[ FP ] Geoffrey O. Champoudry

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[ FP ] Geoffrey O. Champoudry

Mensagem por Geoffrey O. Champoudry em Seg 21 Out 2013 - 1:37






Geoffrey O. Champoudry # 16 anos # Gege

Geoffrey O. Champoudry












Características físicas


Pele muito clara, porém costuma se manter o máximo bronzeado possível. Os olhos castanhos bem claros que as vezes se tornam esverdeados. Cabelos castanhos médio sempre cortados na moda, embora as vezes usado penteados para atrás de uma forma bastante formal. Possuo 1.75 de altura. Não tenho um corpo atlético, mas cuido para que não fico "cheio".


Características Psicológicas


A primeira vista sou um garoto quieto, educado, gentil e amigável, porém esse não é o meu eu verdadeiro. Sou bastante sarcástico, egocêntrico e algumas vezes irônico demais. Não tenho problemas com as pessoas, elas que possuem problemas comigo. Sou divertido e costumo tirar de uma desgraça a minha volta, uma piada engraçada, mesmo que seja apenas para meu próprio divertimento. Tenho um sentimento de liberdade que flui dentro de mim e não suporto sofrer represálias. Faço as coisas quando sinto vontade, no horário que eu acho melhor e no local que mais me agrade.



entrevista sem sentido


[aqui 3 icons 100 x100 do personagem]



Qual a sua idade? 16 anos

Onde nasceu? Marselha, França

Estado Civil? Solteiro

O que gosta de fazer? Gosto de cantar, embora tirar sarro com os perdedores me parece mais interessante. Costumo dançar e algumas vezes consigo retirar algumas notas de algum piano. Gosto bastante de leitura e de assistir filmes interessantes, que sempre se resume a dramas, comédias ou até mesmo um romance bem elaborado.

O que não gosta de fazer? Não curto estudar, embora saiba que é necessário. Odeio esportes, afinal ficar grudento de suor é para pessoas loucas e sem personalidade. Não suporto falsidade e muito menos pessoas que são ordinárias tentando passar imagem de boa samaritana.

Livros preferidos? Na verdade sou bastante eclético, e esse pequeno espaço não caberia todo o meu conhecimento sobre literatura. Porém há alguns que abro exceção para colocar aqui: Alguns livros de Anne Rice, Meg Cabot, Stephenie Meyer e Joanne "Jo" Rowling.

Filmes preferidos? O fantasma da Opera, Moulin Rouge - Amor em Vermelho, P.S Eu te amo, Harry Potter.

Frase marcante? Não nasci para agradar ninguém. Não gostou? Me engole!

Qual artista que mais se parece? Robert Pattinson





Uma história para boi dormir




Algumas pessoas me dizem que possuo problemas devido a minha família conturbada ou sinto falta de afeto paterno e materno. Sempre respondo: Sou assim porque eu gosto querida! Nasci em Marselha, França, uma cidade perfeitamente fria e com um ótimo senso de moda. Os meus pais, Christinne Champoudry e Thomas O. Champoudry é a perfeição de um casal. Casados a tempo suficiente para me causar náuseas, os dois ainda vivem como se fossem apenas namorados. Minha irmã Tracie e meu irmão Cory [ Gêmeos ] foram os primeiros frutos dessa relação amorosa sadia e cheia de açúcar. Christinne é promotora da terceira vara criminal, enquanto Thomas apenas administra sua empresa de cosméticos no conforto de seu lar, para o meu azar é lógico. Tracie se casou muito nova, eu tinha apenas 3 anos quando o seu marido nos livrou de sua presença constante. Hoje em dia ela apenas administra o lar, o que ela faz perfeitamente. Cory se mudou para a Inglaterra, onde cursa direito, o seu sonho se torna um embaixador do país ou até mesmo um advogado importante. O fato é que minha família é unida demais, misturada demais e completamente controladora demais! A pequena casa com três quartos, piscina e alguns outros pequenos móveis que meus pais acharam melhor para a minha criação fica no centro de Ohio.

Recebi todo o carinho que uma criança poderia ter, inclusive carinho até a mais. Christinne sempre se preocupou com minha educação e tratou de me colocar em ótimas escolas com insuportáveis professores. Tive aulas particulares de Italiano, Português e Alemão, além de uma velhota enjoada que me ensinou algumas notas no piano. Devido minha mãe ser uma mulher feliz por conta de sua condição financeira vivia esbanjando sua voz potente pelo lar, cantarolando e expulsando os vizinhos. Eu cresci aprendendo que quando sentimos algo de bom devemos cantar para mostrar ao mundo o quanto estamos felizes. Devido ao meu crescimento fui amadurecendo e aprendendo a escolher o meu caminho. Porém o meu comportamente nunca foi algo que meus pais se orgulhassem. Não me envolvi com drogas e poucas vezes fiquei alterado alcoolicamente,sou muito perfeito para estragar o meu corpo com coisas fúteis. Porém logo percebi que os meus desejos masculinos eram diferentes dos outros da minha idade. Os garotos me pareciam mais interessantes do que moças fofocando e falando sobre suas vadiagens noturnas. Porém encarei minha homossexualidade tão perfeitamente que poucas pessoas descobriram, exceto Jerry. Jogadores de futebol são interessantes se levar em conta que não sabem falar em público e sua única coisa interessante é o corpo. Jerry era um desses, porém muito melhor, pois além do corpo ser interessante, era meu. Deixei que por várias vezes o seu corpo possuísse o meu matando os meus desejos, porém quando a escola começou a comentar sobre o caso, tive que destruí-lo publicamente. Que pena!

Devido aos altos problemas que outros alunos lidavam com minha sexualidade bem resolvida, os meus pais resolveram mudar-me de escola. Acredite, eu poderia lidar com cada pessoalmente, afinal quando uma tumba de segredos é aberta, outras são abertas revelando o "bom" que cada um possui. Carmel High School foi o melhor local que encontraram para mim, porém não antes da ameaça de me manda para a Suíça por mal comportamento. Não espero muita coisa dessa escola, exceto professores capacitados que não fiquem se esfregando nos intervalos afim de procriar suas raças miseráveis.







Não me lembro ao certo que teve a ideia porém certa vez me peguei guiando os meus passos até a auditória da escola onde um teste para o coral se realizava. Não havia nada de interessante, mas os perdedores que alí se encontravam poderiam me divertir um pouco e matar o meu tédio adolescente. Girei a maçaneta da porta e logo me vi sendo observado por seres carentes de atenção e fama. Sorri para não causar uma antipatia imediata e esperei para que fosse a minha vez da apresentação. Quando por fim chegou, levantei-me e girando o meu sapato da Armani cuidadosamente e delicadamente me sentei ao piano. As horas que aquela inválida, candidata a próxima múmia do faraó me fez gastar com as aulas me serviu no final para algo. - Bom dia! - Precisava disso antes de humilhar aos presentes. - Sou Geoffrey Oliver e irei cantar uma canção do Ryan Star, We might fall! - Com os meus dedos iniciei as primeiras notas musicais. Geralmente não confesso isso para ninguém, mas sinto um arrepio quando a música inicia pulsar de dentro de mim.

We should go to sleep now,
you should stay the night.
I'll be up to watch the world around us live and die.
Lying on the grass now,
dancing for the stars.
Maybe one will look on down and tell us who we are.


We might fall
We might fall
We might fall, honey we might fall
We might fall
We might fall
We might fall, honey we might fall


As notas calmas e serenas faziam o meu coração pulsar em um ritmo quase acelerado. No inicio da canção eu soube o porque escolhi-a. Eu via o mundo daquela forma, pessoas decadentes tentando ter uma vida comum enquanto no futuro tudo o que sobraria era o nada. Os meus dedos deslizavam pelas teclas, enquanto minha voz tentava acordar aos presentes para observarem o que realmente havia em volta deles.

I could join the circus,
and you could sell your hair.
I could learn to walk the line or learn to train the bears.
Tell me are you crazy,
and did you like the cold.
Tell me are you comfortable if comfortable at all.


Naquele momento eu sentia que todos poderiam sumir e que minha voz continuaria fluindo pelos meus lábios. Eu aprendia que antes de elaborar aquela canção para o teste, eu cantava para mim mesmo. Embora fosse livre, ainda existia partes de mim que precisava de liberdade. Não encarei nenhum dos alunos diretamente nos olhos, eu estava vulnerável o suficiente para todos descobrirem minha fraqueza, a música.

Now that we are older,
I remember you.
Reaching out to show me all the things that I must do.

Now that we are older,
I remember youth.
Now that we are close to death and close to finding truth.


Se eu não tivesse sido forte o suficiente durantes vários anos, eu borraria o meu delicado rosto com lágrimas tristes e quente. Eu sentia que aquela canção pregava que a minha morte me libertaria para algo maior, melhor. Por apenas alguns segundos deixei toda a minha soberba, soberania e mediocridade se esvair com as notas e olhei a frente. Havia pessoas que me assistia, pessoas essas que poderiam até me aceitar se eu não fosse egoísta para acreditar que precisava de alguém.

We might fall
We might fall
We might fall honey we might fall
We might fall
We might fall
We might fall honey we might fall

Shalalala
Shalalala
Shalalala

Shalalala
Shalalala
Shalalala


Eu queria gritar, segurar cada um presente pela gola de suas camisas baratas e gritar que nada daquilo valeria a pena. Que no final o tudo seria nada. Que não importa quem somos, um dia caímos e indiferente de classe social, somos todos fracos para suportar tudo o que virá. Soltei a voz, deixando as notas elevarem ao máximo suportado. Não queria ficar ali, queria apenas ir para algum lugar onde fosse o protegido o suficiente para livrar-me do meu pior inimigo, eu mesmo. Quando a canção se findou, senti o meu coração voltando a normal e minha alegria sumindo. Sorri o mais falsamente que pude e me levantei voltando ao meu assento. A canção havia terminado e o velho Geoffrey havia voltado.





Obs: Canção cantada - Ryan Star / We might fall.
Link da música: YouTube




 



Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [ FP ] Geoffrey O. Champoudry

Mensagem por Dianna E. Voss-Ohlweiler em Seg 21 Out 2013 - 16:27

Ótima ficha, GG. Mais uma pequena dica. Nós costumamos narrar partes individuais nas letras das músicas, e não por dois pedaços por vez. Quando estiver no coral, siga essa linha e ficará perfeito. Seja bem vindo ao Glee RPG. 

____________________

Climb on board
We'll go slow and high tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum