Auditório.

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Auditório.

Mensagem por Stalker em Qui 30 Maio 2013 - 16:53



Auditório



O Grande auditório Usado sempre pelo Vocal Adrenaline para treinar coreografias e suas músicas.
Um espaço enorme com muitos recursos.

____________________



The your ghost, the ur image. I'm the stalker!
avatar
The Bosses

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Shelby Corcoran em Seg 10 Jun 2013 - 21:55


Never look back...

It's time to breakout,

Ohio novamente, mesmo depois de tudo que houve e de todas as lembranças do passado. Entrar naquela escola me fazia lembrar dos meus tempos de glórias do colegial, mas também daquele tempo em que eu fizera coisas das quais já não me orgulhava. Deixar Rachel era uma delas. Esse era o fantasma do meu passado ao qual eu geralmente fazia todos os esforços para não me culpar de todas as formas. Entretanto, no final do dia eu sempre sentia aquela ponta de remorso evidente. Meus passos eram acelerados enquanto cruzava os corredores do Carmel na direção do auditório. Havia convocado uma peneira seletiva e também para renovar o Vocal Adrenaline. Sim, todos éramos campeões nos últimos anos, só que ficar na mesma coisa por mais tempo não daria tão certo como gostaríamos.

Cheguei ao auditório e vi muitas pessoas já esperando. Algumas eu conhecia, algumas nunca havia visto na vida. Jesse St. James era o que eu mais tinha contato. geralmente eu passava a eles os avisos e atividades aos demais quando não podia me fazer presente no âmbito escolar. Dei uma piscadela para ele quando desci as escadas que davam no palco central e retangular. Tendo subido na elevação, olhei para os rostos que me encaravam com certo receio nas feições. Dei um sorrisinho maquiavélico, mesmo que de brincadeira:-Bom Dia queridos. Para aqueles que não me conhecem ainda, sou Shelby Corcoran, nova treinadora do Vocal Adrenaline. Acredito que todos aqui sabem o motivo de estarmos todos reunidos. Teremos hoje uma breve audição novamente para aqueles que já fazem parte de nosso coral, mas também abriremos as portas para os nossos queridos novatos que assim desejarem se juntar á nossa armada. Caminhei para o centro do palco e seguia falando:-Acabou a moleza meninos. É hora de não somente vencer, mas de mostrar para todos que somos os melhores e porquê merecemos o topo daquilo no qual somos melhores. Por tudo isso que disse, tenho uma coisa para inspirar vocês. Algo que gostarão demais. Me encaminhei para um banquinho um pouco atrás de mim e nele sentei. Fiz um aceno convidando alguns garotos á entrar com seus instrumentos de percussão. Cruzei as pernas e esperei que todos se posicionassem em seus devidos lugares. Um dos garotos e assistente trouxe um microfone para mim. Trajava um simples colant preto com um vestido de mesma cor por cima e olhei para frente quando os retorcidos do início da música começaram.

Logo percebi que todos se curvaram um pouco para frente por talvez conhecerem a música. Preparei a voz e quando a introdução já havia passado, ergui minha voz e cantei:

All I can ever be to you,
Is a darkness that we knew
And this regret I got accustomed to
Once it was so right
When we were at our high,
Waiting for you in the hotel at night
I knew I hadn´t met my match
But every moment we could snatch
I don't know why I got so attached
It's my responsibility,
And You don't owe nothing to me
But to walk away I have no capacity...

Alguns alunos já remexiam com o ritmo animado da canção. Era muito envolvente e contagiante. Eu própria levantei da cadeira quando me pus a cantar o refrão da canção. A saia de meu vestido sacudia enquanto eu batia de leve com a palma da mão nele. Minha boca se comprimia num sorriso largo e entoava o vibrato perfeito ao cantar o refrão:

He walks away
The sun goes down,
He takes the day but I'm grown
And in your way
In this blue shade
My tears dry on their own...

Caminhava por entre os garotos dos instrumentos e dava piscadelas para eles. Parava de frente para o garoto do tambor e encostava o cotovelo nos ombos dele. Olhava-o de esguelha e balançava os quadris de forma animada com o ritmo corrente da canção. Cantava dando continuidade á música:

I wish I could say no regrets
And no emotional debts
'Cause as we kissed goodbye the sun sets
So we are history
The shadow covers me
The sky above a blaze
That only lovers see...

Afastei-me dos rapazes e segui para a ponta do palco. Desta vez a voz estava mais alta que o normal da canção. Ocorriam modulações de timbre para cada vez mais altos. Os garotos e garotas na platéia batiam frenéticas palmas e eu remexia no comando delas. Os cabelos balançavam de um lado para o outro e o mesmo sorriso de início ainda se fazia presente em meus lábios. Cantava aproximando-se do fim da música:

He walks away
The sun goes down,
He takes the day but I'm grown
And in your way
My blue shade
My tears dry on their own. (whoa)

Após eu ter finalizado a canção, os alunos levantaram de suas respectivas poltronas e me dirigiram aplausos calorosos. Fiz uma reverência e agradecia á eles. Não demorou até que dissesse:-Agora é a hora da verdade. Espero que não me desapontem. Espero quem quiser ir primeiro. Novato ou veterano. Desci do palco e sentei-me na platéia a cruzar as pernas.


OBSERVAÇÕES

Com Quem?


Meu querido VA.

Feelings ?


Extasiada e ansiosa.

Vestindo!


Colant preto e vestido preto por cima deste. Sapatilhas de mesma cor.










____________________

                Beth Corcoran ♪ Vocal Adrenaline We're going to Whip You!  
Shelby Corcoran

TKS CLUMSY @ SA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Jesse St James em Seg 10 Jun 2013 - 22:02


Vocal Adrenaline


Um dia que já tinha começado chato,apesar de ter vencido as nacionais Shelby ainda queria que eu me apresentasse nessa peneira que ela faria,mas como principal solista e líder do coral uma coisa eu ia fazer,que era impressionar todos naquela sala,abri minha bolsa e peguei uma partitura da canção,era diferente doque eu sempre faria,mas todos ficariam impressionados com meu talento,a canção me tocava emotivamente oque geralmente a maioria das canções que eu cantava no VA não aconteceria,suspiro lentamente e vou para uma sala vazia,com cuidado caminho até a sala dos instrumentos para que o Guarda não pudesse me ver e me colocaria para fora dali.abro a porta lentamente e a tranco para ninguém poder entrar ou ouvir se quer um pouco da canção já que os vidros eram a prova de som..Aqueço minha voz lentamente e suavemente e me assento sobre a poltrona do piano,e levanto passo a mão lentamente nas teclas e posiciono a partitura no local adequado dela.então começo lentamente a tocar notas suaves e lentas deacordo com oque estava na partitura e começo a cantarolar levemente nota por nota,e percebo que já estava na hora da apresentação..entro no auditório quando ouço o' –Proximo- de Shelby..segurando a partitura nas mãos caminhando ao centro do palco,esbarro sem querer em um garoto que parecia nervoso em um dos novatos,observei ele por alguns segundos e disse'-Oi- fui ao palco ao centro respiro fundo e digo'-Eu sou Jesse St. James e irei cantar Broadway Here i come-seriamente mais confiante fui a o piano que estava posicionado então coloquei a partitura no lugar correto e comecei a tocar a introdução da canção,fechei os meus olhos e comecei a refletir,então já era a hora e começo a cantar cada nota,cada verso da canção suavemente-
'I'm high above the city
I'm standing on the ledge
The view from here is pretty

Continuo tocando o Piano enquanto canto as notas foram ganhando força mas nada que fosse exagerado,tudo era suave e bem entoado então continuei a cantar tocando o Piano mantendo meus olhos fechados,sentindo a musica e me concentrando nela.
'And i step off the edge
A suavidade e a perfeição continuava a serem emitida,cada nota,cada verso da canção era sido emitido com emoção e sentimento,continuei com a suavidade com oque havia começado a canção mantendo minha voz em perfeito tom e harmonia com a musica,meus dedos deslizavam sobre as teclas do piano emitindo aquelas notas que tocavam meu coração e continuei cantando fazendo agudos com voz deacordo com o tom da canção suavemente.
'And now i'm falling, baby, through the sky, through the sky
I'm falling, baby, through the sky

Mantive a suavidade e a perfeição vocal enquanto cantava com todo o sentimento que tinha guardado dentro de mim.
'It's my calling, baby, don't you cry, don't you cry
I'm falling down through the sky

Continuei tocando a musica e aumentei um pouquinho,quase que não dava para perceber a minha voz subindo um pouco continuando com o ritmo suave e lento,a cada nota que emitia sentia cada vez mais a canção falar dentro de mim e preencher meu coração.oque canções que eu catava em competições muitas das vezes não fazia,comecei a demonstrar cada vez\ mais minha voz mas mantendo a suavidade e a perfeita afinação.
'Toward the street that i'm from
Oh, broadway here i come
Broadway, here i come

Voltei a tocar ao mesmo estilo que estava,o silencio permanecia então no tom da canção subindo com a intensidade subindo um pouquinho mais,e continuei ao ritmo da canção o escuro estava total e o silencio estava dominando,apenas ouvia-se a minha voz e o som do piano,um refletor estava sobre mim no meio daquele escuro sentia minha confiança sobre a musica e meu domínio sobre ela crescendo.
'The people all are pointing
I bet they'd never guess
That the saint that they're anointing
Is frightened of the mess

Permaneço tocando,então começo a crescer meu tom sobre a canção assim como aumento a intensidade com oque tocava o piano,comecei a elevar cada segundo e a cada verso a canção.
'But even though i fear it
I'm playing all my cards

Elevei minha voz ao alto,e comecei a emitir notas altas,com todo o sentimento que podia colocar,durante toda a canção permaneci com os olhos fechados me conentrando apenas na musica e esquecendo oque era a minha vida,percebi oque a musica,oque a Broadway significava para mim,o caminho era difícil,mas a canção me ensinava a vencer cada obstáculo proposto pela escada do sucesso.
'Baby, you are gonna hear it
When i give them my regards

Aumento a intensidade da musica e minha voz tomou conta de todo o lugar,os alunos do Coral estavam aos bastidores apenas me observando enquanto cantava,pensei em Se Shelby estaria gostando da minha apresentação..será que ela percebeu oque eu queria dizer através da canção?continuei com isso na minha cabeça e meu tom foi subindo e se firmou e criou força e tomou conta do local ao som do Piano e dos Violinos..
'I'm falling, baby, through the sky, through the sky
I'm falling, baby, through the sky
It's my calling, baby, don't you cry, don't you cry
I'm falling down through the sky

Faço alguns agudos enquanto toco,e imagino oque aquele garoto que estava nos bastidores estaria pensando enquanto canto,tento focar na canção pensando no garoto que estava lá,então respiro fundo e canto lentamente
'And i refuse to go numb
A cada verso de “Broadway here I come” eu colocava meu sentimento e respire fundo ao que eu realmente queria,Broadway era oque eu estava querendo,meu sonho era estar sobre aquele palco com um holofote sobre mim e uma grande platéia parecia um sonho tão longe e tão distante mas sim eu tinha certeza que eu conseguiria alcançar,respiro levemente tentando manter o controle vocal sem sair do tom uma única vez.
'Oh, broadway here i come
Broadway, here i come

Os violinos que haviam parados foram voltando aos poucos crescendo sobre a canção e eu continuei a canção com alguns arranjos e melismas crescendo cada vez mais.
'Broadway, here i come
Broadway, broadway, here i come

Respirei fundo e intenso,após pronunciar o “here I come” com alguns agudos,Segundo minha voz e então penso na única palavra que vinha a minha cabeça naquele momento”Broadway meu sonho” e então pronuncio com um tom superior a qualquer um feito durante toda a canção.
'Here
Com todo o meu ar e toda a minha extensão vocal,coloquei todo aquele sentimento que tinha em apenas duas palavras,então Pronuncio o '–I COME-com toda a minha intensidade e a minha emoção emito essas palavras em um tom superior sem desafinar em nenhum momento,uma nota que jamais fiz durante toda a canção,subindo intensamente,e seguro a nota por 10 segundos mantendo a mais perfeita afinação,ao descer desço rapidamente e cuidadosamente ao um tom mais baixo,sem saber a reação de cada um pois me mantive concentrado na canção então continuo a cantando sem ter perdido um pouco de fôlego mostrando toda emoção e força que era oque me fazia andar e prosseguir.
'And the last thing i hear
Segurei o –Hear- por alguns 3 segundos e voltei a entoar a canção quase chegando no final da musica,continuo então pronunciado os últimos versos da musica que se aproximava do fim.
'As the impact grows near
Is it a scream or a cheer?
Well, never mind, i'll never find out

Então continuei de acordo com a musica com leves arranjos e melismas ao findar cada nota,então canto as ultimas notas da musica.
'Cause broadway, i am here!
Antes de cantar o ultimo de verso,os violinos param e continuo apenas com minha voz sobre o piano então ao finalizar a ultima frase com o –Here-ao terminar de cantar exatamente ao mesmo segundo paro de tocar e finalizo a canção,então abro os olhos e penso-Fui bem?sim fui,sim-olho para Shelby esperando uma reação dela podendo ser positiva ou negativa,não tinha como prever oque ela achava dos números,e de mim ela sempre exigia mais perfeição e treinamento,então saio do palco e volto aos bastidores e fico posicionado ao lado do palco atrás das cortinas esperando oque ela comentaria sobre a minha apresentação.
...Another One Bites the Dust

Esse é meu post de número {01}. O tempo está {nublado}, e estou usando {isso}, estou falando com {Elle,Dexter}. Estou postando {Salão do VA}.



____________________

JESSE ST. JAMES

VOCAL ADRENALINE
BROADWAY, NY
greater than you


THANKS RAIN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Elle Stoller em Ter 11 Jun 2013 - 16:57


Notas: Início de gripe, garganta destruída.

Legenda: Ação - Pensamentos - Fala
Pain, this is NOT cool!


Mais um dia nessa droga de escola,e a cada instante eu sentia falta do Brasil, se eu pensava em voltar? Claro! O tempo todo,mas eu não iria engolir meu orgulho e dizer para todos que eu sentia falta daquele calor infernal que é no Rio de Janeiro. Minha avó iria querer filmar aquele momento de vergonha ao saber que eu finalmente admiti que estava errada sobre alguma coisa,não,definitivamente eu não iria fazer isso!
Meus planos para fugir daquele lugar ridículo,com pessoas irritantes e seres bizarros se achando pessoas comuns, revirei os olhos enquanto me afogava nos meus pensamentos,meu caminhar apressado ironicamente me fazer chegar atrasada nos locais. Eu fui aceita para ser uma HellCat,então desfilava pelos corredores lançando meu quadril para um lado e para o outro como se fosse uma passarela, estranho não é?!
Por fim dei uma parada em meu armário,colocando as coisas que estavam na minha mão dentro do grande utensílio,separando em minha mão um frasco de líquido de hortelã para melhorar a garganta que arranhava,aquele era um sinal de gripe,aproveito também para pegar Vick e um casaco, por mais que seja um dia de Sol,eu estava com frio, será que além da gripe era febre também?
Enquanto colocava o casaco,com o cotovelo fechei a porta do armário e segui para o Salão do VA,minha aparência de doente havia sido coberta com uma super camada de maquiagem.
Ao chegar lá,me deparei com a sala cheia de gente e com uma mulher tomando a direção do grupo,a fitei por uns instantes antes de me encaminhar para meu lugar.
Um garoto magro manteve os olhares em mim,o encarei por alguns instantes e então toquei o ombro dele.
-Sai dai magrecelo.
Ele me encarou como se fosse rir,séria ergui uma sobrancelha e então peguei a tesoura que se encontrava em minha cintura apontando para ele,em um sussurro para não atrapalhar a mulher que dava sermão.
-Não terei problema de arrancar seus olhos,sua língua e de fazer um casaco com as suas inúteis cordas vocais.
Eu me aproximava a cada palavra que dizia,sem reação o garoto se levantou e tomou uma ótima distância de mim,abri um leve sorriso vitorioso sentando e escondendo minha tesoura.
Shelby, blá blá blá, cantou blá blá e pra variar Jesse tentou chamar atenção,era um tanto ridículo isso que ele fazia. Se ele quer solos,faça por merecer e não puxe saco para conseguir....Não terá mérito algum.
Revirei os olhos enquanto meu odiado irmão cantava,espirrei o líquido de hortelã em minha garganta para que a mesma parasse de arranhar,por enquanto meu nariz ainda estava bem e minha voz foi pouco afetada com muito esforço.
Jesse foi o primeiro a se levantar,óbvio ele adorava ser o centro das atenções. Revirei os olhos e então comecei a mexer em meu celular a procura de músicas,peguei os fones de ouvido e então dei play em uma música da Beyoncé. Definitivamente Best Thing I Never Had não era uma música que falava de mim,mas eu gostava de ouvi-la, em um lance rápido procurei na internet a partitura em violão e piano,seria uma versão acústica que eu escolhi.
Eu baixei em meu celular e então Jesse sai do palco e vai para a espera,me levanto respirando fundo guardo os objetos que estavam na minha mão no bolso do casaco e me dirijo ao palco após ouvir Shelby falar que poderia entrar o próximo.
Com o olhar superior,sem mencionar palavra alguma para a mulher sentada enviei as partituras para as pessoas encarregadas do violão e do piano,enquanto eles liam rapidamente a partitura,procurei um microfone e um pedestal,logo puxei uma cadeira e ajustei tudo a minha altura sentada.
Voltei meu olhar para Shelby.
-Sou Elle Stoller,provavelmente já me viu pelos corredores. Vou fazer uma versão acústica da música Best Thing I never Had.
O microfone estava desligado,era uma espécie de ''enfeite" para melhor dramatização, olhei de rabo de olho para os encarregados da música e bati o pé fortemente no chão marcando o início da música lenta.
-1,2...1,2,3,4.
Três violões e um piano foi necessário para minha apresentação,o início lento me ajudou a controlar minha voz que a qualquer momento poderia arranhar,discretamente apoiei uma das minhas mãos em minha testa para constatar se minha febre continuava,e sim,eu estava bem quente.

-There was a time
I thought...
That you did everything right...


Eu mantive minha postura séria e minhas expressões como unir as sobrancelhas e movimentar lentamente e suavemente meus braços era parte da apresentação, sem encostar no microfone eu segui com a música.

-No lies...No wrong...
Boy, I, must've been outta my mind
So when I think of the time that I, almost loved you
You showed you ass and I saw the real you....


Eu estendia por breves segundos algumas palavras como "boy I","Almost loved you" e mostrei uma certa indignação com a letra em "You showed you ass and I saw the real you" gesticulando apontando para o teto e mantendo meus olhos perdidos na mulher por segundos e então desviei o olhar,eu estava no palco e todos mantiveram a atenção em mim.

-Thank God you blew it
Thank God I dodged the bullet
I'm so over you
So baby good lookin' out....


Novamente demostrei minha indignação mas mantive meu olhar em outras pessoas a cada verso,uma espécie de jogar culpa em cada um que estava ali. Jesse não estava a minha frente,então virei levemente meu rosto para ele e então cantando para o mesmo"So baby good lookin' out" fazendo sinal com a mão para o mesmo se retirar e pisquei para o mesmo com um pequeno sorriso,me ajeitei mantendo meu olhar fixo em uma cadeira vazia,alguns idiotas curiosos tentavam procurar por onde meu olhar pairava,revirei os olhos enquanto a banda tocava uma espécie de mini solo.

-I wanted you bad...
I'm so through with it!
Cuz honestly you turned out to be the... best thing I never had


Sem segunda voz alguma,dei um jeito de encaixar na música um fôlego maior,sem para continuei o verso.

-You,You turned out to be the, best thing I never had
And I'm gon' always be the, best thing you never had
I bet it sucks to be you right now-ow-ow-ow


Usando o mesmo que a Beyoncé,repetindo o "ow" algumas vezes,logo faço um bico de choro voltando a cantar,um refrão já havia se passado,eu ainda encarava a maioria das pessoas ali presente quando meus olhos se fixaram em Dexter,sorri de leve e pisque para ele, aquele rosto era super conhecido,eu adorava a presença dele e estava a um passo de
me aproximar mais dele.

-So sad, you're hurt
Boo hoo, Ooh, did you expect me to care?
You don't.... deserve.... my tears!


Logo abri um sorriso vitorioso e me levantei da cadeira assim ajeitando o pedestal para o microfone que não estava conectado ainda ficasse próximo a minha boca,minha decisão de não ligar o microfone estava dando certo,apesar de sentir uma leve dor na garganta graça o início de gripe eu atingia um volume alto fazendo com que todo salão ouvisse claramente oque eu cantava.

-I guess that's why they ain't there
When I think that there was a time that I almost loved you
You showed you ass and, I saw the real you


Voltei para o pré-refrão,em pé segurei com minhas mãos o microfone fortemente, eu balançava meu corpo de um lado para o outro,jogando o peso de uma perna para outra e logo aponto para o céu novamente, tiro o microfone do pedestal e então volto a cantar.

-Thank God you blew it
Thank God I dodged the bullet
I'm so over you
So baby good lookin' out....


Ao fim de ''out'' afinei minha voz atingindo um timbre fino,fechei meus olhos para me ocncentrar e afastei o microfone aos poucos da minha boca, e logo voltei a cantar o refrão

-I wanted you bad
I'm so through with it.
Cuz honestly you turned out to be the, best thing I never had
I said, you turned out to be the, best thing I never had
And I'll never be the best thing you never had
Oh baby I bet sucks to be you right now....


Novamente repetindo o mesmo feito de Beyonce em "Now" no fim do trecho,com o mesmo fôlego emendei a outra parte. O violão e o piano acompanharam perfeitamente o ritmo, acredito que aqueles instrumentistas faziam verdadeiros milagres!

-I know you want me back
It's time to face the facts.
That I'm the one that's got away
Lord knows! That it would take another place, another time, another world, another life
Thank God I found the good in goodbye!


Entre os tempos de pausa eu encontrava o momento certo para tomar fôlego suficiente para me manter cantando, minha garganta latejava, e uma vontade de tossir era incontrolável. Então fechei meus olhos e continuava com a atuação demostrando indignação eu gesticulava e unia as sobrancelhas a cada instante fitava uma diferente pessoa,até novamente parar meu olhar em Shelby que se manteve como uma estátua sem expressão alguma,ela era indecifrável!

-I used to want you so bad
I'm so through it that.
Cuz honestly you turned out to be....
You-You turned out to be
And I will always be the, best thing you never had.
Best thing you never had!


Eu mantive meus olhares fixos nela,minha postura correta e exemplar,não demostrava mais uma leve tontura me tomou. Após a exclamação a banda continuou a tocar,então em um sinal de baixar guarda eles foram diminuindo a intensidade e o ritmo do toque. Respirei fundo me esforçando mais um pouco para não tossir e não perder o equilíbrio.

-I bet it sucks to be you right....Now.

Meu tom calmo e bem pausado,fitei Jesse erguendo apenas uma sobrancelha por poucos segundos e então decidi unir oque eu havia usado no palco,que era a cadeira o pedestal e o microfone. Após guardar no canto,verifiquei se tudo oque eu havia guardado no bolso do casaco permaneceu ali então borrifei novamente o líquido de hortelã em minha garganta, ainda no palco.

-Terei que ir a enfermaria, então pode contar para o Jesse ou para o Dexter meu resultado. Obrigada.

Ajeitei meu cabelo e então desci do palco seguindo meu caminho para a enfermaria,era claro perceber que eu iria para casa,a febre não baixava e a tontura que agora era pouco intensa ainda se mantinha. O jeito é rezar para não me mandarem ficar de repouso e sem falar/cantar.
[size=9]Thanks Geovanna Mambiet @

____________________

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Taylor Scott Davies em Qua 12 Jun 2013 - 15:54


To love you more

 


*Estava cansado da noite anterior, onde havia saído com uns amigos, e isso me fez deitar na cama e desabar em um sono profundo, acordando somente no outro dia. Durante a noite, sonhei com meus pais, que ainda estavam em Londres, o que, ao acordar, me deu mais saudades ainda de minha mãe, cuja a face não via, pessoalmente, fazia mais de dois anos. Levantei lentamente da cama e sai andando, muito devagar. Tropecei no pé de uma mesa, batendo muito forte com o dedo mindinho do pé, e dei um soco na porta de tanta dor. Fui até o banheiro, tomei um banho quente e depois escovei meus dentes. Voltei para o quarto e vesti uma calça jeans, uma camisa vermelha que continha a marca "Brooksfield" emblemada na frente, em branco, e um Vans caramelo de camurça, liso. Olhei para o relógio e vi que faltavam dez minutos para começar a aula, e eu ainda não estava pronto. Corri para o banheiro, ajeitei meu cabelo para o lado, borrifei um pouco de perfume no pescoço, no peito e nos punhos e passei um pouco de desodorante nas axilas. Para isso, tive que tirar minha camisa, pois esta era justa, o que me atrasou um pouco. A vesti novamente, peguei meus materiais e saí do apartamento. Apertei o botão do elevador, quando vi uma mulher saindo do apartamento ao lado com um bouquet de rosas, e dei um pulo. Havia me esquecido que era dia dos namorados e que o presente de Nicholas estava no meu apartamento. Voltei rapidamente, peguei a caixa vermelha em cima da minha mesa de centro na sala, e voltei ao corredor. Tranquei meu apartamento e entrei no elevador, que estava parado no meu andar. Desci e saí correndo para o meu carro. Olhei para o relógio e vi que a minha aula já havia começado. Bati com as mãos no volante do meu Mustang preto conversível, e fui para o colégio. Ao chegar lá, entrei na aula de biologia, quando o sinal bateu, e fiquei esperando a aula do Vocal Adrenaline. Jesse entrou na sala e nos disse que teríamos uma surpresa no auditório. Fui até lá enganchado em Nicholas e me sentei ao lado dele. Nesse momento, Shelby apareceu no palco e nos deu pequenas instruções sobre o que deveríamos fazer. Ela fez uma bela apresentação, seguidas pelas de Jesse e depois de Elle. Agora, chegara a minha vez. Como era dia dos namorados, havia preparado algo para Nicho. Enquanto ela conversavam, me levantei, fui até a coxia com uma sacola e o presente de Nicholas. Coloquei o presente bem ao lado do palco. Vesti, na coxia, uma calça preta social, um sapato social preto e uma camisa também preta. Sorri para o nada e entrei no palco. Nicholas me olhava perplexo enquanto falei no pedestal reto, onde estava meu microfone: "Bem, eu quero dedicar esta canção à Nicholas, meu namorado e futuro marido." Olhei para ele, e complementei: "Eu te amo, amor". Sorri e me concentrei. A musica começou lentamente, com um som de flauta doce fazendo um pequeno solo, e com um piano e um violoncelo de fundo. Respirei fundo e olhei para meu amado. Comprimi o diafragma e comecei a cantar:

- Take me, back into the arms I love
Need me, like you did before
Touch me once again
And remember when
There was no one that you wanted more

*A musica me deixou muito tocado, pois me lembrava muito do passado não muito construtivo que eu e Nicholas tivemos, porém, celebrava o amor que teríamos daqui em diante. Coloquei a mão por sobre o diafragma na barriga, me enchi de ar e o comprimi. Com a outra mão, estiquei levemente em direção à Nicholas, que estava a me assistir da platéia. A musica ficou mais alta e eu entrei no refrão, que eu esperava:

- I'll be waiting for you
Here inside my heart
I'm the one who wants to love you more
You will see I can give you
Everything you need
Let me be the one to love you more

*Eu realmente queria ser aquele que o amava mais. Dentre família e outros, eu queria ser tão importante para ele quanto ele era para mim. Aqueles olhos azuis fixados em mim e estando pouco boquiaberto, faziam me apaixonar cada vez mais por ele. O ritmo da música diminuiu um pouco e eu voltei a cantar. Apenas olhando para frente:

- See me, as if you never knew
Hold me, so you can't let go
Just believe in me
I will make you see
All the things that your heart needs to know

*A música tomou o tom mais alto e desta vez estando, perceptivelmente, um pouco mais lenta do que no outro refrão. Soltei o microfone sem fio do pedestal e fui até a beira do palco, onde uma pequena escada me aguardava. Eu desci e fui até Nicho. Peguei a mão dele, puxei ar, comprimi o diafragma e cantei, enquanto ele se levantava:

- I'll be waiting for you
Here inside my heart
I'm the one who wants to love you more
You will see I can give you
Everything you need
Let me be the one to love you more

*Fui andando de costas para o palco, levando Nicholas até ele, pela mão. O toquei no rosto e sorri. Depois, voltei a pegar-lhe pela mão. Subi as escadas com ele e eu estava entrando no clímax da musica. Ele ficou me olhando e eu cantei para ele, de frente, enquanto ficava de lado para o público. Agora, comecei a dar agudos maiores:

- And some way, all the love that we had can be saved
Whatever it takes, we'll find a way

*A musica repentinamente diminuiu e ficou bem lenta, enquanto eu sorria para Nicho. A flauta ia voltando a tocar, paulatinamente, e em beijei a mão de Nicho. Eu sorri, respirei fundo e comprimi o diafragma. Eu já estava cheio de lágrimas nos olhos, e ele estava soltando pequenas lágrimas pelo rosto. Cantei:

- Believe me
I will make you see
All the things that your heart needs to know

*A musica parou no ar do nada e eu olhei reto para Nicholas. Ficaram uns cinco segundos sem tocar nada. Foi quando subiram 3 tons na musica. Eu fechei os olhos e abri a boca ao fazer um longo agudo em "I'll Be Waiti...ing". Ao final sorri e comecei a fazer melismas em agudos muito altos, seguindo o ritmo da musica com a voz, em dois tempos. Depois, segurei a ultima nota por três segundos e terminei a música:

- I'll be waiting for you
Here inside my heart
I'm the one who wants to love you more
Can't you see I can give you
Everything you need
Let me be the one to love you more

*Soltei lagrimas de emoção e Nicholas me abraçou forte. Retribui o abraço e depois o beijei. Todos ali aplaudiram de pé minha apresentação. Eu sorri para ele e para os outros, descemos do palco e eu peguei seu presente. O entreguei e disse, sorrindo: "Espero que goste". O beijei e ele abriu o presente. Era um porta-retratos em forma de coração, com uma foto nossa. Em cima, havia um cartão, onde havia um "vale-janta no apê do Tay" e um cardigan cinza, embrulhado em um plástico transparente. Fui até a coxia, coloquei minha antiga roupa e me sentei ao lado de Nicholas, de mãos dadas e com minha cabeça deitada em seu ombro, onde esperamos a próxima apresentação.



Day: 12/06/13    Place: Sala do Vocal Adrenaline    With: Coral    Humor: Apaixonado              
credits @

____________________

Taylor Scott Davies
Inglês - London - Broadway - VA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Beatrice A. Lennon em Qua 12 Jun 2013 - 22:25






I'm not gonna teach him


Em uma sexta-feira ensolarada,que diga-se de passagem (Dias ensolarados são os melhores), Beatrice ouvira algo sobre um glorioso clube de coral que pertencia à simples Carmel. Não preciso explicar o por que dela ter ficado bastante animada com o que ouvira, a menina é, incontestavelmente, uma ótima cantora e, além disso, adora o que faz, que, pois bem, é cantar (como obviamente percebe-se). Sem perder tempo, resolveu ficar super atenta ao assunto. 
Ouvira dizer também que os membros dos clubes de corais são aqueles que... bem, os sofredores que não possuem espaço nas escolas. Mas parecia que lá era diferente. Havia até umas pessoas que andavam abrindo os espaços pelos corredores, de fato chamavam atenção. E não faziam parte de cheerleaders ou times de football (pelo menos não aparentavam), essas pessoas eram (como havia ouvido falar) membros do Vocal Adrenaline, o tal clube do coral. Seus olhos encheram-se ainda mais. "Não seria ótimo ganhar popularidade fazendo o que amo fazer??", pensava a garota com um sorriso um tanto quanto animador e sonhador em seus lábios. 
O chamado VA era assim tão popular por ter ganhado as nacionais (competição importantíssima para um coral) oito vezes consecutivas. Era algo que os enchia de orgulho. Beatrice queria encher-se de orgulho também! 
Ela procurou uma menina que participava do coral e a mesma não foi muito simpática com Beatrice. Mesmo assim a Lennon não desistiu.
Em uma segunda-feira (segunda-feira de duas semanas depois), a menina resolveu "invadir" (digamos assim) o ensaio do Adrenaline para receber alguma informação que realmente prestasse sobre como entrar no clube. Ela poderia ter pedido informação na diretoria, mas não havia pensado nisso.
Sentou-se em uma cadeira ao fundo do auditório e passou a ignorar todas as perguntas do estilo "Quem é você?" "Foi convidada a assistir ao treino por um acaso?" "É uma espiã?". Parecia até mesmo que era louca ou surda (surda, cega, muda...) e não movia um só músculo. Viu uma elegante senhorita entrar pela porta e começar a pronunciar curtas palavras. Seu nome era Shelby e ela tinha o objetivo de avaliar as pessoas ali presentes e decidir quem entraria no coral. Dia de sorte de Beatrice, é claro que faria sua audição e é claro que entraria para o Vocal Adrenaline. Assistiu à duas performances (A do menino bonitinho e a da menina que tinha o mesmo sobrenome deles) e reparou que tinham ido realmente bem. "Espero que não aceitem todos, pois o número de talentos nessa sala é enorme comparado ao número de vagas", pensava ela apreensiva. 
Ao fim da apresentação da menina chamada Elle, Beatrice levantou-se e dirigiu-se ao palco.Logo foi ao microfone, que se encontrava ao pedestal, e então fez uma breve apresentação.
- Olá! Meu nome é Beatrice April Lennon e estarei cantando para essa audição a música "I'm not gonna teach your boyfriend how to dance with you."
Maior título para uma música não podia existir. Olhe só, I'm not gonna tech your boyfriende how to dance with you. Beatrice falou tal nome de forma tão rápida que nem sentiu o quão enorme era. 
Virou-se de traz para seus futuros colegas de coral e sua treinadora, mas não saiu daquela direção (próxima ao pedestal). A introdução começava e com ela os integrantes da banda cantavam em coro "One, Two, Three", com um breve intervalo de tempo. Logo depois puderam gritar animadamente "One, Two, Three, Four!", e aí a introdução começara de verdade! Beatrice apenas remexia-se de um lado para o outro e batia seu pé direito no chão. Quando percebeu que estava na hora de começar a cantar, virou-se em direção aos outros e estava de volta encarando o pedestal. Roubou-o de lá e agora o objeto encontrava-se em sua mão. Forçou uma voz um pouco mais aguda que o normal e pôs sua mão esquerda sobre sua cintura. Aproximou mais o microfone de si e inclinava-se para sua frente. Olhou de canto para o pessoal e então deu um pequeno sorriso. 

You are the girl

Endireitou a postura e escorregou sua mão que se encontrava a cintura até o quadril. Sua voz estava mais melodiosa que antes e ainda aguda. Era engraçado ouvir seu carregado sotaque britânico naquela canção, porém, aos seus olhos, achava fofo. Soltou seu andar a passou a "rebolar" durante o tal ato, posicionando sua mão esquerda ao lado de seu quadril, dobrada para o lado. 

I've been dreaming
Of ever since I was a little girl

Na beirada daquele imenso palco, virou-se para o lado esquerdo e então repetiu os movimentos anteriores. Pois a mão na cintura e inclinou-se para frente. Sua voz conseguia estar ainda mais melodiosa que antes e o agudo permanecia do mesmo jeito, brincava com ela de maneira tão natural que impressionava qualquer um, pois soava de maneira perfeita. 
Lançou um olhar meio intimidador para quem estava ali presente e então levantou-se e escorregou sua mão até o quadril, partindo em passos curtos e desleixados para trás, como fez antes (só que para frente).

You are the girl that I've been dreaming
Of ever since I was a little girl.
Tinha um sorriso no rosto. Um sorriso feliz e um brilho no olhar. Divertia-se muito durante suas apresentações e realmente orgulhava-se. Ouvia sua voz e achava-a bonita e afinada. Diriam que era convencida, mas não era bem assim.  Apresou seus passos e quase começou uma pequena corrida em pleno palco. Seus passos estavam em total acordo com a música, pareciam verdadeiros passos de dança. Com sua mão livre (a esquerda) levantou o indicador e inclinou o braço para frente, fazendo o sinal do número um. Inclinou-se muito pouco para frente e aproximou a mesma mão de seu rosto. Encenava uma expressão agoniada e assim fez sua voz ficar ainda mais aguda e tomar um ar melancólico. Ajeitou-se em sua postura comum e levantou seu braço, que antes indicava o número um, fazendo o número dois (ou o sinal de paz e amor - Mas este não tem muito a ver com a letra da música). Aproximou sua mão de seu rosto por mais uma vez e então fez uma expressão surpresa e agoniada. Mal fez o sinal do três, pois foi como se entrasse em tremendo desespero e a agonia, como indicava sua expressão facial e sua voz (que mesmo assim não deixava de ser harmoniosa). Deu pequenos pulinhos e foi parar na beirada do palco novamente enquanto fazia uma contagem de "1, 2, 3, 4".

One!
I'm biting my tongue.
Two!
He's kissin' on you.
Three!
Oh, why can't you see?
One! Two! Three! Four!


Nesta hora estava pra lá de animada. Deixou a encenação de lado e deixou sua voz menos aguda, mas ainda melodiosa. Jogava seu quadril para um lado e para o outro enquanto andava de lado pelo palco. Jogou sua mão para o lado enquanto inclinava a cabeça para o outro, encarando o chão e, depois de segundos, fechando os olhos. 

The word's on the streets and it's on the news:
I'm not gonna teach him how to dance with you.

Empolgou-se ainda mais que no início da canção e, em um pulo, encontrou-se olhando para outra direção, correndo por ela, levantando suas mãos para o alto e balançando-as enquanto o pessoal (também animado) gritava "Dance, Dance, Dance, Dance!"


He's got two left feet and he bites my moves.
I'm not gonna teach him how to dance! 
Dance! Dance! Dance!


Já estava próxima a escada lateral do palco e então desceu pela mesma, de forma tão graciosa e tão despojada que nem percebeu que realmente fizeram uma decida e agora se  encontrava na parte de baixo do auditório, junto dos outros companheiros e a treinadora. Apontou então para si mesma e depois apontou para um menino qualquer de olhos claros, sorrindo para ele. Virou-se para Shelby e foi andando até ela, com a intenção de intimidar, mas apenas a fez rir (fez as duas rirem). Quando chegava perto dela, mudou a direção e voltava para aonde estava dando animados pulinhos com o braço desocupado para o alto.

The second I do, I know we're gonna be through.
I'm not gonna teach him how to dance with you.
He don't suspect a thing. I wish he'd get a clue.
I'm not gonna teach him how to Dance! 
Dance! Dance! Dance!


Virou-se de costas e balançava os quadris de acordo com o ritmo da canção. Batia uma mão na outra e de um lado para o outro, depois batia no lado direito de seu quadril. Então virou-se de volta e finalizou a canção com apenas dois versos (tais já cantados antes.)
I'm not gonna teach him how to Dance! 
Dance! Dance! Dance!

Sabia que na música havia muito mais coisa, mas aquilo era o necessário para a audição. Sentiu que tinha ido bem e que havia animado as pessoas que ali estavam. Com certeza seria aceita. Além de amar a canção, soube muito bem como interpretá-la. Sorriu com satisfação e então sentou-se em uma das poltronas após ouvir aplausos. Agora sentava-se na frente e não ouvia mais perguntas indesejadas, eram apenas elogios que a deixavam com um belo e grande sorriso.

post: 001  notes:  ...What?  tagged: I'm not gonna teach your boyfriend, I'm not gonna  clothes: Just clothes u.u
tks, clumsy@sa!

____________________

Beatrice April Lennon
Singer ♫♪ Vocal Adrenaline ♫♪ Liverpool

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Paul Grayson em Sex 14 Jun 2013 - 12:00




TAG: TAGS; WEARING:; NOTES; NOTES;
O Auditório


Depois de um dia ótimo com o Charlie,ele marcou um encontro para hoje,estava ancioso e ao mesmo tempo feliz,fui ao auditório usando uma calça preta,uma camisa branca all star uma jaqueta de couro e um cachecol,lá havia uma  ''audição'' no Vocal Adrenaline já havia pensando na musica e em parte da coreografia,vou atrás do palco para uns ajustes de video entre outras coisas,e e então ouço Shelby falar [color:73f9=FF99CC]''O próximo!''Vou ate o centro do palco e digo-''Eu sou Paul Grayson e vou cantar Set Fire to the Rain.''A melodia da musica se inicia,seguro o suporte de microfone,os holofotes ficam ligados diretamente em min,aquela luz clara me deixa um pouco nervoso mais ignoro e começo a cantar

''I let it fall, my heart
And as it fell, you rose to claim it
It was dark and I was over
Until you kissed my lips and you saved me''


Fecho os olhos,solto o suporte e estendo meus braços,meu pensamento estava totalmente longe,tinha que me concentrar no porquê de estar em Akron,na Carmel,no VA,para seguir meus sonhos...

''My hands they were strong
But my knees were far too weak
To stand in your arms
Without falling to your feet''


Abro os olhos,tiro o microfone do suporte e caminho pelo palco.A minha concentração havia voltado,expiração também.

''But there's a side, to you, that I never knew, never knew
All the things you'd said, they were never true, never true
And the games you'd played, you would always win, always win''


Estava na hora,Abro os braços e as telas do fundo do palco parecem queimar,leves gotas caem pelo palco,não molhando muito mais dando um efeito especial junto com o vento

''But I set fire to the rain
Watched it pour as I touched your face
Well, it burned while I cried
'Cause I heard it screaming out your name, your name!''


Volto ao centro colocando o microfone no seu suporte cantando de forma leve,triste.

''When I lay, with you
I could stay there, close my eyes
Feel you here forever
You and me together, nothing is better!''


Volto com a força,chega daquela tristeza,luzes das cores quentes e frias se misturam pelo palco dando um toque de intensidade a musica

''Cause there's a side, to you, that I never knew, never knew
All the things you'd said, they were never true, never true
And the games you'd played, you would always win, always win''


As luzes se mexiam pelo palco,volto a caminhar pelo palco com o microfone.

''But I set fire to the rain
Watched it pour as I touched your face
Well, it burned while I cried
'Cause I heard it screaming out your name, your name!''


Dou varias voltas pelo palco,já havia percebido que tinha feito performances bem melhores que essa,estava totalmente distraído no que viria pelo dia,estava tenso porem feliz,volto ao centro do palco caminhando lentamente

''I set fire to the rain
And I threw us into the flames
Well, it felt something died
Cause I knew that that was the last time, the last time!''


Chego ao centro do palco,coloco o microfone de volta no suporte,canto de maneira dolorosa,como se estivesse agoniado para mais tarde,para o meu futuro.

''Sometimes I wake up by the door
That heart you caught must be waiting for ya…
Even now when we're already over
I can't help myself from looking for ya''


As luzes e holofotes se apagam deixando apenas o telão queimando,o fogo ia apagando devagar o vento que os ventiladores geravam iam parando lentamente os pingos mal caiam

''I set fire to the rain
And I threw us into the flames
Well, it felt something died,
'Cause I knew than that was the last time, the last time!
Oh oh oh oh oh…
Let it burn…''


Tudo se apaga,havia terminado,saio por traz do palco,sigo para a entrada da escola para ver se minha agonia para.

Paul Wesley

TANKS BEECKY, AT OOPS!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Amélia Yordanova em Sab 15 Jun 2013 - 0:45



tagged: Um teste para o coral

place: Auditório - CHS

notes: Sexy baby! #SoQueNão!

lyrics: If U Seek Amy
Love me or hate me!

Segurança, o que definimos como segurança realmente e o que se julga seguro, sensato ou ao menos lógico de ser praticável? Bem a resposta a essa pergunta existencial provavelmente não sairia flutuando de minha mente turbulenta em apenas um dia, muito menos em um dia como o de hoje, porém era algo que me questionava todas as vezes que tinha que escolher uma musica; O seguro versus o ousado, segurança de mais pode te levar ao topo porém pode trazer mais monotonia e isso pode te derrubar em um segundo, por outro ponto o ousado pode trazer a mesma derrubada rasteira se não for utilizado de maneira inteligente.... Ao que parece-ser lógico em suma e que uma canção não deve ser apenas uma canção em certos momentos ela deve estar carregada de uma intenção, motivo real para o qual á esta cantando, não apenas porque acha tal letra, tal melodia liricamente bonita isso não te faz ir a lugar algum, pelo menos não aos pontos limites, ao topo se não associado a algo realmente relevante...


A escola realmente era um lugar de descobertas, não diria erros, passiveis aos erros claro mas danadas a eles muito improvável, vejo isso muito bem todos os dias quando chego a Carmel. Transferências não são muito confortantes principalmente quando você esta trocando de escola, ser nova te faz ter uma noção real de como todo um sistema funciona de maneira elencada, o tratamento obviamente aqui e diferente de minha antiga escola que funcionava seguindo uma hierarquia quase estereotipada, populares aqueles que são ou atletas ou líderes de torcida e os demais eram muitas vezes subjugados e rebaixados por se dedicarem a alguma coisa diferente disso. E interessante ser nova por tal aspecto, interessante porque a Carmel e basicamente um inverso da hierarquia aqui não são populares aqueles que detêm um lugar num time de futebol ou usam saias e pulam por todo um campo torcendo e gritando, aqui e popular quem e de um outro grupo, um grupo que muitas vezes provavelmente e merecedor de tal prestigio.

Acordar cedo principalmente em um dia tão atarefado como hoje ainda por sinal deveria me deixar desanimada no mínimo, porém acordei com um animo extremamente estranho esta manha, teria de apresentar um trabalho na aula de literatura nada muito complicado porém era mais uma atividade em minha lista já não tanto espaçosa como a duas semanas atrás quando cheguei aqui; De la pra cá muitas coisas mudaram principalmente em relação as pessoas que eu conhecia, eu tive o azar ou sorte dependendo do ponto de vista de sem querer derrubar alguns livros de um garoto chamado Jesse, primeiro realmente pensei que seu nome se grafava com y porem foi apenas um erro auditivo inerente ao meu estado de desconforto, cá entre nos merecido considerando que eu quase dei uma cabeçada no garoto.... Por algum motivo bizarro porém alguns poucos dias depois ele veio falar comigo em um intervalo, algo sobre o coral escolar, o que pensei ser uma boa ideia já que adorava cantar e já que participara de um coral escolar quando era aluna do fundamental... Talvez realmente fosse uma boa ideia e então me inscrevi para um teste que milagrosamente finalmente chega hoje, nada de muito importante pelo menos a primeiro plano....

Depois de um bom banho gelado para terminar de acordar de vez eu me seco e me troco, desta vez usava um shot preto simples com uma blusa roxo claro - que deixava o meu lindo umbigo de fora - e o meu amado e lindo companheiro um All Star de cano médio, tomei o meu café bem rápido por sinal uma tigela de cereal com leite em cinco minutos, e subi para escovar os dentes e terminar de me arrumar. Decidi por deixar o cabelo livre hoje então apenas o desembaracei e o deixei solto com minha franja meio de lado, passei lápis de olho bem preto e uma sombra da mesma tonalidade deixando o meus olhos bem marcados, por ultimo peguei algumas pulseiras que havia comprado recentemente e as coloquei no pulso, peguei a minha mochila e fui para a escola. Fui andando ate a escola que não ficava nem a uma dúzia de quarteirões da casa para onde eu havia mudado recentemente, agradeço por essas ruas não serem tão confusas quanto as de minha antiga cidade pois se fossem eu ainda estaria procurando o caminho de volta para a minha casa neste exato momento! Como de praste eu dei uma passada no meu armário onde deixei a mochila por lá para evitar de carregar peso, dei uma ultima olhada no espelho e peguei os fones de ouvido do meu I-phone, indo em direção a aula de literatura onde apresentaria o meu trabalho e então depois do sinal o teste aguardado....

********************************************************************************

O sinal finalmente bate e meus pensamentos frenéticos agora se transformam em um amontoado de ideias histéricas e fulminantes, mal vejo a hora de me apresentar..... Ando calmamente por uma série de corredores que se entrecruzam dentro da escola, o que depois de um tempo mínimo parou de me incomodar tanto quando na primeira vez que andei por eles sozinha, o que era algo desesperador quase. Olho o relógio em meu celular que indica que faltam poucos minutos para os testes terem o seu inicio, chego ao auditório alguns minutos antes, não tandos quando desejaria; Haviam algumas duzias de pessoas e no meio desse mar de gente eu apenas consegui identificar Jesse que aparentemente conversava com uma professora, a professora então olha a quantidade de pessoas no recinto e dá alguns passos em direção ao grande palco em nossa frente enquanto se apresentava brevemente " -Bom Dia queridos. Para aqueles que não me conhecem ainda, sou Shelby Corcoran, nova treinadora do Vocal Adrenaline. Acredito que todos aqui sabem o motivo de estarmos todos reunidos. Teremos hoje uma breve audição novamente para aqueles que já fazem parte de nosso coral, mas também abriremos as portas para os nossos queridos novatos que assim desejarem se juntar á nossa armada. " andando em direção ao centro do palco Shelby continua falando calmamente com pausas graduais e calmas " -Acabou a moleza meninos. É hora de não somente vencer, mas de mostrar para todos que somos os melhores e porquê merecemos o topo daquilo no qual somos melhores. Por tudo isso que disse, tenho uma coisa para inspirar vocês. Algo que gostarão demais. " Ela começou a cantar então uma música que não reconheci ao primeiro som porem uma melodia realmente inspiradora que não durou para sempre infelizmente alguns poucos minutos depois ela já estava descendo do palco e se encaminhando há uma cadeira onde cruzou as pernas e deu a deixa para o inicio dos testes ou re-testes para aqueles que já eram membros do coral, Jesse como previsto foi o primeiro e realmente não surpreendeu ( Já que a surpresa seria se ele não fosse bem o que não aconteceu '-') Mais alguns aventureiros se ofereceram para tomar os espaços nos primeiros testes e eu apenas observei os mesmos de longe, Jesse nesse meio tento sentou-se ao meu lado me encarando de uma forma estranha, ele queria perguntar algo provavelmente porém não o fez o que foi de tudo engraçado...

Quando finalmente houve uma brecha entre o frenesi de pessoas querendo se apresentar loucamente eu me levantei dando uma olhada de relance para ele e coloquei meus livros escolares sobre a cadeira a qual estava sentada a pouco, fui então em direção ao palco e me posicionei ao centro ou quase o centro já que era um pouco difícil de calcular um centro aproximado em dimensões tão grandiosas como neste palco, olhei então para as fileiras de cadeiras procurando pela senhorita Corcoran e então finalmente falei alguma coisa " Olá, meu nome e Angelinne Emanuelle Petit Lefevre ou apenas Angel, como preferir... Hoje cantarei If U Seek Amy original de uma cantora que eu realmente admiro muito, Britney Spears! Espero que gostem. " enquanto falava procurava pelo banco usado algumas apresentações atras, não muito difícil de acha-lo posicionei o mesmo próximo a minha posição inicial e me sentei cruzando as pernas, com meus cotovelos sobre meus joelhos e com os braços trançados um no outro olhei vagamente para frente enquanto começava a cantar a melodia tentando não parecer tão nervosa como talvez estivesse sem notar, abaixo então os braços juntos direcionando meus antebraços para a esquerda inclinando também minha cabeça em mesma direção "-La la la, la la la, la la;  La la la, la la la, la la" A melodia bruscamente para e toma uma nova guinada o que me faz me endireitar sem pensar realmente em um motivo lógico para tal  "-Oh baby baby, have you seen Amy tonight?" com o braço então agora esticado viro o rosto para a direita e os braços juntos para a esquerda "-Is she in the bathroom? Is she smoking up outside?" então apenas me ajeito novamente no banco desfazendo a junção que anteriormente estava explicita entre meus braços e segurando com firmeza no acento do mesmo "-Oh baby baby, does she take a piece of lime"  por fim descruzo as pernas rapidamente e cruzo meus calcanhares em um movimento mais leve e limpo  "-For the drink that I'm buy her? Do you know just what she likes?"

Abro novamente as pernas desta vez não as cruzando novamente como feito anteriormente, pego com as mãos o meu pescoço e o seguro devagar mão sob mão de maneira a esconde-lo "-Oh oh, tell me have you seen her" Então levanto e fico em pé por alguns poucos segundos diante do banquinho apoiada com um pé entre seus pés de sustentação  "-'Cause I'm so, oh, I can't get her off of my brain" só então começo a caminhar lentamente em direção a borda do palco de maneira calma e lenta cantando para o horizonte sem focar em um ponto especifico da plateia  "-I just wanna go to the party she gon' go" ão chegar então a borda do palco agacho-me e agora sim mirando na senhorita Corcoran canto o ultimo verso antes do refrão, "-Can't somebody take me home? Ha ha he he ha ha ho" em um ultimo momento antes do mesmo jogo a cabeça para traz fazendo o meu cabelo acompanhar o movimento e sair do meu rosto. Sento-me bem a beirada do palco onde começo a fazer um trabalho simples de coreografia com as mãos com os braços esticados fecho as mãos algumas poucas vezes rapidamente depois as deslizo ate os ombros onde as deixo por cerca de dois segundos antes de de entrecruzá-las bem rápido  "-Love me, hate me, can't you see what I see?" apoio minhas mãos em minhas cochas e giro o meu tronco para a esquerda e depois para a direita fazendo o mesmo movimento para ambos os lados, deslocando os ombros para frente e depois para traz bem rápido depois com as duas mãos sob o meu rosto, especificamente a frente de meus lábios eu finjo os tapar inclinando a cabeça para um lado e as duas mãos para o outro repetindo o inverso em seguida "-All of the boys and all of the girls are begging to if u seek amy" Abro levemente as pernas e apoio as duas mãos no palco colocando desta vez mais velocidade induzindo então meus ombros a uma altura maior do que no movimento anterior "-Love me, hate me, say what you want about me"  Levanto a mão esquerda em sequencia colocando ela em minha testa e dando uma olhada panorâmica, fazendo o mesmo com a direita em  sequencia apoiando-as ao voltar ao palco só que desta vez ao lado de fora de minhas pernas, olhando para a frente desta vez para Jesse continuei cantando a musica  "-Love me, hate me"

Depois disso passo a mão novamente em meus cabelos enquanto os bagunço de uma maneira controlada, ou quase isso eu continuo a cantar "-La la la, la la la, la la; La la la, la la la, la la " Levanto as mãos e seguro o meu cabelo então acima da cabeça ainda olhando para a esquerda e depois consecutivamente para a direita "-La la la, la la la, la la; La la la, la la la, la la" Levanto-me então do chão com as mãos ainda apoiadas no palco agora subindo lentamente por entre minhas pernas e sucessivamente então por minha bariga semi-despida e depois ate os meus ombros onde volto novamente ate o meio do meu tronco com as mãos e subo novamente em direção aos ombros  "-Amy told me that she's gonna meet me up; I don't know where or when and now their closing up the club" fui novamente ate o banco onde me sentei e cruzei levemente as pernas nada muito pré-definido fechando os olhos calmamente por certo tempo curto "-I've seen her once or twice before she knows my face" abri de leve então os olhos e me recompus a ponto de  levantar da cadeira eu canto "-But its hard to see with all the people standing in the way" levanto então e vou ate desta vez o fundo do palco onde os instrumentistas tocavam de maneira uniforme e harmônica "- Oh oh, tell me have you seen her" então começo a caminhar a passadas lentas e paro no meio dos instrumentos, olhando para um guitarrista e o seguro nos ombros deso o meu olhar sobre ele e canto em seu ombro "-'Cause I'm so, oh, I can't get her off of my brain" depois levanto novamente o olhar e volto a caminhar entre músicos como se nada tivesse acontecido, encarando a situação com naturalidade "-I just wanna go to the party she gon' go"  olho então para o centro do palco e com o braço esticado aos instrumentos vou me afastando de maneira pontual ate chegar ao destino novamente jogando a cabeça para traz quando chego "-Can't somebody take me home? Ha ha he he ha ha ho"

Vou ate o centro do palco novamente e me sento no bando com as duas mãos sobre os ombros opostos eu começo a dançar sobre  o mesmo "-Love me, hate me, but can't you see what I see?" depois deslizo as mesmas sobre a minha bariga formando um "X" com as mãos e por fim eu passo as mãos sobre as minhas cochas "-But all of the boys and all of the girls are begging to if u seek amy" Depois disso apenas dobro os meus cotovelos em posição novamente de quarenta e cinco graus, olho para algumas meninas do coral que logo entendem e fazem um circulo em volta de mim e eu continuo a cantar "-Love me, hate me, say what you want about me" nesse instante eu me levanto da cadeira e as meninas trocam de posição no circulo a minha volta como se elas estivessem o "girando" eu aponto para frente e canto "-But all of the boys and all of the girls are begging to if u seek amy" eu me sento no banco novamente e as meninas por sua vez sentam-se no chão com as pernas cruzadas "-All of the boys and all of the girls are begging to if you seek amy" eu estendo um dos meus dois braços para frente e as meninas estendem um dos braços para mim eu aponto para um ponto no fundo do auditório que dá a impressão de que estou apontando para a maioria dos outros membros sentados a minha frente "-(Love me, hate me) Oh, say what you want about me" eu então seguro na ponta do acento do banco e jogo meus ombros para frente e para traz "-Oh, but can't you see what I see?" então eu levanto as mãos e rapidamente me levanto em seguida, as meninas me acompanham no movimento "-Yeah, say what you want about me, about me, about me..." e então eu rapidamente abaixo as mãos e todas as meninas "caem" em um circulo ao meu redor.

A música desacelera e toma um novo rítimo mesmo que apenas por alguns instantes  eu então ando dois passos a frente não saindo do circulo formado no chão pelas meninas e continuo cantando olhando de uma maneira um pouco presunçosa para as demais pessoas a minha frente "-So tell me if you see her (If you're known what she was wearing and what she was like)" eu então dou um meio abraço em mim mesma passando as mãos cruzadas sobre a minha bariga escondendo o meu umbigo ate agora a mostra "-'Cause I've been waiting here forever (If you're known if she was going out of line)" então as meninas levantam o braço esquerdo e eu aponto o meu braço esquerdo para frente "-Oh baby baby if you seek amy tonight" então junto ao meu braço esquerdo o direito e as meninas ainda no chão levantam o braço direito e prestes a levantar eu canto "-Oh baby baby we'll do whatever you like" então eu deixo meus braços caírem enquanto canto e vejo as meninas se levantarem e refazerem o circulo em volta de mim como anteriormente "- Oh baby baby baby. Oh baby baby baby; La la la, la la la, la la; La la la, la la la, la la;" Nós então desfazemos o circulo e eu ainda no meio da sala vejo as demais garotas se agrupando de maneira decentralizada no restante da sala "La la la, la la la, la la; La la la, la la la, la la"

Então eu vou para o fundo do palco e uma especie de corredor se "ergue" a minha frente, varias garotas formam esse corredor disforme e eu começo a caminhar por ele enquanto canto "-Love me, hate me, say what you want about me"  então eu paro quase que no meio deste corredor quando duas garotas passam entre mim uma levantando a perna sobre a cabeça e outra esparcando a minha frente, eu então canto passando por entre elas "-But all of the boys and all of the girls are begging to if you seek amy" com os braços abertos as meninas fazem alguns movimentos entrecruzados com os pés e então me dão novamente passagem "-Love me, hate me, but can't you see what I see?; All of the boys and all of the girls are begging to if you seek amy" E então o corredor se desfaz em algumas filas disformes a minha frente que continuam a dançar a coreografia abrindo e fechando os braços e virando "-Love me, hate me, say what you want about me; Love me, hate me, but can't you see what I see?" então começo a passar entre essas fileiras disformes em ziguezague e nos momentos em que não hã ninguém na minha frente eu mesmo faço alguns movimentos de dança um pouco "latinos" se assim posso dizer mexendo bastante os quadris "-All of the boys and all of the girls are begging to if you seek amy; (Love me, hate me) Oh, say what you want about me"então chego a frente das filas e elas se desfazem novamente de uma maneira pouco linear atras de mim eu aponto para frente enquanto canto e mecho em meu cabelo "-Oh, but can't you see what I see?"  então estico a mão como se estive-se chamando alguém ate mim enquanto quanto "-Yeah, say what you want about me" então faço um gesto parecido ao de continência onde eu coloco minha mão aberta a frente de minha testa e depois desço entrecortando o meu corpo em ziguezague movimento que e seguido pelo resto dos dançarinos enquanto canto a ultima estrofe da música "- All of the boys and all of the girls are begging to F. U. C. K. me"  

Tomo então novamente um folego, agora com o palco novamente só para mim, depois disso desso ate as cadeiras do auditório passando por uma escadaria que fica atras do palco, volto ao meu lugar pegando os meus livros e pousando sobre meu colo e esperando as demais apresentações e o comentário final da treinadora.
thanks, baby doll at @oops!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Anthony Miles em Dom 16 Jun 2013 - 19:38



Fuck





Eu realmente estava me arrependendo de ter concordado em entrar naquele tal de Vocal Adrenaline, além das garotas não havia ninguém de interessante naquele lugar que tenha me chamado a atenção e pra piorar eu ainda fui forçado a vim pra essa droga dessa reunião no auditório quando poderia estar bebendo em algum pub. O clima frio do dia de hoje era algo que melhorava meu humor, aquele frio me trazia lembranças de Bristol e dos meus amigos lá, saudades daquele local, era bem melhor do que Ohio, se pelo menos fosse New York ou LA, mas é a merda de Ohio e aqui não há nada pra fazer.
Estava lá no canto calmamente fumando o meu baseado quando uma coroa muito gostosa se apresentou dizendo que era a treinadora do coral, ela realmente era bem cuidada, pensei no momento com um sorriso malicioso no rosto, mas infelizmente para mim ela disse que queria que fizessemos uma nova audição e ainda por cima começou a cantar. Pra que diabos todo mundo cantava quando algo acontecia naquela escola? Acho que eles cantavam até pra merda que cagavam, sério, eu juro que escutei alguém cantando no banheiro. Um garoto com um sorriso de merda foi o primeiro, sinceramente ele parecia apenas um mauricinho com dinheiro que gostava de cantar pra se colocar acima dos outros, apesar disso tinha que admitir que o filho da puta tinha um puta talento.
Depois dele foram mais algumas pessoas, as garotas eram realmente bem bonitas e não prestei muita atenção aos garotos, meu baseado parecia estar mais interessante, durante a ultima apresentação fiquei pensando em alguma música que poderia cantar para sair logo daquele lugar, mas minha mente não me levou a nenhum lugar, então lembrei de uma música que escutei na minha infância no quarto ao lado do meu, a música abafava os gemidos de mais um cliente satisfeito da tia Claire, mas eu me lembro perfeitamente dela como estivesse marcada na minha mente. Depois de pensar por alguns segundos eu decidi que aquela seria a música, então joguei o resto do papel do baseado fora e caminhei em direção a escada utilizada para subir no palco empurrando algum idiota que queria se apresentar antes de mim.
Peguei a guitarra no canto do palco e caminhei até o centro com um sorriso no rosto que provávelmente provinha das drogas, olhei em direção a minha plateia e tossi antes de abrir a boca perto do microfone que estava no apoio para falar. - Meu nome é Tony Miles e eu não me lembro a Eu sou um babuíno boboca que balbucia em bando. do nome da música que vou cantar, mas ai vai! - Falei e peguei a minha palheta no meu bolso antes de olhar pra o cara na bateria acenando pra ele me acompanhar, tentei me lembrar do ínicio da música e comecei a cantar simples "ba ba ba ba ba ba ba ba ba" no ritmo da música duas vezes antes de acompanhar com acordes de guitarra e ser acompanhado pelo baterista na introdução e no backing vocal.

i cant stand still coz youve got me goin
i cant stand still coz youve got me goin
(ba ba ba ba ba ba ba ba ba)
ur slacks are low and your hips are showin
(ba ba ba ba ba ba ba ba ba)

Minha voz rouca se adequava perfeitamente aquela música e a letra dela realmente me fazia me identificar, eu sorria naquele momento porque aquela música era realmente agradável e me trazia várias lembranças, tinha certeza que se estivesse bebado em um pub em Bristol eu começaria a canta-la, utilizei de tons graves nos primeiros versos cantando com um pouco de diversão e maliciosidade na minha voz.

i thank you girl as ur standing there
your low-cut slacks and your long black hair
i want you going, i want noone else
coz when im with you i cant control myself

Pisquei para a Shelby enquanto cantava a segunda frase do verso, ela era realmente bem gostosa e aquela voz dela me fazia ter pensamentos de como ela soaria transando loucamente na minha cama, aquilo realmente me divertia, esses americanos eram tão diferentes dos britânicos. Meus dedos trocavam de acordes rápidamente e o sorriso no meu rosto nunca deixava meus lábios.

defence is down and you got me shakin
(ba ba ba ba ba ba ba ba ba)
you got me so that my nerves are breakin
(ba ba ba ba ba ba ba ba ba)

Naquele verso minha voz soou mais teatral principalmente quando falei sobre meus nervos, aquela erva era realmente das boas, estava me sentindo como se nada pudesse me parar. Meu pé batia contra o piso do palco no ritmo da música e pela voz do backing vocal podia entender que ele também estava animado com aquela apresentação.

if u knew me like i know u girl
ur knees would bend and ur hair would curl
you make me move, yeh, like noone else
and when im with you i cant control myself

Minha voz parecia um pouco mais desesperada naquele momento, acho que a palavra seria crua e rouca. Cantar nunca foi um dos meus maiore hobies, mas naquele momento cantar simplesmente parecia certo, como se fosse algo que eu deveria fazer, algo que eu era destinado a fazer.

ive got this feeling thats inside of me
it makes me think of how things used to be
it makes me feel alright
when im with you at night
and we love 
and we love

Estendi as ultimas notas das primeiras frases, mas quando cheguei no "and we love" deixei minha frase desaparecer lentamente como uma nota na minha guitarra. Respirei fundo e fechei os olhos me preparava para chegar no final da música.

you fill me so with this big temptation
(ba ba ba ba ba ba ba ba ba)
this kind of feeling could move a nation
(ba ba ba ba ba ba ba ba ba)


but im ok when im here with you
i do the things that you want me to
i do these things for noone else
but when im with you i cant control myself

Era isso, estava no final, eu estava acabando e o tom grave da minha voz realmente estava se sobrepondo naquele momento, músicas antigas eram algo que eu realmente gostava de cantar e com aquela música em particular estava realmente me divertindo, além de mostrar a tal treinadora gostosa que estaria ali quando ela quizesse uma foda ocasional. Respirei fundo e me preparei para estender as notas do final da música. Fiz um giro completo onde estava antes de tocar a música com acordes agressivos na guitarra no final.


(ba ba ba ba ba ba ba ba ba)
i cant control myself
(ba ba ba ba ba ba ba ba ba)
i cant control myself
(ba ba ba ba ba ba ba ba ba)
i cant control myself baby
(ba ba ba ba ba ba ba ba ba)
aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhh
(ba ba ba ba ba ba ba ba ba)

Estendi as notas o máximo que podia com a minha voz rouca e havia um tom um pouco sexual na minha voz, na ultima nota estendi o máximo que podia enquanto tocava rapidamente os acordes na guitarra terminando a música com um solo e sorrindo feliz pelo resultado da minha apresentação. Coloquei a guitarra no lugar anterior e olhei para a treinadora com uma pergunta silenciosa no olhar se ela estava satisfeita com aquilo antes de sair do palco e ir ver os outros idiotas que iriam se apresentar da plateia.



cassie at atf.

____________________


Anthony "Tony" Miles
Vocal Adrenaline | Broadway Baby || Dexter ♥️

credits @

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Scott S. Cameron em Ter 18 Jun 2013 - 1:18


Indo Arrasar

Era um belo dia aquele, um dia monótono e particularmente chato, nada me lembrava Paris minha cidade natal onde naquelas poucas horas do dia a vida ja estaria a todo vapor, mas ali em Ohio era tudo calmo e tranquilo até demais, não existia nada de mais e de interessante para fazer exceto o clube do coral cujo acabara de ingressar e precisava demonstrar o quão bom eu era, ao lembrar da minha apresentação fico com um certo calafrio e nervosismo, ainda bem que ainda estava deitado em minha cama. Me levanto e vou em direção ao banheiro para me arrumar para ir para escola pronto para brilhar, enquanto me preparava lembrava da primeira impressão das pessoas que estudavam na Carmel, nada de mais aquelas pessoas, tirando alguns meninos e outras meninas era tudo tão monótono e chato.
Depois de arrumar visto minha roupa, nada muito brilhoso e nem muito chamativo pois não estávamos na capital da moda, vestia uma calça skinny,uma camiseta com desenhos de cruz estampados e um coturno com tachas, era algo legal,tendencia e nada que atraísse comentários apesar de adorar quando falam de mim e ia no caminho para a escola com passos lentos e pensando na musica de estreia no coral.
Ao chegar na escola via alguns rostos com quem mantive um certo contato no meu primeiro dia de aula e admirava alguns lindos rostos que passavam por mim e assim trocava olhares e sorrisos,caminhava lentamente para o auditorio,era ali que as apresentações iriam ocorrer.
Sentava em uma das caldeiras da platéia e ficava assistindo as peformances de meus companheiros de clube, todos ali cantavam muito bem e alguns pareciam realmente metidos e chatos mas nada ali importava, o que importava bastante para mim era cantar e mostrar que eu era o melhor dali, chegava minha vez de apresentar, ia até o palco e suspirava até caminhar para o centro do palco.
Caminhava lentamente para o centro do palco e então falava:
-Meu nome é Scott S.Cameron e vou cantar aqui Price Tag da Jessie J, aproveitem e espero que gostem
Começava então a melodia da canção ao som do piano e de um violão,bateria e uma guitarra:
Okay
Coconut man
Moonhead
And Pea
(Are) you ready?

Citava as frases de acordo com o ritmo e começava a mexer o corpo um pouco mais aquilo era realmente divertido, olhava para a coordenadora do coral e para os alunos e dava um leve sorriso e continuava:

Seems like everybody's got a price
I wonder how they sleep at night
When the sale comes first
And the truth comes second
Just stop, for a minute and
Smile


Why is everybody so serious
Acting so damn mysterious
You got your shades on your eyes
And your heels so high
That you can't even have a good
Time

Minha voz meio rouca bem entoada combinava perfeitamente com a musica, começava então a fazer pequenos movimentos com o corpo de acordo com a batida dos ritmos e a cada verso juntamente com os backing vocals as vozes combinavam perfeitamente com a minha e ficava uma coisa legal de se escutar:


Everybody look to their left
Everybody look to their right
Can you feel that (yeah)
We're paying with love tonight

It's not about the money, money, money
We don't need your money, money, money
We just wanna make the world dance
Forget about the price tag

Ain't about the (ha) ch-ching ch-ing
Aint about the (yeah) ba-bling ba-bling
Wanna make the world dance
Forget about the price tag
[color]

Era uma balada lenta mas as batidas permitiam alguns movimentos como movimentos leves de braços e estalando os dedos e movimentos com os pés, na hora do refrão faço movimentos com a mão de que não precisamos de dinheiro e sim felicidade para ser feliz e dou uma volta em 360 graus em meu eixo e continuo entoando a cançao de um jeito alegre e feliz demonstrando meus sentimentos:

[/color]
(Okay)
We need to take it back in time
When music made us all unite
And it wasn't low blows and video hoes
Am I the only one gettin'... tired?

Why is everybody so obsessed?
Money can't buy us happiness
Can we all slow down and enjoy right now
Guarantee we'll be feelin
All right

Everybody look to their left
Everybody look to their right
Can you feel that (yeah)
We're paying with love tonight...
[color]

Acabava ali a apresentação juntamente com a banda e dava um belo sorriso e agradecia a todos e logo saia do palco e ia em direção ao camarim comemorar mais uma bela apresentação, depois voltava e me sentava na platéia a espera de novas apresentações.[/color]
...So shame on you now

Esse é meu post de número {00}. O tempo está {chuvoso}, e estou usando {isso}, estou falando com {alguém/sozinha}. Estou postando {lugar}. E agradeço a Lari ? por esse template.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Tommas K. Foxter em Qua 19 Jun 2013 - 15:44

London!


Depois de muitas horas viajando, finalmente nos conseguimos chegar na distante cidade de Lima. Desço do carro e pago o taxista, depois olho para a grande casa de meus tios, ate que não seria tão ruim morar aqui, quer dizer, não parece que terei grandes problemas nessa cidade. Deixo de lado os meus pensamentos e me dirijo com as malas ate a porta dos meus tios e bato na porta, alguns minutos depois meu tio aparece na porta todo sorridente e me chama para dentro, na verdade me puxa mais tanto faz, ele manda um empregado guardar as minhas malas e me leva ate minha tia, eles tem uma grande conversa e eu praticamente me perco, so escuto sobre a minha estada aqui ja estar toda preparada e sobre eles já terem me matriculado em uma escola mais no momento nem ligo, afinal eu viajei por horas dentro de um carro e então quando eles terminam eu vou para o meu quarto e durmo. Meus tios me acordam novamente dizendo que ja estava na hora da escola e me assusto, eu mau cheguei e ja teria que ir para a escola? Isso é totalmente terrível e cruel, mas eu ja não tinha como protestar eu deveria tratar muito bem meus tios e os obedecer caso eu queira permanecer aqui. Me levanto, tomo um banho rápido e me arrumo, depois de poucos minutos eu saio em direção a escola que meus tios falaram.
Chego na grande escola e me sinto totalmente perdido e meio que excluído, as pessoas nem sequer olhavam para mim, eu me sentia como um inseto. Tratei de agir como eles e os ignorei ate que andando pelos corredores vejo um anuncio bem chamativo para o clube do coral Vocal Adrenaline, logo me escrevo. Depois de algumas aulas eu vou ate o local que tinha sido indicado pelo anuncio e vejo varias apresentações de alunos e me encanto, logo eu vejo que tinha uma chance de fazer parte de algo e me preparo atras do palco.
Caminho lentamente ate o centro do palco aonde estava o microfone e digo:
-Meu nome é Tommas, eu irei cantar Super Heroes!
Digo abaixando a minha cabeça enquanto as luzes se apagam deixando somente uma luz me iluminando, enquanto o a musica começa


-I've done a lot; God knows I've tried
To find the truth. I've even lied.
But all I know is down inside
-I'm bleeding...


Começo triste e calmo e meio que triste com dor, não sabia muito bem o que sentia mais queria me mostrar confiante, ao menos em frente a essas pessoas, então enquanto canto dou alguns passos firmes e largos.


-And Super Heroes come to feast
To taste the flesh not yet deceased
And all I know ... is still the beast
-Is feeding...


Canto agora com mais potencia exercendo alguns agudos mais sem deixar de demonstrar meus sentimentos, estava perdido sem saber de mais nada, mas tudo o que eu queria era ser notado, eu vim para uma cidade pequena para tentar melhorar, tentar me destacar e agora eu vou tentar para valer.
-Oooh, oooh, oooh, oooh,
Oooh, oooh, oooh, oooh
Oooh, oooh, aaah, aaah


Canto bem baixo quase como um sussurro, canto e lembro das canções que minha mãe cantava, continuo bem calmo e ja um tanto quando emocionado, volto alguns passos para trás mais me mantenho firme e limpo algumas lagrimas solitárias.


-And crawling on the planet's face
Some insects called the human race...
Lost in time
And lost in space
And meaning
-Meaning  


Canto a ultima parte com mais enfase e com mais dor, é triste pensar que na verdade essa ultima parte esta totalmente certa, mas em alguns casos pode haver exceções. O toque para e eu me viro para todos e tento um pequeno sorriso

London ♥ Sam-TPO

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Dexter F. Schuester em Qui 20 Jun 2013 - 1:02

Bombshell(The Workshop)

França, tão amada França. Deixá-la foi uma das coisas mais difíceis que tive de fazer durante a minha vida. Com a morte da mamãe cada um dos McCain teve de ir para um destino pela falta de tempo e preparo do papai para cuidar de nós. Eu, Dexter, terminei por ir á Paris viver com a mãe da mamãe e crescer num lugar totalmente diferente de Ohio. Como eu era criança, crescer lá e aprender os costumes não foi nem um pouco difícil. Mas era estranho estar num lugar e querendo estar em outro e viver aquilo que lhe era direcionado. A vida com a vovó foi sempre boa e foi um martírio quando decidi por minha vez retornar e conhecer aquilo meu que ficara em Ohio. Sem contar que papai de uma forma estranha resolveu nos juntar e formar a família do passado e "aparentemente" feliz. Inicialmente aqui me machucava, primeiro porquê eu sempre convivi com a ideia de quem ninguém me queria e fui mandado para Paris como se tivesse o mesmo valor que um saco de batatas. Em segundo porquê deixaria em Paris toda vida que eu conhecia para começar outra da maneira mais incerta possível. Papai havia me matriculado num lugar chamado Carmel e para falar a verdade? Até o nome me assustava. Era como sempre que passava pelos corredores que alguns alunos esticassem de forma mais elevada o pescoço para poderem me olhar, como se eu fosse uma criatura esquisita ou de outro planeta. tentava não me atentar para aquele fato. 
Eu avistei o cartaz para inscrição do Vocal Adrenaline quando voltava de uma aula de cálculo. "Vocal Adrenaline Convoca: membros novos e antigos, a peneira da Srta. Shelby acontecerá no nesta tarde." Examinei bem e decidi que queria participar de tudo aquilo. Desde criança eu me inspirara em apenas uma pessoa: Marilyn Monroe. não havia mulher no mundo que tivesse a melhor história, as melhores conquistas. Eu sentia falta de cantar e por outro lado sabia que o coral me faria matar toda essa saudade, e mais ainda, me faria estar um pouco perto do meu sonho de estar sob os holofotes. Fossem eles da Broadway ou de Hollywood. Passei toda a aula de Biologia com algo apra fazer em mente. haviam tantas coisas por precisar dizer e por precisar expressar, que seria difícil pegar uma só. Um lado bom na semana que se passara ali, era que eu tinha conseguido alguns amigos. Seis na verdade, Garotos que compunham um grupinho pequeno de dança. Como eu era sozinho eles resolveram puxar um diálogo comigo e terminamos por ficar amigos. Quando deu-se o findar da aula de Bilogia eu corri na direção do auditório. Nele não havia ninguém, pelo menos não até o presente momento. Observei atentamente os detalhes do lugar, tanto aqueles arquitetônicos quanto os mais simples e que o tornavam majestoso. Um piano estava posicionado á esquerda do palco e alguns instrumentos distribuídos por ele todo, imaginei uma cena em minha mente. Não vire a falar dela agora. Guardarei para mais á frente. Resolvi me sentar numa poltrona da primeira fileira e esperar. Aliás, tudo que podia fazer era esperar na atual situação. Com o passar do tempo alguns dos alunos foram começando a chegar. Alguns pareciam mais velhos que outros, seria esse os chamados "Antigos e novos" que antes eu vira no anúncio pregado no mural do corredor. Mantive minhas pernas cruzadas e esperei que alguma manifestação, por meio dos dirigentes acontecesse ali.
Não tardou até que uma bela mulher de longos cabelos e porte médio chegasse da coxia do palco e se apresentasse. tal qual eu deduzira, esta era Shelby, treinadora do coral. Fez uma breve apresentação e a música que cantou depois me fez vibrar. Amy era certamente um dos maiores ícones que o mundo já conheceu. Aplaudi ao final de sua performance e então ela declarou as audições abertas. Jesse foi o primeiro. Jesse era o aluno mais conhecido do coral, talvez até mesmo do colégio. Surpreendi em ver que ele fizera Hit list, tendo em vista que Bombshell e Hit list compunham o mesmo seriado musical. Broadway here i come é realmente uam tradução da realidade, pelo menos dos que sonham com ela. Todas as apresentações que se seguiram dali em diante foram realmente belíssimas. O coral teria boas chances nas competições que viriam logo mais. Esperei que houvesse uma oportunidade para mim. Observei um pouco ao fundo quando os meninos do grupinho de dança haviam chegado e fiz sinal positivo para eles. Quando um garoto acabou sua audição, levantei e á passos nervosos caminhei até o palco. Sent pesados olhares quando subi pela escada. Me posicionei ao centro do palco e tentei controlar um pouco a tremedeira que parecia querer chegar á meus átrios:-Olá. Meu nome é Dexter Fields McCain. Farei teste para entrar no coral e antes de mais nada, isso realmente mata um de nervosismo. Principalmente alguém que está aqui há apenas uma semana e chegou da França. Então, hoje eu estarei fazendo uma apresentação fragmentada do musical Bombshell, que fala sobre a vida da maior mulher que já pisou na terra: Marilyn Monroe. Quero pedir ajuda dos meus colegas ali. Apontei para eles na platéia e estes desceram com as sacolas enormes contendo acessórios nas costas. Jogaram do lado direito do palco e cada um se pôs num ponto estratégico. Um Senhor bastante simpático estava ao piano e levei algumas partituras em sua direção. Tendo as entregado eu fui para o centro do palco. Uma sonata vinda das teclas do piano ecoou pelo lugar. Era suave tal qual seda aos ouvidos.E foi ali que uma coisa mudou. O palco mudara. Haviam três sombras atrás de mim e um passarela a qual eu estava posicionado. A primeira sombra dizia:-Você não é nada. Seguida da primeira a segunda voz me veio aos ouvidos de mesma forma:-Sua mãe Morreu. Aqui doeu no coração, mas para completar uma terceira e mais audível voz falou:-Seu pai nunca te quis. Ninguém te quer. A sota então ficou mais evidente em toda sua delicadeza. Olhei para a frente e deixei as mãos posicionadas ao lado do meu corpo. Cantei suavemente:

"Fade in on a girl
With a hunger for fame
And a face and a name to remember.
The past fades away
Because as of this day
Norma Jean's gone,
She's moving on."

Me mantive na mesma posição ao centro do palco. Havia uma emoção que eu mesmo estranhava em minha voz. As sombras haviam se esvaído e eu estava só. O palco parecia grande até demais naquele momento, pois era como Norma Jeane que eu me sentia. Uma garota que pedia apenas uma chance para brilhar. Uma garota temerosa e que queria o mundo. Elevava por vezes a voz e seguia na segunda estrofe:

"Her smile and your fantasies
Play a duet
That will make you forget
Where you are.
The music starts playing
It's the beat of her heart saying,
Let me be your star..."

Minhas mãos juntaram-se e eu as direcionava ao público e ao passo que meus braços iam mais á frente, as mãos desuniam-se e uma batida diferente soou. Havia ainda o tom de orquestra. Entretanto, havia desta vez instrumentos de percussão e alguns instrumentos de sopro. como trombones e trompetes. Um ritmo envolvente tomou conta do lugar e pude ver apenas a cadeira puxada por um dos dançarinos no palco. A cadeira foi trazida em minha direção e eu soube que era a hora de fazer todos balançarem de verdade. Comecei a me mover á passos sincronizados e os dançarinos faziam o mesmo. Parei bruscamente no centro do palco novamente e cantava o mambo:

"In this factory where dreams can come true,
Are you ready to make someone new?
You're the team that must teach me to do,
The 20th century fox mambo!"

Um dos dançarinos veio do meu lado direito e dei as mãos a ele, iniciávamos uma dança dessa vez conjunta. O mambo soava no ar e eu me deixava levar pelo clima envolvente da música. Um breve coro soava a minha mente e enquanto dançava com o rapaz e os outros faziam uma coreografia independente, cantava em ritmo melódico animado:

"Done the homework and i'll pass the test,
I'll do whatever my teacher suggests.
I can do it clothed or undressed,
The 20th century fox mambo!"

Entoei uma nota alta que ecoou ao fim do mambo. Os ritmos acelerados não pararam por ali. Vi alguns dos garotos correm para a coxia onde havia jogado os materiais. Apenas continuei meus movimentos de dança. Embora houvesse o som animado, a canção já estava mudando. Ouvia-se uma evidência nos trompetes soando pelo lugar. Os dançarinos agora usavam capacetes e tacos nas mãos. Sorri quando começaram afazer uma coreografia elaborada entre si mesmos e fui para mais a fundo do palco. Voltei caminhando e dançando ao mesmo tempo enquanto cantava e apontava para o público:"Who's that man?"O coro de rapazes respondiam em uníssono:-That's the first base coach. Fiz então a voz sussurrante clássica de Marilyn e cantava por minha vez:"Have you noticed that he signals every time i approach?" Fazíamos as vozes principais e o coro em sequências ordenadas. Entrei na coreografia e haviam horas em que eles me levantavam no ar de forma que eu olhasse para o teto e girasse em seus braços. Dois dos garotos vieram de minha esquerda e direita e se posicionaram de forma a deixar os corpos um tanto próximo numa dança sincronizada. Eu, no meio cantava e por fim corria ao meio:

"Peanuts!
Hot dogs!
Cracker jacks!
I don't care, i don't care if i ever get back!"

Seguiu-se outra dancinha e remexíamos de um lado para outro. Os garotos sempre faziam o coro e nos juntávamos quando eu fazia a voz num formato de sussurro. Ainda no meio os garotos juntaram dois tacos numa forma de cadeira. Sentei na base por eles feita e fui carregado até mais fundo no palco onde cantei a última estrofe seguida do grito final:

"'Cause a baseball diamond is a girl's best friend
Yes the style and the fashion 'll elevate the national
Pastime!"

Um silêncio não muito demorado se seguiu e todos corremos para perto do piano. Nos posicionamos ao seu redor o dedilhar de "Wolf" foi ouvido por todos. Dando início a canção eu cantava e os garotos faziam breves harmonias contidas. Não demorei muito no círculo e caminhei pelo palco enquanto cantava no ritmo animado:

"'Yeah, I never met a wolf who didn't love to howl!
No, I never met a man who wasn't on the prowl,
If your face and figure are whistle bait,
Then honey, you'll have the keys to the studio gate!
Yeah, I never met a wolf who didn't love to howl!"

Enquanto eu fazia o vocal principal na canção, os dançarinos faziam pequenos uivos de lobo nos intervalos que aconteciam durante a estrofe. Quando dei por mim, havia sido tomado nos braços por um deles que me levou correndo e me sentou em cima do piano. Balancei as pernas e dançava no ritmo da música. Já conseguia dessa vez me erguer sozinho para ficar de pé no piano. E foi o que fiz. Quando já de pé estava, um dos garotos me passou um pedestal ao estilo microfone antigo e o segurei com firmeza. De cima do piano eu cantava numa paradinha sussurrante:

"'A wealthy wolf likes to buy his toys
But he really is just one of the boys.
If you've got something for which he's cravin',
It sure is good that he's been savin'.
Be a fan, give his cheek a peck
But get his autograph on a cashier's check."

O ritmo do jazz logo se fez presente novamente. Os garotos então fizeram uma ila de lado e estenderam as palmas das mãos. Pisei na primeira palma da mão do primeiro garoto e este me segurou com firmeza. Comecei a caminhar do alto e todos eles me seguravam firmemente. Tendo chegado ao último, caí em seu braços e ele me rodopiou pelo palco. Ao ser pousado no chão eu cantava a última estrofe da canção e dançávamos com passos combinados:

"'Yeah, I never met a wolf who didn't love to howl!
No, I never met a man who wasn't on the prowl.(...) Yeah, I never met a wolf who didn't love to howl!"

Modulei a minha voz de forma que atingisse seu ápice de potência e terminei por fim sozinho no centro do palco. Os garotos haviam se dispersado por entre as coxias e a música cessara. Não havia nada além de mim numa mais vasta solidão.A luz se fez baixa e eu cantei sem música alguma. Apenas minha voz se ouvia:

"Fade up on a star
With it all in her sights:
All the love and the lights
That surround her.
Someday she'll think twice
Of the dues and the price
"

Elevei a voz num tom máximo e entoava as variações da estrofe:"She'll have to pay. But not today." A nota potente se ergueu por sob o lugar e fechei meus olhos cantando a última parte:

"Then she'll do all she can
For the love of one man
And for millions who look from afar.
And what you've been needing
Is all here and my heart's pleading.
"

Fui abrindo os braços e deixando o corpo se curvar para trás á medida que segurava a nota até seu final:"Let me be your star..." Os olhos permaneceram fechados e as luzes caíram no mais profundo e absoluto breu. Tudo cortou-se apenas pelos sons dos aplausos do público. Senti que havia sido perfeito.







Le Petit Étoile
Dexter Fields McCain(Lynn)
Créditos à Louis McNight @ WE

 

 

____________________


Dexter Schuester
Yeah, it's true. I am his Hansel. An she's my Gretel. Forever and Always.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Shelby Corcoran em Qui 20 Jun 2013 - 1:13

Peneira Encerrada!!!

Gostaria de agradecer aos que participaram e vieram participar comigo dessa reciclagem de talentos. Fico alegre em saber que muitos se manifestaram á mostrar suas habilidades. Fiquei encantada com todas as performances, de verdade. Amanhã estarei fazendo as avaliações individuais de cada um e colocarei meus comentários sobre cada música apresentada. Fiquem cientes de algo; Estamos voltando muito maiores do que já somos. Vamos derrubar as estruturas garotos. Vocês vão arrasar com todo e qualquer um que tentarem nos tirar do poder. Vi muitos aqui que serão grandes. Por hoje é apenas o agradecimento. Aguardem os pareceres individuais.
Atenciosamente, Shelby.

____________________

                Beth Corcoran ♪ Vocal Adrenaline We're going to Whip You!  
Shelby Corcoran

TKS CLUMSY @ SA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Elle Stoller em Seg 29 Jul 2013 - 0:19


Notas: Screw you!

Legenda: Ação - Pensamentos - Fala
I'm Back!


Caminhar pelos corredores novamente me fez sentir uma adrenalina enorme nas minhas veias,e fazer com que meu coração batesse mais fortemente. Fiquei afastada do colégio por semanas, e não me arrependia daquilo. Eu estava agora na minha casa,com sossego e em ''paz''.
Minha calça de couro com rasgos fabricados,uma blusa larga e grande porém justa na altura do bumbum,cinto largo na cintura,pulseias e botas pretas,eu segui todo o caminho para a sala do Vocal com meu olhar frio e característica séria.
Ao entrar na Sala Shelby os recebe com um grande ''esporro'', reviro os olhos fazendo caras e bocas imitando ela, sério que era necessário isso?
A voz da mulher me irritou,não me sentei,apenas me escondi na sombra da porta e me encostei na parede a espera de uma brecha para sair dali. Alguns cantaram e  logo me retirei do local.
Segui para meu armário onde peguei algumas folhas e escrevi um ''bilhete'' para algumas pessoas do VA.
"Hey pessoa inúteis e insignificantes,bom,quero que estejam no Auditório daqui a EXATOS 25 minutos. Elle Stoller."
Parei uma novata no corredor e fiz a garota entregar sala em sala os bilhetes,e então fui pessoalmente atrás de Shelby.
Encontrando-a tomando café,me aproximei com meus passos fortes e calada.
-Hey... Eu sou a ''selvagem'' da Elle, bom minha apresentação da tarefa será no auditório em 25 minutos. Eu enviei uma espécie de bilhete para poucos do Vocal no qual eu conheço a pouco tempo,então não se surpreenda com o pouco número de pessoas.
Comentei e entreguei o bilhete para ela, ajeitei meu cabelo e então me afastei me dirigindo para o auditório. Sim,matei todas as aulas do dia e da tarde,passei basicamente o dia trancada ouvindo a mesma música.


No auditório, com a ajuda de um homem completamente estranho com cara de maconheiro drogado e pedófilo que se tranca no banheiro só por ver uma mulher de saia,eu arrumei o palco e a iluminação.
Luzes brancas com o ambiente negro,havia conseguido ajeitar o palco atrás de mim para apresentar algumas coisas no slide,e com a ajuda desse mesmo homem,arrumei o som.
Eu passava algumas vezes a música até que finalmente os 25 minutos se passaram,me sentei na cadeira solitária e ajeitei o pedestal para minha altura.
Aos poucos algumas pessoas chegavam,eu poderia contar no dedo quais eram. Nicholas,Logan,Arthur,Dexter,Jesse e Taylor, claro tirando Shelby.
Com a luz ambiente eu fitei todos ali que se sentavam curiosos,sem expressão em meu rosto eu encarava todos e então comecei a falar.
-Bom...Não quero que os outros vejam minha apresentação, eu não conheço aqueles idiotas que se acham e não quero conhecer. Me manter afastada é o melhor caminho para evitar grandes confusões, mas enfim. Eu escolhi cantar a música Try da P!nk. Eu chamei vocês por que são os únicos que tenho um relacionamento melhor,na verdade não tenho,mas estamos aqui no mesmo tempo.
Ergui uma sobrancelha fitando todos,Shelby parecia curiosa,então estalei os dedos e o estranho soltou a música,apenas o toque. Ajeitei minha coluna de forma exemplar e então a luz se abaixou ficando apenas uma luz direta na minha direção,para iluminar o slide atrás de mim. Olhei de rabo de olho para trás quando o telão tomou cor do céu,e aos poucos pequenas estrelas apareciam e logo o nome do todos ali,menos o de Shelby.
-Ever wonder ‘bout what he’s doing?
How it all turned to lies?
Sometimes I think that it’s better, to never ask why.

Meu tom era seco,eu seguia o ritmo lento,eu fitei Dexter por alguns instantes na música,ele foi o único que durante o tempo ali se aproximou de mim e não me julgava, minha expressão facial ao olhar para ele era menos agressiva e mais amorosa,se é que era possível eu sentir o amor.
O ritmo lento se agitava e o slide atrás de mim ia se clareando até ficar pronto completamente, no slide algumas palavras ditam por mim para cada um dali aparecia e então voltei a cantar.
-Where there is desire there is gonna be a flame.
Where there is a flame someone’s bound to get burned
But just because it burns doesn’t mean you’re gonna die...
You gotta get up and try, and try, and try
You Gotta get up and try, and try, and try
You Gotta get up and try, and try, and try

No ritmo em que eu cantava as palavras e frases ditas por mim apareciam no slide,com a foto de um e uma frase dita,até palavrões. Na parte repetitiva,alguns vídeos que havia roubado da câmera da escola apareciam ali, como por exemplo Taylor cantando,Nicholas ensaiando,Dexter sorrindo e Jesse conversando. Eu havia perdido dias fazendo aquilo,eu era uma espécie de gênio não gênio.
O ritmo seguia e sentada fecho meus olhos seguindo a cantar,e novamente aparecia no slide palavras ditas,como: "idiota." "Eu sou um babuíno boboca que balbucia em bando.,caralho.","Sim,eu sou esperta,sou a melhor irmã que você poderia ter!","Eu sou um gênio!","Mãe Diná", "Eu sou esperta","No fim de tudo,você irá me dar razão".
Aquilo não era uma homenagem para ninguém,mas de forma inevitável havia se tornado.
Mantive o foco e continuei.
-Funny how the heart can be deceiving
More than just a couple times
Why do we fall in love so easy?
Even when it’s not right

Enquanto eu cantava,as mesma palavras apareciam no slide de forma crescente,eu fitava Dexter,aquela parte era especialmente feita para ele,desenhei um leve e singelo sorriso em meus lábios e então voltei meu olhar para Shelby,dessa vez mais penetrante e desafiador.
-Where there is desire there is gonna be a flame
Where there is a flame someone’s bound to get burned
But just because it burns doesn’t mean you’re gonna die
You gotta get up and try, and try, and try
You Gotta get up and try, and try, and try
You Gotta get up and try, and try, and try

A batida da música agora diminuia e ficou mais baixo,como em uma acapella,no slide aparecia algumas performances filmadas deles e minhas,com vozes baixas e minha voz cantando pude reparar que alguns sorriam,então revirei os olhos batendo meu pé no chão seguindo o ritmo.
-Ever worry that it might be ruined?
Does it make you wanna cry?
When you’re out there doin’ what you’re doin’
Are you just getting by?
Tell me are you just getting by, by, by

Eu fechava meus olhos e cantava segurando o pedestal,desta vez o slide ficou totalmente negro aos poucos e então a luz baixou e algumas do ambiente se acenderam. Algumas gravações feitas sussurravam e produziam uma espécie de eco ali.
"O coral é minha vida!!","Não aguento essa pressão.","Não consigo ficar mais aqui.","Vocal precisa de mais força." e outras gravações ecoavam ali, com as vozes distorcidas dificultou o reconhecimento das vozes.
Me levantei da cadeira e com as pernas entre abertas eu fitava cada um ali e novamente o slide pegou cor e os nomes das músicas cantadas por todos nós apareceram ali.
-Where there is desire there is gonna be a flame
Where there is a flame someone’s bound to get burned
But just because it burns doesn’t mean you’re gonna die
You gotta get up and try, and try, and try
You gotta get up and try, and try, and try
You gotta get up and try, and try, and try
You gotta get up and try, and try, and try

Novamente a letra da música apareceu no slide,e desta vez uma gravação da Shelby cantando finalizou minha apresentação. Com todos calados me sentei na cadeira e cruzei as pernas desligando o microfone.
-Bom..É isso. Já podem sair...
Falei em um tom seco e frio,então me levantei arrumando as coisas tirando-as do palco.
[size=9]Thanks Geovanna Mambiet @

____________________

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Jesse St James em Ter 22 Out 2013 - 0:25


Vocal Adrenaline


Entro no Auditorio naquela Terça De manhã.. parecia meio cansativo  até porque elaborar números de competições era de certa forma bastante cansativo.Abro a porta do auditório aonde todos estavam sentados e conversando,porém quando ouvem meus passos lentos e curtos eles se calam.Me posiciono na frente deles assim começo a falar. Com todo aquele silencio minha voz ecoava facilmente e soava sem algum problema para que todos pudessem ouvir-Fui Informado á alguns dias que iremos participar do concurso de Corais de Ohio..e como somos  o Melhor coral de todos temos que prezar essa nossa hierarquia.porque nessa pirâmide nós estamos no topo e não admito falhas nem erros durante esse concurso.-Continuei com a postura séria sem emitir ao menos se quiser um sorriso-Nossos maiores inimigos ,o New Directions estará nessa competição e andei pesquisando oque podíamos apresentar mediante ao tema proposto pela comissão  do Concurso,então vi que será uma ótima chance para homenagearmos  uma Lenda dos musicais  que creio eu que muitos conhecem.High School  Musical,Marcou gerações e temos a oportunidade de retribuir isso  ao estilo Vocal Adrenaline.Vi e Revi muitas das musicas e selecionei a que usaremos,as regras do concurso são,Um Solo,Um Dueto,e uma apresentação Grupal,Já temos o numero,os cantores e a perfeição,só nos falta praticar,praticar e praticar-Dei dois passos a frente e continuei falando-Aproveitando esse clima de Dançantes o tema da tarefa durante essa semana será –DIVA-Durante essa semana estarão cortadas qualquer apresentação Dramatica ou solos depressivos,Apresentem musicas dançantes de divas que se Destacam,O Vencedor dessa tarefa ganhará um solo nas regionais,Então se preparem-desci as escadas e me sentei no centro aonde tinha uma cadeira com uma pequena mesa e uma luminária,todos foram aos Bastidores se prepararem-
OFF:1-Não é Permitido Musicas Depressivas tristes ou Lentas nessa tarefa
2-Usem Musicas de Divas do Pop e Divem
3-Se um  aluno cantar uma Diva nenhuma musica daquela pessoa poderá ser cantada,ou seja,Não podem ocorrer repetições de Divas.
4-Os Garotos que forem participar e não quiserem cantar musicas femininas,Fiquem a vontade para cantar Michael Jackson,Justin Timberlake,Queen e outros (Rock’s estão proibidos) isso fica a critério de cada Um
5-Isso vale um solo nas Regionais,Portanto  sejam perfeitos ao máximo sem erros
6-Tarefa poderá ser feita até Sabado 26/10

...Another One Bites the Dust

Esse é meu post de número {01}. O tempo está {nublado}, e estou usando {isso}, estou falando com {Elle,Dexter}. Estou postando {Salão do VA}.

____________________

JESSE ST. JAMES

VOCAL ADRENALINE
BROADWAY, NY
greater than you


THANKS RAIN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Eleanor M. Riddle em Qui 24 Out 2013 - 2:27

Love On Top
Com: Vocal Adrenaline; humor: I don't Know; vestindo; Descrito no Texto.

Pode até parecer extremamente estúpido, mas desde que eles se foram, papai e mamãe, tenho o costume de listar as coisas que devo fazer antes de partir. Psicótico ou não, é um bom exercício, nos ajuda a ter mais determinação, ambição, eu mesma prometi que não morrerei antes de fazer essas coisas todas, a não ser que aconteça algo comigo antes dos meus noventa e oito anos, aí, bem... Acho que não preciso ser mais detalhista.
A lista é realmente grande, mas já foi infinitamente maior, uma vez que praticamente metade das coisas já foram riscadas, como saltar de pára-quedas (experiência que jamais esquecerei) ou fazer uma tatuagem esquisita no pulso, que ficou tão estranha que agora é apenas uma cicatriz, pois eu pedi pra tirar. Ah, tirar a tatuagem também estava na lista!
Mesmo ela sendo gigante, tem algo que é muito mais importante que as outras coisas, que fica bem acima do número dois, que é "Deixar para sempre os Estados Unidos e voltar para Grã-Bretanha", é o número um, é o meu maior sonho, uma simples palavra. Brilhar!
Brilhar pode ter vários significados diferentes, mas o brilho que desejo alcançar é a sensação de estar cantando,em um grande palco, com um grande público e, ao fim, ser aplaudida. É não ser conhecida, e sim, reconhecida pelo talento que herdei de meus pais, que tenho certeza que possuo. Os outros itens da lista podem ser descartados totalmente, mas esse não pode, não mesmo! Farei de tudo para sentir o "brilho".

O sinal tocou antes das duas e meia, o que me surpreendeu. Ainda não tinha entendido totalmente a última aula de biologia, mas também não pensava em entender, tinha coisas mais importantes para fazer, coisas relacionadas ao número UM da minha lista. Iria para minha aula do Vocal Adrenaline, pronta para realizar minha primeira performance, que estava dentro dos padrões impostos por Jesse St. James, o líder do coral, mas faltava eu ir ao vestiário antes, para que pudesse melhor me caracterizar.

Arrumar as coisas para a apresentação foi difícil, mas, com certeza, foi mais fácil do que eu imaginava. Aquela escola era completamente preparada, o coral era o que dava nome à escola, o mínimo que ela podia fazer para retribuir é não deixar faltar nada para o grupo, e isso era realmente estimulante, quero dizer, é muito melhor você organizar uma apresentação musical com as ferramentas certas.
Entrei no auditório, onde tinham muitas pessoas sentadas esperando as apresentações começarem. Vestia um short não muito curto, mas curto, e uma blusa branca, larga, com a sombra dos Beatles na Abbey Road estampada, nada a ver com a música na qual cantaria, mas era uma boa blusa. Usava um chapéu feio, mas necessário, parecido com o da Beyoncé no clipe de "Love On Top", e calçava uma bota preta, simples. A roupa não tinha nada demais, mas atraía alguns olhares. Eu, como sempre, ergui a cabeça e continuei andando.
Sem me sentar, fui até o palco e posicionei-me atrás do pedestal.
- Olá, vocês! - Disse, vestindo minhas luvas brancas que fariam parte do figurino. - Chamo-me Eleanor Malfoy Riddle, e estarei cantando Love On Top, Beyoncé, e para isso precisarei da ajuda de duas pessoas, lembro-me de ter falado com você. - Apontei para uma garota ruiva, sentada em uma das poltronas do auditório. - E você! - Apontei para uma loira. As duas pareceram se lembrar de nossa conversa, pois sorriram e foram até o palco.

No palco tinham três pedestais, bem ao centro. Quero dizer, um ao centro e outros dois um pouco mais separados. Eu fui para trás do principal, e então as luzes enfraqueceram. Estávamos de costas para todos quando a introdução começou a tocar. Um holofote ascendeu-se em cima da menina ruiva, à minha direita, e então ela virou-se para a 'platéia'. Logo outro holofote ascendeu-se, mas em cima de mim, que fiz a mesma coisa. A coisa se repetiu com a outra garota. Com as mãos ao alto, gritei afinadamente "Bring the beat in!". E então passamos a remexer nossas pernas, com nossas mãos abaixadas, olhando para cima, enquanto esperávamos a introdução terminar. Quando isso aconteceu, fechei minhas mãos acima de mim, com as palmas viradas para cima, virei de lado para direita, e então fui abaixando os braços juntamente do corpo, fazendo meus joelhos se dobrarem.

Honey, honey

As notas estavam completamente certas, com tons graves e roucos que encaixaram-se perfeitamente à canção. Estiquei meu braço esquerdo para o lado direito, tampando meu rosto, e depois vim trazendo-o de volta, dobrando o cotovelo, até jogá-lo para baixo, para seu próprio lado, abaixando meu olhar para lá. É necessário explicar que todo movimento que fazia, as meninas que aceitaram me ajudar faziam igual. Confesso que até eu fiquei surpresa em chamá-las para apresentação, mas sei que jamais faria isso se não fosse extremamente necessário. Jogando o quadril para o lado direito, juntamente com o braço, virei-me, desta vez, para esta direção, rebolando de acordo com o ritmo, mas durou rápido, pois logo dei um salto, separando minhas pernas e braços, virando-me para frente.

I can see the stars all the way from here
Can't you see the glow on the window pane?


Dobrando, apenas um pouco, os joelhos, virei-me para cima, forçando um olhar sonhador, enquanto levantava os braços e passava eles pelo ar, como quem sentisse o sol. Pondo uma mão na cintura, inclino o quadril para um lado, pondo a outra mão na cintura, inclino o quadril para o outro, e então os balancei para um lado e para o outro.

I can feel the sun whenever you're near
Everytime you touch me I just melt away


Segurando a aba do chapéu, resolvo olhar para o chão enquanto caminho, trocando os pés, para trás. Faço o mesmo para frente, depois para esquerda, então para direita. Paro em frente ao pedestal, com  a cabeça abaixada para o lado e o chapéu em minha mão, esticado para o outro. Minha voz estava mais grave, e devo dizer, em modesta parte, que ela fica muito bonita assim. Dizem que lembra a voz da minha mãe. Gostaria mesmo de lembrar, mas, infelizmente, não consigo.

Now everybody ask me why I'm smiling up
From ear to ear
They say that love hurts, but I know
It's gonna take the real work


As meninas, muito bem afinadas, faziam a segunda voz enquanto eu destacava a minha com simples "Oh", "Woah"... Ao fim, o chapéu estava de volta em minha cabeça. Com os cotovelos dobrados, minhas mão encontravam-se na altura do meu rosto. Estalando um dedo, os ombros iam pro lado esquerdo, estalando o outro, pro direito, e  o movimento foi se repetindo juntamente de minha cintura, que remexia para lá e para cá. Para finalizar o verso, uma mão foi ao quadril e a outra esticada para frente em sinal de "pare", enquanto eu flexionava nos joelhos para baixo.

Nothing's perfect but it's worth it
After fighting through my tears
And finally you put me first


Inclinando meu corpo para o lado, apontei para frente, inclinei-me para o outro, repeti o movimento com o outro braço. Em minha opinião, o melhor passo para tal música é dar um saltinho usando uma perna de cada vez, não tem erro, mas precisei tomar muito cuidado para não torná-lo repetitivo. Decidi, de uma vez por todas, usá-lo agora, apenas, e não mais. Então assim o fiz, juntando minhas pernas logo depois, pondo a mão sobre os olhos, como quem quisesse melhor enxergar, mantendo a postura perfeita. Em meio tantas notas graves, dava umas agudas ao final de cada verso, prolongando-as em certas situações. Voltando a mão à aba do chapéu, olhei para esquerda, para direita, e então tirei-o da minha cabeça, jogando-o longe, olhando para sua direção, pondo uma perna dobrada atrás da outra.

Baby it's you, you're the one I love
You're the one I need
You're the only one I see
Come on baby it's you


Pus as duas mãos em meu pescoço e afastei-as rapidamente, como quem tirasse algo de dentro de si. Tentava, com frustração, interpretar a música. Ficou tosco. Mas, se isso fosse visto como a verdadeira intenção, sairia-me muito bem. A mão direita esticada para cima fora descendo fazendo ondulações. Lembra daquele passo de saltar com as pernas, o qual disse que não repetiria mais? Pois é, repeti. E agora decido que usarei a qualquer hora novamente. É como nos Jogos Vorazes ou na Ordem da Fênix, as regras mudam de acordo com a conveniência. Terminei o verso apontando e olhando para cima.

You're the one that gives your all
You're the one I can always call
When I need you, you make everything stop
Finally you put my love on top


A rouquidão tomou conta de minha voz quando gritei em alto som "Huum baby!", mas logo voltou ao normal de antes. Tirei, bruscamente, o microfone do pedestal, trazendo-o mais para perto de mim. Saindo da minha inicial posição, caminho para frente e vou agachando enquanto canto, ao ritmo da música, mas levanto-me em um único impulso, repetindo paço dos pulinhos. Eu e as garotas saímos do palco saltitantes, pelas escadas laterais, e saímos cantando pelo grande auditório da Carmel, com os holofotes nos seguindo.

You put my love on top top top top
You put my love on top... huum come on baby
You put my love on top top top top
Top you put my love on top
(you put my love on top)


Nos espalhamos pelas fileiras do local. Eu fiquei na do meio. O mesmo timbre de voz cantava o refrão, e minha mão desocupada apontava para todos. Sem o chapéu era muito melhor, pois, além de feio, era pesado. Os passos do refrão anterior repetiram-se todos, mas, ao invés de fazê-los sem sair do lugar, os fiz andando.

Baby it's you, you're the one I love
You're the one I need
You're the only one I see
Come on baby it's you


Não, exatamente, ao fim do auditório, mas bem longe do palco, encontravam-se três pedestais vazios, que eu pedi para ali posicionarem. As luzes nos acompanharam até lá. Botamos o microfones ali e, imediatamente, todos viraram-se para trás, a fim de melhor nos enxergar

Pus as duas mãos em meu pescoço e afastei-as rapidamente, como quem tirasse algo de dentro de si. Tentava, com frustração, interpretar a música. Ficou tosco. Mas, se isso fosse visto como a verdadeira intenção, sairia-me muito bem. A mão direita esticada para cima fora descendo fazendo ondulações. Lembra daquele passo de saltar com as pernas, o qual disse que não repetiria mais? Pois é, repeti. E agora decido que usarei a qualquer hora novamente. É como nos Jogos Vorazes, as regras mudam de acordo com a conveniência. Terminei o verso apontando e olhando para cima.

You're the one that gives your all
You're the one I can always call
When I need you, you make everything stop
Finally you put my love on top


Todas as meninas repetiram meus movimentos. Foi aí que as luzes se acenderam todas e eu ouvi alguns aplausos amistosos. Agradeci às garotas simpaticamente e então agradeci a eles, indo me sentar. Não tem aquela sensação de ter feito algo certo? Era essa que tomava conta de mim. E aquela de conseguir chegar ao topo, onde é você é o centro das atenções? Bem, essa eu não fazia e nem faço ideia de como seja, nunca vi nem a cor, mas sei que, para um dia sentir o que é chamado de perfeição, eu estou, pela primeira vez da minha vida, indo pelo caminho certo. Acho que estou gostando mais de estar na América, gostando mais de pensar na possibilidade de correr atrás dos meus sonhos na Broadway. Depois, quando eu estiver pra lá de realizada, volto para Londres. Talvez, nada disso aconteça, mas sempre correrei atrás dos meus sonhos, afinal, eles são as esperanças de nossas vidas, as únicas  coisas que nos fazem acreditar. Quem seríamos sem os sonhos? Sem as esperanças? Não seríamos mais do que já somos, quero dizer, NADA.



.

____________________

Eleanor Malfoy Riddle
@TPO

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Mellanie Grey Winchester em Sex 25 Out 2013 - 15:15

Express
When you were listening to that song on that drive with the people you love most in this world. And in this moment, I swear, we are infinite.✖
Can you feel me?Can you feel it?It's Burlesque!
Minha primeira tarefa no VA depois de ter conseguido entrar no grupo.Estava bastante animada e ansiosa para saber o que eu iria cantar na minha primeira tarefa no novo coral.Todos ali pareciam ser legais,cada um a sua maneira.Jesse e seu lado divo ao extremo,mas ainda assim,divertido.Duncan,meu primo pirado,que sabe ser sexy e romântico ao mesmo tempo.
Depois daquela semana divertida,porque era a semana do aniversário do Jhon,tudo voltou a normalidade.Eu e o Duncan íamos para a Carmel,para os treinos do Vocal Adrenaline,meu irmão ia pra a Dalton e Mitchie ia pra o McKinley,pra os ensaios das meninas.
Depois de duas longas aulas de trigonometria,chegou a hora de mais um ensaio com o pessoal do VA.Como eu e o Duncan chegamos atrasados,só conseguimos chegar na hora em que o Jesse explicava como ia ser a tarefa da semana.O tema era divas(tem sensacional) e não se podia repetir as divas que foram cantadas.Pra os meninos,podiam cantar Michael,Justin Timberlake,Queen ou outros.Conhecendo o Duncan,sabia na hora o que ele iria cantar.Olhei pra ele de lado,com um sorriso.Eu  escutei também o Jesse falando alguma coisa sobre uma grande competição e que o Vocal Adrenaline iria participar também,homenageando High School Musical!Adorei a ideia e já estava dentro!Iria falar com Jesse depois do ensaio e pedir para ele colocar meu nome na lista de inscrição.
A primeira a fazer sua performance foi a Eleanor e ela fez uma ótima performance,de Love on Top,da Beyoncé.Fiquei realmente impressionada com a potência vocal da garota e no final de sua apresentação,a aplaudi,junto com os outros.Imediatamente,já sabia qual música iria cantar e qual diva iria homenagear.Quando Jesse falou ''próxima'',eu fui para o centro do palco e disse:
-Oi pra todo mundo.-disse,cumprimentando o pessoal,que me responderam com um aceno de cabeça.Respondi o aceno deles e continuei a falar:-Sou Mellanie Winchester e vou fazer uma performance de Express,do fantástico musical Burlesque.A diva que irei performar claro,será Christina Aguilera.E para isso,irei precisar da ajuda das meninas do coral.Um segundo e já volto.-as meninas se animaram na hora e imediatamente,todas nós fomos pegar algumas roupas no camarim do auditório.

Voltamos para o centro do palco,onde havia alguns pedestrais que foram postos ali.Quando o auditório foi começando a ficar escuro e os holofotes focaram em mim e nas meninas,nos viramos lentamente e eu comecei a cantar:


It's a cold and crazy world
That's ragin' outside
Well baby me and all my girls
Are bringin' on the fire
Show a little leg,
Gotta shimmy your chest
It's a life,
It's a style,
It's a need,
It's burlesque.


Nessa hora,todas nós nos viramos e cada uma começa a cantar uma letra de cada da palavra ''Express'' e eu cantando a próxima linha do refrão.

E-X-P-R-E-S-S.
Love, sex, ladies no regrets
E-X-P-R-E-S-S.
Love, sex, ladies no regrets


Been holding down for quite some time
And finally the moment's right
I love to make the people stare
They know I got that certain savoir faire


[Pre-Chorus]
Fasten up, could you imagine what would happen if I let you close enough to
touch?
Step into the fantasy, you'll never want to leave,
Baby let's give it to you
(WHY?)


[Chorus]
It's a passion,
An emotion, I
t's a fashion, BURLESQUE
It'll move you,
Goin' through you,
So do what I do, BURLESQUE
All ladies come put your grown up,
Boys throw it up if you want it
Can you feel me, can you feel it?
It's BURLESQUE.



I tease 'em 'til they're on the edge
They screamin' for more and for more they beg
I know it's me they come to see
My pleasure brings them to their knees


[Pre-Chorus]
Fasten up, could you imagine what would happen if I let you close enough to
touch?
Step into the fantasy, you'll never want to leave,
Baby let's give it to you
(WHY?)


[Chorus]
It's a passion,
An emotion, I
t's a fashion, BURLESQUE
It'll move you,
Goin' through you,
So do what I do, BURLESQUE
All ladies come put your grown up,
Boys throw it up if you want it
Can you feel me, can you feel it?
It's BURLESQUE.

[DANCE BREAK!]


[Chorus]
It's a passion,
An emotion, I
t's a fashion, BURLESQUE
It'll move you,
Goin' through you,
So do what I do, BURLESQUE
All ladies come put your grown up,
Boys throw it up if you want it
Can you feel me, can you feel it?
It's BURLESQUE.
Can you feel me, can you feel it? It's BURLESQUE.


Quando as luzes voltaram a se acender mais uma vez,eu parei pra tomar fôlego e vi que os membros do coral nos aplaudiam entusiasmados,especialmente os meninos,até porque nós estávamos com roupas curtas da época.Safados.Revirei os olhos e agradeci os aplausos de todos e agradeci a ajuda das meninas.Fomos correndo para o camarim para colocarmos nossas roupas normais outra vez e fomos nos sentar,á espera da próxima apresentação.
 
Diva's week at Vocal Adrenaline

____________________

Mellanie  Winchester
Mel | Sweet girl | William McKinley | Troubletones |Duncan's cousin |  Jhonah, Mitchie and Jane sister

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Melody Stylinson em Sex 25 Out 2013 - 16:46

Who's That Boy


Eu estava preocupada com a tarefa da semana afinal quando eu estou sozinha em uma sala fechada eu canto e danço como "diva" bom é o que as pessoas dizem, mas isso é diferente ali tem um grupo de pessoas que acabo de conhecer, a pouco tempo estou nervosa não sei se está tarefa tem haver muito comigo, mas estou confiante aprendi a música e a coreografia só falta as dançarinas e dançarinos quererem ajudar. Bom ajudar eles já estavam ajudando só faltava botar tudo em prática cheguei ao auditório cedo para ver os últimos preparativos a algum tempo havíamos visto a apresentação da Meladinha que tava de arrasar agora eu tinha que me superar igual ela fez ser um diva, eu ia surpreender os garotos um deles iria subir ao palco para que dança-se junto comigo, iria ser meio confuso mas para o coreografia iria ficar legal, arrumei em um quanto as cosias necessárias para minha performance.
Depois de tudo pronto pedi que saltassem o toque da música. Andei decidida até as 3 cadeiras que estavam no canto e quando começou o toque da música puxei um delas a posicionando no meio do palco esperei que as dançarinas que tinha convidado se posicionassem e comecei a cantar

I wanna get you by yourself
Yeah, have you to myself
I don't need nobody else
Don't want nobody else
He's special, I know
He's smile, it glows
He's perfect, it shows
Let's go!


Enquanto cantava dançava na cadeira uma coreografia ousada em meu dizer mas que mostrava o poder da mulher, eu comecei descendo meu tronco até as pernas depois subi um braço balançando a cabeça para um lado e repetindo o ato com o outro braço girei para o lado esquerdo da cadeira cruzando as pernas e fazendo charminho sorrindo maroto

I've been starin' atcha
And I could do it all night
You're lookin' like an angel
That kinda body it needs a spotlight

Ain't nobody know your name
But lookin' like you do could be famous
I could see us makin' waves
From the back of the club
To a bed in the shade, now


Me levantei da cadeira ainda lançando charminho e sorrindo maroto para os garotos na plateia fui até Duncan o puxando para dançar juntamente comigo no palco, assim que voltamos ao palco comecei a cantar o refrão

Don't know who you are
But you look like a star
And everybody have the thinking
Who's that boy?
Wanna take you home
And get'cha all alone
And everybody here is thinkin'
Who's that boy?

Oh he got me
No, I never see
No one like him
Damn ,he's everything
Girls they want him
Guys they want to be
Who's that boy, who's that boy


Olhei para Ducan e virei passando a mão em seu belo corpo parando em sua cintura e juntamente com o ato descendo rebolando até o chão, assim que subi virei de frente para a plateia enquanto eu joga meu corpo par ao lado direito e fazia charminho com a mão o Ducan fazia o mesmo para o outro lado, logo depois dançamos separadamente rebolando somente com as mãos no auto com  a mão esquerda segurando o pulso da direita para dar o charme depois abaixamos o braço enquanto eu rebolava o Ducan pegava em minha cintura rebolando junto logo após eu arrebitava a bunda para que ele fingi-se que estava batendo em mim só para fazer charminho.
Após terminar o refrão empurrei Ducan ara a cadeira com um intuito de que ele sentasse e comecei o segudno rapa da música havia a adaptado

Who's that, who's that, who's that, who's that

Everybody in the club turn around sayin'
Who's that, who's that
Beautiful boy with them big brown eyes, tell me
Who's that, who's that

I got my eyes on this boy
Can't get him off my mind
He's one of a kind
The cherry to my pie
I just wanna get him close
Wanna make him mine
Come hold my hand and dance away the night
Give me the green light
Kiss my lips
Who's that boy watching my hips?
I- I- I wanna know who you are
My name is Melody and you can be my star


Dancei para ele como se tive-se cantando um rap em um dos clipes das Little Mix divando, e com o acompanhamento dançando em volta dele dei a volta na cadeira e cantei um pouco perto de seu ouvido para fazer charme mas quando ele ia se levantar o rap estava acabando e eu andei para frente do palco junto com as dançarinas olhei para traz dei um sorriso maroto e joguei o cabelo me sentindo em um show super poderoso!
Acabei sorrindo e me retirei do palco ara trocar de roupa afinal meu vestido estava um pouco curto e minha jaqueta de couro irritava pelo calor!


thanks thay vengeance @ cupcake graphics

____________________



Mel Stylinson

Eu ♥ Eu ♥ Eu ♥ Sexy Girl

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Duncan Pendragon em Sex 25 Out 2013 - 18:41



"I'm bringing sexy back (yeah),The other boys don't know how to act (yeah),I think you're special, what's behind your back? (yeah),So turn around and I'll pick up the slack (yeah)"
Bringing sexy back

Primeira tarefa no Vocal Adrenaline.Estava ficando bastante interessante ser de lá.Gosto de desafios e adoro quando me lançam um desafio para eu cumprir.A dessa semana me deixara bastante animado.A tarefa valia um solo para as Regionais e eu realmente queria aquilo.Sentir todos os olhares em mim,enquanto eu arrasava no palco,pelo grupo,nas Regionais.
Prestei apresentação em todas as performances,enquanto pensava qual música iria performar.Claro.Pensei comigo mesmo,dando um sorriso de lado,enquanto assistia a apresentação da Melody,a amiga da minha prima Mell.A primeira apresentação foi a de uma ruiva baixinha,que sempre me esquecia do nome dela...alguma coisa com Riddle...Me lembrei imediatamente do sobrenome de Eleonor,porque me lembrava de Tom Riddle,de Harry Potter.A minha prima foi a segunda a se apresentar e ela pediu a ajuda das meninas do grupo e logo depois pude ver o porque.A Mell foi sensacional,com a sua performance de ''Express'',do ótimo musical de Burlesque.Vendo a minha prima performar essa música,parecia que ela realmente estava na Broadway!Aplaudi animado ao fim da apresentação da Mell e não pude conter minha surpresa ao ver que Melody me puxara da minha cadeira para ajudá-la em sua performance de uma música da ótima Demi Lovato.No final,batemos nossas mãos,animados com a nossa performance e ainda fiquei no palco,pois agora era a minha vez de me apresentar.
-Oi,pessoal.Parabéns pelas performances,meninas.-Disse,piscando pra elas.Continuei:-Sou Duncan Pendragon e como não irei cantar músicas de divas,irei cantar uma de um dos meus cantores favoritos: Justin Timberlake.Meninas,preparem-se para um show de sedução.-Disse,piscando marotamente para as meninas do grupo,sem deixar me abater com os olhares incrédulos dos garotos do coral.

Eu e os rapazes do coral que iriam me ajudar na performance fomos para o centro do palco e sentimos o auditório ficar meio escuro.Ao sentir os holofotes em cima de nós,comecei a cantar,fazendo uma coreografia que eu mesmo improvisei:

I'm bringing sexy back (yeah)
The other boys don't know how to act (yeah)
I think you're special, what's behind your back? (yeah)
So turn around and I'll pick up the slack (yeah)

- Take'em to the bridge -

Dirty babe (aha)
You see these shackles
Baby I'm your slave (aha)
I'll let you whip me if I misbehave (aha)
It's just that no one makes me feel this way (aha)

- Take'em to the chorus -

Come here girl (go head, be gone with it)
Come to the back (go head, be gone with it)
VIP (go head, be gone with it)
Drinks on me (go head, be gone with it)
Let me see what you twerking with (go head, be gone with it)
Look at those hips! (go head, be gone with it)
You make me smile (go head, be gone with it)
Go ahead child (go head, be gone with it)
And get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on

I'm bringing sexy back (yeah)
Them motherfuckers don't know how to act (yeah)
Come let me make up for the things you lack (yeah)
Cause you're burning up I gotta get it fast (yeah)

- Take'em to the bridge -

Dirty babe (aha)
You see these shackles
Baby I'm your slave (aha)
I'll let you whip me if I misbehave (aha)
It's just that no one makes me feel this way (aha)

- Take'em to the chorus -

Come here girl (go head, be gone with it)
Come to the back (go head, be gone with it)
VIP (go head, be gone with it)
Drinks on me (go head, be gone with it)
Let me see what you twerking with (go head, be gone with it)
Look at those hips! (go head, be gone with it)
You make me smile (go head, be gone with it)
Go ahead child (go head, be gone with it)
And get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on

You ready?

You ready?

You ready?

Hum...Yes

I'm bringing sexy back (yeah)
You motherfuckers watch how I attack (yeah)
If that's your girl better watch your back (yeah)
Cause she'll burn it up for me and that's a fact (yeah)

- Take'em to the chorus -

Come here girl (go head, be gone with it)
Come to the back (go head, be gone with it)
VIP (go head, be gone with it)
Drinks on me (go head, be gone with it)
Let me see what you twerking with (go head, be gone with it)
Look at those hips! (go head, be gone with it)
You make me smile (go head, be gone with it)
Go ahead child (go head, be gone with it)
And get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on (go head, be gone with it)
Get your sexy on

You ready?
Yes
You ready?
Yes
Yes...


No final,em ''yes'',deixei a minha voz morrer um pouco e abaixei a cabeça,apenas para sentir todos me aplaudindo.Levantei a cabeça,agora com um enorme sorriso no meu rosto,ainda mais satisfeito ao ver a cara de incredulidade de Jesse,ao ver que ele irá perder esse ano o posto de ''divo'' do coral,pensei rindo eternamente comigo,ao me sentar entre Mel e Melody,aagora a espera da próxima apresentação.
clothes: [url=link do set]this (clica!) [/url]# tags:  Pessoal do Vocal Adrenaline # music: Sexy Back(Justin Timberlake).  # Thanks Maay From TPO.

____________________

Duncan Pendragon
Dun ♣️Sexy Boy ♣️ Funny ♣️ Protector♣️Dalton Academy♣️Warblers♣️Jhonah BFF and partner in crime♣️Mell best cousin ever,love you,girl ♥️

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Taylor Scott Davies em Sex 25 Out 2013 - 19:07


Behind the Aura



*Após uma longa temporada de férias do Vocal Adrenaline, estávamos voltando à ativa. Minha vida ainda estava se reconstruindo. Há pouco havia perdido a pessoa mais importante da vida... Mas era preciso superar Nicho. O difícil era vê-lo na sala do VA, muitas vezes ao meu lado. Porém, agora, havia focar no meu futuro. Uma importante competição estava prestes a acontecer, e eu precisa me preparar. Fui para a sala do Vocal Adrenaline à esperar Jesse. Os outros já estavam lá. Jesse chegou logo depois de mim. Estava com uma pele ótima. Férias fazem bem à treinadores também. O tema dessa semana é Divas. Fiquei entre cantar Lana Del Rey ou Lady Gaga... Mas creio que Aura seria a melhor hipótese. Minha apresentação seria apenas no outro dia, então, precisa preparar figurino. Fui para casa e fiquei até a tarde, fazendo-o. No outro dia, fui ao colégio e depois ao camarim, para me preparar. Cheguei no palco vestindo um Colant preto, com uma jaqueta justa com ombreiras, e de couro. A musica começou, e eu, sentado no chão, cantava com mudança na voz causada pelos aparelho. A musica começou e eu comecei cantando:

- I killed my former and
Left her in the trunk on Highway 10
Put the knife under the hood
If you find it, send it straight to Hollywood

*A musica ficou vazia, criando impressão de vácuo. De repente um som de banjo é sentido e logo começo a cantar. Passo a me mover lentamente e sexy no chão, olhando para Jesse.

- Ha ha ha ha ha ha ha
Ha ha ha ha ha ha ha
A-a-a-a-a-a-a-a-a-a-a
Aura-a-a-a-a-a-a-a
Aura-a-a-a-a-a-a-a
Aura-a-a-a-a-a-a-a
Aura-a-a-a-a-a-a-a
Aura-a-a-a-a-a-a-a

*Eram apenas melismas e dubsteps compassados. Mas com a voz. Levantei rapidamente e comecei a andar forte de frente, enquanto cantava a primeira parte principal, que era com alteração de voz, o que a deixava mais robótica que o normal:

- I'm not a wandering slave
I am a young man of choice
My veil is protector for the gorgeousness of my face
You ought to pity me
'Cause there's always one man to love?
But in the bedroom, the size of him is more than enough!

*A musica recebia backings de gemidos e melismas baixos no fundo. A música ficou em clímax e minha voz aqui, ficara limpa. Entrei no compasso, puxei ar pelas narinas, e comprimi o diafragma cantando, sem efeitos:

- Do you wanna see me naked, lover?
Do you wanna peek underneath the cover?
Do you wanna see the boy who lives behind the aura?
Behind the aura, behind the aura, behind the aura

*Reparei que Nico não estava ali, o que me deixou entristecido... Não o via por semanas, mas isso não significa que devesse me importar. Aliás, quero, mas não devo. Volto a me concentrar na musica e minha voz fica robóticamente modificada novamente. Puxo ar para o diafragma e canto, enquanto dançarinos vem e me acompanham na dança contemporânea e eletrizante:

- Enigma popstar is fun, He wear burqa for fashion
It's not a statement as much as just a move of passion
I may not walk on your street or shoot a gun on your soil
I hear you screaming, is it because of pleasure or toil?

*Do nada, os dançarinos saem rapidamente do palco e eu me concentro nas partes agudas que estão por vir. Os efeitos são tirados, e minha voz se limpa novamente. Deito no chão, e me levantando lentamente, começo a fazer passos básicos de jazz, como ponta ou os pulos básicos. Puxo ar para o diafragma e canto:

- Do you wanna see me naked, lover?
Do you wanna peek underneath the cover?
Do you wanna see the boy who lives behind the aura?
Behind the aura

*A parte agora era repetida com os mesmos melismas, afinação e ritmo, porém com a letra um pouco diferente. Sento de pernas bem abertas no chão e rebolo um pouco enquanto aponto para frente. Depois, ando de quatro lentamente em direção ao público:

- Do you wanna touch me, cosmic lover?
Do you wanna peek underneath the cover?
Do you wanna see the boy who lives behind the aura?
Behind the aura, behind the curtain, behind the burqa

*A música termina e eu fico imóvel no palco, de lado e de quatro, por 10 segundos. Então, me levanto, agradeço, e vou ao vestiário. Volto com uma bermuda rosa, uma alpargata com estampa Indie branca e um camisa jeans claro. Me sento ao lado dos outros para assistir às apresentações.

Day: 25/10/13 Place: Sala do Vocal Adrenaline With: Meu namorado imaginário Humor: Ousado credits @

____________________

Taylor Scott Davies
Inglês - London - Broadway - VA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Geoffrey O. Champoudry em Sex 25 Out 2013 - 20:49

I just need applause!
Just accept my superiority!

Uma nova semana se iniciava em High Carmel e logo o meu stress se iniciava. Fazia alguns dias que eu perambulava pela escola solitariamente, esperando apenas um momento de humilhar alguém. Eu estava sofrendo dificuldades em manter o meu EU  verdadeiro, graças a várias garotas e garotos maléficos. Cada horário de intervalo, eu percebia vários ninhos de cobras se aglomerando e conspirando uns contra os outros. Era divertido, já que na minha antiga somente eu era considerado indesejável, perigoso e ousado. Quando se arrumar concorrentes a altura, o jogo se torna mais interessante.

O coral havia me aceitado de uma forma bastante constrangedora, colocando o meu nome no ridículo quadro que ficava no corredor principal. Agora todos sabiam sobre o meu fracasso emocional. Ajeitei minha camisa de gola, consertei o gel no meu cabelo e sai desfilando dando as costas como resposta aos idiotas. Jesse St James era o responsável pelo Vocal Adrenaline e não havia me passado nenhuma imagem positiva, embora fosse digno de observações. Escolhido semanalmente, Jesse falou ao integrantes o tema das canções. Lógico que logo pus o meu lado “bambi” saltitante com o tema Diva, porém resolvi mostrar que estava superior. No meu IPod várias listas de cantores e cantores que revolucionaram o mundo com seus talentos, porém era preciso escolher apenas um. Durantes duas horas antes de dormir, treinei a canção e alguns passos de dança. A dança nunca foi o meu forte, na verdade sei dançar tanto quando um velhote com artrite, artrose e osteoporose.

Quando surgiu o dia da apresentação os meus nervos estavam aforados, porem mantive a calma, pelo menos aparentemente. O meu figurino não era nada demais, exceto as roupas que eu costumava usar. Uma blusa social branca de botões e mangas curtas, a calça de couro preta da Armani e o meu par de sapatos de couro de lagarto, nas cores cinza, branca e preta. O auditório já havia plateias quando cheguei, os integrantes do coral estavam a postos esperando sua vez. Eleanor foi a primeira a subir ao palco, seguida de Mellanie, Melody, Duncam e Taylor. As apresentações foram ótimas, na verdade ao meu ver cada um tinha perfeitas habilidades vocais. Senti o medo subir pelas minhas pernas, arrepiando meus pelos e acelerando meu coração. Eles eram perfeitos se comparados a minha habilidade de canto, porém não deixei transparecer minha desvantagem quanto talento. Quando Jesse anunciou o próximo senti que havia chego a minha vez. Levantei-me calmamente e me dirigi ao centro do palco. Eu havia arrumando de ultima hora umas pessoas que iriam “computadorizar” alguns instrumentos, na verdade eu precisava disso para ganhar um pouco de vantagem.

- Bom, sou Geoffrey Oliver. – Sorri falsamente como sempre. – Vou cantar uma música desse fenómeno musical que considero perfeita. Espero que gostem!  – Sorri novamente após terminar a frase, antes mesmo da música iniciar, lembrei-me de apresentar a canção. Sem perder a postura ou demostrar sinal de esquecimento proferi: - Scream, Usher!  

A batida da canção começou melhor do que imaginava. A luz do palco apenas me iluminava.

Geoffrey, baby
Yeah, we did it again
And this time I'mma make you scream
Oliver! Yeah, man


Abri os braços sem ser totalmente e quase sussurrei as primeiras notas de introdução. Mantive o meu olhar posicionado acima da plateia. E no final da estrofe quando sussurrei “Yeah, Man” olhei na direção das garotas e depois para os rapazes.

I see you over there, so hypnotic
Thinking 'bout what I do to that body
I get you like
Oh, baby baby, oh, baby baby
Ah, oh baby baby, oh baby baby
Got no drink in my hand
But I'm wasted
Getting drunk of the thought of you naked
I get you like
Oh baby baby, oh baby baby
Ah, oh baby baby, oh baby baby.


Andei delicadamente até a ponta do palco e em seguida dei uma rodada mostrando minha camisa e em seguida o meu corpo. O meu pé direito batia calmamente e no ritmo da batida fazendo assim o restante do meu corpo remexer. Quando houve uma pequena e quase nada mudança da nota musical andei em direção ao lado dos garotos, porém sem sair do palco. E soltei uma piscadela não tímida. E em seguida em direção a garotas  onde após piscar novamente, não deixei o local.

And I ain't trying to fight it, to fight it
But you're so magnetic, magnetic
Got one life, just live it, just live it
Now relax, sing it on your back.


Passei as mãos no meu cabelo e desci seguindo até parar no meu peitoral. Não fiz escolha da “melhor” garota para me insinuar, ao invés disso investia em todas. O meu olhar, eu poderia sentir que havia mudado para algo mais sexy, sarcástico e vilão. Eu começava a sentir o fogo da excitação subir pelo meu corpo me fazendo me soltar cada vez mais.

If you wanna scream, yeah
Let me know and I'll take you there
Get you going like
Ah, oh baby baby, oh baby baby
Ah, oh baby baby, oh baby
If you wanna turn right
Hope you're ready to go all night
Get you going like
Ah, oh baby baby, oh baby baby
Ah, oh baby baby, oh baby
If you wanna scream
Yeah, come on


Coloquei minhas mãos sobre minha barriga e em seguida subi em direção ao meu peito. Quando a batida se intensificou puxei violentamente a gola de uma forma que fizesse os quatro primeiros botões se romper. Eu estava com o peitoral quase nu, além disso, não observei em quais direções os botões caíram. Andei deliciosamente até novamente ao centro do palco cantando. Quando cantei “Ah, oh baby baby, oh baby baby” rebolei tão singelamente de uma forma que não tornasse a dança “vulgar”. Apontei o meu indicador para o lado feminino e fechei os olhos inclinando levemente o meu pescoço para atrás.

Kill the lights, shut 'em off
You're electric
Devil eyes telling me
Come and get it
I have you like
Ah, oh baby baby, oh baby baby
Ah, oh baby baby, oh baby
Girl, tonight you're the prey
I'm the hunter
Take you here, take you there
Take you under
Imagine me whispering in your ear
That I wanna take off your clothes
And put something on ya


Eu estava me sentindo quente e o suor descia pelas minhas costas. Novamente um olhar maléfico cheio de intenções pervertidas, porém dessa vez na direção dos garotos. Inclinei o meu corpo para a frente e coloquei minha mão direito no ouvido como se quisesse ouvir algo vindo da parte deles. Desejava que eles implorassem  pelo meu corpo desnudo. Abri os braços novamente e deixei o ritmo movimentar o meu quadril. As mãos passeavam pelos meus lábios e descia até o meu pescoço. Os meus pelos inteiros se arrepiavam.

And I ain't trying to fight it, to fight it
But you're so magnetic, magnetic
Got one life, just live it, just live it
Now relax, sing it on your back


Afastei um pouco as pernas e deslizei novamente até o centro do palco. Na parte “Now relax, sing it on your back” cerrei um pouco os olhos encarando todos. O meu ombro se movimento sigilosamente levando os meus braços. Subi os braços e logo em seguida comecei a desce-los vem devagar no ritmo da minha voz.

If you wanna scream, yeah
Let me know and I'll take you there
Get you going like
Ah, oh baby baby, oh baby baby
Ah, oh baby baby, oh baby
If you wanna turn right
Hope you're ready to go all night
Get you going like
Ah, oh baby baby, oh baby baby
Ah, oh baby baby, oh baby
I'mma make you scream out


Dirigi-me até a parede e encostando o meu corpo todo, as luzes me iluminando. Eu me sentia uma Fênix próxima da ebulição. Com as costas coladas na parede, subi e desci o meu tronco inferior bem sedutoramente.

Louder, scream louder
Louder, louder, louder
Hey, tonight I scream, I'm on need


Como em um movimento repentino, andei e desci do palco, dessa vez encarando Jesse sentado em sua cadeira. Me encaminhei em direção a ele, parando quase a poucos metros. Olhei-o profundamente nos olhos e procurei demostrar o meu sinal de requerimento de prazer, de conquista, de luxúria. Quando a parte sustentada chegou, joguei toda a minha cabeça para atrás olhando para o teto, enquanto minhas mãos se iniciava nas minhas coxas, subindo devagar pela minha barriga, deixando-a um pouco a mostra. Não imaginei que conseguiria manter o fôlego na parte final dessa estrofe, além de aumenta-la, quase virando um agudo.

If you wanna scream, yeah
Let me know and I'll take you there
Get you going like
Ah, oh baby baby, oh baby baby
Ah, oh baby baby, oh baby
If you wanna turn right
Hope you're ready to go all night
Get you going like
Ah, oh baby baby, oh baby baby
Ah, oh baby baby, oh baby
If you wanna scream


Soltei o grito após isso passei os dedos pelos meus lábios. Quase deixei que a ponta da minha língua encostasse nos meus dedos, porém tive medo de não conseguir cantar e realizar esse ato. Caminhei até o palco, porém não subi, me sentei nas escadas que davam acesso. As pernas delicadamente aberta deixando o meu sexo quase a mostra pela calça. Quase deite e movimentava o meu quadril para abaixo e para acima no ritmo da minha voz. Voltei a sentar e fechei as pernas e inclinei o joelho como se eu fosse abraça-lo. Olhei novamente para todos e quando cantei a última palavra da música “scream”, respirei fundo logo após. Não um ritmo de alguém que estava sem fólego, mas sim de uma pessoa que alcançou e chegou a clímax.

As luzes se acenderam e logo desci do palco. Não poderia admitir isso, mas eu me sentia envergonhada pela canção, dança, atos e não tive coragem de encarar os outros nos olhos. Me sentei na minha cadeira e fiquei esperando a próxima apresentação.  


                                                                                                                     

onde: Auditório Carmel High -vestindo: link - com: Integrantes do Vocal Adrenaline - humor: Excitado [?].




____________________

Voltar ao Topo Ir em baixo

O autor desta mensagem foi removido do fórum - Ver a mensagem

Re: Auditório.

Mensagem por Ann V. St. James em Sab 26 Out 2013 - 21:31


I wanna see your peacock!




Na hora de minha performance, eu caminhei até o centro do palco com uma roupa imitando a de um pavão, pedi para que apagassem todas as luzes, e a roupa que eu fiz se iluminou, era colorida, e muito bela, mas o que era engraçado, era que as luzes, eram muzinhas de natal. Me aproximei do microfone,e disse:-Eu vou cantar a musica Peacok da Katy Perry,sou Ann Victory Hertfordshire St James.Sorri, todos me aplaudiram e iniciei junto com a melodia:I wanna see your peacock, cock, cock
Your peacock, cock
Your peacock, cock, cock
Your peacock
I wanna see your peacock, cock, cock
Your peacock, cock
Your peacock, cock, cock
Your peacock

Eu apontava aleatoriamente para os garotos do coral, mas eu estava comprometida, eu tirei o microfone do suporte e começei a brincar com o suporte durante o proximo verso.Chamei duas garotas, elas imaginaram que ja iriam vazes os "backing vocals" elas pegaram os microfones e começaram a dançar com eles nas maos.
Word on the street, you got somethin' to show me, ee
Magical, colorful, mr. mystery, ee
I'm intrigued, for a peek,
Heard it's fascinating

Então o proximo trecho as garotas cantam comigo e eu continuo, um ritimo dancante, lancando um olhar, sexy/divo  e dançando de uma forma "sexy" tava para perceber que alguns garotos babaram com minha lora cabeleira cantando Katy e minha voz um tanto grave e aguda ao mesmo tempo ecoando pelo local.
Come on baby let me see
What you're hiding underneath

Sempre as garotas cantam essa parte.Volto ao tom leve e rapido, dancante, alguns integrantes do coral se levantaram para dançar, indiquei que poderiam subir para dançar aqui, mas eles não quiseram, meu collant de Paetê azul, com as luzes, mesmo fracas, refletiu no teto algo parecido com um globo de espelhos.
Words up your sleeve
Such a tease
Wanna see the show-ow
In 3d, a movie
Heard it's beautiful-own
Be the ju-udge
And my girls gonna take a vote-owte

O "rap junto das me ninas se passara, agora ey tomei um leve folego, era o pré refrão, olhei para as garotas e acenei levemente com a cabeça e prossegui:
I want the jaw droppin, eye popin,
Head turnin, body shockin
(uh, uh, oh, uh, uh, uh, oh)
Minha voz saiu como um espeto no olvido de todos, era uma coisa que até que nunca mais queria parar de ouvir, minha voz era media, quando eu queria, eu conseguia fazer qualquer agudo que eu pudesse.Eu me achava uma Barbra Streisand, uma lagrima de emoção saiu do meu olho, eu havia feito aquela parte mais forte que a original da Katy, sera que era bom isso?
I want my heart throbbin,
Ground shakin, show stoppin, amazin
(uh, uh, oh, uh, uh, uh, oh)
Sorri e em uma pausa da musica que me fez pensar é agora, a parte que eu amava da musica, eu sabia que ia conseguir!
Are you brave enough to let me see your peacock?
Don't be a chicken boy, stop acting like a beeotch
I'ma peace out if you don't give me the pay off
Come on baby let me see
What you're hiding underneath
Are you brave enough to let me see your peacock?
What you're waiting for, it's time for you to show it off
Don't be a shy kinda guy I'll bet it's beautiful
Come on baby let me see
Whatchu hidin' underneath

As garotas ficaram em subito silencio, assim como todos, exceto os caras da banda, eles não pararam de tocar, mesmo com isso, prossegui e então olhei para as garotas e elas voltaram a cantar, e sempre com minha "coreografiazinha" de apontar para os integrantes do coral.
I wanna see your peacock, cock, cock
Your peacock, cock
Your peacock, cock, cock
Your peacock
I wanna see your peacock, cock, cock
Your peacock, cock
Your peacock, cock, cock
Your peacock
I wanna see ya

Eu fechei os olhos, o resto da musica fluira normalmente, então, finalmente eu cheguei na parte que eu estava com medo, eu acabara cantando amusica toda em um tom mais forte que o da Katy, minha voz é muito marcada perto da dela, eu só sabia que necessitava fazer isso bem, eu não estava preocupada com o solo, e sim com o que iam achar de mim.
Are you brave enough to let me see your peacock?
Don't be a chicken boy, stop acting like a beeotch
I'ma peace out if you don't give me the pay off
Come on baby let me see
What you're hiding underneath
Are you brave enough to let me see your peacock?
What you're waiting for, it's time for you to show it off
Don't be a shy kinda guy I'll bet it's beautiful
Come on baby let me see
Whatchu hidin' underneath

I wanna see your peacock, cock, cock
Your peacock, cock
Your peacock, cock, cock
Your peacock

Lagrimas escorriam sobre minha face, eu estava me sentindo realizada, minha filicidade de estar cantando num palco era a maior do mundo, mas eu estava triste pelo Nicho nao estar lá pra ver, só por que eu encontrei um certo parentesco com os St James, ele nã me considera mais irmã dele. Eu continuei. Como Eu decidi não fazer toda a musica e deixar um puco do final-o ultimo refrão- eu continuei, o ultimo verso todo, foi cantado com as garotas
Oh my god no exaggeration
Boy all this time was worth the waiting
I just shed a tear
I'm so unprepared
You got the finest architecture
End of the rainbow looking treasure
Such a sight to see
And this all for me

Finalmente, o que eu mais queria era ver a reação das pessoas sobre minha performance, para mim, teria sido a melhor da minha vida, mesmo eu gostando supremamente de rock, eu me emociono cantando pop, porque eu me superoa a maioria das vezes.
I wanna see your peacock, cock, cock
Your peacock, cock
I wanna see ya
Your peacock, cock, cock
Your peacock
I wanna see your peacock, cock, cock
Your peacock, cock
Your peacock, cock, cock
Your peacock
I wanna see ya

Come on baby let me see
Whatchu hidin' underneath

As garotas respiraram, assim como eu, sorrimos e agradecemos aos aplausos e eu agradeci á ajuda delas, eu sorri e aguardei ao Jesse.





@ Wonderland Editions



____________________


You know that I'm a crazy bitch I do what I want when I feel like it All I wanna do is lose control But you don't really give a shit You go with it, go with it, go with it
'Cause you're fucking crazy Rock 'n' Roll

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Logan O. Dupont em Qua 30 Out 2013 - 0:12




"Just Provocation "




Interessante, um aluno assim como todos nós querendo passar uma atividade? Chega a ser cômico... Essa "estrela" tinha de ser posta no lugar dela.
Para quem não sabe eu sou Logan Oliver Dupont, natural da frança e transferido para a Carmel High School, sou membro do coral faz um tempo já, tinha me afastado por um tempo e quando volto encontro isso! Chega a ser ofensivo.
Claro que eu deveria dar alguma explicação sobre meu sumiço no coral, afinal, quando você apenas some da face da terra e reaparece as pessoas querem saber o motivo, mas isso não seria algo relevante agora...
------

Via muita gente nova no coral, umas pessoas mais interessantes que as outras. Logo olhei ao redor para ver se meus velhos companheiros estavam lá, a maioria tinha sumido, ÓTIMO.
Eu simplesmente detestava cantar sobre "divas", achava a maioria ridícula, além de que quem é esse cara para ficar impondo regras?
------

Abro as portas do auditório, todos me olham de forma surpresa, estava vestindo uma camisa vermelha lisa da seguinte tonalidade: ███, um jeans simples quase preto, um sapato preto, um relógio prateado simples com o visor branco e um cordão de prata com um pingente com o seguinte emblema também prateado
Spoiler:
Meu cabelo estava arrumado como sempre, meus olhos brilhavam de confiança enquanto sem dar uma única palavra me dirigia ao palco.
Minha vestimenta não era nada extravagante, era o mais básico possível e isso atraiu o olhar cortante do Jesse.
Chegando ao palco, posicionei-me no piano e antes de começar a cantar olhei diretamente para o Jesse e dei uma pequena risada de canto de boca.

------


Não toquei absolutamente nenhuma nota no piano, comecei a cantar secamente com uma voz grave e profunda.

And who are you, the proud lord said,
That I must bow so low?


Olhei para todos os presentes no auditório e após isso olhei novamente para o "treinador", soltei um pequeno sorriso de canto de rosto novamente, toquei o primeiro acorde da música e voltei a cantar ainda com um pequeno sorriso provocador.

Only a cat of a different coat,
That’s all the truth I know.


Continuei a cantar de uma forma bem lenta e com a letra bem explicada, minha voz era grave e penetrante assim como a música exigia, meus dedos dançavam nas teclas do piano, tocando a triste melodia da música, que soava como uma provocação ao ego elevado daqueles que se põem superiores aos outros.

In a coat of gold or a coat of red,
A lion still has claws,


Minha expressão facial era provocadora, embora o modo com que eu cantava a música era seco, minha voz continuava áspera e grave, como se arranhasse a alma de quem a escutasse, não era algo desagradável aos ouvidos, muito pelo contrário, junto com o som do piano formava um arranjo perfeito, era uma música perfeita cantada em um momento relativamente inoportuno, porém necessário.

And mine are long and sharp, my lord,
As long and sharp as yours.


Quando eu cantei "As long and sharp as yours." eu olhei para o Jesse em tom de provocação e lodo fitei a partitura que estava no apoio do piano e continuei.

And so he spoke, and so he spoke,
That lord of castamere,
But now the rains weep o’er his hall,
With no one there to hear.


Nessa parte minha voz soava mais triste que o normal, parecia que o que quer que tivesse acontecido nesse meio tempo que passei afastado havia afetado de alguma forma minhas interpretações, talvez de uma forma positiva, talvez não. Estava cantando em um tom mais baixo que costumava cantar, isso dava um efeito interessante, não havia performance, era apenas um cara num piano cantando uma música sem nexo algum com o que foi pedido, mas senti que era necessário.

Yes now the rains weep o’er his hall,
And not a soul to hear.


Dei os últimos acordes no piano, me levantei, agradeci a todos e falei.,

- Então "my lord", superstar algo mais?
E soltei um sorriso irônico.

Meus colegas levantaram-se num ato inesperado e começaram a me aplaudir, uma garota que posteriormente descobri se chamar "Ann" levantou-se e soltou um mais inesperado "Aeeeee, é isso aí!" quando eu terminei minha fala, o que me fez dar uma leve risada.

Sentei na minha cadeira de sempre, que por sorte não estava ocupada, e aguardei.



Tagged: Everybody Wearing: O primeiro Notes: None



Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Jesse St James em Sex 1 Nov 2013 - 3:38


Vocal Adrenaline


Olhava cada apresentação com uma expressão de tédio,algumas até que foram bem executas e mereciam destaque outra foram grotescas e chegaram a ser ofensivo mas isso não vem ao caso, vi todas as apresentações segurando uma caneca que continha um café . preta com detalhes em azuis,que havia comprado na lanchonete da escola,reviro os olhos após a ultima e tosca  apresentação que fora entediante e por sinal muito mal executada, mexendo o meu cabelo vou para frente andando lentamente e subo as escadas,um  refletor é ligado e a Luz porém nada exagerado,vem até mim e começou a falar olhando para todos ali em um tom e uma expressão séria-Antes de comentar as apresentações quero fazer uma observação, Recebi o cargo de treinador do coral pela secretaria da escola e se me deram esse cargo é porque eu sou competente e mostro eficiência no que eu faço então piadinhas  infantis e opiniões recalcadas são restritas nessa sala e se tal pessoa não recebeu a oportunidade é porque não conseguiu  e nem conseguirá fazer melhor-Dei mais um passo para frente e olhei novamente para cada um-Voltando as apresentações ,algumas foram Ótimas e outras foram grotescas e ofensivas,os destaques e méritos de alguns serão dados e outros peço que melhore e melhore muito,Serei bastante sincero pois quero que cada um evolua em cima do que lhe falta-li a lista que estava na minha mão-Vamos seguir por ordem de apresentações,quando eu falar seu nome se coloque de pé e após o fim sente-se novamente-respiro fundo e volto minha atenção á lista -Eleanor..Criatividade e técnica foi dentro do que a musica pediu,Coreografia criativa e muito bem executada,foi realmente bom. excelente-sorri discretamente para ela e ela se sentou-Mellanie,Express pede dinâmica,muita sensualidade e uma coreografia extremamente elaborada e muito detalhada e não vi a presença de nada disso na sua performace,faltou  tudo mesmo e não foi  bom,você pode fazer melhor-Ela se sentou com uma cara não muito satisfatória-Meloddy..Foi uma boa performasse não precisava de tudo aquilo,Você exagerou em algumas partes e outras faltou isso,ou seja sua dinamica foi mal distribuída pela canção,tente evitar isso da próxima vez mas sim foi razoavelmente interessante-ela se sentou como os outros-Duncan,Sua apresentação foi  entendiante,não vi absolutamente nenhuma coreografia nada que pudesse merecer destaque,é uma ótima canção,porém ficou  chata,evite isso ok? –logo após ele se sentou-[n]Taylor.foi uma performasse boa,faltou alguns minimos detalhes como explorar mais a musica em si,mas gostei da sua apresentação como sempre-ele sorriu e se sentou-Geoffrey.. foi muito interessante e bem elaborada ,só ouse mais porém sua apresentação foi ótima,muito bom-ele se sentou também-Hwang, If you Seek Amy foi muito bem executada em todos os sentidos,movimentos foram usados corretamente dentro da canção e os detalhes também,sensualidade foi muito bem usada e tudo foi de acordo,excelente-olhei para ela e sorri confiante em saber que realmente havia talentos no coral-Ann..foi razoavelmente agradável,não foi entediante mas também não foi nada que impressionasse demais faltou ousadia mas foi bom-ela se sentou  olhei com expressão de tédio-Logan,Não vi absolutamente nada que me impressionasse,apresentação foi entediante e ofensiva a sociedade e ao coral-Dei alguns passos e fui mais pro fundo e o holofote veio me acompanhando-Eleanor,Mellody,Geofrrey e Hwangsão os Destaques durante essa semana-olhei e fiz um pequeno suspense antes de anunciar o vencedor-Hwang você ganhou o solo nas regionais,performace excelente, e Eleanor você  cantará um dueto com Geoffrey,parabéns a todos,Antes de encerrar essa tarefa vou logo deixar o próximo tema para cada um se preparar e da mesma forma como a tarefa anterior,também deve ser executada aqui-Desci as escadas e fiquei de frente para o coral enquanto todos me observavam atentamente-O tema dessa semana será-CLIPES- bom,essa semana vamos trabalhar de uma forma mais interessante e que vai  exigir muita ousadia de cada um que foi oque havia faltado na semana anterior,Recriem clipes que Marcaram o mundo ,sim estou falando tanto de musicas da brilhantina quanto musicas atuais e é isso,cada um está encarregado de recriar um clipe que Marcou a geração,sejam bem detalhistas e profissionais o máximo possível-





...Another One Bites the Dust

Esse é meu post de número {XX}. O tempo está {Chuvoso}, e estou usando {isso}, estou falando com {Todo o coral}. Estou postando {Auditorio do VA}.

  

____________________

JESSE ST. JAMES

VOCAL ADRENALINE
BROADWAY, NY
greater than you


THANKS RAIN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Auditório.

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum