Aural Intensity Performance

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Aural Intensity Performance

Mensagem por Stalker em Qua 7 Ago 2013 - 21:39



Aural Intensity



Aural Intensity,grupo misto da Westvalle High.

____________________



The your ghost, the ur image. I'm the stalker!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Beatrice Graeff Ohlweiler em Sex 23 Ago 2013 - 20:34

Heart By Heart

Finalmente, a primeira competição do ano havia chegado: As seletivas. Pela troca repentina de treinadoras, foi tudo mais corrido que o esperado, tivemos apenas uma semana para escolher as vestimentas, as músicas, o cenário, a maquiagem, a coreografia. Quando achei que não poderia piorar, magicamente piorou. A solista da vez é, ninguém mais e ninguém menos que eu. Sim, eu. Não é fácil lidar com isso, não mesmo. Se já ruim trabalhar sob pressão, imagina quando tudo parece estar em suas costas? Não que tudo de fato estivesse, mas para uma pessoa que tão perfeccionista como eu, quando se trata de competições, isso já é o suficiente. Tudo ficou mais difícil quando descobri que meus adversários seriam o New Directions e as Troubletones. Já fui das TTs, elas são realmente MUITO boas, mas acho que não são o pior problema. O pior problema é o ND. Como iremos competir com Mary e Dianna? Elas são ótimas no que fazem, é muito difícil alguém dançar e cantar como elas, e é mais difícil ainda fazer os dois ao mesmo tempo.
Após muitas horas de discussão, fora decidido que cantaríamos três músicas. Uma mais lenta e mais emotiva e as outras mais animadas. A primeira seria uma atual, que acabara de ser lançada, pra falar a verdade, e essa seria meu solo. A segunda é conhecida mundialmente por ter sido cantada pela melhor e mais influente banda de todos os tempos, The Beatles. Uma performance perfeita, pelo que foi visto nos ensaios, feita por Charlie, Cody e Joseph. E para finalizar, viria o dueto principal! Lewis e Charlotte arrasariam com One Way or Another, versão One Direction, eles são mesmo muito bons!
Para mim, cantar tais músicas será muita responsabilidade, principalmente após a exigência de senhorita Gonzales, ela quer que façamos uma apresentação como o Aural nunca vira antes. O que faria eu? A coreografia havia sido extremamente bem montada, o difícil seria executá-la.
A pior parte disso tudo, é que não poderia contar com a ajuda das mais importantes pessoas para mim, uma vez que Dianna e Mary são do New Directions, e Nicholas do Vocal Adrenaline. Mesmo o VA não se apresentando essa noite, é considerado traição o ato de mostrar para outras pessoas o planejamento de um coral.
Depois de muita ansiedade, a grande hora chegou e a casa estava cheia. . Dianna e Mary estavam se aprontando para suas respectivas apresentações, e o coral já estava devidamente posicionado. Eu vestia algo não muito simples, culpa da treinadora. Era um vestido um tanto arrumado, não só o meu como o de todas as outras meninas. Gostaria de usar algo mais característico dos anos sessenta, já que cantaria os Beatles, mas seria estranho usar um vestido pin up na apresentação da primeira música.
Ao espiar pela cortina, não encontrei muitas pessoas conhecidas na plateia, tirando meu pai. Gostaria, de verdade, que Nicholas viesse ver a apresentação... Não sei o por que, mas as vezes me pego pensando nele, ou melhor, as vezes me pelo não pensando nele... Nicholas anda ocupando meus pensamentos de uns dias pra cá. Procurei-o na multidão, mas não o encontrei, talvez por estar muito cheio, ou por ele simplesmente não estar lá.
O palco estava lindo, porém, nada poderia ser revelado agora, apenas na apresentação seguinte. Estava em cima de um degrau mais alto, bem no fundo do palco. Estava exatamente no centro. As cortinas se abriram e o som do piano começou a ecoar pelo local. As notas iam formando uma lindíssima melodia, realmente encantadora. Ela era bem calma, assim como toda a apresentação seria. Um holofote acendeu sobre mim, deixando que apenas eu fosse vista por quem estava presente. Meus olhos estavam fechados e estava de cabeça abaixada, deixando meus longos e soltos cabelos caídos sobre o rosto. Assim que fui iluminada, encarei a plateia. O susto veio à tona. O local parecia ainda mais cheio sem as cortinas. Tentei espantar todo tipo de nervosismo e passei a me imaginar sozinha no local, sem nada, apenas eu e a melodia. Não mentirei, isso não deu muito certo. Porém,nada podia me abater. Respirei fundo e reuni todas as forças que encontrei dentro de mim. Em passos curtos, desci os degraus e comecei uma caminhada pelo palco, até  chegar chegar em sua beirada. Meu coração batia forte e alto, mas ainda sim era possível ouvir a doce voz que saia de minha boca. Algo mais direto, sem muitos floreios. Um tom mais grave e com uma ligeira rouquidão.

When your soul finds the soul
It was waiting for
When someone walks into your heart
Through an open door

O holofote ia me acompanhando e, quando eu cheguei ao meu destino, ele parou comigo. Minha voz já havia perdido um pouco de sua rouquidão, dando espaço para um tom mais agudo em certas horas, porém, os graves ainda tinham mais espaço. Levei meus braços ao alto juntando minhas mãos lentamente em "When your hand finds the hand". A medida em que ia abaixando-os novamente, inclinava meu corpo para a esquerda, como uma bailarina. Aliás, toda a coreografia da música seria inspirada nisso.

When your hand finds the hand
It was meant to hold
Don't let go

Abandonando aquele espaço do palco, caminhava para trás novamente, porém, de forma mais rápida. Aquele nervosismo que sentia no começo da apresentação tinha ido embora, como já era de se esperar. Minha voz parecia ter vida própria, ela seguia seus próprios tons. Talvez fosse uma impressão, já que estava me sentindo muito melhor, mas era exatamente assim que via. Ela seguia da mesma forma que na estrofe anterior e aumentou uma nota mais grave nos últimos momentos do último verso.

Someone comes into your world
Suddenly your world has changed forever



Assim que isso foi feito,outros holofotes foram espalhados pelo palco inteiro, não revelando o cenário, obviamente, e os 'iluminados' era outra meia dúzia de integrantes do coral. Não exatamente, mas eram poucas pessoas. Dois meninos, duas meninas e Charlie, meu par dessa apresentação. Era aí que o show realmente começava. Os rapazes pagavam as moças pela cintura e levantavam-as consideravelmente. Quando digo rapazes e moças, me refiro à todos rapazes e moças que estavam presentes na apresentação, inclusive eu e Charlie. Havia um par a esquerda, um a direita, e nós estávamos no centro. Assim que levantadas, todas as meninas inclinaram-se para trás de braços meio abertos, enquanto os meninos giravam-as, na verdade não vou bem um giro, apenas meia volta, e logo elas eram devolvidas ao chão. Assim que pus meu pé de volta no palco, assim como todas as garotas, posicionei-me a frente de Charlie, enquanto cada uma repetia o ato com seus pares, e ele segurou minha cintura novamente, enquanto eu jogava meu corpo uma vez pra esquerda e outra pra direita. Então ele me girou em seus braços e me jogou para o lado, onde eu e todas outras garotas demos uma pirueta.

No, there's no one else's eyes
That can see into me
No one else's arms can lift
Lift me up so high
Your love lifts me out of time
And you know my heart by heart

Já do outro lado do palco, lado esquerdo, para ser mais exata, as outras duas meninas foram para trás de mim, formando uma fica. Assim Charlie fez do outro lado, levando outros dois garotos para trás dele. Eram duas filas, uma em cada canto do palco. Minha voz, que tinha descansado ao fim do último verso, tomou força e voltou da melhor e mais potente forma, ainda apostando em notas graves. Estava muito feliz por não ter errado nenhum passo até agora, a dança havia sido muito bem ensaiada, mesmo que em poucos dias. Meu pai devia estar orgulhoso de mim, assim como ficaria da minha irmã em alguns minutos. Levei minha mão direita para frente ao fim do segundo verso e, ao terceiro do primeiro, todos giraram para os lados opostos e trocaram de lugar. Agora a fileira feminina estava no canto direito, e a masculina no esquerdo. Um dos desafios dessa música viria agora, devia prolongar a nota na palavra "You", de forma crescente. Respirei fundo e assim fiz, sem errar, sem desafinar, sem perder o fôlego.

So now we've found our way
To find each other
So now I found my way
To you

Não conseguia acreditar no que tinha acabado de fazer. Minha voz tinha, de fato, ficado belíssima. Um imenso sorriso formou-se em meu rosto, estava mais que pronta para continuar a apresentação. Estava mais que pronta para continuar a fazer qualquer desafio que viesse. Sai da fileira em que estava e fui caminhando em passos lentos para o meio do palco, junto de Charlie, que fazia o mesmo. Com a  voz mais calma, baixa e menos grave, eu continuava a canção.

No, there's no one else's eyes
That can see into me

Assim que me encontrei com Charlie, os rapazes pagavam as moças pela cintura e levantavam-as consideravelmente. Quando digo rapazes e moças, me refiro à todos rapazes e moças que estavam presentes na apresentação, inclusive eu e Charlie. Havia um par a esquerda, um a direita, e nós estávamos no centro. Assim que levantadas, todas as meninas inclinaram-se para trás de braços meio abertos, enquanto os meninos giravam-as, na verdade não vou bem um giro, apenas meia volta, e logo elas eram devolvidas ao chão. Assim que pus meu pé de volta no palco, assim como todas as garotas, posicionei-me a frente de Charlie, enquanto cada uma repetia o ato com seus pares, e ele segurou minha cintura novamente, enquanto eu jogava meu corpo uma vez pra esquerda e outra pra direita. Então ele me girou em seus braços e me jogou para o lado, onde eu e todas outras garotas demos uma pirueta.

No, there's no one else's eyes
That can see into me
No one else's arms can lift
Lift me up so high
Your love lifts me out of time
And you know my heart by heart

Quando estava de volta a um dos cantos, abaixei um pouco minha cabeça e finalizei a canção com a voz mais baixa, porém usando as mesmas notas.

And you know my heart by heart.

E todas as luzes se apagaram.
Sectionals
Tagged: AI
Clothes: vestido
Thanks Babydoll @ TPO

____________________

SAM * DIANNA * ALPHONSE * ALEX TURNER
Graeff Power

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Beatrice Graeff Ohlweiler em Sex 23 Ago 2013 - 21:20

Please Mister Postman

Assim que as luzes se apagaram, eu sai do palco e fui em direção a entrada do auditório, aonde tinham as cortinas. Ou seja, quando eu entrar, o público estará de costas pra mim. Enquanto me preparava, as luzes se acenderam por completo e revelaram o perfeito cenário do palco. Uma lanchonete! O local perfeito para se falar do anos 60! Um balcão bem no cantinho do palco com todos os meninos do AI sentados nos bancos que estavam envolta dele. No outro canto, no cantinho dos degraus, estavam todas as meninas, sentadas. Os dois grupos conversavam animadamente sobre assuntos desconhecidos por nós, até entrar no palco um dos atores do clube do teatro, que estava lá para nos ajudar, vestido de carteiro. Sim, de carteiro. Ele mexeu em sua bolsa e puxou uma carta qualquer. Deixou-a em cima do balcão colorido de vermelho e branco e foi andando em direção à porta. Foi aí que tudo começou. A banda começou a tocar "Please Mister Postman", versão Beatles e, imediatamente, eu abri as cortinas de trás e, com uma mão na cintura e a outra esticada em sinal de "pare", cantei em um tom bem mais agudo do que a apresentação anterior inteira.

Wait!

As meninas que conversavam um canto trocaram risadinhas e desataram a bater palmas. Antes foi meio desencontrado, propositalmente, e logo após já estavam no ritmo da canção. Suas vozes estavam, assim como a minha, inclinada para o tom agudo, e todas as vozes juntas ficavam ainda mais melodiosas. Os meninos se levantaram e pararam a encarar a situação. As meninas batendo palma e cantando, eu andando toda cheia de atitude em direção ao palco, e o "carteiro" perdidinho no meio da situação, olhando para um lado, olhando para o outro e não entendendo nada.

Oh yes, wait just a minute mister postman
Wait, wait mister postman

O carteiro, um pouco assustado, fez como quem ia embora. Resolvi apressar os passos. O objetivo daquela apresentação, além de ser conseguir bons aplausos, era passar o máximo de realidade para quem assistia. Havia pensado nisso com srta. Gonzales e achamos que seria melhor assim,conseguiríamos ganhar com essa apresentação. Eu espero que ganhemos pelo menos o segundo lugar. Enquanto passava pela plateia, procurava Nicholas com os olhos, mas pelo tempo que tive, foi impossível até mesmo localizar meu pai. É, acho que ele não veio... Subi as escadas laterais do palco com um pouco de pressa e consegui ficar em cima dele. Como o carteiro tentou ir embora, os meninos que se encontravam em pé, ima cantando da maneira mais perfeita que se possa imaginar. Meus olhos quase encheram-se d'água ao perceber que fazíamos uma homenagem às minhas maiores inspirações. Talvez estivéssemos melhores que os The Carpenters, mas que os Beatles nunca.

(Mister postman look and see) oh yeah
(If there's a letter in the bag for me)
Please mister postman
(I've been waiting a long long time)oh, yeah
(Since I heard from that girl of mine)

Agora seria a vez de Cody. Sorri para ele e fui sentar-me com as meninas.
Sectionals
Tagged: AI
Clothes: vestido
Thanks Babydoll @ TPO

____________________

SAM * DIANNA * ALPHONSE * ALEX TURNER
Graeff Power

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Cody Wingate Jackson em Sex 23 Ago 2013 - 21:29

Cody Jackson


Agora era minha parte no solo, Milena se juntava ao grupo de garotos e eu saia, os meninos posicionavam uma cadeira atrás do carteiro e outra ao lado atrás de mim, assim eu abraçava-o de lado, com toda naturalidade. Cantava a musica mantendo um tom de voz firme, não a deixando trêmula, mas em um tom de voz um pouco mais grave que anteriormente. Me sento em uma das cadeiras, forçando o mesmo a se sentar na outra. Eu junto minhas mão, como quem implorasse para o que ele achasse uma carta , enquanto canto, e em seguida me ajoelho.

There must be some word today
From my girlfriend so far away
Please mister postman look and see
If there's a letter, a letter for me



@

____________________


Cody Wingate Jackson

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Convidado em Sex 23 Ago 2013 - 21:34

Tagged:Distritais ♀ Vestindo ♀ Ouvindo: Please Mister Postman♪

Wait a Minute Mister Postman!



Cody s ajoelhou e e fingia implorar para o carteiro para entregar a carta enquanto cantava. Balancei a cabeça fingindo indignação e o empurrei para o lado com as duas mãos. Impaciente, sentei-me na cadeira, que antes pertencia à Cody, e me virei para o carteiro.
Peguei de sua bolsa um cartão e joguei em sua direção como se não fosse nada, logo em seguida tirando uma carta, girando-a na mão, olhando o remetente e jogando no chão também. Olhei para os outros garotos e para o carteiro como se estivesse decepcionado por não encontrar a carta certa e me levantei da cadeira, indo sentar com as garotas nos degraus. Olhei para Milena que me olhou com expectativas e balancei negativamente a cabeça, demonstrando tristeza.


I've been standing here waiting Mister Postman
So patiently for just a card
or just a letter
Saying she's returning home to me
Please Mister Postman


Cantei suavemente, fazendo sinal de "um" com a mão para as garotas.Como se falasse que queria apenas uma carta ou cartão da garota para ler.
Os garotos voltaram a cantar e o carteiro se levantou novamente. Eu e as garotas começamos a fazer backing vocal e a bater palmas no ritmo da música.


(Mister postman look and see)
(If there's a letter in the bag for me)
(I've been waiting a long long time)
(Since I heard from that girl of mine)


Cantei com as garotas fazendo o fundo e acompanhando a voz de Milena, que fazia a voz principal. Levantamos e começamos a cercar o carteiro, juntamente com os garotos. Milena continuou a cantar enquanto todos batiam palmas menos ela.






Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Beatrice Graeff Ohlweiler em Sex 23 Ago 2013 - 21:43

Please Mister Postman

Os meninos estavam de fato indo muito bem! Estava amando fazer parte da mesma apresentação que eles. Dividir o palco com os meninos do Aural era o máximo. Charlie havia concluído sua parte da melhor forma possível, e percebi que era minha vez novamente.
Eu e todas as garotas levantamos e começamos a andar em direção ao carteiro, assim como os meninos. Ele estava cercado e se viu obrigado a sentar-se novamente. Me aproximei mais dele enquanto as outras pessoas formaram uma roda envolta dele. Sentei-me ao seu lado e banquei a compreensiva, colocando a mão sobre seu ombro. Meus olhos estavam suplicando para que ele olhasse suas cartas. A roda agora estava em em minha volta também, e todos eles batiam palma.

You gotta, wait a minute wait a minute oh yeah
Wait a minute wait a minute oh yeah
(you gotta)
check and see one more time for me

Agora era a vez de Cody novamente, toda vez que eu acabava de cantar, era um sinal para que ele continuasse. Essa seria uma parte que muito gosto na canção. Completamente ansiosa, esperei a continuação.
Sectionals
Tagged: AI
Clothes: vestido
Thanks Babydoll @ TPO

____________________

SAM * DIANNA * ALPHONSE * ALEX TURNER
Graeff Power

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Cody Wingate Jackson em Sex 23 Ago 2013 - 21:47

Cody Jackson


Charlie e as garotas se levantaram, indo até o carteiro, assim como Milena, eu e os demais garotos, formando uma roda envolta do carteiro, que voltava a se sentar. Milena pôs sua mão sobre o ombro dele, e o olhava como que pedisse para que olhasse suas cartas, estando ali todos envolta de Milena e o carteiro, todos nos batíamos palmas juntos as meninas menos Milena, que cantava sua parte.
Como quem teimava em desobedecer, eu pego a bolsa do carteiro e vou para o centro do palco, me abaixando e abrindo-a, começando a revira-la. Com o tom de voz um pouco mais grave que a última estrofe cantada por mim junto aos garotos , cantava continuando a revirar a bolça em busca de uma carta.

You gotta, wait a minute wait a minute oh yeah
Wait a minute wait a minute oh yeah
Deliver the letter, the sooner the better


Todos ali, até mesmo a carteiro, se juntaram, um ao lado do outro, e apenas eu permanecia a procura da carta, assim todos finalizavam cantando a ultima frase da canção. Finalmente eu havia encontrado a carta, enchendo os olhos d’água e abrindo um grande sorriso, assim me levanto e fico a frente de todos.

You gotta, wait a minute wait a minute!

As luzes se a pagam novamente e nos retiramos do palco.


@

____________________


Cody Wingate Jackson

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Lewis L. Laurence em Sex 23 Ago 2013 - 23:28




One way... we gonna win that!


O tempo passara rápido; rápido o suficiente para nem perceber. Há pouco tempo estava pisando pela primeira vez no palco do colégio, fazendo minha audição para o Aural e, agora, estava ali, nas seccionais, cantando pelo coral. Havíamos ensaiado o máximo que pudemos. Com meus pais no meu pé, não pude ir a todos os ensaios, malmente continuava no coral. Por muitas vezes havia pensado em desistir, apenas para voltar a minha vida chata e monótona de antes, mas não podia. O Aural era minha nova casa, não podia abandoná-la, simplesmente. Apesar das dificuldades, lá estava eu, pronto e confiante.

Nenhum de nós queria que fôssemos o primeiro coral a apresentar, mas assim fora. Milena iniciara a performance do Aural Intensity, fazendo o que ela fazia de melhor: impressionar. Era a nossa grande estrela. Não nos conhecíamos muito, mas sabia o suficiente para admirá-la. Dando continuidade, os meninos apresentaram um clássico, dando um show à parte. Estávamos indo bem, se tudo corresse como o programado na próxima apresentação, não duvidaria em dizer que sairíamos de lá vencedores.

Estava nervoso. Já havia entrado no palco há pouco tempo, sentindo a energia da platéia, mas não fora como o centro das atenções; agora seria diferente. Minhas mãos estavam gélidas, meu corpo vibrava sutilmente, tanto por nervosismo, quanto pelo som das palmas. As apresentações haviam sido tão perfeitas, eu, inclusive eu, não poderia decepcionar todos. As cortinas estavam fechadas. Do outro lado do palco vi Charlotte. A garota parecia igualmente nervosa, mas quando olhei para ela, a menina fizera questão de lançar-me um sorriso, como se quisesse dizer: “Está tudo bem”. Todos contavam comigo naquele momento. Subitamente um vazio aplacou-me. Reconhecia aquele sentimento. Por mais que me forçassem a fazer coisas que não queria, meus pais foram peças chave para minha iniciação na música, e, graças a eles, eu estava ali. Queria que eles fossem me assistir. Mas eles não iriam. Suspirei quando sussurraram meu nome. Olhei para meus colegas de coral, todos sorriram. “Eles estão contando com você, Lewis.”, pensei indo para o palco.

A lanchonete havia sumido. Não tinha mais nada no palco; completamente vazio. As luzes se acenderam e o vazio ficou visível ao público. Sabia que era minha vez. Respirei fundo, enquanto repetia várias vezes para mim mesmo: “Você consegue!”. O quadro já estava posicionado no centro do palco. Esperava que todos entendessem o que era ele: no mais, era uma espécie de mini-cenário, nele estava a imagem de um quarto comum, como o de qualquer outro adolescente, no quadro havia uma espécie de dispositivo que serviria para mudar a imagem do fundo, após. Era minha vez.

Caminhei para o centro do palco. Os olhares, primeiramente, me inibiram um pouco, mas, em menos de dois segundos, o nervosismo se tornara em excitação. Lembrei  que teria de fazer, e, então, pus em ação. Continuei a caminhar, um sorriso se formara somente num canto da minha boca, enquanto erguia minhas sobrancelhas, mostrando despreocupação. Atuar nunca fora difícil para mim, talvez não fosse cem por cento, mas chegava aos noventa por cento fácil, fácil. Enfiei a mão no bolso e retirei o celular cinematográfico. Estava em frente ao cenário quando a introdução da música começou. Sacudi um pouco a cabeça, enquanto batia os pés no ritmo. Da música.

One way or another, I'm gonna find ya
I'm gonna get ya, get ya, get ya, get ya

A música não exigia tanto esforço vocal assim, a dificuldade seria unir os passos à canção, de modo que não me fizesse perder o fôlego em menos de dois estrofes. Minha voz soava rouca e um pouco áspera, propositalmente, ainda levando em consideração a minha expressão despreocupada. Pronunciando “find ya”, aproximei minha outra mão da testa, como se tentasse cobri o sol, fitando a plateia, fingindo procurar alguém. Durante a segunda frase, enquanto repetia “get ya”, apontava aleatoriamente para a platéia, indicando uma pessoa a cada “get ya” que pronunciava.

One way or another, I'm gonna win ya
I'm gonna get ya, get ya, get ya, get ya
One way or another, I'm gonna see ya
I'm gonna meet ya, meet ya, meet ya, meet ya
One day maybe next week, I'm gonna meet ya
I'm gonna meet ya, I'll meet ya

Meu olhar estava fixo na platéia. Tentava retribuir a energia que eles haviam depositado em suas palmas, sorrindo e “sensualizando” apenas com o olhar. Caminhava para frente, dando um passo a cada batida da música. Pude ver, mesmo de longe, alguns sorrirem. Estava tudo correndo bem. Fiz um número um com a mão e aproximei-o da boca, e, depois, girei-o no ar, como se indicasse o próximo. Fechei o punho e o sacudi para baixo, como se torcesse para que algo acontecesse, apertando os olhos. Durante a última frase, Milena adentrara o palco, também no ritmo, e, rapidamente, me entregara um volante solto, como os de vídeo-game. Antes de sair, Milena empurrara o dispositivo do quadro, mudando-o de cena. Agora, no lugar do quarto, um carro sem “capô”, vermelho e brilhante, como se estivesse sendo iluminado pelo sol. Lancei o celular para longe e corri para frente do quadro. No canto do palco, escondido, um grande ventilador soprava meus cabelos quando me aproximei do quadro, fingindo dirigir.

I will drive past your house
And if the lights are all down
I'll see who's around

Concentre na minha respiração. Minha voz soara mais lenta e pesada, prolongava as últimas palavras, enquanto sorria eletricamente para a plateia. Arrisquei-me em dar uma piscada para a garota da primeira fileira. Balancei o volante para os lados, como se dirigisse, tentando desviar de alguns obstáculos. Vez ou outra fingia olhar no retrovisor, penteado meus cabelos com os dedos. Charlotte entraria a qualquer momento, enquanto eu, ali, em frente ao quadro, continuava a pentear meus cabelos no espelho falso.




____________________

3L | Loser | School: Have no ideia |
Lewis L. Laurence

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Charlotte A. Florence em Sab 24 Ago 2013 - 0:20




Tagged:Go Aural Intensity ☼ Clothes: this  ☼
Ouvindo: Música duuuh ♪  ☼ Notas: xxxxx
One Way Or Another



A hora tão decisiva já havia chegado, eu estava com muito nervosismo, sentia como se todo o mundo dependesse dessa apresentação do coral, afinal é a minha primeira competição, meu coração só faltava sair pela boca e enquanto eu estava perdida em meus pensamentos, Lewis se encontrava do outro lado do palco, eu o lancei um sorriso bastante animado, apesar de parecer assustada com tudo aquilo, agora era a hora de deixar o nervosismo de lado e se concentrar em vencer, logo Lewis entrou e começou a cantar, nessa hora eu fiquei bem mais nervosa mas tudo correu bem, como sempre, já é a minha vez, é a minha hora de ser uma estrela ''Charlotte Alvord Florence você é uma estrela e nada irá te derrubar'' pensei internamente enquanto eu entrei no palco lindamente e empurrando o cenário e  apareceu um quarto feminino e eu comecei a cantar bastante forte e decidida:

One way or another, I'm gonna find ya
I'm gonna get ya, get ya, get ya, get ya
One way or another, I'm gonna win ya
I'll get ya, I'll get ya
One way or another, I'm gonna see ya
I'm gonna meet ya, meet ya, meet ya, meet ya
One day maybe next week, I'm gonna meet ya
I'll meet ya ah


Eu entrei bastante sorridente, empurrei o cenário enquanto a minha voz estava bastante forte e ao mesmo tempo suave e depois se revelava um quarto feminino, depois enquanto eu continuava a cantar ainda com muita força, mas também variando a suavidade do meu timbre de voz  que também tinha uma amplitude enorme e podia variar em relação a tonalidade da letra, coloquei toda a emoção e realidade, depois Lewis largou o celular e enquanto eu cantava com toda a animação e cativando todas as pessoas com a teatricalidade e eu usava e abusava do palco, abracei Lewis e eu cantei o mais suavemente e ao mesmo tempo mesclando bastante carisma com a potência vocal, depois que eu o joguei em um canto qualquer comecei a dançar, fazendo passos de danças bem elaborados enquanto eu ainda atuava, cantei o melhor que eu podia, minha voz variava entre um tom maravilhoso da música quanto também coloquei bem mais energia na minha voz, que havia ''migrado'' de suave para algo mais animado e eletrizante, continuei na minha personagem fielmente enquanto eu cantava e fazia passos de dança individuais bastante detalhados, até que Lewis vai até a minha cintura e me segura de um lado  para outro. Depois ainda cantando bastante bem e harmoniosa com tudo aquilo e vou na direção dele e o abraço, fingindo que irei beijar-lo, com isso todos ficaram com expectativas, pois eu viro o rosto, minha voz estava bastante real com tudo aquilo, assim como a minha atuação que também estava tão real, e ele segurou novamente a minha cintura e com a outra mão ele segurou a minha, todas as três vezes que isso aconteceu coloquei o máximo que eu podia na minha voz, seja com o carisma, teatricalidade e até mesmo na potência vocal, estava bem realista, coloquei uma expressão brincalhona no meu rosto o empurrei mais uma vez, para combinar com tudo aquilo a minha atitude estava bem semelhante a da personagem e vou até o canto do cenário ainda cantando e como sempre prolongando a nota, mas sem tirar o conteúdo original da mesma. 


And if the lights are all out
I'll follow your bus downtown
See who's hangin' out

Depois de sair correndo para o outro canto do cenário, ainda cantando, minha voz estava bastante animada, exatamente como a da canção original, e eu coloquei bem mais sentimentos que estavam na minha mente na parte da música, um turbilhão de emoções passavam pela minha cabeça, mas com certeza os sentimentos que reinaram foram a força de vontade, dedicação e a determinação, harmoniosamente me inclinei para a frente e fui dando passos bastante suaves e delicados enquanto apontava para Lewis, depois minha voz ficou mais forte e teatral mais que antes, coloquei mais atuação e logo assim que eu chego até ele, ele tenta me abraçar, cantei com um tom mais divertido e maroto e corri mais uma vez com toda a realidade e com a teatricalidade possível e acabei aquela parte da canção e já me preparava para a próxima. 

 


[/code]

____________________

Charlotte Alvord Florence

Char*Sis of Charlie*Aural Intensity* Lonely ♥️

credits @

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Lewis L. Laurence em Sab 24 Ago 2013 - 0:31




One way... we gonna win that!



Por menos que nos conhecêssemos, eu e Charlotte fazíamos uma bela dupla. Os movimentos dentro do lugar, as vozes se encaixando perfeitamente. Era divertido e assustador ao mesmo tempo. Vez ou outra tinha de me lembrar que estava numa apresentação formal e com público, não na sala de coral. Mas, ainda assim, me divertia bastante. Ora cantávamos um para o outro, ora cantávamos para o público. O entrosamento da dupla era uma questão a parte. Estávamos ótimos.

Os integrantes do Aural, todos e todas, entraram no palco, cantando em coro: “na, na, na, na...”. Olhei para trás e sorri. Se já me sentia em casa no palco só com a Charlotte, com todo o resto do coral ali, pulando e cantando na mais perfeita harmonia, me senti definitivamente na sala de coral, só que fazendo uma performance melhor planejada. Os outros cantavam no fundo e, sutilmente, foram formando casais. Eu e Charlotte continuávamos no meio, como o casal principal. Já estavam todos com seu par quando iniciei os movimentos.

Seguindo o ritmo e batida da música, lembrando-me de todas as vezes que havíamos ensaiado aqueles passos, segurei-a pelo braço, pousando minha outra mão em sua cintura, e dançamos conforme a música. Os passos eram rápidos, mas todos os outros acompanharam perfeitamente. Girei-a algumas vezes, entrelaçado meus pés aos dela, sempre, é claro, tomando cuidado para não parar de marca os passos. Um, dois, três, quatro... Cinco, seis, sete, oito... Joguei Charlotte para o lado e, depois, mais rapidamente que antes, puxei-a de volta, passando a garota para a frente de meu corpo e abraçando-a por trás, lançando um sorriso satisfeito para o público, que sorrira enquanto isso.

I wanna hold you, wanna hold you tight
I wanna hold you, wanna hold you tight

Nesse instante, Charlotte desvencilha-se de meus braços e desfila para frente do palco. Eu, de olhos fechados, abraço o vento, acreditando ainda ser ela. Abri os olhos e tentei parecer triste enquanto cantava. Charlotte fazia poses e balançava o cabelo, enquanto olhava para trás vez ou outra, com um sorriso sarcástico. Segurei-me para não sorrir também. Voltando a me concentrar, abracei meu próprio corpo e caminhei na direção dela. Os casais atrás de nós repetiam os movimentos, porém num espaço menor: os garotos tentavam abraçar as garotas, enquanto as garotas desviavam. Apesar de parecer banal, eles, o pessoal de trás, fazia tudo isso incorporando passos de dança aos movimentos, fazendo um simples “abraçar e fugir” parecer um verdadeiro show profissional. Mas era isso que éramos, ou pelo menos era como nos sentíamos.

I wanna hold you, wanna hold you tight
I wanna hold you, wanna hold you tight
I wanna hold you, wanna hold you tight
Yeah, Teenage Kicks right through the night
C'mon

Posicionei-me ao lado de Charlotte e segurei sua mão direita, a qual estava mais próxima de mim. Puxei-a de uma vez e ela passou por minha frente, girando, fazendo a saia de o seu vestido subir sutilmente ▬ nada que pudesse ver qualquer coisa, se me entende. Fizemos alguns movimentos separadamente: fingimos abraçar o vento, trocando o posicionamento dos braços algumas vezes. Todos repetiam. Voltamos ao fundo e começamos a caminhar na frente um do outro. Eu, no canto do palco, voltei para frente e fingi procurar Charlotte em meio a eles. Quando, finalmente, gritei “c’mon”, todo o resto do grupo jogou o punho para cima e me acompanhou em coro. Segui em direção a Charlotte, que acabara de encontrar. Ela ainda se fazia de difícil na canção..



____________________

3L | Loser | School: Have no ideia |
Lewis L. Laurence

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Charlotte A. Florence em Sab 24 Ago 2013 - 1:07




Tagged:Go Aural Intensity ☼ Clothes: this  ☼
Ouvindo: Música duuuh ♪  ☼ Notas: xxxxx
One Way Or Another

Realmente nunca imaginei que tudo estava dando tão certo, não que eu não acreditasse na potência do coral, é que isso surpreendeu as minhas expectativas, eu e o Lewis modéstia a parte, por mais que nós conhecermos há pouco tempo, parecia que eu e ele nos conhecíamos há muito tempo, não sei ao certo, mas não existe nenhuma dúvida de que fazíamos uma dupla e tanto, o entrosamento entre eu e ele reinou de maneira tão natural, não pareceu forçada ou uma dupla com pouca sintonia. Enquanto cantávamos seja para nós mesmos, seja para o público já era perceptível o quanto estávamos surpreendendo, o que parecia ser somente uma apresentação de dueto em que ambas as pessoas que estão no vocais, só correm e se abraçam, sem nenhuma coreografia ou preparo próprio, os outros membros do Aural Intensity, eles cantavam em coro o ''Na Na Na Na''com bastante harmonia e sintonia, estávamos tão naturais como se estivéssemos na própria casa e estávamos, realmente o palco estava totalmente preenchido, era notório o esforço e a sincronia, frutos de verdadeiros ensaios dedicados, perseverança e força de vontade.Enquanto os membros do fundo faziam pares bastante organizados, eu e Lewis estávamos no centro, começamos a fazer os movimentos e dançávamos com muita precisão e tudo perfeitamente coordenado, nossas vozes se uniram com a coreografia e coloquei o melhor do que eu podia, até mais para sair tudo ótimo, perfeito e com uma sincronia exímia.

I wanna hold you, wanna hold you tight
I wanna hold you, wanna hold you tight
I wanna hold you, wanna hold you tight


Nessa parte da canção, eu dançava com toda a força, depois eu me soltava dos braços dele e desfilava enquanto eu ainda cantava, de maneira que conquistasse bastante o público, que, depois eu balancei o meu cabelo enquanto eu cantava,  eu estava realmente na personagem, fiz expressões sarcásticas enquanto minha voz se adaptou facilmente a todo aquele momento, depois continuei com o show de expressões bem artísticas e bem teatrais. Os casais que estavam mais ao fundo, faziam exatamente a mesma coreografia que também mesclava atuação , o que contribuiu ainda mais para qualidade da performance, depois desse show de coreografia que pareciam ser realmente algo feito por profissionais maravilhosos, depois voltei para o lado de Lewis, o mesmo havia puxado a minha mão com a mão direita dele, ainda me fazendo de difícil passei na frente dele enquanto girava, eu e ele faziamos movimentos agora separadamente, onde eu abraçava o vento, aquilo soava bem divertido, o público já havia captado o espírito divertido enquanto todos seguiam a coreografia fielmente, fui até o fundo onde eu continuava atuando bastante bem, enquanto Lewis fingia me procurar, depois dele cantar ''Come On'' e então o grupo todo cantou em coro quando jogaram seus punhos para frente e acompanhou ele com muita sintonia, ele seguiu em minha direção, mexia levemente em uma mecha do meu cabelo e ainda continuei no papel de que eu estava me fazendo de difícil, isso ficou muito divertido e continuamos a música bastante fortes e as vozes apesar de diferentes se completavam.





Yeah, Teenage Kicks right through the night








 


[/code]

____________________

Charlotte Alvord Florence

Char*Sis of Charlie*Aural Intensity* Lonely ♥️

credits @

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Lewis L. Laurence em Sab 24 Ago 2013 - 1:33




One way... we gonna win that!


A performance findava-se, mas meu entusiasmo e, creio, os dos outros também, somente aumentava. As primeiras apresentações haviam sido perfeitas, a minha e de Charlotte caminhava na mesma direção. Apesar de todos cantarem juntos, Charlotte e eu tínhamos o destaque. Havíamos voltado para o centro. Um do lado do outro, cantávamos bem. Nesse curto intervalo de tempo, enquanto estava parado ao lado de Charlotte, pude ver todo a plateia. De inicio não acreditei no que vi, achei que teria sido somente minha impressão, mas um acenou com a mão mostrara que o que eu via era real: meu pai e minha mãe, que até pouco tempo atrás proibiam minha entrada no coral, estavam sentados num canto afastado, mas bem visível. Apenas sorri. Mas não fora um sorriso comum, fora um sorriso de felicidade mesclado com orgulho e satisfação, um sorriso entusiasmado e pronto para fechar com chave de ouro.

Olhou de soslaio para Charlotte e, talvez, por um milésimo de segundo ela entendeu o que acontecia. Igualmente ficara animada. Enquanto os pares se separavam, eu e Charlotte continuávamos no centro, imóveis, concentrando-nos somente em nossas vozes e na harmonia entre ambas. Os Aural se espalharam, fazendo uma linha disforme, focavam no público e em nós dois. Afastei-me um pouco mais de Charlotte para dar espaço para os passos a seguir. Meus pais continuavam a me observar, mas, como sempre, não com olhar de aprovação ou orgulho, mas um olhar calculista, como se somente esperassem por um erro, para depois me criticarem e me fazerem treinar até meus músculos e garganta doerem.

One way or another, I'm gonna see ya
I'm gonna meet ya, meet ya, meet ya, meet ya

Minha voz soara tão potente que por pouco não sobrepôs as outras. Milena, Cody e Charlie estavam mais atrás, cada qual em seu canto, pronto para os passos. Foram os passos mais demorados para se aplicar durante os treinos. Não por serem difíceis, mas pela sincronia que, ates, não tínhamos muita, mas agora, poderíamos fazer isso até de olhos vendados. Ao mesmo tempo, todos levantaram a mão direita ao lado do corpo, fazendo um número “um” com a mão. Passamos o pé esquerdo na frente do direito, obrigando-nos a girar. Em seguida, levantamos a mão, pousando-a sobre os olhos e movemos a cabeça para um lado, como se literalmente procurássemos alguém. Enquanto cantávamos ”meet ya”, apontamos para frente e sacudimos o dedo indicador, como se selecionássemos pessoa por pessoa. Meus pais sorriam, pela primeira vez, não forçados a isso. Não pude evitar a emoção. Sorri de volta, apertando os olhos.

One way or another, I'm gonna win ya
I'm gonna get ya, get ya, get ya, get ya

Agora, formávamos duas linhas, cada um do lado do outro, meninos e meninas, mas as meninas estavam sempre a um passo a frente. A fileira era, menina do lado e um pouco mais a frente, e menino a um passo atrás. Repetimos o movimento, mas dessa vez com a outra mão e, ao cantar “win ya”, todos puseram mais força na voz, como se somente nossas vozes pudessem influenciar nisso. De certo modo não só podiam, como iriam. Todos acreditavam na vitória, o que nos dava mais confiança, mesmo já no fim da apresentação. A todo o momento mostramo-nos esforçados e confiantes, preparados e unidos para tudo e todos. Aural surgira com força, e sairia com a mesma. Durante o “get ya”, os garotos trocaram de lugar com as garotas a sua direita, uma massa sincronizada girou no palco das distritais, cantando perfeitamente. Durante a última palavra, paramos no centro e apontamos para frente, lançando dezenas de olhares confiantes e, arriscaria em dizer, desafiadores para os corais que assistiam.

Aplausos. Um único som invadiu o palco, passando por cada um de nós que, apesar d exaustos, continuavam com o sorriso no rosto. Cada um segurou na mão da pessoa ao lado e, juntos, reverenciamos a plateia. Eu, em especial, reverenciei meus pais, não só por irem me assistir, mas por não criticarem ou jogarem uma pedra no palco (bem provável, acredite!), além do mais, a ida deles lá significava que eu estará autorizado a entrar no Aural Intensity, sem proibições. A sensação de trabalho feito me invadia, relaxando meu corpo e músculos, a única coisa que conseguia pensar era em quão havíamos ido bem, tudo graças aos treinamentos. As cortinas se fecharam a nossa frente e, quando não era mais possível ver ninguém, pulamos e gritamos como a mais nova e louca família Aural.



____________________

3L | Loser | School: Have no ideia |
Lewis L. Laurence

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Lola Gonzales em Qua 28 Ago 2013 - 11:54



"Bom Trabalho"
"Sectionals superaram minhas espectativas "


-Hoje,triunfamos. -Antes que Lola pudesse continuar falando,todos começaram a gritar pulando.-Todos aqui sabem que...-Lola deu uma pequena pausa para respirar,era muita emoção que sentia dentro de si. -...não tivemos muito tempo pra essas seletivas,mas,nos saímos bem!Otimamente bem! Foi pouco tempo,mas eu já sinto muito orgulho do nosso trabalho,e se não for pedir demais,peço a vocês que me permitam fazer parte da família. –Agora Lola já se acalmava e se recompunha pegando sua bolsa e apoiando-a no ombro direito. – Não sei se ganharemos ,mas uma coisa eu sei... –Lola foi caminhando até uma porta ali perto onde havia um letreiro dizendo “Exit”,’fechou’ sua expressão facial e disse-lhes: -Bom trabalho. –Saindo pela porta,Lola iria pensar na próxima tarefa.

____________________

 
*Srtª Gonzales*México*Aural Intensity*Westvalle*

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aural Intensity Performance

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum