-la e por fim deixando o espaço para Mercedes continuar.



tags: Sala do New Directions, Apresentação, Dueto, Mercedes Jones outfit: Look escuro, com uma peruca do Justin Bieber music: My immortal - Evanescence credits: thread by thaís from @ terra de ninguém 2.0

____________________




Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Convidado em Seg 29 Jul 2013 - 21:38

Mercedes Aretha Jones

   

   
Tive que me segurar para não ri, quando Puck entrou na sala. A peruca de Bieber realmente fez o garoto parecer um emo. Definitivamente a coisa mais cômica que ela já deve ter usado na vida, mas ainda assim, ele seguia sendo "hot" como sempre. Durante sua parte da musica, sua voz suou doce, melodiosa e potente. Não tinha errado no julgamento que fiz sobre o seu talento quando estávamos em seu carro, e um "praise" mudo escapou de meus lábios, quando notei que o menino não desafinava em nenhuma parte da musica. Reparei que ele lançou um olhar, no mínimo estranho, para Quinn. Provavelmente a loira não notou, os outros do coral também não. Mas eu notei e depois confrontaria ele, para saber se tinha algo errado. Parei de pensar no assunto e me foquei nas notas que tocava, logo seria minha vez novamente.    

I've tried so hard to tell myself that you're gone
But though you're still with me
I've been alone all along
Assim que Puck termina a parte dele, eu começo a cantar a minha, quase que no mesmo segundo. O som do violino sobrepõe o do piano e a melodia da musica fica um pouco mais rápida e pesada. Fecho os olhos, sentindo meu coração pesar um pouco, junto com a musica. Definitivamente aquele tipo de musica, não fazia meu estilo. Não por ser ruim, e sim por me fazer lembrar dos meus piores momentos no colégio. Todas as minhas dores vinham a tona. Durante toda a estrofe, minha voz estava mais pesada e arrastada, seguindo o tom da melodia. Pisquei rapidamente, sentindo uma lágrima rolar por minha face ao cantar o ultimo verso da estrofe.

When you cried I'd wipe away all of your tears
When you'd scream I'd fight away all of your fears
And I held your hand through all of these years
But you still have all of me
Agora Puck se juntou a mim no refrão. O som do violino, voltou a ficar mais baixo que o do piano e o mesmo acontecia com as nossas vozes. Eu cantava em um tom acima, de forma mais aguda e Puck um tom abaixo de forma mais grave, fazendo soar, pela sala, um contraste interessante. Seguimos assim até o final do refrão, quando o violino parou de tocar e seu seguir tocando o piano sozinha, por mais alguns segundos. Enquanto fazia algumas vocalização em falsete, beirando minha voz ao estilo lírico. Gradativamente, fui abaixando minha voz e o som do piano, até que ambos ficassem extintos na ultima nota da musica. O pessoal do coral aplaudiu e eu me levantei, indo até aonde Puck estava, e lhe dando um abraço amigável. Mas logo me afastei, ao recordar que o nosso "carinho" não era algo publico e que ninguém do coral desconfiava que éramos amigos. Fiquei um pouco tensa e agradeci aos que aplaudiam com o aceno de cabeça, voltando para o meu lugar, logo em seguida. Meu gesto foi repetido por Puck, que sentou na primeira cadeira vaga que viu. Também um pouco tenso.    


Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Artie Abrams em Ter 30 Jul 2013 - 21:22

You belong with me...
Aquela tarefa do coral era complicada para o cadeirante na sala, como sua voz era bastante versátil ele cantava quase tudo então para encontrar algum estilo de música que ele não cantava normalmente era complicada. Ele rapidamente passou por algumas músicas pela sua cabeça, mas nenhuma se adequava ao propósito da canção, isso realmente era complicado para ele e ele não tinha ideia do que cantaria para aquela tarefa apesar de realmente querer participar da mesma. Logo após o anuncio da tarefa o garoto foi para casa e pesquisou no google algum tipo de canção que se adequaria a sua voz e ao mesmo tempo não fosse normal ele cantar e falhou miseravelmente. Ele já estava desistindo deitado em sua cama enquanto olhava para o seu teto com cenário de Star Wars quando finalmente veio a sua mente o estilo de música que ele cantaria. O garoto não tinha um real preconceito com o estilo da música, mas ele nunca cantaria Country se não fosse realmente obrigado a fazer isso e aquele era um desses momentos.
Ele apesar de ser obrigado a cantar Country ele não queria cantar uma música que não ficasse boa em sua música ou aquele tipo de música que se escutava no Texas, ele queria algo um pouco mais jovem, algo um pouco mais pop, algo que o garoto realmente conseguisse escutar e isso era difícil de achar. Ele pensou por um bom tempo e finalmente chegou a uma artista que ele poderia cantar, Taylor Swift. Ele achava a garota um pouco sem graça, mas ela fazia músicas boas apesar de ele não ser muito fã e assim que ele escutou uma das músicas dela sua mente foi diretamente para a cheerio de cabelos negros que enfeitavam seus pensamentos, aquela música era perfeita para a tarefa, perfeita para ele cantar para ela. O garoto então passou a noite inteira tocando a música em seu antigo violão e tentando acertar os acordes da canção e decorar a letra, quando pensou em uma pessoa que poderia me ajudar com a canção por ser muito feminina, normalmente ele nunca pensaria naquela pessoa, mas naquela situação era a única pessoa que poderia pensar. Foi assim que o rapaz acabou trocando sms com Rachel Berry a noite inteira para realizarem um dueto na canção.
O dia da apresentação havia chegado e após tantos ensaios com a Berry eles haviam chegado um pouco mais próximos, apesar de ainda achar a mesma irritante ele tinha que admitir que sua voz era ótima e que ela era suportável depois de passar toda a atitude diva da Broadway. Havia vestido naquele dia uma roupa um pouco mais country um pouco antes da apresentação no banheiro e havia pegado seu violão que havia guardado com tanto cuidado no armário do zelador antes de ir em direção à sala do clube. Sabia que muitas pessoas estranharam aquelas roupas no meu corpo, mas a medida que as apresentações passavam, muitas pessoas deixavam de prestar atenção. A primeira foi Dianna e cantou Just the way you are do Bruno Mars, o que realmente fazia sentido já que aquela canção não era tão animada para dançar como normalmente era o que a garota cantava, logo em seguida foi Marley e cantou uma canção que não lhe veio o nome a cabeça naquele momento, a voz da garota era boa, mas a apresentação era pobre na opnião do garoto e logo em seguida se apresentaram Mercedes e... Puck? O rapaz franzeu as sobrancelhas pois não sabia que eles eram próximos, eles cantaram uma música bastante triste da banda Evanescence e foi uma apresentação Incrível. Finalmente havia chegado a hora do garoto e a de Rachel, então eles encaminhamos até o centro da sala onde Artie colocou o violão no colo e a garota se sentou do seu lado em um banquinho, e o garoto começou a dedilhar acordes suaves no violão e se preparou para cantar.
- You're on the phone with your boyfriend, he's upset. He's going off about something that you said 'cuz he doesn't, get your humor like I do... - Os acordes eram tocados suavemente e tentava deixar sua voz simplesmente fluir pela música, manti seu olhar nas pessoas no local, mas seus pensamentos estavam na garota de cabelos escuros que não saia da sua cabeça, um sorriso torto se formou nos lábios do cadeirante. - I'm in the room It's a typical Tuesday night, I'm listening to the kind of music he doesn't like and he'll never know your story like i do... - O garoto pensou nos olhos de SanClair e como ele sempre achou que eles guardavam tantas emoções que chegavam a lhe assustar, ele nunca se esqueceria do brilho que ele viu naquele olhar quando o mesmo cantou para ela. - He's 6'3" and I'm just 5'10", He's team captain, and I'm in the school band. Dreaming about the day when you wake up and find what you're looking for has been here the whole time! - Ele aumentou o ritmo dos acordes naquela parte e sua mente se esforçava para lembrar as letras alteradas que havia feito por causa do seu gênero, ele olhou rapidamente para Rachel como aquela próxima parte a garota se juntaria ao cadeirante na canção. - If you could see that I'm the one who understands you been here all along so why can't you see, you belong with me... You belong with me... - Ele estendeu a palavra "me" fazendo um efeito que ficou muito bom em sua voz e tocou um acorde um pouco mais lento assim que terminou aquela frase esperando que Rachel continuasse a canção como ensaiado.

____________________

Artie Abrams
^.^

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Rachel Berry em Ter 30 Jul 2013 - 23:00

C'mon, you know I'm sexy!
Sala do ND; 18/07; -;
Kitty e Finn

O que?Iríamos  fazer uma música que fosse totalmente diferente de nossa personalidade? Mas...como faríamos isso??? E eu pensei nisso durante o resto do dia,tentando encontrar algo que eu com certeza nunca cantaria...Pensei em Rock,ou Avril Lavigne...Eu até gostava da loira,mas,sinceramente,eu não levava jeito para cantar aquele estilo. Eu estava quase decidida a cantar Avril quando,no meio da noite,recebo uma mensagem de Artie pedindo para cantar comigo na tarefa. Eu topei,claro! Tarefa em dupla era sempre mais fácil,além de que...Ele encontrou a múscia perfeita! Taylor Swift,claro!! Eu nunca,em sã consciência,cantaria country!!
E foi assim que eu e Artie passamos os próximos dias até o dia da tarefa: cantando e ensaiando todos os dias à tarde. com o tempo,ele se mostrou legal!!Ele era um bom amigo!
No dia da tarefa,eu estava parcialmente nervosa,pensando se tudo daria certo. Dianna cantou uma música lenta,Mercedes e..Puck? (!!) cantaram um rock gótico e então,minha vez de brilhar.
Artie estava com uma roupa de cowboy,e um lindo violão nos braços,com sua cadeira no meio da sala,e um banquinho para mim ao seu lado. Eu vestia calças jeans ropper,botas de cowboy bege-claras e uma linda camisa rosa com uma regata branca por baixo.
Me sento no banquinho,preparando-me para cantar. Artie dedilha os primeiros acordes,e começa a cantar olhando para SanClair. Espero minha vez,balançando-me no ritmo da música. Quando chega minha vez,olha diretamente para Finn,cantando.
Walkin' the streets with you and your worn-out jeans
I can't help thinking this is how it ought to be
Laughing on a park bench, thinking to myself
Hey isn't this easy

No final de 'easy',prolongo o final da palavra,dando mais musicalidade à frase,suavizando a voz cada vez mais até começar a outra estrofe. Subo ambas as mãos para o meu peito,como se segurasse meu coração,cantando apenas para Finn. Como se só houvéssemos eu e ele no mundo inteiro.
And you've got a smile that could light up this whole town
I haven't seen it in a while since she brought you down
You say you're fine
I know you better then that
Hey whatcha doing with a girl like that

Eu e ele sabíamos que eu falava de Quinn nesta estrofe. Me levanto do banquinho conforme canto, dando alguns passos para frente e abrindo os braços lentamente,até chegar em 'that',quando abaixo os braços completamente e aponto para o peito de Finn,fazendo uma cara de "surpresa". Deixo abertura para Artie continuar a música,esperando ele vir para o meu lado.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Artie Abrams em Qui 1 Ago 2013 - 22:13

You belong with me...
Aquela tarefa estava lhe animando um pouco mais do que o esperado, abriu os olhos por alguns segundos e fitou os presentes na sala, parecia que Rachel iria utilizar aquela oportunidade para chamar Finn para o baile, Artie sabia que a pequena garota nutria sentimentos pelo jogador de futebol, mas não tinha certeza se a mesma tinha a coragem necessária para fazer tal declaração principalmente com a namorada do rapaz na mesma sala com eles. Ele tentou afastar esses pensamentos e se concentrar na canção que apresentava no momento.
- He's real built, and I ain't too buff, he's team captain, and I'm in the GLEE CLUB... - As letras alteradas pareciam divertir o resto dos participantes do coral, realmente ficaria estranho um rapaz cantando uma música como uma garota, ele fitou o violão rapidamente tentando não errar os acordes do violão. - Dreaming about the day when you wake up and find that what you're looking for has been here the whole time! - Ele olhou para Rachel e fechou os olhos deixando os acordes simplesmente serem tocados no violão e sua voz cantar sem dificuldades a letra da canção se preparando para misturar sua voz com a de Rachel. - If you could see that I'm the one who understands you been here all along so why can't you see... You belong with me... - A voz dos dois realmente se misturavam bem, o drama contido na voz de Rachel complementava bem com a voz suave do garoto. - Standing by and waiting at your back door all this time how could you not know... Baby.... You belong with me, oh yeah, you belong with me... - O garoto cantou as ultimas palavras sozinho com um tom um pouco triste na voz e esperou com que Rachel continuasse a canção.

____________________

Artie Abrams
^.^

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala do New Directions

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum